browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Ataque (deliberado?) na Síria sairá muito caro para os EUA

Posted by on 20/09/2016

war-siria-guerraAtaque norte americano em Deir ez-Zor, na Síria,  foi ”operação deliberada dos EUA” para enfraquecer Assad

Na semana passada, vários caças da coalizão internacional que “luta” contra o Daesh na Síria liderada pelos EUA atacaram posições do exército sírio em Deir ez-Zor. O posto de observação dos direitos humanos na Síria relata que durante o ataque foram mortos 90 militares e cerca de 100 ficaram feridos.

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Ataque (deliberado?) em Deir ez-Zor, na Síria, sairá muito caro para os EUA

Fonte: https://br.sputniknews.com

O Comando Central dos EUA disse que os ataques foram realizados “por engano”, considerando que estas posições estariam ocupadas pelo grupo terrorista de Daesh (proibido na Rússia e vários outros países). O Comando americano destacou que “nunca iria bombardear as divisões do exército sírio”.

eua-terrorista-marioneteEste grave erro pode destruir a reconciliação alcançada e anular o cessar-fogo que se iniciou menos de uma semana atrás. O jornalista e especialista em Oriente Médio Christian Chesnot e o deputado francês que representa os interesses.

Sputnik França(SF): Como é possível cometer tais erros?

Christian Chesnot(CC): É a versão dos militares americanos sobre o engano em Deir ez-Zor. Temos muitas dúvidas, porque a operação durou 50 minutos, nela participaram 4 aviões e 90 pessoas morreram. Há muitas perguntas, os americanos têm satélites e radares. <…> Segundo os americanos foi um erro, segundo os russos foi uma provocação. A verdade fica algures no meio.

Thierry Mariani(TM): Não me atrevo a pensar nisso, mas parece que foi uma operação deliberada para enfraquecer Assad. É sabido que durante os últimos tempos os militares sírios têm combatido contra os islamistas nessa área e hoje eles se tornaram vítimas de bombardeios americanos.

SF: Então, como considerar estes ataques?

CC: Isto é um incidente militar que terá consequências, que ocorreu num tempo em que a trégua era muito frágil. Assim devemos interpretar isto. Pode ser que exista rivalidade entre o Pentágono, que não gosta dos acordos russo-americanos sobre a Síria, e o Departamento de Estado de John Kerry, que faz concessões? Pode ser que os americanos sintam que a Rússia agora está dirigindo a situação na Síria e os queiram parar? Há muitas perguntas. É um incidente muito importante porque os americanos, que disseram que nunca iriam atacar o exército de Bashar Assad, agora realmente fizeram isto.

SF: Tais ataques podem ameaçar a trégua na Síria?

TM: Sim, claro. A realidade é simples: tropas regulares que combateram no seu próprio território para defender seu povo de islamistas foram assassinadas pelos americanos. Por acaso? De forma deliberada? Nunca esclareceremos a verdade, mas tendo em conta todos os meios tecnológicos dos Estados Unidos, em minha opinião, era impossível cometer tal erro, isto se parece como um aviso.

isis-daesh-terror-israel-livre

Um detalhe extremamente curioso, as organizações “terroristas”, Daesh, Isis, EI-Estado Islâmico, etc, etc, pretensos radicais islâmicos, NUNCA ATACARAM ISRAEL …

SF: Que julga o senhor, será que a Casa Branca apoia o DAESH?

CC: Não podemos falar tão duramente, mas é verdade que Deir ez-Zor está cercada pelas forças do Daesh, é verdade que os ataques contra o regime sírio ajudam o Daesh. Não acho que os americanos queiram ajudar o Daesh. Surgem perguntas sobre os planos deles, sobra a estratégia deles <…>.

TM: Eu acho que o governo dos Estados Unidos quer principalmente resolver os seus problemas com a Rússia. Às vezes o governo admite seus erros na política externa. Hoje, os curdos, que foram armados pelos americanos, combatem os turcos, que também foram armados pelos americanos em vez de lutar contra os “verdadeiros terroristas”. <…> É hora para o Ocidente sair de lá e deixar os países da região resolverem os problemas existentes por eles próprios.

obama-siria-guerra


Erro de inteligência’ na Síria sairá caro para os EUA

Revista The American Conservative comentou que: O ataque ‘por engano’ das forças da coalizão internacional liderada pelos EUA contra as posições do exército sírio pode sair caro para os EUA

O ataque por engano das forças da coalizão internacional liderada pelos EUA contra as posições do exército sírio, que matou noventa militares sírios e feriu cerca de cem, pode sair muito caro para os EUA, escreve o colunista da revista The American Conservative, Daniel Larison.

O Pentágono declarou que o ataque aéreo pode ter sido devido a “erros dos serviços secretos”. Supondo que isso é verdade, isto coloca os EUA em uma situação extremamente embaraçosa, diz o jornalista. Além disso, tal erro mostra que bombardeios podem ser perigosos em uma guerra civil multilateral, como acontece agora na Síria.

manipulacao-ocidente-nwo

A situação é agravada por o golpe ter sido realizado contra as tropas que combatem o Daesh (proibido na Rússia). Na verdade, o “erro” dos Estados Unidos beneficiou os terroristas, argumento que Moscou ou Damasco podem usar contra Washington. Além disso, o incidente ocorreu em um momento muito inconveniente – logo após a conclusão do acordo de cessar-fogo na Síria, acrescenta o autor do artigo publicado na revista The American Conservative.

Após o incidente, começaram a aparecer apelos às autoridades dos EUA para estas justificarem os ataques a soldados que lutam contra o Daesh, ação que se tornou muito útil para os terroristas. Esta situação poderá aumentar as tensões e no futuro levar ao fracasso de uma solução diplomática, conclui o jornalista.

Os aviões da coalizão anti-Daesh, no sábado, efetuaram quatro ataques contra as tropas sírias, que estavam cercadas por terroristas do Daesh (banido na Rússia), perto de Deir ez-Zor, matando 90 soldados e ferindo cerca de 100. O Pentágono expressou o seu “pesar” e disse que o alvo eram terroristas e não as forças sírias.

bombaatômica

“O medo é a emoção predominante das massas que ainda estão presas no turbilhão da negatividade da estrutura de crença da (in)consciência de massa. Medo do futuro, medo da escassez, do governo, das empresas, de outras crenças religiosas, das raças e culturas diferentes, e até mesmo medo da ira divina. Há aversão e medo daqueles que olham, pensam e agem de modo diferente (os que OUVEM e SEGUEM a sua voz interior), e acima de tudo, existe medo de MUDAR e da própria MUDANÇA”.  Arcanjo Miguel


Mais informações em

  1. http://thoth3126.com.br/e-u-a-o-exercito-dos-illuminatinova-ordem-mundial/
  2. http://thoth3126.com.br/falsos-ataques-terroristasfalse-flag-attack/
  3. http://thoth3126.com.br/o-governo-oculto-secreto-nos-eua-ii/
  4. http://thoth3126.com.br/a-estrada-para-o-ira-passa-primeiro-por-damasco-na-siria/
  5. http://thoth3126.com.br/grupo-bilderberg-misterios-e-controle-alienigena/
  6. http://thoth3126.com.br/euao-poder-militar-illuminati-nwo-invade-o-planeta/
  7. http://thoth3126.com.br/os-eua-estao-jogando-roleta-russa/
  8. http://thoth3126.com.br/siria-luta-contra-mercenarios-terroristas-de-83-paises/
  9. http://thoth3126.com.br/c-i-a-maior-traficante-de-drogas-do-planeta/
  10. http://thoth3126.com.br/a-guerra-dos-eua-otan-nwo-illuminatis-contra-a-siria/
  11. http://thoth3126.com.br/profecia-de-1912-sobre-fim-dos-eua-e-obama/
  12. http://thoth3126.com.br/intervencao-na-siria-iniciaria-iii-guerra-mundial/
  13. http://thoth3126.com.br/russia-esta-derrotando-mais-do-que-o-ei-estado-islamico-na-siria/
  14. http://thoth3126.com.br/russia-pede-reuniao-de-emergencia-do-conselho-de-seguranca-da-onu
  15. http://thoth3126.com.br/ataque-dos-eua-contra-exercito-da-siria-foi-deliberado-ou-falta-de-coordenacao/

Permitida a reprodução desde que respeite a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *