browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

“Algo” cruzou os céus do Rio de Janeiro em 17/02/13

Posted by on 19/02/2013

A “Mancha luminosa” se deslocou pelo céu do Rio de Janeiro, no final de domingo; astrônomo descarta meteoro. Quase 20 leitores do G1 enviaram seus registros da passagem do objeto no céu do Rio de Janeiro.

O Instituto Nacional de Pesquisas Nacionais não quis levantar hipóteses sobre qual seria o objeto visto. Mas, segundo a assessoria de imprensa do órgão, “uma das pesquisadoras chegou a considerar que, pela foto, até parecia um meteoro“…

Thoth3126@gmail.com

O INPE-Instituto de Pesquisas Espaciais diz que não pode afirmar do que se trata.

Pelos Internautas, RJ e G1-Globo

19/02/2013 09h05 – Atualizado em 19/02/2013 09h05  

Entre o final da tarde e o começo da noite de domingo (17), a visão de uma “mancha” que se deslocava pelos céus da Região Metropolitana do Rio de Janeiro e deixava um rastro por onde passava fez com que quase 20 leitores do G1 encaminhassem seus vídeos e fotos com o registro do objeto.

O funcionário público Raphael Dias, de 25 anos, filmou o fenômeno de sua casa, em Realengo, por volta das 17h30: “Avião deixa rastro de fumaça, mas isso que eu filmei o rastro ia se apagando. No final, desapareceu”.

O leitor Carlos Sidney Ferreira Dutrain, que mora em Nova Iguaçu, na região metropolitana do RJ, também filmou o fenômeno por volta das 17h do domingo (18). “Estávamos eu, minha esposa e minha filha no quintal de casa quando minha mulher avistou a situação“, relata.

O leitor Andrei Martins Soncin Santos, de 18 anos, fotografou “uma luz incandescente” que “apareceu no céu” em São João de Meriti por volta das 18h30. “Era visível a olho nu”, lembra ele. O internauta afirma que ficou surpreso, e começou a filmar “para saber se, com o zoom da câmera, dava para ver o que era”. No entanto, ele não conseguiu identificar o objeto.

Leitor fotografou “uma luz incandescente” que “apareceu no céu” em São João de Meriti, na Região Metropolitana do RJ  (Foto: Andrei Martins Soncin Santos/VC no G1)Leitor fotografou “uma luz incandescente” que “apareceu no céu” em São João de Meriti, na Região Metropolitana do RJ (Foto: Andrei Martins Soncin Santos/VC no G1)

O Instituto Nacional de Pesquisas Nacionais não quis levantar hipóteses sobre qual seria o objeto visto. Mas, segundo a assessoria de imprensa do órgão, “uma das pesquisadoras chegou a considerar que, pela foto, até parece um meteoro”, porém ela mesma ressaltou que no vídeo a passagem parece ser muito lenta. Os meteoros costumam ser muito mais rápidos do que aparece no vídeo. O próprio exemplo do meteoro da Rússia mostra isso”.

O astrônomo Fernando Roig, pesquisador do Observatório Nacional, acredita na possibilidade de um avião e descarta a ideia de o objeto ser um meteoro. “Se durou de 5 a 10 minutos como relatado, não foi um meteoro. Pela hora do dia, com o Sol já baixo, a coloração avermelhada do traço é devida ao reflexo do Sol. Então, a explicação mais plausível é que foi um avião. O fato de ver ele ‘caindo’ é apenas um efeito visual, devido a que a trajetória do avião segue a curvatura da Terra e, portanto, em algum momento ele deve sumir abaixo do horizonte.”

Objeto visto no bairro de Campo Grande, no Rio (Foto: Jéssica Alves de Medeiros/VC no G1)Objeto visto no bairro de Campo Grande, no Rio (Foto: Jéssica Alves de Medeiros/VC no G1)

Ele complementa dizendo que “quando o avião voa à uma altura em que em que o ar é muito seco e frio, o ar quente e úmido que sai da turbina se condensa rapidamente e forma o rastro de nuvens ou de ‘fumaça’ que é observado. É o mesmo efeito que faz com que quando você está num lugar muito frio, você consiga ver o vapor da sua respiração. As nuvens de vapor se dissipam logo em seguida, e o efeito passa rapidamente”.

A professora Jéssica Alves de Medeiros percebeu que havia algo diferente no céu e achou que fosse uma estrela cadente. No entanto, o namorado da leitora, Vinícius Abreu Areas, alegou que a velocidade estava muito lenta para ser uma estrela cadente. Foi quando o casal decidiu começar a fotografar. “Demorou uns dez minutos”, diz Jéssica, que mora em Campo Grande. “Eu achei legal. Queria saber o que era.”

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *