browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Bento XVI deixa de ser Papa, Cardeal Bertone assume interinamente a igreja de Roma

Posted by on 01/03/2013

Bento XVI deixa de ser Papa e o Cardeal Camerlengo e Secretário de estado do Vaticano, Tarcisio Bertone assume interinamente a igreja de Roma.

Bertone, 78 anos, italiano de Piemonte, colaborou com o então cardeal Ratzinger entre 1995 e 2002, quando este desempenhava as funções de prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé (antiga Inquisição da igreja). Em 2006 foi nomeado secretário de Estado, uma espécie de “chefe de governo” e número dois da Santa Sé. O seu nome tem surgido associado a jogos de poder (leia-se escândalos) no Vaticano.

Thoth3126@gmail.com

Fonte: www.publico.pt – Lisboa, Portugal

PÚBLICO e AFP – 28/02/2013 – 10:32 – (Atualizado às )

Terminou o pontificado de Joseph Ratzinger (Bento XVI), que agora passa a ser Papa emérito. Seu substituto até a eleição do novo papa é o Cardeal Secretário de Estado/Camerlengo Tarcisio Bertone

Sem atraso, às 16h, o Papa Bento XVI (Joseph Ratzinger) deixou o Vaticano. Cerca de meia hora depois chegou à residência de Verão, na região de Castel Gandolfo, a 30 quilômetros de Roma. À sua espera estava uma multidão, a quem dirigiu umas últimas palavras na sua aparição final como Papa.

Após uma curta viagem de carro desde o Palácio Apostólico do Vaticano, Bento XVI entrou no helicóptero acompanhado pelo seu secretário Georg Gänswein, bem como por Leonardo Sapienza, novo regente da Casa Pontifícia, Patrizio Polisca, o seu médico, e Sandro Mariotti, o seu mordomo. Às 16h24, o helicóptero da República Italiana com uma bandeira com a insígnia do Vaticano chegou a Castel Gandolfo. Cerca de sete minutos depois, transportado numa viatura negra, Bento XVI chegou à residência de Verão, onde vai permanecer cerca de dois meses antes de se instalar num mosteiro no alto dos jardins do Vaticano.

Terminou o pontificado de Joseph Ratzinger, que agora passa a ser Papa emérito.

Naquela que é a sua última aparição pública após quase oito anos de Pontificado, já da varanda da residência de Castel Gandolfo, Bento XVI saudou a população. “Como sabem este dia é diferente dos anteriores. Só serei o Sumo Pontífice da Igreja Católica até às 20h [16h, hora de Brasilia]. Depois não serei mais um Papa mas um simples peregrino que termina a sua peregrinação nesta terra”, disse, aplaudido por milhares de fiéis.

“Quero ainda com o meu coração, com o meu amor, com a minha oração, com a minha reflexão, com todas as minhas forças interiores, trabalhar para o bem comum, para o bem da Igreja e da humanidade”, disse ainda. “Boa noite, obrigado a todos”, foram as suas últimas palavras.

Ainda no Twitter, Bento XVI deixou outra mensagem de despedida: “Obrigado pelo vosso amor e pelo vosso apoio! Que experimentem sempre a alegria de ter Cristo no centro da vossa vida”.

Às 20h locais (16h em Brasilia) abandonou oficialmente a função, à mesma hora a que todos os dias abandonava a sua atividade. A partir daqui, ele assume o título oficial de Sua Santidade Bento XVI, Papa emérito. A sua renúncia oficial inaugura o período de “sede vacante”, ficando no comando da Igreja, até à eleição do novo Papa, o cardeal Secretário de Estado do Vaticano Tarcisio Bertone (n.T. cujo cargo também é o de Camerlengo, popularizado no filme Anjos e Demônios, com Tom Hanks, de livro homônimo de Dan Brown.)

Camerlengo desde Abril de 2007, Bertone, 78 anos, italiano de Piemonte, colaborou com o então cardeal Ratzinger entre 1995 e 2002, quando este desempenhava as funções de prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé (antiga Inquisição da igreja). Em 2006 foi nomeado secretário de Estado, uma espécie de “chefe de governo” e número dois da Santa Sé. O seu nome tem surgido associado a jogos de poder (leia-se escândalos) no Vaticano.

“Obediência incondicional” ao novo Papa

Antes deste último passo, de manhã, o Papa prometeu “obediência incondicional” ao seu sucessor. “Está entre vós o próximo Papa, ao qual prometo deferência e obediência incondicionais”, disse, numa breve declaração, na cerimônia de adeus aos cardeais.

Depois da derradeira despedida frente aos fiéis na Praça de São Pedro, na quarta-feira, Bento XVI recebeu, na solene Sala Clementina, para um último adeus, os cardeais com poder para eleger o sucessor. Disse-lhes que, no próximo conclave, estará junto deles “pela oração”. O Papa chegou à Sala Clementina caminhado com pequenos passos, e o rosto marcado pela fadiga. Sentou-se depois num pequeno trono dourado coberto de veludo vermelho, e dirigiu-se aos cardeais.

Na sua intervenção, falou de “momentos muito belos e de momentos em que houve nuvens no céu” – alusão aos escândalos que abalaram a Igreja Católica nos últimos anos – e desejou que os cardeais sejam “uma orquestra” em que “as diversidades concorram para a harmonia”. Agradeceu  “a proximidade”, “os conselhos” e a “grande ajuda” que os cardeais lhe deram e convidou-os a serem “dóceis” para o Espírito Santo.

Bento XVI disse também que “a Igreja não é uma instituição mas uma realidade viva”, que “o seu coração é Cristo […] e Cristo continua a caminhar no tempo”. A Igreja, acrescentou, “está no mundo mas não é do mundo”. Os cardeais foram depois saudá-lo. Segundo a descrição da AFP, muitos choravam ou estavam à beira das lágrimas, ao beijarem o anel papal, ao apertar-lhe as mãos, ao trocarem palavras com ele.

O decano dos cardeais, Angelo Sodano, prestou homenagem a Joseph Ratzinger, pelo  “testemunho de abnegação no serviço apostólico, para o bem da Igreja de Cristo e de toda a humanidade”.

N.T. A igreja de Roma enfrenta forte turbulência dentro de seus muros em uma luta interna pelo poder… Em função desse processo interno pela disputa de poder o ex papa Joseph Ratzinger CORRE UM SÉRIO RISCO de MORTE SÚBITA EM BREVE… afinal ele já tem 85 anos …

Saiba quem é Tarcisio Bertone, que assume interinamente o Vaticano:

da Agência EFE

Com saída de Bento XVI, cardeal camerlengo assume suas funções.
Nomeado cardeal em 2003 por João Paulo II, ele é apaixonado por futebol.

Quando um Papa morre ou, no caso excepcional de Bento XVI, renuncia, o governo provisório da Igreja Católica passa para as mãos do cardeal camerlengo, cargo ocupado pelo atual secretário de Estado, o cardeal Tarcisio Bertone, nascido na cidade italiana de Romano Canavese em 2 de dezembro de 1934.

O cardeal camerlengo é o encarregado pela administração dos bens e dos direitos temporários da Santa Sé, ajudado por três cardeais assistentes.  Ele também é o responsável por, se for o caso, confirmar a morte do papa, assinar a ata da morte, selar o apartamento papal no Vaticano, tomar posse do Palácio Apostólico Vaticano e dos palácios Lateranense e de Castel Gandolfo.

Nesta ocasião atual, o pontífice (agora ex) continua vivo e a primeira ação do camerlengo, depois que Bento XVI deixou o pontificado, será selar o apartamento do pontífice e tomar posse do Palácio Apostólico Vaticano.

Visto que Bento XVI ficará em Castel Gandolfo e ali não são guardados documentos importantes do pontificado, a residência de verão dos Papas não será selada. A Constituição Apostólica “Universi Dominici Gregis” estabelece que, enquanto a Sede Apostólica estiver vacante, o colégio de cardeais não tem nenhum poder ou jurisdição sobre as questões que correspondem ao Papa.

Também determina que as leis existentes não podem ser corrigidas ou modificadas e que o dever dos cardeais é tomar decisões urgentes como estabelecer o dia, a hora e como o corpo será transferido à Basílica de São Pedro, além de preparar as exéquias, no caso da morte do Papa.

Quando o Papa morre ou renuncia, todos os chefes dos conselhos pontifícios e inclusive o secretário de Estado perdem os seus cargos. Só permanecem o camerlengo, o penitenciário maior e o vigário de Roma.

Nesta ocasião, o secretário de Estado é também o camerlengo.

Trajetória de Bertone
O cardeal Bertone, nascido na cidade piemontesa de Romano Canavese, no norte da Itália, no dia 2 de dezembro de 1934, é o quinto de oito irmãos. Membro da Sociedade de São Francisco de Sales de São João Bosco (Salesianos), Bertone é formado em Teologia pela Faculdade salesiana de Turim e obteve o doutorado em Direito Canônico no Pontifício Ateneu Salesiano.

No dia 1º de julho de 1960, foi ordenado sacerdote e, posteriormente, se doutorou em Direito Público Eclesiástico, Teologia Moral e Direito Canônico em Turim e Roma. Foi professor na Pontifícia Universidade Salesiana de Roma. Desde a década de 1980, foi consultor de diversos dicastérios da Cúria Romana, especialmente da Congregação para a Doutrina da Fé, o antigo Santo Ofício (a Inquisição). Colaborou na revisão do Código do Direito Canônico, publicado em 1983.

Nomeado arcebispo de Vercelli em 1991, no dia 13 de junho de 1995 renunciou ao governo pastoral da arquidiocese ao ser designado secretário da Congregação para a Doutrina da Fé. Neste dicastério, Bertone se tornou um estreito colaborador do Papa Emérito Bento XVI, o então cardeal Joseph Ratzinger, prefeito da citada Congregação.

Entre outros assuntos, ele se encarregou do caso do arcebispo africano Enmanuel Milingo, ameaçado de excomunhão após se casar com uma coreana pela seita do reverendo Moon. Além disso, publicou a terceira parte do “segredo” de Fátima, durante o Jubileu de 2000 e, junto com o cardeal Ratzinger, estudou a documentação sobre os escândalos relacionados com abusos sexuais supostamente atribuídos a sacerdotes e clérigos americanos.

No dia 10 de dezembro de 2002, foi nomeado arcebispo de Gênova, e em 21 de outubro de 2003, foi ordenado cardeal no nono e último consistório convocado por João Paulo II dois anos antes de sua morte.

Participou do Conclave do dia 19 de abril de 2005, que elegeu Bento XVI. O pontífice o designou como Secretário de Estado (primeiro-ministro) no dia 22 de junho de 2006, substituindo o cardeal Angelo Sodano.

Em 4 de abril de 2007 foi nomeado camerlengo, depois que o Papa aceitou a renúncia do espanhol Eduardo Martínez Somalo, que tinha completado 80 anos. Apaixonado por esporte, especialmente futebol, ele comentou partidas para algumas redes de televisão italianas.

Saiba (informe-se) mais sobre a “santa” igreja romana em: http://thoth3126.com.br/bispos-no-vaticano-ligados-ao-demonio/
http://thoth3126.com.br/lavagem-de-dinheiro-tambem-no-banco-do-vaticano/
http://thoth3126.com.br/vaticano-telescopio-lucifer-em-busca-de-alienigenas/
http://thoth3126.com.br/as-profecias-do-papa-joao-xxiii/
http://thoth3126.com.br/o-vaticano-e-o-regresso-do-planeta-x-parte-ii/;
http://thoth3126.com.br/o-vaticano-e-o-regresso-do-planeta-x-parte-final/
http://thoth3126.com.br/o-vaticano-e-o-regresso-do-planeta-x/
http://thoth3126.com.br/por-que-a-renuncia-do-papa-bento-xvi/
http://thoth3126.com.br/rede-de-sexo-chantagem-corrupcao-e-homossexualismo-dentro-da-igreja-de-roma/
 

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *