browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Campo eletromagnético da Terra é inconstante

Posted by on 13/11/2016

campo-magneticoO Inconstante Campo Magnético da Terra

 Nos últimos anos, o cientista Larry Newitt do Serviço Geológico do Canadá vai à caça. Ele pega as luvas, parka, uma bússola extravagante, pula dentro de um avião e voa sobre o ártico canadense.

Não há muito coisa desperta entre as ilhas dispersas e o gelo do mar embaixo, mas a presa de Newitt está lá (o polo norte)  – sempre se movendo, mudando, é invisível e indescritível.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

O Campo eletromagnético do nosso planeta está em um estado constante de mudança, dizem os pesquisadores que estão começando a entender como ele se comporta e por quê. A sua presa é o arredio e movediço pólo norte magnético da Terra.

nasascience-logo

Fonte: http://science.nasa.gov

No atual momento o polo norte magnético está localizado no norte do Canadá, a cerca de 600 km da cidade mais próxima: Resolute Bay, população 300, onde se pode ler em uma T-shirt popular “Resolute Bay não é o fim do mundo, mas você pode vê-lo a partir daqui”.  Newitt para por lá para compra de lanches e suprimentos – e como refúgio quando o tempo fica muito ruim. “O que acontece, muitas vezes”, diz ele.

polonorte-path2001_medDireita: O movimento do pólo norte magnético da Terra através do ártico canadense, entre 1831-2001. Crédito: Serviço Geológico do Canadá. [ mais ]

Os cientistas sabem há muito tempo sobre os movimentos do pólo norte magnético. James Ross localizou o polo norte pela primeira vez em 1831, depois de uma viagem desgastante ao ártico durante o qual seu navio ficou preso no gelo por quatro anos. Ninguém retornou lá até o próximo século chegar. Em 1904, Roald Amundsen encontrou o poste indicando o local registrado em 1831 novamente e descobriu que ele havia se mudado – pelo menos uns 50 km, desde os dias de Ross.

Manter o controle sobre as mudanças do pólo norte magnético é o trabalho de Newitt. “Costumamos sair e verificar a sua localização, uma vez a cada poucos anos”, diz ele. “Nós vamos ter que fazer mais viagens, agora que ele está se movendo tão rapidamente”. O pólo norte magnético continuou se movendo durante o século 20, mais para o norte a uma velocidade média de 10 km por ano, recentemente acelerando “para 40 km por ano”, diz Newitt. Nesse ritmo ele vai sair da região da América do Norte e vai se mudar para a Sibéria, na Rússia, em poucas décadas.

O campo magnético da Terra está mudando de outras maneiras também: agulhas de bússolas na África, por exemplo, já estão à deriva cerca de 1 grau por década. E globalmente o campo eletromagnético se enfraqueceu 10% desde o século 19. Quando isso foi mencionado pelos pesquisadores em uma recente reunião da União Geofísica Americana, muitos jornais publicaram a história. Um título típico: Estaria o campo letro magnético da Terra entrando em colapso?”

Provavelmente não. Tão notável como essas mudanças se parecem”, elas são leves em comparação com o que o campo magnético da Terra tem feito no passado”, diz o professor da Universidade da Califórnia Gary Glatzmaier.   

Por vezes, o eixo do campo se inverte completamente. O Norte vira sul e o sul se transforma em polo norte, uma queda de 180º acontece com a inversão dos polos. Tais inversões, já aconteceram e estão registradas registradas no magnetismo de rochas antigas, são imprevisíveis. Eles vêm em intervalos irregulares na média de cerca de 300 mil anos, e a última inversão ocorreu já há 780 mil anos atrás. Será que estamos atrasados para a próxima mudança? Ninguém sabe.

polonorte-magneticstripes

DIREITA: tarjas magnéticas em torno cristas médio-oceânicas revelar a história do campo magnético da Terra durante milhões de anos. O estudo do magnetismo passado da Terra é chamado de paleomagnetismo. Crédito da imagem: USGS. [ mais ]

De acordo com Glatzmaier, o declínio contínuo de 10% do campo eletromagnético não significa que uma reversão é iminente. “O campo está aumentando ou diminuindo o tempo todo”, diz ele. “Sabemos disso a partir de estudos do registro paleomagnético”. O Campo magnético atual da Terra estaria, na verdade, muito mais forte do que o normal. O momento de dipolo, uma medida da intensidade do campo magnético, é agora de 8 × 10 22amperes × m 2 . Isso é o dobro da média de um milhão de anos, de 4 × 10 22 ampères × m 2 .

Para entender o que está acontecendo, diz Glatzmaier, temos que fazer uma viagem … para o centro da Terra, onde o campo magnético é produzido pelo seu núcleo.

No centro do nosso planeta encontra-se uma bola de ferro sólida, tão quente quanto a superfície do sol. Os pesquisadores a chamam de “núcleo interno”. É realmente um mundo dentro de um mundo. O núcleo interno representa 70% da largura da lua. Ele gira em seu próprio ritmo, tanto quanto 0,2 ° de longitude por ano mais rápido do que a Terra acima dele, e ele tem o seu próprio oceano: “. No núcleo externo” uma camada muito profunda de ferro líquido conhecido como núcleo externo.

polonorte-world_med1

Esquerda: Um diagrama esquemático do interior da Terra. O núcleo exterior é a fonte do campo magnético terrestre.

O campo magnético da Terra provém deste oceano de ferro, que é um fluido eletricamente condutor em movimento constante. Situando-se sobre o núcleo quente, o núcleo  externo líquido ferve e se agita como a água em uma panela sobre um fogão quente. O núcleo externo também tem “furacões” – hidromassagens movidas pelas forças de Coriolis de rotação da Terra. Estes movimentos complexos geram o magnetismo do nosso planeta através de um processo chamado de efeito dínamo .

Usando as equações de magneto, um ramo da física que lida com a realização de fluidos e campos magnéticos, Glatzmaier e seu colega Paul Roberts criaram um modelo de supercomputador do interior da Terra. O software aquece o núcleo interior, agita o oceano metálico líquido acima dele, em seguida, calcula o campo magnético resultante.Eles calculam o código para centenas de milhares de anos simulados para ver o que acontece.

O que eles vêem imita a verdadeira Terra: As linhas de campo magnético diminuem, os pólos derivam e, ocasionalmente, se invertem. A mudança é normal e natural, eles aprenderam. E não é de se admirar. A fonte do campo eletromagnético, o núcleo externo, é por si só efervescente, gira, é turbulenta. “É caótico lá embaixo”, observa Glatzmaier. As mudanças que detectamos na superfície do nosso planeta são um sinal de que o caos interior é constante.

Eles também aprenderam o que acontece durante uma inversão magnética dos polos. Reversões (podem) levam alguns milhares de anos para ser concluída, e durante esse tempo – ao contrário da crença popular – o campo magnético não desaparece. “Ele só fica mais complicado” (n.t e muito INSTÁVEL), diz Glatzmaier.

As Linhas de força (Campo) magnéticas perto da superfície da Terra se tornam complicadas e emaranhadas, e os pólos magnéticos aparecer em lugares diferentes. Um pólo sul magnético pode surgir ao longo da África, por exemplo, ou um pólo norte sobre o Tahiti. É estranho. Mas ainda é um campo magnético planetário, e ainda nos protege da radiação espacial e das tempestades solares.

polonorte-comparison1_strip

Acima: modelos de supercomputador do campo magnético da Terra. À esquerda, há um campo magnético dipolar normal, típico dos longos anos entre inversões de polaridade. À direita, é o tipo de campo magnético complicado que a Terra tem durante a revolução de uma reversão do campo eletromagnético e dos polos. [mais]

E, como um bônus, o Tahiti pode vir a ser um ótimo lugar para se ver as luzes do norte. Em tempo, o trabalho de Larry Newitt seria diferente. Em vez de tremer de frio em Resolute Bay, ele poderia aproveitar o aquecimento do Pacífico Sul, pulando de ilha para ilha, caçando pólos magnéticos enquanto as auroras boreais dançam em cima. Às vezes, talvez, um pouco de mudança pode ser uma coisa boa.


{N.T.- “Haverá muitas mudanças dramáticas no clima do planeta, muitas mudanças nas condições meteorológicas  na medida em que o TEMPO DA GRANDE COLHEITA se aproxima RAPIDAMENTE ao longo dos próximos anos. Vocês vão ver a velocidade do vento em tempestades ultrapassando 300 milhas (480 quilômetros) por hora, às vezes. Deverão acontecer  fortes TSUNAMIS e devastação generalizada NAS REGIÕES COSTEIRAS, e uma emissão de energia solar que fará importante fusão e derretimento das calotas de gelo nos polos, e subseqüente aumento drástico no nível do mar, deixando muitas áreas metropolitanas submersas em todo o planeta“. Excerto do post: http://thoth3126.com.br/illuminati-revelacoes-de-um-membro-no-topo-da-elite-explosivo/ }


countdown-contagem-regressiva

Mais informações sobre mudança dos pólos em:

  1. http://thoth3126.com.br/uma-visao-pessoal/
  2. http://thoth3126.com.br/carta-de-um-politico-da-noruega-sobre-2012/
  3. http://thoth3126.com.br/brasil-o-territorio-sagrado-para-a-deusa-e-seus-filhos/
  4. http://thoth3126.com.br/vulcao-cumbre-vieja-mega-tsunami-pode-atingir-o-brasil/
  5. http://thoth3126.com.br/o-futuro-dos-eua-por-ned-dougherty/
  6. http://thoth3126.com.br/profecias-de-joao-um-cavaleiro-templario/
  7. http://thoth3126.com.br/mudancas-climaticas-o-impacto-sera-grave-abrangente-e-irreversivel/
  8. http://thoth3126.com.br/brasil-deve-se-preparar-para-um-verao-com-calor-extremo/
  9. http://thoth3126.com.br/mudancas-climaticas-o-maior-el-nino-da-historia/
  10. http://thoth3126.com.br/os-fenomenos-climaticos-extremos-estao-aumentando/
  11. http://thoth3126.com.br/algo-muito-grande-e-definitivo-esta-para-acontecer/
  12. http://thoth3126.com.br/mudancas-climaticas-os-desastres-naturais-nao-sao-tao-naturais/
  13. http://thoth3126.com.br/proximo-verao-sera-o-mais-quente-da-historia-mudancas-climaticas/
  14. http://thoth3126.com.br/category/mudanca-nos-polos-e-campo-eletromagnetico-do-planeta/
  15. http://thoth3126.com.br/inverno-30-graus-mais-quente-no-polo-norte-mudancas-climaticas/

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Thoth-flordavidawww.thoth3126.com.br

One Response to Campo eletromagnético da Terra é inconstante

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *