browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Brasil entra em recessão: crescimento do PIB recua 1,9%

Posted by on 28/08/2015

brasil-corrupção-recessãoBRASIL ENTRA EM RECESSÃO, desemprego à vista

A economia brasileira entrou oficialmente em recessão técnica. Segundo números divulgados nesta sexta-feira (28/08) pelo IBGE, o Produto Interno Bruto (PIB) ENCOLHEU 1,9% no segundo trimestre deste ano, em relação aos três meses anteriores.

Se a tendência se mantiver, o Brasil fechará o ano com o pior desempenho econômico desde 1990, ou seja, retrocedemos aos índices dos últimos 25 anos !!!!


“Ao entardecer, dizeis: haverá bom tempo porque o céu está rubro. E pela manhã: hoje haverá tempestade porque o céu esta vermelho-escuro. Hipócritas ! Sabeis, portanto discernir os aspectos do céu e não podeis reconhecer  “OS SINAIS DOS TEMPOS?”  Mateus 16: 2 e 3


Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

PIB recua 1,9%, e Brasil entra em recessão. Economistas esperam recessão mais longa da história no país.

Fonte primária: http://dw.com/p/1GNPm http://g1.globo.com

Os dados divulgados nesta sexta-feira (28) confirmam: a economia brasileira entrou em recessão. E se as previsões do mercado se confirmarem, ela será a mais prolongada da história do país.

recessaõ-2015

De abril a junho, o Produto Interno Bruto (PIB) recuou 1,9%, registrando o segundo trimestre seguido de queda – o que caracteriza a recessão técnica. A expectativa dos economistas dos bancos é que, no ano, a economia tenha uma retração de 2,06%, seguida por uma queda de 0,24% em 2016.

Se confirmada a previsão, será a primeira vez que o país registrará dois anos seguidos de contração na economia, pela série do IBGE iniciada em 1948.  Todas as seis vezes em que o país fechou o ano com PIB negativo foram sucedidas por uma rápida recuperação nos anos seguintes.

O cenário atual é bem diferente, segundo o economista da FGV/IBRE Paulo Picchetti. “A recessão começou sem ser possível enxergar os mecanismos que vão levá-la ao fim. Não há instrumentos de política econômica capazes de reverter esse quadro num futuro razoavelmente rápido.”

corrupção-Gasto-Público-charge

Pior do que na época da hiperinflação
Para o professor da ESPM e sócio-diretor da Méthode Consultoria, Adriano Gomes, a recessão atual se distingue das passadas não só pela maior duração, mas pela rápida reação com o uso de políticas econômicas. “Sempre que havia uma recessão, os governos conseguiram agir e apontar um caminho de saída”, analisa.

Gomes acrescenta que, desde 1948, não se vê um cenário tão ruim, com tantos trimestres apontando recessão. Em sua opinião, um quadro prolongado de retração é pior do que uma recessão mais intensa e rápida. “Nem na época da hiperinflação havia um cenário tão negativo, com baixa confiança do empresariado e do consumidor e todos os outros indicadores mostrando o caos”, afirma.

Nos dois anos em que a economia retraiu mais de 4% – em 1981 e 1990 –, o PIB retomou o fôlego e cresceu perto de 1% nos anos imediatamente seguintes. Em 1993, a economia avançou 4,9%, após ter recuado 0,5% no ano anterior. “Desde a década de 1980, tivemos quedas rápidas e mais intensas do PIB, e recuperações mais rápidas também”, observa Picchetti.

brasil-de-todos-ladrões-corrupção

A recessão técnica se configura por ter sido a segunda queda consecutiva do indicador, que já havia recuado 0,7% nos primeiros três meses do ano, na comparação com o trimestre imediatamente anterior.

E é o pior resultado para um segundo trimestre de toda a série histórica do IBGE, iniciada em 1996.

O resultado foi ainda pior que o esperado pelo mercado. A previsão da agência internacional Bloomberg, por exemplo, era de retração de 1,7% no PIB do segundo trimestre. Foram os piores resultados desde os primeiros três meses de 2009 tanto na comparação trimestral como na anual.

Nos primeiros seis meses de 2015, a retração acumulada da economia brasileira foi de 2,1%. O Produto Interno Bruto do segundo trimestre de 2015 ficou 2,6% abaixo do que foi registrado no mesmo período do ano passado.

O resultado do PIB foi divulgado em meio a um cenário de inflação elevada, desemprego ascendente e uma crise política que mina a governabilidade e deixa a classe empresarial (e o seu EMPREGO) em suspense.

politicos-Brasil

Segundo a pesquisa Focus, do Banco Central, que consulta semanalmente dezenas de economistas, a projeção é de que o PIB encolherá 2,06% neste ano e 0,24% em 2016. Se confirmado o resultado neste ano, será o pior do país desde 1990, quando a economia teve uma queda de 4,35%.

Alta só no consumo do governo

No lado da oferta, a indústria teve retração de 4,3% no segundo trimestre, na comparação com os três meses anteriores. O resultado é sintomático sobretudo porque, na avaliação do PIB, a indústria engloba o setor manufatureiro e extrativo, a construção civil, além da produção e distribuição de energia e gás.

A retração da indústria foi mais intensa na construção civil, que apresentou desempenho 8,4% menor que no primeiro trimestre. A indústria da transformação teve queda de 3,7%. A agropecuária teve recuo de 2,7%.

O consumo do governo cresceu 0,7% em relação aos três primeiros meses do ano – a expectativa era de recuo de 0,1%. Segundo o IBGE, os gastos com materiais e serviços (papel, luz, telecomunicações) caiu, mas as despesas com salários e benefícios teve alta. Já em comparação com o segundo trimestre de 2014, os gastos do governo recuaram 1,1%.

rato-corrupcao_no_brasil

No setor de serviços – que recuou 0,7% – o comércio caiu 3,3%, os serviços de transporte, armazenagem e correio recuaram 2%, e os de informação, 1,3%. Os serviços de administração, saúde e educação pública tiveram a maior alta, de 1,9%.

As exportações de bens e serviços subiram 3,4% no segundo trimestre, em relação aos três primeiros meses do ano, e as importações caíram 8,8%. A despesa de consumo das famílias caiu 2,1% na mesma comparação.

A formação bruta de capital fixo – ou seja, o investimento que as empresas fazem em máquinas, equipamentos e material de construção – encolheu 8,1%.

ore-pelo-brasil

Na comparação com o mesmo período do ano passado, o setor agropecuário foi o único a apresentar alta, de 1,8%. Frente ao trimestre imediatamente anterior, houve recuo de 2,7%. (FCA/rtr/abr/efe)


Projeto para RECRIAR A CPMF: A intenção do Planalto de recriar a CPMF surpreendeu e irritou Michel Temer. Alheio à discussão dentro do governo sobre a volta do tributo, o vice-presidente deixou claro à equipe que não vai se empenhar por sua aprovação no Congresso.

Temer estava especialmente contrariado porque seria cobrado pela (BRILHANTE) ideia em jantar com empresários nesta quinta-feira, em São Paulo. Aliados que conversaram com o vice batizaram a absurda proposta de “projeto impeachment” de Dilma Rousseff. ……………………………………………………..


poçocoletivo

Mais informações sobre o momento do BRASIL em:

  1. http://thoth3126.com.br/muda-brasil-congresso-reage-a-operacao-da-pf-entre-o-medo-e-a-perplexidade/
  2. http://thoth3126.com.br/uma-visao-pessoal/
  3. http://thoth3126.com.br/muda-brasil-lula-passa-a-ser-investigado-pelo-mpf-por-trafico-de-influencia/
  4. http://thoth3126.com.br/o-fim-da-era-lula/
  5. http://thoth3126.com.br/muda-brasil-clima-esquenta-e-opoe-camara-contra-o-governo-de-dilma/
  6. http://thoth3126.com.br/o-brasil-definitivamente-nao-e-para-amadores/
  7. http://thoth3126.com.br/as-condicoes-para-um-impeachment-de-dilma-estao-postas/
  8. http://thoth3126.com.br/lula-pede-sigilo-sobre-inquerito-de-lobby-internacional/
  9. http://thoth3126.com.br/lula-busca-fhc-para-discutir-crise-e-conter-impeachment-de-dilma/
  10. http://thoth3126.com.br/dilma-628-querem-o-seu-impeachment-corrupcao-do-brasil-se-espalhou-pelo-mundo/
  11. http://thoth3126.com.br/michel-temer-trabalhando-para-ser-presidente/
  12. http://thoth3126.com.br/lava-jato-se-expande-e-o-medo-se-espalha-em-brasilia-almirante-preso/
  13. http://thoth3126.com.br/mudancas-climaticas-industrias-de-sp-avaliam-parar-producao-por-falta-de-agua/

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth-reversowww.thoth3126.com.br

2 Responses to Brasil entra em recessão: crescimento do PIB recua 1,9%

  1. Manuel

    A cabala das trevas (ou a besta) já perdeu seis cabeças e a última, já está ferida de morte, está dando os últimos e desesperados ataques.

    Os países do BRICS estão a ser atacados por todos os lados, Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul assim como os outros que alinham com eles.

    Estes ataques desesperados vão durar pouco.

    A queda da cabala das trevas está eminente e, se todos nós assim o dsejarmos, poderá ainda ser antes do fim deste ano.

    Estão a denunciar alguns dos seus “aliados¨ que estão já a abandonar o barco, na esperança de retardar um pouco mais o enevitável.

  2. Maria Tereza

    Enquanto isso… a taxa de desemprego só aumenta.
    Que não acabe nossa esperança!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *