browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Abelhas morrem por pesticidas no Canadá

Posted by on 14/09/2014

salvar-abelhas.02

Uma picada dos apicultores canadenses nos fabricantes de pesticidas gigantes em processo judicial de US$ 450 milhões pela morte de abelhas:

Produtores de mel canadenses entraram com uma ação coletiva contra a gigante Bayer e a Syngenta para recuperar suas perdas com mortes de suas abelhas que datam desde 2006, alegando que os pesticidas neonicotinóides que ambas produzem e vendem estão matando as abelhas e causando enormes danos materiais.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@gmail.com

Uma picada dos apicultores canadenses nos fabricantes de pesticidas gigantes em processo judicial de US$ 450 milhões pela morte de abelhas:

Publicado em 4 de setembro de 2014, Rússia, Moscou, às 15:41

Fonte: http://rt.com/news/185024-canada-beekeepers-lawsuit-pesticides/

A ação judicial, apresentada em nome de todos os apicultores canadenses por produtores de mel Sun Parlor Honey Ltd. e Munro Honey alega que a Bayer Cropscience Inc. e a Syngenta Canada Inc. e suas empresas-mãe foram negligentes na sua concepção, desenvolvimento, venda e distribuição de pesticidas neonicotinóides, especificamente aqueles que contêm imidacloprid, clotianidina e thiomethoxam, enquanto que os réus “sabiam ou deveriam saber em todos os momentos relevantes que os neonicotinóides causariam danos à propriedade dos autores e a outros membros da classe.”

A alegação judicial pede US$ 400 milhões em indenização por perdas e US$ 50 milhões em danos punitivos para a Bayer CropScience e a Syngenta.

Entre 2006 e 2013, a Sun Parlor, que tem estado no negócio de produção de mel por 89 anos, registou perdas de cerca de US$ 2.112.200 de dólares, enquanto no mesmo período, a Munro Honey incorreu em perdas de aproximadamente US$ 3,001,712.50 de dólares, segundo consta no processo.

O escritório de advocacia de Londres Siskinds LLP, que está representando os apicultores canadenses, enfatizou que não é apenas uma questão de negócio em jogo. “O quadro maior é a devastação da população de abelhas que ameaça a segurança do abastecimento de alimentos de todo o Canadá” disse o advogado Siskinds Dimitri Lascaris ao London Free Press.

Vários estudos já concluíram que os inseticidas neonicotinóides – ou “neonics” – amplamente utilizados pulverizados em plantações de milho e soja, são responsáveis ​​por exterminar colônias de abelhas completamente.

LEIA MAIS Pesticidas ligados ao declínio das abelhas estão afetando outras espécies, dizem cientistas

salvar-abelhas

A ação de 30 páginas menciona a Força-Tarefa Internacional sobre Pesticidas sistêmicos que foi montado em 2009 para determinar se os neonics desempenharam um papel na morte de abelhas. Uma de suas descobertas foi particularmente surpreendente:

“No caso de efeitos agudos apenas, alguns neonicotinóides são pelo menos 5.000 a 10.000 vezes mais tóxico para as abelhas do que o DDT (pesticida muito perigoso que vem sendo largamente extinto) … a evidência é clara que os neonicotinóides representam um sério risco de dano para as abelhas e outros polinizadores”, concluiu a descoberta.

A União Europeia tem colocado em prática a proibição do uso de neonicotinóides.

LEIA MAIS UE impõe proibição de 2 anos em pesticidas acreditavam responsável pela morte de abelhas em massa

O fenômeno global de declínio nas populações de abelhas, o que os cientistas chamam “desordem de colapso de colônias” (CCD na sigla em inglês), é responsável pela morte de cerca de 35 por cento das abelhas no Canadá apenas nos últimos três anosde acordo com o Canadian Honey Council (Conselho Canadense do Mel).

Julie White da Associação dos Apicultores de Ontário disse que  o inseticida danifica os sistemas nervosos das abelhas, que são responsáveis ​​pela produção de mel e polinização de culturas – da ordem de bilhões de dólares a cada ano.

salvar-abelhas.01

Agora já se sabe que a pulverização de pesticidas acaba com as abelhas e suas colmeias

“Quando as sementes são plantadas a poeira (com o inseticida) entra no ar, é sistêmica, cresce junto com as plantas e fica em poças d’água. … as abelhas, serão mortas no campo ou vão transportar o veneno de volta para a colmeia, “  White disse a Star.

Os pesticidas também foram encontrados em 70 por cento das abelhas mortas testadas pela Health Canada em 2013, de acordo com CBС News.

Um estudo de 2012 pela Universidade de Purdue, que analisou as mortes de abelhas em todas as colméias de vários apiários durante mais de dois anos em Indiana, revelou uma alta concentração de inseticidas neonicotinóides.

“Nós sabemos que estes inseticidas são altamente tóxicos para as abelhas, observados por nós em cada amostra de abelhas mortas ou morrendo”, disse Christian Krupke, professor de entomologia e co-autor dos resultados.

abelhas-frutas-polinização

A gigante Bayer CropScience disse que não foi notificada da ação judicial e é “incapaz de responder a quaisquer perguntas específicas”, informou ao Star. Os pesticidas neonicotinóides representam cerca de 40 por cento do mercado de inseticidas, com vendas globais de cerca de US$ 3 bilhões em 2011.

Saiba mais em:

  1. http://thoth3126.com.br/mel-elimina-superbacterias/
  2. http://thoth3126.com.br/abelhas-em-perigo-de-extincao/
  3. http://thoth3126.com.br/as-abelhas-e-o-sagrado-feminino/
  4. http://thoth3126.com.br/abelhas-estao-desaparecendo/
  5. http://thoth3126.com.br/abelhas-podem-aumentar-a-produtividade-na-agricultura-dizem-especialistas/
  6. http://thoth3126.com.br/sumico-das-abelhas-tambem-no-brasil/
  7. http://thoth3126.com.br/abelhas-tribunal-polones-condena-mulher-por-matar-2-milhoes-de-abelhas/

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

2 Responses to Abelhas morrem por pesticidas no Canadá

  1. Monica

    Isso tudo muito me entristece, junto com a indiscriminada destruição da fauna e flora do planeta, com esses interesses sem escrúpulos. As abelhas são indiretamente as responsáveis pela produção de alimentos como frutas, legumes e grãos.
    As abelhas produzem o mel, elemento produzido a partir do néctar das flores, ou das secreções provenientes das partes vivas das plantas que elas recolhem, transformam, combinam com materiais apropriados, armazenam e deixam amadurecer nos favos da colméia. Na produção do mel, o pólen é coletado pelas abelhas porque ele representa a sua principal e quase exclusiva fonte de proteínas.
    Não se conhece na Biologia e na Medicina moderna, outra substância com semelhante efeito ao da geléia real sobre o crescimento, longevidade e reprodução das espécies. Sobre o organismo humano, a Geléia Real atua como um estimulante para capacidade de trabalho físico e intelectual aumenta, assim como, o bom humor e o otimismo.Sem contar a própolis, que é um antibiótico natural. As virtudes terapêuticas deste produto das abelhas são relatas através da história, e hoje conceituamos que: Própolis é um antibiótico não tóxico, de ação imediata, sem os efeitos colaterais que as drogas produzem e com possibilidades de curas excepcionais, não destruindo a flora intestinal, não afetando os rins ou o fígado, pois é eliminado naturalmente pelo organismo. Já visitei muitos apiários, afim de pesquisar as plantas que podemos usar com grande sucesso, na produção destes produtos e como, genéticamente, elas se comportam na reprodução assistida.
    O que posso falar, senão lamentar , esse tipo de notícia, a não ser a falta de sensibilidade de quem nunca, mas nunca mesmo, vai entender a beleza que é esse processo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *