browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

O Cinturão de Fótons, os Maias e as Plêiades. Parte 1

Posted by on 10/10/2016

foton-belt-cinturão-de-fotons (1)O Cinturão de Fótons, os Maias e as Plêiades. Parte 1

Detectado pela primeira vez em 1961, através de satélites, a descoberta do Cinturão de Fótons marca o início de uma expansão de consciência para a parcela da humanidade em evolução, para além da terceira dimensão.

A ida do homem à Lua nos anos 60 simbolizou o início desta expansão, já que antes das viagens interplanetárias era impossível perceber o cinturão. …

 Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos (os inconscientes e ignorantes), e Cristo te esclarecerá. Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios*, mas como sábios  Efésios 5:14-15

(*Significado de néscio: adj. Característica de quem não possui capacidade, conhecimento,  sentido ou coerência. s.m. Sujeito ignorante, estúpido, incompetente, incoerente. Burro no senso comum. (Etm. do latim: nescius.a.um)


Edição e imagensThoth3126@protonmail.ch

… A cada dez mil anos o Sistema Solar entraria durante 2.160 anos no anel, no cinturão de fótons (Photon Belt em inglês), ficando exposto à energia da estrela central das Plêiades, ALCYONE, por sua vez carregada pela energia do sol central da Galáxia, Hunab Ku

Hunab-Ku, símbolo dos Maias para o SOL CENTRAL da nossa Galáxia,e da dualidade, positivo e negativo, luz e trevas, branco e preto, masculino e feminino, sem a qual o universo material não existiria.

Esta foi a conclusão dos astrônomos Freidrich Wilhelm Bessel, Paul Otto Hesse, José Comas Solá e Edmund Halley, depois de estudos e cálculos sobre o cinturão de fótons:

O nosso Sol seria a oitava estrela da Constelação das PLIÂDES, também conhecida como  Aglomerado Estelar Aberto M-45, localizada a aproximadamente 28 graus da constelação de Touro, e a cerca de 450 anos luz de distância de nosso sistema solar.

O nosso sistema solar (o sol e o conjunto de planetas) levaria 25.920 anos para completar uma órbita ao redor de Alcyone, o Sol Central das Plêiades e do nosso Sistema Solar, e a Terra com um movimento orbital ao redor de nosso sol também conhecido como Precessão dos Equinócios (n.T. mudança do começo das estações a cada 2.160 anos, a partir de 2.013 a PRIMAVERA  começaria em torno do dia 21 de AGOSTO para nós do hemisfério sul).

A divisão desta órbita que leva 25.920 anos por doze resulta em 2.160 anos, tempo de duração de cada era “astronômica” (A Era de Peixes se iniciou em 148 a.C., a de Áries 2.308 a.C., a de Touro em 4.468 a.C., etc.).

Descobriu-se também que Alcyone , o Sol Central das Pleiâdes, tem à sua volta um gigantesco anel, ou disco de radiação, cuja fonte é o SOL (a divindade criadora do nosso universo local) CENTRAL da nossa própria galáxia, em posição transversal ao plano das órbitas de seus sistemas, que foi chamado de Cinturão de Fótons. Um fóton consiste na decomposição ou divisão do elétron, sendo a mais ínfima partícula de energia eletromagnética, algo de que ainda temos pouco conhecimento científico  na Terra.

Detectado pela primeira vez em 1961, através de satélites, a descoberta do cinturão de fótons marca o início de uma expansão de consciência para a parcela da humanidade em evolução, para além da terceira dimensão. A ida do homem à Lua nos anos 60 simbolizou o início desta expansão, já que antes das viagens interplanetárias era impossível perceber o cinturão. A cada dez mil anos o Sistema Solar penetra por 2.160 anos no anel de fótons, ficando exposto à energia de Alcyone, carregada pela energia do sol central da galáxia, Hunab Ku.

O nosso sistema solar orbita o Sol Central das Plêiades, Alcyone (a estrela maior e mais brilhante na foto) dando uma volta completa (um ANO SOLAR) a cada 25.920 anos, sendo que a data de 21 de dezembro de 2012, final do 13º Baktun do Calendário MAIA marca o final de um desses anos solares. Em astronomia também é conhecida como o Aglomerado estelar aberto M-45, as Sete Irmãs, a Constelação das Plêiades, com os sóis/estrelas principais de ALCYONE, Maia, Electra, Taygeta, Atlas, Pleyone, Celaeno, Asterope e Merope.

A última vez que a Terra passou por ele foi durante a “Era de Leão”, há cerca de doze mil anos. Na Era de Aquário, que está se iniciando, ficaremos outros 2.160 anos dentro deste disco de radiação. Então todas as moléculas e átomos de nosso planeta passam por uma transformação sob a influência dos fótons, precisando se readaptar a novos parâmetros. A excitação molecular cria um tipo de luz constante, permanente, que não é quente, uma luz sem temperatura e que não produz sombra ou escuridão.

Talvez por isso os hinduístas chamem de “Era da Luz” os tempos que estão por vir. Desde Agosto de 1987, o Sistema Solar vem entrando gradativamente no cinturão de fótons e a partir de 1998 a sua metade já estava dentro dele, em movimento que se completou em 21 de dezembro de 2012, quando então todo o sistema solar passou a ficar completamente imerso no Cinturão de Fótons (Luz) durante os próximos 2.160 anos, dando inicio a uma nova Era de Luz.

De acordo com a cosmologia maia e azteca e de outras culturas milenares, 2.012 também foi o final de um ciclo de 104 mil anos, composto de quatro grandes ciclos maias e de quatro grandes eras aztecas e também é um final de um ciclo (galáctico/cósmico) de 224 milhões de anos, em que toda a Galáxia em que residimos dá uma volta completa sobre seu próprio eixo, quando completa UM ANO GALÁCTICO.  O ano de 2.012 encerrou vários ciclos dentro de ciclos maiores, dentro de outros ciclos maiores, etc….

Comprovação do Cinturão de Fótons: O novo telescópio NuSTAR- Nuclear Spectroscopic Telescope, gravou esta expansão violenta de energia emitida pelo supermassivo buraco negro chamado de Sagitário A do Centro da nossa Galáxia Via Láctea no final de julho. A imagem de fundo mostra um amplo campo de visão, em infravermelho do centro da Galáxia. Inserções de zoom no buraco negro (por trás do Sol Central da Galáxia) gravou como a energia se inflama desde o centro em repouso, explodindo para em seguida, desaparecer. O gás mais quente, localizado perto do buraco negro, pulsa como o ponto branco central visto nas imagens de raios-X. O gás um pouco mais frio fica associado com um gás remanescente de uma velha explosão de uma supernova nas proximidades e é responsável pela existência da nuvem circundante (DO RAIO) rosa.Foto: NASA / JPL-Caltech. Fonte: http://www.nasa.gov/mission_pages/nustar/main/index.html

Humbatz Men, autor indígena e um grande Xamã de origem maia, fala em “Los Calendários” sobre a vindoura “Idade da Luz”. Bárbara Marciniak, autora de “Mensageiros do Amanhecer“(mensagem das Plêiades), da editora  Ground and “Earth”, da The Bear and Company e a astróloga Bárbara Hand Clow, que escreveu A Agenda Pleiadiana, da editora Madras, receberam várias canalizações de seres das Plêiades a respeito dessa nova era que se inicia em nosso sistema solar com grandes mudanças ocorrendo em nosso planeta.

Sobre o livro “Mensageiros do Amanhecer, acesse seus capítulos aqui: http://thoth3126.com.br/category/pleiades/

Essas revelações falam sobre as transformações que estão ocorrendo em nosso planeta e nas preparações tanto física quanto psíquicas que precisamos nos submeter para realizarmos uma mudança dimensional. Segundo as mensagens, as respostas sobre as questões que envolvem a vida e a morte não estão mais sendo encontradas somente na terceira dimensão. Um novo campo de percepção está disponível para aqueles que aprenderem a ver as coisas além do mundo da forma.

Desde o final da década de oitenta, na verdade DESDE AGOSTO DE 1987 quando a Terra começou a entrar no Cinturão de Fótons, estamos nos sintonizando com outras dimensões e nos preparando no nível de nossas almas para receber a radiação de Alcyone, estrela de energia e dimensões superiores. Zona arquetípica de sentimentos e sonhos, onde é possível o contato com planos mais elevados, a quarta dimensão é atemporal, emocional e não física.

As idéias nela geradas influenciam e detonam os acontecimentos na terceira dimensão, o plano da materialização, plano em que vivemos nos últimos 2.160 anos, durante a era de Peixes, que teve início em 148 a.C. e que termina em 21 de dezembro de 2012.

Segundo as mensagens recebidas das Plêiades, a esfera da quarta dimensão é regida pelas energias planetárias de nosso sistema solar, daí um trânsito de Marte, por exemplo, causar sentimentos de poder e ira. Para realizar esta transição entre diferentes níveis dimensionais é necessária a expansão de nossa consciência, enquanto indivíduos e a nível coletivo, é preciso fazer uma limpeza, tanto no corpo físico como no emocional, e transmutar os elementais e miasmas da segunda dimensão agregados, em nossos corpos inferiores, pelo acúmulo de vícios e apegos. 

Responsáveis pelas doenças em nosso organismo, os miasmas são compostos de energias astrais que carregam memórias genéticas e de vidas passadas, memórias de doenças que ficaram encrustadas e impregnadas devido a antibióticos, poluição, drogas, química ou radioatividade, sentimentos negativos como ódio, luxúria, orgulho, raiva, rancor, etc.

Foto da Galáxia de Andrômeda, nossa vizinha mais próxima e muito semelhante à Via Láctea, a nossa galáxia. O que mantém estes sistemas gigantes em coesão é a imensa energia (luz) que é irradiada do Sol Central (a divindade criadora de todo o sistema) visível no centro do gigantesco corpo galáctico de cerca de 400 bilhões de sóis/estrelas !.

Segundo as mensagens que nos chegam, esses miasmas estão sendo intensamente purificados pelo Cinturão de Fótons. Os pensamentos negativos e os estados de turbulência emocional, como o da raiva, também geram miasmas, que provocam bloqueios energéticos em nosso organismo. Trabalhar o corpo emocional através de diversos métodos terapêuticos – psicológicos astrológicos ou corporais – ajuda a liberar as energias bloqueadas.

Diferentes tipos de massagens, o uso da acupuntura, homeopatia, dos florais, a pratica da  meditação, yoga, o tai-chi, danças sagradas, etc, são também técnicas de grande efetividade, pois mexem com o corpo emocional e abrem os canais de comunicação com outros planos universais e nos trás à lembrança vidas passadas e o nosso desenvolvimento ao londo das eras. As conexões interdimensionais são feitas através de ressonância simpática e para sobrevivermos na radiação fotônica temos que nos afinar com um novo campo vibratório que é o cinturão de fótons.

Ter uma alimentação natural isenta de elementos químicos, viver junto à natureza, longe da poluição dos grande centros urbanos e da radioatividade, liberar as emoções bloqueadas e reprimidas, contribuem para uma transição mais pacífica. Ter boas intenções e atitudes é essencial, assim como estar em estado de alerta para perceber as sincronicidades que se apresentam  e captar os sinais vindos de outras esferas.

Alcyone o sol central das Plêiades

Segundo a Agenda Pleiadiana, de Bárbara Hand Clow, o Cinturão de Fótons emana do Sol Central da Galáxia via Alcyone, o Sol Central das Plêiades, que se localiza eternamente dentro do Cinturão de Fótons, ativando sua luz espiralada por todo o quadrante de nossa galáxia ao qual o nosso sistema solar pertence.

Mas afinal e nós nisso tudo? Nós somos os que podem se beneficiar mais com tudo isto. Todos nós, os seres encarnados na Terra estão passando por um processo de iniciação coletiva e como almas nós escolhemos estar aqui nessa difícil época de transição de nosso planeta, para aproveitarmos essa excepcional oportunidade de evolução que reverberará por todo o Universo.

Os fótons (luz) funcionam como purificadores dos vários corpos e da Alma da raça humana e através de suas partículas de luz, às quais estamos cada vez mais expostos, dentro em breve estaremos imersos nesta “Era de Luz”, depois de 11 mil anos dentro da Noite Galáctica ou Idade das Trevas, como os hindus se referiam a atual era do Kali Yuga, a idade do ferro. Como um sistema de reciclagem do Universo, o Cinturão de Fótons inicia a Era da Luz, finalizando um ciclo planetário de 432.000 anos conhecido como a Idade do Ferro (Kali Yuga) na cultura dos Vedas hindus.

Cada partícula vai se alojando em todos os cantinhos de nosso planeta trazendo a consciência (Luz), a Verdade, a Integridade e o Amor Mútuo e incondicional pela vida. Cada um de nós tem um trabalho individual interior para desenvolver que após ser realizado definirá sua posição no trabalho de conscientização da humanidade.

As almas cujos corpos  não refinarem suas energias não conseguirão ficar encarnadas dentro da terceira dimensão, pois estamos indo para dimensões mais elevadas e enquanto a quarta dimensão estiver sendo atravessada (até 2032) o processo de limpeza individual e coletivo será muitíssimo acelerado (e muito traumático) para então ser completado.

Este período é o que todos os profetas de todas as religiões anteviram acontecer, nesse final de ciclo disponível para toda a humanidade. Haverá a separação do joio e do trigo durante esse processo de limpeza. As almas que não conseguirem “superar-se a si mesmas” serão retiradas do planeta para recomeçarem sua história em outras esferas planetárias cujo nível de consciência esteja de acordo com a consciência desses indivíduos.

E todos nós redescobriremos a nossa multidimensionalidade e ativaremos nossas capacidades adormecidas enquanto estávamos mergulhados dentro da Noite Galáctica. A inteligência (através daqueles que evoluírem para o novo patamar de consciência) desse momento evolutivo da Terra será catalisada para toda a Via Láctea. 

A partir de 22 de Dezembro de 2012 nasceu uma nova era de Luz e em breve as trevas serão varridas do planeta…

Todos estes acontecimentos foram registrados no Grande Calendário Maia, que tem um ciclo, o 13º Baktun, a contagem longa que se iniciou em Agosto de 3.113 a.C e terminou no solstício de verão, no dia 21 de dezembro de 2012 d.C., que marca a entrada definitiva da Terra dentro do Cinturão de Fótons pelos próximos 2.160 anos, será uma nova era profetizada há muito tempo e conhecida como a nova “Idade de Ouro”.

Consciência é Luz. Luz é Informação, ignorância é escuridão.

Na Atualidade desvelam-se histórias e acumulam-se testemunhos que apontam os tempos de hoje como apocalípticos, isto é como tempos de revelação  divina de coisas que até agora permaneciam secretamente afetos a profetas escolhidos e para os que escolheram estar com Deus (e aos membros de sociedades secretas).

Continua na segunda parte.

Saiba mais em:

  1. http://thoth3126.com.br/poderosa-energia-emitida-pelo-centro-da-galaxia-foi-registrada/
  2. http://thoth3126.com.br/o-cinturao-de-fotons-acelera-as-mudancas/
  3. http://thoth3126.com.br/sinais-de-mudanca-nos-polos-e-no-campo-magnetico/
  4. http://thoth3126.com.br/o-estado-planetario-fisico-da-terra-e-da-vida-parte-i/
  5. http://thoth3126.com.br/a-grande-mudanca/
  6. http://thoth3126.com.br/pleiades-a-linguagem-da-luz-xvii/
  7. http://thoth3126.com.br/profecia-maia-o-chamado-de-pacal-votan/
  8. http://thoth3126.com.br/sons-misteriosos-sendo-ouvidos-em-todo-o-planeta/
  9. http://thoth3126.com.br/mudanca-nos-polos-geomagneticos/
  10. http://thoth3126.com.br/sinkholes-surgem-por-todo-o-planeta/

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e a citação das fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

9 Responses to O Cinturão de Fótons, os Maias e as Plêiades. Parte 1