browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Asteroide gigante Vesta (530 Km de diâmetro)

Posted by on 31/08/2016

O gigantesco Asteroide VESTA 

 Vesta é um asteróide GIGANTE com cerca de 530 km de diâmetro e o segundo objeto de maior massa no Cinturão de Asteroides (n.T. os restos da explosão do planeta Maldek). Telescópios terrestres e espaciais fotografaram esse antigo asteroide por mais de um século, mas eles não eram capazes de ver muitos detalhes da sua superfície.

A sonda Dawn (Aurora) irá mudar tudo isso enquanto orbita Vesta durante um ano inteiro, tirando fotos cada vez mais de perto da “provavelmente mais antiga superfície primordial existente no sistema solar,” diz o investigador principal da sonda Dawn, Christopher Russell, da UCLA.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@protonmail.ch

Asteroide gigante Vesta (530 Km de diâmetro)

Editor: Dr. Tony Phillips | Crédito: Science @ NASA 

Fonte: http://science.nasa.gov/

O PRIMEIRO CLOSE-UP DE VESTA: Os cientistas da missão confirmaram que a sonda Dawn já esta realmente em órbita ao redor do asteroide Vesta. A gravidade do asteroide gigante capturou a nave durante a madrugada de 16 de julho. Em troca, as câmeras fotográficas da sonda Dawn capturou a imagem close-up de Vesta, que acaba de ser postada no site pela NASA. A imagem obtida para fins de navegação mostra Vesta em maior detalhe do que nunca. Para comparação, dê uma olhada nas melhores imagens anteriores de Vesta tomadas pelo telescópio Hubble em 1996. 

Vesta é um asteróide GIGANTE com 530 km de diâmetro e o segundo objeto de maior massa no cinturão de asteroides (n.T. os restos da explosão do planeta Maldek). Telescópios terrestres e espaciais fotografaram esse antigo asteroide por mais de um século, mas eles não eram capazes de ver muitos detalhes da sua superfície. A sonda Dawn irá mudar tudo isso enquanto orbita Vesta durante um ano inteiro, tirando fotos cada vez mais de perto da “provavelmente mais antiga superfície primordial existente no sistema solar,” diz o investigador principal da sonda Dawn, Christopher Russell, da UCLA.

Esta é a primeira imagem obtida pela sonda da NASA Dawn (Aurora) depois de ter conseguido entrar em órbita em torno de Vesta. Crédito da imagem: NASA / JPL-Caltech / UCLA / MPS / DLR / IDA [mais]. Vesta (asteroide 4) foi o quarto asteroide, descoberto por Olbers (1807) e é o terceiro maior asteroide em tamanho, medindo entre 470 e 530 km em diâmetro. Sua origem é localizada no Cinturão de Asteroides, região entre as órbitas de Marte e Júpiter, a 2,36 U.A. de distância do Sol. (n.t. É um grande pedaço do planeta Maldek que explodiu a 251 milhões de anos)

 Em 18 de julho de 2011 a sonda Dawn enviou a primeira imagem de Vesta após o início da sua órbita ao redor do asteróide gigante. Na sexta-feira, 15 de julho, Dawn se tornou a primeira sonda a entrar em órbita em torno de um objeto do cinturão de asteróides, que fica entre às órbitas de Marte e Júpiter. 

A imagem obtida para fins de navegação mostra Vesta em maiores detalhes do que nunca antes. Quando Vesta capturou Dawn em sua órbita, havia aproximadamente 9.900 milhas (16.000 quilômetros) de distância entre a espaçonave e o asteroide.  Os engenheiros da sonda Dawn estimam que a captura em órbita aconteceu às 22:00 PDT de sexta-feira, 15 de julho (01:00 EDT de sábado, 16 de julho). 

O Cinturão de Asteróides, formados pelos restos da explosão do planeta MALDEK, localizado entre as órbitas de Marte e Júpiter, origem do Asteróide Vesta.

Sobre o planeta MALDEK saiba (informe-se) mais: http://thoth3126.com.br/category/maldek/

Vesta tem cerca de 330 milhas (530 km) de diâmetro, é o segundo objeto de maior massa no cinturão de asteroides. Esta região do espaço, o cinturão de asteroides, tem sido ignorada por muito tempo. Até agora, as imagens recebidas até o momento revelam uma superfície complexa, que parece ter preservado alguns dos primeiros eventos da história de Vesta, bem como registram o ataque do impacto de objetos que o asteroide sofreu durante as eras passadas“. 

O asteroide Vesta é provável ser a fonte de um grande número de meteoritos que caem na Terra. Vesta e seu novo vizinho, a sonda Dawn da NASA, estão atualmente a cerca de 117 milhões de milhas (188 milhões de quilômetros) de distância da Terra. A equipe que monitora a sonda DAWN começará a coleta de dados científicos em agosto. Essas observações irão fornecer dados sem precedentes para ajudar os cientistas a entenderem os primeiros capítulos do nosso sistema solar. Os dados também vão ajudar a pavimentar o caminho para futuras missões espaciais humanas.

Depois de viajar quase quatro anos e percorrer cerca de 1,7 bilhões de milhas (2.8 bilhões de km), a sonda Dawn também realizou a maior aceleração propulsora de qualquer nave espacial, com uma alteração na velocidade de mais de 4,2 quilômetros por segundo (6,7 km por segundo), devido a seus motores de íons. Os motores expeliram íons para criar pressão e fornecer velocidades espacial mais altas do que qualquer outra tecnologia disponível atualmente.  

A Sonda Dawn enviada pela NASA em 2007 e a sua trajetória para rastrear os asteroides VESTA (2011) e CERES (2015)

“A sonda Dawn escorregou suavemente para a órbita do asteróide Vesta com a mesma graça que tem apresentado durante os seus quatro anos que foi sendo empurrada por íons através do espaço interplanetário”, disse Marc Rayman, o engenheiro-chefe e gerente da missão da sonda Dawn do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa-JPL, Jet Propulsion Laboratory, em Pasadena, Califórnia “É fantasticamente excitante que vamos começar a fornecer a humanidade a sua primeira vista detalhada de um dos últimos mundos ainda inexplorado no interior do sistema solar”. 

Embora a captura da sonda pela órbita de Vesta esteja completa, a fase de aproximação vai continuar por cerca de três semanas. Durante a abordagem, a equipe de controle da sonda Dawn continuará a busca de possíveis luas em torno do asteroide; obter mais imagens para navegação; observar as propriedades físicas de Vesta, e obter dados de calibração da sua órbita. 

Além disso, os navegadores vão medir a força de atração gravitacional de Vesta na nave espacial para calcular a massa do asteróide com uma precisão muito maior do que era anteriormente disponível. O que lhes permitirá aperfeiçoar o tempo de inserção em órbita. Dawn irá passar um ano em órbita de Vesta, em seguida, viajara para um segundo destino, o planeta anão Ceres, a ele chegando em fevereiro de 2015.

{n.T. – Na mitologia Vesta (contraparte feminina de Hélius, ambos são a consciência de nosso Sol) é a personificação romana do fogo sagrado, da pira doméstica e da cidade. Corresponde à Héstia dos gregos, embora o seu culto na península itálica seja anterior à influência helênica no mundo romano, e, até certo ponto, à Agni dos hindús. Era muito comum utilizar a sua imagem nas moradas dos jovens que iam adquirir conhecimento longe de sua terra natal. Cortejada pelos deuses, e especialmente pelo belo Apolo e por Netuno, Vesta rejeitou todas as propostas amorosas e conseguiu que o próprio Júpiter/Zeus protegesse a sua virgindade.

Templo de VESTA em Roma. Devido a sua vontade de permanecer casta, suas sacerdotisas, as vestais, que vigiavam em permanência o fogo sagrado nos templos, também se mantinham assim. De onde saiu a expressão virgem vestal. Vesta era a filha primogênita de Cibele e Saturno, a irmã mais velha da primeira geração de deuses olímpicos. Por direito de primogenitura, era uma das doze deusas olímpicas principais.  Foi engolida por Saturno e posteriormente resgatada por Júpiter. Representada trajando um longo vestido, muitas vezes com a própria cabeça coberta por um véu, ela é a deusa que nunca abandona o lar, o Olimpo, e jamais se envolve nas brigas e guerras de deuses ou mortais.

Templo de Vesta

Ajudou Júpiter/Zeus a se tornar dono do universo. Desprezou o amor tanto de Netuno como de Apolo (Febo), resolvendo permanecer solteira. Como deusa de coração quente, ela representava a divindade do lar e defendia a vida da família. Era adorada antes dos outros deuses em todas as festas, uma vez que era a mais antiga e preciosa das deusas do Olimpo. Um juramento feito em seu nome era o mais sagrado dos juramentos. Segundo Heródoto era uma das divindades cujo nome não se originou no Egito ou no Oriente próximo. O animal mais sagrado e consagrado à deusa é o asno.}

Para mais informações sobre Dawn, visite: http://www.nasa.gov/dawn e http://dawn.jpl.nasa.gov 

Você pode também acompanhar Dawn no Twitter: http://www.twitter.com/NASA_Dawn .

Editor: Dr. Tony Phillips | Crédito: Science @ NASA

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *