browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

A Guerra em Mali, Africa: pelo controle dos Recursos minerais

Posted by on 25/01/2013

A guerra em Mali, na África Subsaariana, o que você deve saber: um rico Eldorado com ouro, urânio, petróleo, minerais estratégicos …

O governo francês declarou: Que vai enviar 2.500 soldados para apoiar os soldados do governo do Mali no conflito contra rebeldes islâmicos. A França já tem implantados cerca de 750 soldados para o Mali, e portadores franceses chegaram a Bamako, na manhã de terça-feira, dia 15 de janeiro”…..

O inferno esta vazio. Todos os demônios estão aqui na Terra.“ Shakespeare (Saint Germain)

Tradução e imagens: Thoth3126@gmail.com

http://www.globalresearch.ca/the-war-on-mali-what-you-should-know/5319093

http://www.globalresearch.ca/al-qaeda-in-the-islamic-maghreb-whos-whos-who-is-behind-the-terrorists/5319754

Por R. Teichman – Global Research, 15 de janeiro de 2013

Notícias Beacon Irlanda – Região: África Subsaariana

Vamos continuar a mobilização das forças francesas em terra e no ar ….Nós temos um objetivo que é o de garantir que quando formos embora, quando nós terminamos a nossa intervenção, o Mali estará seguro, com suas legítimas autoridades, um processo eleitoral e que os terroristas não mais ameacem o seu território “. [1]

A guerra em Mali, na África Subsaariana, o que você deve saber: um rico Eldorado com ouro, urânio, petróleo, minerais estratégicos …

Então esta é a narrativa oficial da França e daqueles que a apoiam. E é claro que isso é o que é amplamente divulgado pelos principais meios de comunicação (controlados).

A França é apoiada por outros membros da OTAN. O Secretário de Defesa dos EUA, Leon Panetta, confirmou que os EUA estavam oferecendo ajuda de seus serviços de inteligência para as forças francesas em Mali. [2] O Canadá, Bélgica, Dinamarca e a Alemanha, também apoiaram a incursão francesa, prometendo apoio logístico na repressão aos rebeldes islâmicos. [3]

Se formos acreditar nessa narrativa em que estamos novamente sendo enganados sobre as reais e verdadeiras razões para a invasão da França ao Mali. Um olhar mais atento sobre os recursos naturais desse país revela qual é realmente os interesses franceses em jogo:

Os Recursos naturais do Mali [4] (grifo nosso):

Ouro: Mali: é o terceiro maior produtor africano de ouro com a exploração em grande escala em curso. O Mali tem sido famoso por seu ouro desde os dias do grande império do Mali e da peregrinação a Meca do Imperador Kankou Moussa em 1324, em sua caravana levava mais de 8 toneladas de ouro! O Mali tem sido, portanto, um país tradicionalmente mineiro em ouro por mais de meio milênio.

Mali tem atualmente sete minas de ouro operacionais que incluem: Kalana e Morila no sul, Yatela, Sadiola e Loulo no oeste do Mali, e as minas que recentemente reiniciaram a produção nomeadamente Syama e Tabakoto. Projetos avançados de exploração de ouro incluem as regiões: Kofi, Kodieran, Gounkoto, Komana, Banankoro, Kobada e Nampala.

Urânio: sinais encorajadores e exploração em pleno andamento. A Exploração está sendo realizada por várias empresas com claros indícios de grandes depósitos de urânio no Mali. Potencial de urânio está localizada na área que cobre 150 km² de Falea da bacia do rio Guiné, em Falea-Norte, uma bacia sedimentar neoproterozóica marcada por significativas anomalias radiométricas.

O potencial de urânio em Falea é estimado para ser de 5.000 toneladas. O Projeto de Kidal, na parte nordeste do Mali, com uma área de 19.930 km2, o projeto abrange a grande província geológica cristalina conhecida como L’Adrar Des Iforas. O potencial de urânio no depósito Samit, Gao região sozinho é estimado para ser de 200 toneladas.

Diamantes: Mali tem potencial para desenvolver a sua exploração de diamantes: na região administrativa de Kayes (região de mineração 1), 30 (30) tubos de kimberlito foram descobertos, dos quais oito estão demonstrando traços de diamantes. Cerca de oito pequenos diamantes foram colhidos na região administrativa de Sikasso (no sul do Mali).

Pedras preciosas são as seguintes e podem ser encontradas em:

  • Granadas e raros minerais magnéticos no Círculo de Nioro e Bafoulabe;
  • Granada e corindons em Le Gourma;
  • Minerais pegmatíticos no Círculo de Bougouni e Bacia Faleme;
  • Pegmatito e minerais em metamorfose, em L’Adrar des Ilforas;
  • Quartzo e carbonatos na Zona de Hombori Douentza.

Minério de ferro, bauxita e manganês: recursos significativos presentes no Mali, mas ainda inexplorados. O Mali tem de acordo com estimativas, mais  de 2 milhões de toneladas de potenciais reservas de minério de ferro localizadas nas áreas de Djidian-Kenieba, Diamou e Bale.

Reservas de bauxita (Alumínio) são estimadas para ser em torno de 1,2 milhões de toneladas localizados em Kita, Kenieba e Bafing-Makana. Traços de manganês foram encontrados em Bafing – Makana, Tondibi e Tassiga.

Outros recursos minerais e potenciais no Mali:

Depósitos de rocha calcária: estimativas de 10 milhões de toneladas (Gangotery), 30 milhões de toneladas em Astro) e Bah El Heri (Nord de Goundam) 2,2 milhões de toneladas.

  • Cobre: potencialidades em Bafing Makan (Região Oeste) e Ouatagouna (Região Norte);
  • Mármore: Selinkegny (Bafoulabe) 10,6 milhões de toneladas de reservas estimadas e traços em Madibaya;
  • Gesso: Taoudenit (35 est MT), Indice Kereit (Nord de Tessalit) 307 mil toneladas estimadas;
  • Caulim: potenciais reservas estimadas (1 milhão de toneladas) localizados em Gao (Região Norte);
  • Fosfato: Reserva localizado na Tamaguilelt, com produção de 18.000 t / por ano e um potencial estimado de 12 milhões de toneladas. Há outros quatro depósitos potenciais de 10 milhões de toneladas no Norte;
  • Chumbo e zinco: Tessalit na Região Norte (1,7 toneladas de reservas estimadas) e traços em Bafing Makana (Região Oeste) e Fafá (norte do Mali);
  • Lítio: Indicações em Kayes (Região Oeste) e potencial estimado de 4 milhões de toneladas em Bougouni (Região Sul);
  • Xisto betuminoso: potencial estimado em 870 milhões de toneladas, as indicações encontradas em Agamor e Almoustrat na Região Norte.
  • Linhita: Potencial estimada em 1,3 milhões de toneladas, as indicações encontradas em Bourem (Região Norte)
  • Sal em Rocha: potencial estimado de 53 milhões de toneladas em Taoudenni (Região Norte)
  • Diatomita: potencial estimado de 65 milhões de toneladas em Douna Behri (Região Norte).

O potencial em recursos de Petróleo do Mali já está atraindo grande interesse de investidores estrangeiros. Esses recursos potenciais do Mali em petróleo já tem sido documentado desde a década de 1970, onde explorações sísmicas esporádicas com perfuração revelaram indícios prováveis de petróleo.

Com o aumento do preço do petróleo mundial e os recursos de gás, o Mali tem intensificado a sua promoção e pesquisa para exploração de petróleo, a produção e as exportações potenciais.

Mali também poderia fornecer uma rota de transporte estratégico para Subsaariana exportações de petróleo e gás através do mundo ocidental e há a possibilidade de se conectar a bacia Taoudeni para o mercado europeu através da Argélia.

O trabalho para reinterpretar dados geofísicos e geológicos recolhidos já começou, com foco em cinco bacias sedimentares no Norte do país, incluindo: Taoudeni, Tamesna, Ilumenden, Ditch Nara e Gao.

Então aqui nós temos que  tudo o que é relatado pelos principais meios de comunicação do ocidente, de que o objetivo desta nova guerra não é outro senãoaliviar mais um país (da África) de seus recursos naturais, garantindo o acesso de corporações internacionais para assim fazer e controlá-lo.

O que está sendo feito agora no Mali através de bombas e dos projéteis também está sendo feito para a Irlanda , Grécia, Portugal e Espanha, só que por meio da escravidão das suas dívidas públicas. Enquanto isso as pessoas sofrem e morrem:

O The Guardian noticiou 2 dias atrás [5]:

“O custo em mortes de seres humanos ainda não foi calculado, mas um comunicado lido na televisão estatal na noite de sábado, disse que pelo menos 11 malianos foram mortos em Konna.

“Sory Diakite, o prefeito de Konna, diz que nas crianças mortas estavam incluídas as que se afogaram depois que elas se atiraram em um rio, num esforço para escapar das bombas.

“Outros foram mortos dentro de seus pátios, ou fora de suas casas. As pessoas estavam tentando fugir em busca de refúgio. Alguns se afogaram no rio. Pelo menos três crianças se jogaram no rio. Elas estavam tentando nadar para o outro lado. E não houve danos de infra-estrutura significativa “, disse o prefeito, que fugiu da cidade com sua família e agora está em Bamako.” 

Quem sabe qual o número real de mortos até hoje. Deus ajuda qualquer país e o seu povo com os recursos naturais a serem explorados.

 Para saber maishttp://thoth3126.com.br/pilhando-o-planeta/

Notas:

[1] [2] [3] http://rt.com/news/france-mali-french-troops-006/

[4] Todas as informações tomadas de Le Journee Miniere et Petrolieres du Mali (informações do governo) http://www.jmpmali.com/html/miningandpetroleum.html

[5] http://www.guardian.co.uk/world/2013/jan/13/mali-neighbours-troops-french-intervention

Permitida a reprodução desde que respeite a formatação e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *