browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Terra: a origem e o futuro do nosso planeta.

Posted by on 21/09/2016

A Origem e o Futuro do Planeta TERRA 

Meus amados, gostaria de falar-lhes sobre a origem e a história do seu planeta, a Sagrada Mãe Terra, e como os planetas surgiram. No começo, antes mesmo da existência do tempo, havia o Pensamento. Havia a consciência, a presença, e se preferirem, havia a Unidade criadora em expansão. E o Pensamento criou a expressão da Energia criadora que não pode ser contida. …

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Canalizado por Judith Coates 

Ela pode ser contatada em Judith @Oakbridge.org. ou no website: http://www.Oakbridge.org.

… A presença em vocês não pode ser e nunca será contida em nenhuma esfera da realidade com “r’” minúsculo. A Realidade, com “R” maiúsculo, está sempre em expansão. A Unidade está em constante expansão, expressão e experiência. O Pensamento criou a Luz, e a Luz gerou a forma, amalgamando luz na forma. E nesse momento fora da dimensão de tempo, pois ainda não havia a ideia de tempo, fez-se a união da forma com a energia e criou-se o que olhando para os céus chamam de constelações de estrelas, o universo e vários outros corpos de energia nos quais viveram e reconheceram-se como Ser, advindos da energia do Pensamento.

Falarei como se houvesse uma forma linear de tempo, embora ainda não existisse a idéia de tempo nesse momento. Havia apenas a criação. O tempo, o conceito de tempo, veio mais tarde. Mesmo quando seus cientistas medem a luz gerada de galáxias distantes, o fazem em anos-luz e em tempo linear. Na verdade, a criação é bem anterior ao que os cientistas definem ou conseguiram definir até agora, porque estão circunscritos ao conceito de tempo. Para ir além é comparar, mais ou menos, com os primeiros desbravadores que achavam que a Terra era quadrada e que passando determinado ponto do horizonte cairiam. 

Os cientistas pesquisando o conceito de tempo estão descobrindo que o pensamento e a energia do pensamento não necessitam do tempo, na verdade, não podem ser restritas a tempo nenhum. Portanto, em eons e eons passados, viveram em galáxias muito distantes do universo. Reconheceram-se criadores, parte do fluxo do pensamento e da energia. E ao experienciar nas diversas formas de corpos estelares, reconheceram-se até como o próprio sol.

Eram a atividade e a energia, e ainda o são, do sol e das estrelas. Entendiam ser a extensão da Energia além do sol e das estrelas; expandindo, sem limites. E se movimentaram dessa forma através do que chamam eons de tempo, até que houve o pensamento: “O que mais posso criar?”. E criaram novas galáxias dentro do vasto universo, o qual continua se expandindo.  

Movimentaram-se assim para o sistema solar. Vocês já experienciaram a vida em diversas constelações estelares; Plêiades, Sirius, Arcturus, Órion e tantas outras onde experimentaram e expressaram a Existência criadora, lugares onde formaram as assim chamadas hoje em dia, grandes civilizações. Criaram a tecnologia, novamente não na acepção conhecida de hoje. Produziram naves espaciais que viajavam com a velocidade do pensamento, mais rápidas que a velocidade da luz, e não as naves lentas que concebem no momento. 

Desbravadores é o que são. Querem conhecer as fronteiras mais distantes. E quando chegam à fronteira, como na idéia da Terra ser quadrada, descobrem que além daquele horizonte, existe outro horizonte a ser descoberto e assim por diante. Por isso são chamados desbravadores, porque continuam criando. Por quê? Porque há alegria na criação, porque querem criar. Querem experimentar e expressar a divindade em cada um. 

Querem sentir a força da divindade e não a força mundana, já experimentada tantas vezes. A força que é espargida hoje e sentida até pela consciência coletiva é a força da divindade, a força do pensamento, a força de ir além dos limites.  

Agora ao contemplarem os céus verão a luz das estrelas-sóis, constelações (conjuntos de sóis-estrelas) onde na verdade houve e continua havendo manifestação. Sabem que já viveram em alguns desses corpos de energia, e a julgar pelos anos-luz que o brilho de certas estrelas demora em chegar aqui, como explicam os cientistas, podem estar nesse momento admirando a si mesmos em experiências anteriores do Ser. Esse pensamento possibilita a mente se expandir um pouco mais. 

À medida que quiserem, e é intrínseco da sua natureza, continuarão expandindo o universo. Ao trabalhar com a energia criadora, há momentos que querem criar algo novo e fazem o que se conhece por involução da energia. Os buracos negros, como são chamados, implodem uma grande quantidade de energia densificada e criam o novo. Faz parte de experimentar e provarem a si mesmos o quanto podem expandir e criar.

Já tiveram diversas experiências em várias constelações e em vários planetas, dentro e fora do sistema solar. A princípio eram o sol, a própria energia e consciência dessa estrela. Houve então a expansão para criar outras formas de corpos celestes e os diversos planetas que circundam o sol e a energia solar. Permaneceram sendo o sol, a estrela, dentro de vocês. Como criadores que são, focaram sua atenção para a vida presente que caminha sobre a Terra. 

Quando o planeta foi formado, viviam dentro dele, e ele dentro de vocês, como consciências. E houve o pensamento: “O que mais poderia existir?” Então alguns deram caráter a esse pensamento e subiram à superfície. Não subiram à superfície fisicamente, mas como consciências expandidas permeando tudo que estava sendo criado. E o planeta, tal como é conhecido, passou por muitas mudanças. 

Também já viveram em outros planetas do sistema solar. Mas, viajantes como são, não há contentamento em permanecer em um único planeta. Falamos anteriormente do planeta MALDEK e sua maravilhosa civilização e obras avançadas em tecnologia; lugar que após sua explosão formou o chamado cinturão de asteróides no local de sua antiga órbita, entre Marte e Júpiter, formas físicas de energia flutuantes.  

Parte da energia de MALDEK foi direcionada para parte da massa e das luas de Júpiter. Outra parte da energia física transformou-se em parte da massa e alguns dos anéis de Saturno. Esses planetas absorveram assim a energia de MALDEK.  Estão agora investigando se existiu vida no planeta Marte. Claro que existiu. Vocês estiveram lá? Sim, já estiveram. 

Acima: O Cinturão de Asteroides, restos da explosão do planeta MALDEK, entre a órbita de Marte e Júpiter. Os dois maiores pedaços do planeta hoje são as duas luas de Marte, Phobos e Deimos.

Na ocorrência dos eventos históricos existiu a chamada era do gelo, época em que havia grande quantidade de gelo sobre a Terra. Quando MALDEK explodiu, o efeito ondulante da energia causada pela explosão evaporou boa parte da cobertura glacial de Marte e essa ação foi reverberada para outros planetas. Ainda existe água em Marte, mas como conseqüência do calor da explosão de MALDEK, parte da água da superfície de Marte veio para a Terra, agregando-se a água derretida do gelo. Não havia tanta água assim em nossa sagrada Mãe Terra antes. As massas terrestres mudaram, aqui e em Marte. 

Após diversas experiências passadas em outros planetas do sistema solar e em outras constelações vocês chegaram a Terra como poeira das estrelas. Trouxeram lembranças e influências culturais de MALDEK e Marte. Como poeira das estrelas estão no processo de fundir valores culturais e sistema de crenças em um conjunto harmonioso, o qual chamo de Reconciliação, o despertar da Unidade. 

Muitos irão retornar as suas constelações/sóis-estrelas DE ORIGEM quando receberem o chamado. Porém, ainda permaneceram neste planeta talvez muitas e muitas vidas, em tempo linear, porque concordaram em trazer a luz para cá e trarão o conhecimento expandido de como este planeta foi formado e por quê. Porém, falando em tempo linear novamente, no futuro, muitos sentirão o chamado para retornarem pelos portais interestelares. 

Já falamos dos portais em oportunidades anteriores; de como se fecharam e de como agora voltarão a se abrir. Foram fechados na época da destruição de MALDEK, quando o Conselho Espiritual sentiu que a consciência coletiva do sistema solar estava muito focada no eu inferior (o ego humano temporário) e que a força criadora poderia ser usada de forma não benéfica e harmoniosa contra outras constelações, por isso os portais foram temporariamente fechados até que a consciência coletiva amadurecesse um pouco mais. 

Os dois maiores pedaços do planeta MALDEK, após a sua explosão, foram colocados pela Federação GALÁCTICA, em órbita de Marte, como suas duas luas, para que o planeta vermelho se estabilizasse em uma nova órbita.

Está chegando o momento dos portais se abrirem novamente, possibilitando a comunicação com outras constelações e outras formas de vida inteligentes. Os astrofísicos recentemente descobriram um planeta na constelação de Leo onde há vida. Existe agora a concordância de uma expansão da consciência coletiva. Com os portais se abrindo haverá um gotejamento, que se transformarão numa inundação, de informação, recordações de como e onde já estiveram. 

O planeta, a sagrada Mãe Terra, continuará sendo o que é por muito, muito tempo porque se voluntariou para ser parte da energia divina, para servir de lugar onde podem experimentar ser o que se assemelha a uma caixa de areia, a coexistência harmoniosa ou não.  Sempre há escolha. Porém, haverá um tempo, quando o propósito desse planeta for cumprido, em que a energia do pensamento será retirada dele. Consentindo que ele se torne novamente parte da Luz do todo no cosmos e flua livremente como antes de ser formado. Não precisam se preocupar agora “Quando isso irá ocorrer? Estarei aqui nesse momento? Preciso procurar um abrigo seguro ou algum lugar sagrado? 

Como dito anteriormente, muitos não estarão mais aqui quando isso acontecer, porque já terão juntado sua energia individual a outros em outras constelações, onde já experimentaram a alegria e o companheirismo. Já tiveram muitas existências, muitas delas longe de casa não apenas da casa de seu Pai, mas do reino de seu Pai, longe da família onde estão os amigos, os companheiros com quem trilharam vários caminhos, criaram e conheceram a unidade juntos. 

Há ocasiões em que querem retornar. Ao olhar para os céus, contemplam e pensam: “O que há lá em cima? Por que me sinto atraído por determinada estrela? E sentem a ressonância, às vezes, até uma pequena saudade, um sentimento de que “já fui parte daquilo”. E agora conhecendo a sua origem podem afirmar: “Sim, já fui parte daquilo”.

Desbravadores é o que são, aventureiros e criadores, e sempre estarão cruzando novas fronteiras, criando novas galáxias. Mesmo agora, enquanto falo, podem estar criando novas estrelas. Trazem a involução da energia dos buracos negros, e há vários deles nesse momento de onde a energia está sendo puxada para densificar-se e explodir novamente em partículas de luz cascateando novas estrelas, galáxias e fronteiras. Querem saber como essas novas fronteiras são? Claro que sim. Por isso possuem, nesse momento, a coragem de permitir a imaginação se expandir na direção da Unidade, do conceito da Unidade. 

Os cientistas estão começando a compreender. Sempre questionaram o tamanho e a natureza do Universo, até mesmo o infinito questionam se é finito. Deve haver um fim. Mas, não há fim, porque o fim está sempre sendo recriado, o universo está e continuará sempre se expandindo. É disso que são feitos, da matéria que cumprindo o seu papel retorna à energia do pensamento para renascer novamente. Como as estações do ano, a o tempo de recolhimento e o tempo de floração. A vida renasce, depois amadurece, envelhece e se transforma em frutos, gerando civilizações conscientes de tudo o que são e o que podem ser. Nesse movimento cíclico existe o tempo em que os frutos são colhidos, transformados em sementes e após o recolhimento criem novas vidas novamente, sempre em expansão. 

Acima de qualquer conceito de tempo, existe a consciência, a expressão e a experiência que estão fora dessa esfera. Isso não significa menosprezar o tempo, pois ele é muito valioso. Porém, dentro do todo que são, o conceito de tempo abarca apenas um pequeno percentual. Significa dizer o quanto incomensuráveis e maravilhosos vocês são. Tendo dito, os deixarei ponderar sobre tudo isso por hora. Que assim seja.   

Fonte: http://www.luzdegaia.org/joshua/judith/origem_terra.htm

Para saber mais sobre MALDEK, leia mais nos links

  1. http://thoth3126.com.br/doy-de-maldek-parte-i-historias-de-maldek/
  2. http://thoth3126.com.br/doy-de-maldek-parte-ii-historias-de-maldek/
  3. http://thoth3126.com.br/doy-de-maldek-parte-iii-historias-de-maldek/
  4. http://thoth3126.com.br/doy-de-maldek-parte-iv-final-historias-de-maldek-2/

Permitida a reprodução desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

One Response to Terra: a origem e o futuro do nosso planeta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *