browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Chuva de Meteoros Leonids, em 17-18 de novembro

Posted by on 16/11/2014

Leonids-2001-01

Em novembro, acontece a chuva dos velozes meteoros Leonids

Como um velho amigo que retorna para uma nova aventura, a chuva de meteoros Leonids retorna este mês com promessas de fragmentos de cometas ardentes se arrojando através do céu noturno, a velocidades muito altas. As condições são quase ideais para a visualização da queda dos meteoros. Os picos de queda será entre meia-noite e a madrugada de segunda-feira e terça-feira, de 17 e 18 de novembro. Não precisamos nos preocupar com a luz do luar desta vez – o recatado decrescente lunar não vai subir aos céus até às 02:00 ou 03:00 horas da madrugada.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@gmail.com

Por: Bob King |05 de novembro de 2014

Rica em história, a chuva anual de meteoros Leonids retorna este mês, com pico máximo em 17 e 18 de novmbro para iluminar as noites.

Fonte: http://www.skyandtelescope.com/astronomy

A chuva de meteoros Leonids tem origem nos detritos deixados pelo Cometa 55P / Tempel-Tuttle, que orbita o Sol uma vez a cada 33 anos. Cometas são os melhores pais de chuva de meteoros, porque eles dão um grande show. Toda vez que o periódico cometa 55P / Tempel-Tuttle oscila através do sistema solar interno, seus gelos carregados de poeira se vaporizam sob o calor do Sol, liberando gases e detritos ao longo de sua órbita.

Leonids-meteor-shower-2012-Tony-Hallas

Os meteoros Leinids são bem conhecidos por suas bolas de fogo. Tony Hallas capturou dois em um único quadro durante o chuveiro de 2001. Cada um também apresenta um trail brilhante e persistente. A próxima TEMPESTADE de meteoros Leonid é esperada para 2034. Tony Hallas

Quanto mais visitas o cometa nos faz, vai gerando várias rastros de poeira. Quando a órbita da Terra intercepta a trajetória do cometa, ela bate em uma tempestade de poeira interplanetária tênue. De areia e cascalho de tamanho de bits atacam a atmosfera terrestre à velocidade de 60 a 70 milhas (100 a 115 quilômetros) por segundo e vaporizam em uma fúria de luz chamada por meteoros – ou, como muitos se referem a eles, estrelas cadentes.

Na maioria dos anos, você pode ver entre 10 a 15 Leonids por hora que emanam de um ponto no céu chamado radiante na cabeça da Constelação de Leo o leão, um asterismo em forma de um ponto de interrogação inverso; não esta muito longe do brilhante planeta Júpiter neste outono (hemisfério norte). os meteoros Leonids vão se espalhar por todo o céu, mas se você rastrear a sua origem, todos eles apontam para o radiante, o ponto no céu pelo qual a Terra está viajando através da nuvem de detritos empoeirada deixada pelo cometa Tempel-Tuttle.

Leonids-radiant-2014

Este mapa mostra o céu voltado para o leste em torno de 03:00 hora local em 17-18 de novembro durante o pico máximo do chuveiro. O ponto dentro do círculo amarelo na cabeça do Leão é o radiante, o ponto no céu de onde os meteoros Leonids parecem se irradiar. O nome Leonids tem origem na Constelação do Leão. Stellarium

A cada 33 anos, o cometa Tempel-Tuttle faz uma passagem pelo sistema solar interior, e nós testemunhamos um chuveiro muito maior, chamado então de Tempestade de meteoros, se a contagem exceder a queda de 1.000 meteoros por hora.

Durante a notável tempestade de meteoros Leonids de 1833, cerca de mil meteoros por minuto foram relatados caindo por alarmados moradores das cidades. Desde então, os astrônomos foram em busca de aumento da atividade a cada 33 anos, e os meteoros Leonids, em geral agradecem dando um novo espetáculo.

leonids_orbit_davis_m

Na medida em que ele se aproxima do Sol a cada 33 anos, o núcleo gelado do cometa Tempel-Tuttle ejeta uma enxurrada de pequenas partículas, que se espalham ao longo de sua órbita ao longo da passagem d cometa e do tempo. No mês de novembro a Terra cruza este fluxo de detritos deixados pelo cometa a cada passagem, sendo a fonte da criação de um “chuveiro” – e raramente uma “tempestade” – de meteoros na atmosfera. S & T: Don Davis

Durante a chuva ocorrida em 17 de novembro de 1966, observadores no oeste dos Estados Unidos testemunharam o maior espetáculo dos tempos modernos em termos de queda de meteoros. Nos momentos que precederam antes do amanhecer, caíram cerca de 144.000 meteoros Leonids por hora brevemente riscando com fogo o céu como se fosse um festival de fogos de artifício do dia da independência, em 4 de julho.

Esta foi a primeira chuva de meteoros que eu tentei ver, mas as nuvens cobriram o céu naquela madrugada em cima da minha casa em Illinois. Eu estava na janela em pé de pijama esperando em vão por uma abertura no céu. Anos mais tarde, a minha sorte mudaria.

Leonids-1833-woodcut_ST

Você pode imaginar algo assim? Os nossos antepassados ​​não precisaram, pois na noite de 12 de novembro de 1833, eles viram algo como pintado acima, quando os meteoros Leonids deixaram o céu literalmente em chamas. Pensamentos sobre Daniel e Apocalipse.

Até o início dos anos 1970, os meteoros Leonids tinham mantido sua tradicional taxa de queda média de uma dúzia de meteoros por hora. Foi só em 1998 que o índice de queda do chuveiro Leonids aumentou novamente. Crescendo para outro pico estendido nos anos 1999-2002, com as imagens fotografadas bem divulgadas deslumbrado milhões por todo o planeta. Foram meteoros luminosos, bolas de fogo explodindo e trails de fumaça de longa duração removendo a tela de um céu sem estrelas, desde 1966.

Além de suas bolas de fogo, os meteoros Leonids são famosos por seus trens, o nome dado para as trilhas brilhantes de gases atmosféricos quentes, ionizados deixados pela queima dos meteoros. Alguns duram minutos como eles torcem e se expandem, levados por ventos de alta altitude na atmosfera. Enquanto quase todos os chuveiros possuem trens de meteoros, os Leonids tem a parte do leão, com o perdão do trocadilho.

leonids-smoke-hongkong

Esta bela trilha foi capturada em filme por Alvis Ko (© 1998, todos os direitos reservados) do Hong Kong Astronomical Society, minutos depois de uma bola de fogo com magnitude -20 explodiu sobre Hong Hong. A foto foi tirada por volta de 20:30 UT em 16 de novembro de 1998. A mesma trilha foi fotografado por outro astrofotógrafo Hong Kong, Ms. Rubi Leung.

Porque o fluxo dos Leonids viaja em torno do Sol em uma direção oposta à dos planetas, a Terra atinge os detritos do cometa Tempel-Tuttle de frente  em velocidades muito alta. Os meteoros Leonids atingem a atmosfera de nosso planeta em velocidades de mais de 158 mil milhas por hora (70 km / seg), o mais rápido de todo os chuveiros. Trilhas deixadas pela poeira incandescente podem demorar muitos minutos, assumindo uma vida própria.

Fique de olho para elas durante o próximo espetáculo. Um par de binóculos irá estender o seu tempo de visualização deste fenômeno belo e único. Se você é realmente um curioso e empreendedor, falamos anteriormente da lua poderia ser um terreno fértil para a procura da queda de meteoros Leonids  na LUA através de um telescópio.

leonids-meteoros-chuva

A Lua estando com cerca de 75% de sua superfície em trevas (em fase minguante), você poderá espiar o flash contrastante de um meteoróide impactante na lua. Você pode observar visualmente com um telescópio de 6 polegadas ou maior, ou melhor ainda, ligar uma câmera de vídeo para o seu âmbito de aplicação e gravar para ver mais tarde.

Enquanto que uma queda média de uma dúzia de meteoros por hora não é muito, você pode ser recompensado com uma bola de fogo ou um trail excepcional. Você também estará aprimorando suas habilidades de observação de queda de meteoros, que você vai utilizar de novo durante a excelente chuva de meteoros Geminid que atinge o seu pico em 14 de dezembro de 2014.

cometa 55P-Tempel-Tuttle

Cometa 55P / Tempel-Tuttle: Esta imagem foi obtida no Observatório Astronômico Nacional do Japão em 1998, em 17 de fevereiro. Ela foi obtida com refletor de 50 cm, uma câmera CCD e um filtro vermelho. Copyright © 1998 pelo Observatório Astronômico Nacional do Japão

O que eu penso desta chuva Leonids: se o céu estiver claro e limpo, saia para assisti-la. Você nunca sabe quando as nuvens podem arruinar o próximo grande e esperado evento deste tipo. A experiência ensina que se você mantiver as suas expectativas modestas, mesmo um único meteoro pode ser uma imensa alegria.

Mais informações sobre cometas e meteoros em:

  1. http://thoth3126.com.br/meteoros-podem-estar-a-caminho-da-terra/
  2. http://thoth3126.com.br/explosao-e-queda-de-meteoro-na-russia-destruicao-e-feridos/
  3. http://thoth3126.com.br/cometa-ison-podera-causar-imensa-chuva-de-meteoros/
  4. http://thoth3126.com.br/meteoro-na-argentina-explosao-em-novas-imagens/
  5. http://thoth3126.com.br/meteoro-explodiu-nos-ceus-dos-eua/
  6. http://thoth3126.com.br/nasa-chuva-de-meteoros-e-estrelas-cadentes-imagens/
  7. http://thoth3126.com.br/meteoro-explode-sobre-a-espanha/
  8. http://thoth3126.com.br/licoes-do-impacto-de-meteoro-na-russia/
  9. http://thoth3126.com.br/asteroide-2014rc-passa-raspando-a-terra-dia-0709/
  10. http://thoth3126.com.br/chuva-de-meteoros-perseidas-de-agosto/

Permitida a reprodução desde que respeite a formatação e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

One Response to Chuva de Meteoros Leonids, em 17-18 de novembro

  1. MARIA JOSÉ NIA

    VAMOS TENTAR OBSERVAR…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *