browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Charlie Hebdo (Je ne suis pas… )

Posted by on 18/01/2015

manipulação-da-ilusão

Charlie Hebdo (Je ne suis pas…)

O caso Charlie Hebdo tem muitas das características de uma operação (False Flag Attack) clandestina.

O ataque ao escritório dos cartunistas no centro de Paris foi um ataque altamente profissional e disciplinado do tipo associado com forças especiais altamente treinadas; no entanto, os suspeitos que posteriormente, dois dias depois, foram encurralados e mortos pareciam atrapalhados e pouco profissionais.

É como se fossem dois grupos diferentes de pessoas

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@gmail.com

Charlie Hebdo (Je ne suis pas…)

Paul Craig Roberts – Em 13 de janeiro de 2015 @ 19:00 

http://www.paulcraigroberts.org

… Normalmente os terroristas muçulmanos estão preparados para morrer no ataque que perpetram; no entanto, os dois profissionais (encapuzados) que atacaram a sede do jornal satírico Charlie Hebdo estavam determinados a escapar e conseguiram, um feito incrível.

Sua identidade foi alegadamente estabelecida mais tarde pela descoberta de que eles “convenientemente” deixaram para as autoridades sua IDENTIDADE no interior do carro usado na fuga.

bush-cheney-rumsfeld

Tamanho erro é inconsistente com o profissionalismo e disciplina necessários e usados para o ataque e faz-me lembrar o passaporte intacto e sem danos encontrado milagrosamente entre as ruínas das duas torres do WTC – World Trade Center, que serviram para estabelecer a identidade dos supostos “árabes terroristas sequestradores” dos aviões usados no atentado de 11/09/2001, às duas torres gêmeas do WTC em New York.

É uma inferência plausível que a IDENTIDADE deixada para trás no carro de fuga era a ID dos dois irmãos Kouachi, apenas mais dois bodes expiatórios convenientes, depois mortos pela polícia, e de quem nós nunca vamos ouvir nenhuma palavra, e não a identificação dos mercenários profissionais ENCAPUZADOS que atacaram o jornal Charlie Hebdo.

Um fato importante que suporta essa inferência é o relatório de que o terceiro suspeito do ataque, Hamyd Mourad, o suposto motorista do carro de fuga, ao ver seu nome circulando na mídia social como um suspeito percebeu o perigo de vida que corria e rapidamente procurou e se entregou para a polícia para sua proteção contra ser sumariamente assassinado pelas forças de segurança como um terrorista participante do atentado.

Hamyd Mourad diz que tem um álibi férreo. Se assim for, isso faz dele um inocente de um falso ataque. As autoridades francesas terão de dizer que apesar de estar errado sobre Mourad, eles estavam certos sobre os irmãos Kouachi. Alternativamente, Mourad poderia ser coagido ou torturado em algum tipo de confissão que suporta a versão “oficial” da história.

Os meios de comunicação americanos e europeus têm ignorado o fato de que Mourad se entregou para se proteger contra ser morto como um terrorista, pois ele tem uma comprovação muito forte de ser inocente. Eu pesquisei sobre Hamid Mourad e tudo que eu encontrei (em 12 de janeiro) foi que os principais “meios de comunicação dos EUA e europeus” relatando que o terceiro suspeito havia apenas se entregado.

controle-mental-tudo-esta-bem

A razão para a sua rendição foi deixada de fora dos relatórios de forma absoluta. A notícia foi divulgada de uma maneira que deu credibilidade à acusação de que o suspeito, que se entregou, teria participado do ataque ao jornal Charlie Hebdo. Nem uma única fonte de mídia dos EUA informou que o alegado suspeito se entregou porque ele tinha como comprovar a sua INOCÊNCIA.

Alguns meios de comunicação apenas relataram a rendição de Mourad em uma manchete sem cobertura no relatório. A lista dos meios de comunicação que eu pesquisei inclui o Washington Post (07 de janeiro por Griff Witte e Anthony Faiola); Die Welt (Alemanha) “Um suspeito entregou-se à polícia em conexão com o massacre de quarta-feira na sede da revista satírica parisiense, Charlie Hebdo,” ABC News (07 de janeiro) “suspeito mais jovem do ataque a Charlie Hebdo se entrega;” CNN (08 de janeiro). “Citando fontes, a agência de notícias Agence France Presse informou que um suspeito de 18 anos de idade, participante do ataque havia se entregado à polícia.”

Outro enigma na história oficial que permanece desapercebido pela mídia presstitute é o suposto suicídio de um membro do alto escalão da Polícia Judiciária francesa, que teve um papel importante na investigação do ataque ao jornal Charlie Hebdo.

Por razões “desconhecidas”, Helric Fredou, um oficial da polícia envolvido na investigação mais importante da sua vida, decidiu se suicidar em seu escritório da polícia em 7 de janeiro ou 08 de janeiro (ambas as datas são relatados na mídia estrangeira) no meio da noite ao escrever o seu relatório sobre sua investigação do taque.

false-flag-warning

Uma busca no Google a partir das 18:00 EST do dia 13 de janeiro não menciona relatório da mídia dos EUA sobre esse fato, evento. A mídia alternativa relata o fato, como alguns jornais do Reino Unido, mas sem mencionar se o seu relatório desapareceu.

A história oficial é que Fredou estava sofrendo de “depressão” e “colapsou”, mas nenhuma evidência disso é fornecida. Depressão e estresse são as explicações padrão oficiais para mortes misteriosas que têm implicações perturbadoras.

Mais uma vez vemos os meios de comunicação impressos e a TV dos EUA servindo como um ministério de propaganda de Washington. No lugar de uma investigação, a mídia repete uma história implausível (de acordo com os interesses) do (des)governo.

Cabe a todos nós parar para pensar. Por que os muçulmanos ficariam mais indignados com charges publicadas em uma revista em Paris do que com as centenas de milhares de muçulmanos mortos por Washington e seus vassalos da França e da OTAN em sete países diferentes durante os últimos 14 anos?

presstitutes-dont-trust-planeta

Se os muçulmanos queriam fazer um protesto contra as caricaturas, por que não trazer uma acusação de crime de ódio em uma ação judicial? Imagine o que aconteceria a uma revista europeia que se atrevesse a satirizar os judeus do mesmo modo que o jornal Charlie Hebdo satirizou os muçulmanos, sua religião e seu profeta.

De fato, na Europa algumas pessoas estão presas por apenas investigar o holocausto sem inteiramente confirmar todos os aspectos envolvidos.

Se uma ação judicial muçulmana de reparação contra a Charlie Hebdo não fosse aceita pelas autoridades francesas, os muçulmanos teriam feito seu protesto.

Matar pessoas apenas contribui para a demonização dos próprios muçulmanos, um resultado que só serve às guerras planejadas por (pelos marionetes da NWO) Washington contra países muçulmanos.

Se os muçulmanos são responsáveis ​​pelo ataque ao jornal Charlie Hebdo, qual objetivo muçulmano que eles atingiram? Absolutamente nenhum.

manipulação-ocidente

Na verdade, o ataque atribuído aos muçulmanos terminou com a simpatia francesa e europeia com o apoio para um estado Palestino e a oposição Europeia a mais guerras dos EUA contra os muçulmanos. Apenas recentemente a França tinha votado na ONU a favor da Palestina contra a posição dos EUA-ISRAEL.

Esta afirmação de uma política externa francesa independente foi reforçada pela recente declaração do Presidente da França de que as sanções econômicas contra a Rússia deveriam ser encerradas (n.t. Parece que alguém esta enquadrando à França à vontade dos controladores, a elite do governo oculto).

Claramente, a França vinha mostrando demasiada independência (da “vontade” dos EUA) em sua política externa. O ataque ao jornal satírico Charlie Hebdo serve para por a França em seu lugar e de volta sob o pesado polegar de Washington.

Alguns alegam que os muçulmanos são suficientemente estúpidos para atirar na sua própria cabeça. Mas como conciliar tal suposta estupidez com os supostos ataques profissionais por “terroristas muçulmanos” em New York de 11 de setembro às duas torres do WTC e agora no jornal Charlie Hebdo em Paris?

marcha-em-paris-circo

Marcha em Paris, foi apenas mais um detalhe da farsa, do circo….

Se nós acreditarmos na história oficial que nos é contada, o ataque de 11/09 sobre os EUA mostra que 19 muçulmanos, em grande parte árabes sauditas, sem apoio de qualquer governo ou de um serviço de inteligência, enganou não só todas as 16 agências de inteligência dos EUA, o Conselho de Segurança Nacional, Dick Cheney e todos os neoconservadores em altos cargos durante todo o governo dos Estados Unidos, a  segurança do aeroporto, mas também os serviços de inteligência da NATO e o Mossad de Israel.

Como podem essas pessoas inteligentes e capazes, que “perpetraram” o golpe mais humilhante da história (para os EUA) a uma suposta superpotência sem nenhuma dificuldade apesar de dar todos os indícios de suas intenções, possivelmente ser tão estúpido a ponto de atirar na própria cabeça quando eles poderiam ter jogado a França em tumulto com uma mera ação judicial?

A história do ataque ao jornal Charlie Hebdo simplesmente não bate. Se você acreditar nela, você não é páreo para um muçulmano.

Alguns que pensam que são especialistas dizem que um ataque de bandeira falsa na França seria impossível sem a cooperação do serviço de inteligência francesa. Para esses eu digo que é praticamente uma certeza de que a CIA tem mais controle sobre a inteligência francesa do que o próprio Presidente da França.

A Operação Gladio comprova isso. A maior parte do governo da Itália era ignorante dos bombardeios realizados pela CIA e a inteligência italiana contra mulheres e as crianças europeias e atribuídos a comunistas, a fim de diminuir o voto comunista nas eleições da Itália.

cia-loves-u

Os norte americanos são um povo lamentavelmente muito mal informado (n.t. assim como os povos dos demais países do planeta). Toda essa história do ataque em Paris é uma história de operações clandestinas. No entanto, os americanos descartam essas operações clandestinas (False Flag Attack) como meras “teorias da conspiração”, o que apenas comprova que o governo tem feito com sucesso uma lavagem cerebral  sobre os despreocupados norte americanos e privou-os da capacidade de reconhecer a verdade por si mesmos.

Os norte americanos estão no primeiro lugar entre as nações mais cativas. Quem vai libertá-los?

Charlie Hebdo (Je ne suis pas… une imbécile manipulé)

paul_craig_roberts

Dr. Paul Craig Roberts was Assistant Secretary of the Treasury for Economic Policy and associate editor of the Wall Street Journal. He was columnist for Business Week, Scripps Howard News Service, and Creators Syndicate. He has had many university appointments. His internet columns have attracted a worldwide following. Roberts’ latest books are The Failure of Laissez Faire Capitalism and Economic Dissolution of the West and How America Was Lost.

Para saber muito mais:

  1. http://thoth3126.com.br/voo-mh17-malaysia-airlines-fotos-de-satelite-do-ataque-ao-aviao/
  2. http://thoth3126.com.br/falsos-ataques-terroristasfalse-flag-attack/
  3. http://thoth3126.com.br/voo-370-da-malaysia-airlines-foi-sequestrado/
  4. http://thoth3126.com.br/os-eua-hoje-e-o-eixo-do-mal/
  5. http://thoth3126.com.br/a-farsa-do-estado-islamico/
  6. http://thoth3126.com.br/siria-uso-de-armas-quimicas-mais-uma-manobra-do-governo-das-trevas/
  7. http://thoth3126.com.br/voo-mh17-derrubado-para-gerar-crise-com-a-russia/
  8. http://thoth3126.com.br/voo-mh17-malaysia-airlines-fotos-de-satelite-do-ataque-ao-aviao/
  9. http://thoth3126.com.br/elite-quer-a-guerra-eua-europa-x-russia/
  10. http://thoth3126.com.br/os-eua-e-sua-forca-de-intervencao-da-otan-pode-iniciar-uma-guerra-nuclear/
  11. http://thoth3126.com.br/airasia-chines-alertou-duas-semanas-antes-sobre-acidente/

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth-escribawww.thoth3126.com.br

13 Responses to Charlie Hebdo (Je ne suis pas… )

  1. Jorge Heitor

    A revista portuguesa VISÃO, de 15 a 21 de Janeiro de 2015, dedica umas boas 20 páginas, e a capa, àquilo a que chama A vida depois de Charlie. Fala de dias de medo e de coragem em Paris, de ameaça jihadista, de liberdade em risco e de outras coisas assim. Mas apenas tem dois terços de página para recordar que, entretanto, na Nigéria, 2.000 pessoas foram mortas num ataque do Boko Haram e dezenas de milhares tiveram de abandonar os seus lares.
    A revista insiste no velho chavão de que Somos todos Charlie, mas não tem três ou quatro páginas para explicar como é que os fundamentalistas do Boko Haram estão a arrasar povoações e a assumir o controlo de um pedaço de território com o tamanho da Bélgica.
    Gonçalo M. Tavares, Luís Amado, Luís Marques Mendes, José Gil e Júlio Pomar participam neste grande dossier da VISÃO sobre os ataques à liberdade de expressão e a insegurança na Europa, não tendo sobrado colaboradores para fazer o ponto da situação na Nigéria, para explicar como é que o Boko Haram já chegou ao Norte dos Camarões e como é que está a menos de uma centena de quilómetros de N’Djamena, a capital do Chade.
    Esta revista é bem um exemplo de muitos outros órgãos de comunicação social que se preocupam com a guerra da República Francesa contro o terrorismo, mas que não lamentam tanto assassínio que ocorre na Nigéria, na República Centro-Africana, no Sudão do Sul, na República Democrática do Congo e em outros rincões da África, berço da Humanidade.
    Hoje como há 65 ou há 70 anos, a África continua a ser tratada por muitos europeus como um continente de segunda ordem, um reservatório de recursos naturais, onde a vida humana pouco importa.
    Hoje, como em 1945, em 1950 ou em 1955, muita gente na Europa ainda tem uma VISÃO deturpada; e trata os africanos de uma forma extremamente injusta. Jorge Heitor 18 de Janeiro de 2013

  2. Knight

    O que sera que tem nesse solo, petroleo, ouro, cidade alienigena? Seja la o que for, os ‘amalukados do norte’ querem para eles.

  3. G

    Cara, tá bem dificil de ler com este background amadeirado.

    Parabéns pela página e pelo conteúdo.

    Um abraço.

    • Thoth3126

      Olá G, voce deve ter o antivírus AVAST instalado em seu PC, que esta sendo a fonte dos problemas e interfere no acesso às postagens do Blog, apesar de nosso conteúdo estar isento de vírus. Outros leitores tiveram o mesmo problema, trocaram o AVAST e os problemas acabaram. Muita Luz e Paz.

      • Rhodes

        Saudações Thoth3126, para quem está tendo problemas com o Avast basta seguirem o procedimento:

        Abra o Avast e vá em configurações, localizem e selecionem exclusões, copiem o endereço do site e colem onde estiver a seguinte inscrição (insira o caminho do arquivo), feito isto cliquem em excluir e em seguida ok. Reiniciem o computador e o problema já estará resolvido!

        Obs: Parabéns pelo impronunciável trabalho que vc está realizando, espero ser um meio de propagação de tudo que leio aquí para outras dimenções…, que as hierarquias divinas lhes dêem forças para continuar semeando e colhendo bons frutos!

        • Thoth3126

          Caro Rhodes, somos gratos pelas suas orientações a respeito do AVAST, vão ser de grande ajuda para quem esta com problemas com este antivírus. Muita Luz e Paz.

  4. Berenice Nunes

    Por favor, Thoth, tenho dificuldade para enxergar e não estou conseguindo ler nesse fundo cor de madeira. Renovo meu pedido para mudar a cor do fundo . Encarecidamente lhe peço pois adoro ler seus textos todos os dias.
    Tenho catarata e quase 67 anos. Muito agradecida.

    • Thoth3126

      Olá Berenice, conforme a colaboração do leitor Rhodes, para quem está tendo problemas com o Avast basta seguir o seguinte procedimento:
      Abra o Avast e vá em configurações, localize e selecione exclusões, copie o endereço do site e cole onde estiver a seguinte inscrição (insira o caminho do arquivo), feito isto clique em excluir e em seguida ok. Reinicie o computador e o problema já estará resolvido!
      Muita Luz e Paz.

  5. Killua Zoldyck

    Muito bom o texto, vou passar a acompanhá-lo Thoth

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *