browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Ciclo Solar 24

Posted by on 25/11/2014

As the Sun Awakens... (spaceweather poster, 200px)Com o despertar do SOL, a NASA mantém um olhar atento sobre o Clima Espacial

Muitas das atuais tecnologias do século 21 são vulneráveis a tempestades solares. [ http://www.nswp.gov/]. “A previsão do CLIMA ESPACIAL é ainda incipiente, mas estamos fazendo progressos rápidos,” diz Thomas Bogdan, diretor do Clima do Espaço da NOAA Weather Prediction Center, em Boulder, Colorado.

Bogdan vê a colaboração entre a NASA e o NOAA como uma chave importante. “As Sondas da Nasa não foram originalmente destinados para previsão do clima espacial” , mas verifica-se que nossos dados científicos têm na prática usos econômicos e civis“, diz Fisher.Este é um bom exemplo da ciência espacial dando apoio para a sociedade moderna“.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

Fonte: http://science.nasa.gov/science e http://science.nasa.gov

Autor: Dr. Tony Phillips | Crédito: Science @ NASA

A Terra e o espaço estão prestes a entrar em contato, de uma forma que é nova na história humana. Para fazer os preparativos, as autoridades em Washington DC, realizaram uma reunião: A Space Weather Enterprise Forum no National Press Club-Clube Nacional de Imprensa. Richard Fisher, o chefe da Divisão de Heliofísica da NASA, explica quais são os principais assuntos:

“O sol acordou de um sono profundo (iniciando atividade do ciclo 24) e, nos próximos anos, esperamos ver  níveis de atividade solar muito mais elevados. Ao mesmo tempo, a nossa sociedade tecnológica tem desenvolvido uma sensibilidade sem precedentes para as tempestades solares. A interseção dessas duas questões (e suas implicações para a civilização planetária) é o motivo do por que nós estamos nos reunindo para discutir.”

Um ciclo da ATIVIDADE solar completo de 11 anos, imagens feitas pelo SOHO (SOlar and Heliospheric Observatory) Créditos: SOHO – EIT Consortium, ESA, NASA: http://umbra.nascom.nasa.gov/eit/

A Academia Nacional de Ciências enquadrou o problema há dois anos em um relatório intitulado “Eventos de Clima Espacial com Grave Impactos Sociais e Econômicos.” Ele observou como as pessoas e a civilização atual do século 21 dependem de sistemas de alta tecnologia para as noções básicas da sua vida diária.

Redes de distribuição de energia inteligentes, GPS para localização e navegação, as viagens aéreas, serviços financeiros, comunicações de rádio de emergência, transmissão de sinais de rádio, telefonia e televisão, todos podem ser nocauteados por uma atividade solar intensa. Uma tempestade solar de extra classe, do tipo “a do século”, a Academia alertou, poderia causar danos e prejuízos econômicos vinte vezes maiores do que o furacão Katrina causou nos EUA.

Grande parte dos danos podem ser atenuados se os dirigentes souberem que uma tempestade está vindo (com antecedência). A colocação de satélites em ”modo de segurança”, desligando-os, desligando os transformadores de eletricidade para proteger esses bens de serem danificados por potentes descargas elétricas. A ação preventiva, porém, exige que as previsões sejam mais precisas, um trabalho que tem sido atribuído ao NOAA (National Oceanic and Atmospheric Administration).

“A previsão do CLIMA ESPACIAL é ainda incipiente, mas estamos fazendo progressos rápidos,” diz Thomas Bogdan, diretor do Clima do Espaço da NOAA Weather Prediction Center, em Boulder, Colorado. Bogdan vê a colaboração entre a NASA e o NOAA como uma chave importante.

“A frota de naves espaciais/satélites de pesquisa heliofísicas (pesquisa do SOL) da NASA, nos fornecem informações atualizadas minuto a minuto sobre o que está acontecendo no SOL. São um complemento com informação importante para a nossa rede de satélites GOES própria e satélites POES, que se centram mais no ambiente do clima espacial mais próximo à Terra.”

As the Sun Awakens... (movie strip, 568px)Clique na imagem para ver um filme de  39 MB movie sobre o clima espacial e da frota de satélites heliofísicos da NASA.[more]

Entre dezenas de naves espaciais da NASA, ele observa e enumera três de significado especial: STEREO, SDO e ACE:

STEREO (Solar Terrestrial Relations Observatory) é uma dupla de naves espaciais gêmeas estacionadas em lados opostos do Sol, com vista combinada de 100% da superfície estelar. No passado, as manchas solares ativas poderiam se esconder no lado distante do sol, invisível da Terra, e de repente surgir sobre as chamas da superfície do sol e cuspir as imensas CMEs (Ejeção de Massa Coronal e Plasma solar magnetizado) prejudiciais à magnetosfera da Terra. A existência do STEREO faz que agora os ataques surpresa serem quase impossível.

As naves gêmeas STEREO A e B mapeiam 100% da superfície solar. Na última DÉCADA houve um aumento considerável da NASA com os fenômenos solares.

STEREO (SOlar TErrestrial RElation Observatory-Observatório das Relações Terrestre e Solar) é um observatório solar de duplo satélite, com a missão de observar o comportamento solar/do Sol. As duas Sondas quase idênticas foram lançados em órbitas que lhes permitem, respectivamente, ficarem mais à frente e cairem gradualmente atrás da Terra, e estão afastadas em 180º, o que permite OBSERVAR o sol TOTALMENTE na sua superfície pela primeira vez. Isto irá permitir a elas fazerem imagens estereoscópicas dos fenômenos solares e do Sol, tais como as ejeções de massa coronal (NASA).

O SDO (o Solar Dynamics Observatory) é a mais recente adição à frota da NASA. Acabamos de lançá-lo em Fevereiro de 2010, é capaz de fotografar regiões ativas solares, com resolução espectral, temporal e espacial sem precedentes. Os investigadores podem agora estudar as erupções solares com extraordinário pormenor, aumentando as esperanças de que eles vão aprender como erupções trabalham e como preveni-las. O SDO também monitora a saída do sol de raios UV-Ultra Violeta extrema, que controla a resposta da atmosfera da Terra à variabilidade solar.

SDO-Solar Dynamics Observatory, lançado em Fevereiro de 2010, é a mais recente arma da NASA para estudar o SOL.

O satélite da NASA favorito de Bogdan, no entanto, é um velho: o Advanced Composition Explorer (ACE), lançado em 1997.”Onde estaríamos sem ele?” ele se pergunta. O ACE é um monitor de emissão dos ventos/plasma solar. Situa-se a montante entre o Sol e a Terra, detectando rajadas de vento solar e plasma carregados de poderosa energia, as ejeções de CMEs de bilhões de toneladas, e as tempestades de radiação em até 30 minutos antes de bater na magnetosfera do nosso planeta.

“O ACE é o nosso melhor sistema de alerta precoce”, diz Bogdan. Ele nos permite notificar os operadores de serviço público e de satélite, quando uma tempestade solar está prestes a bater na atmosfera da Terra.” As Sondas da Nasa não foram originalmente destinados para previsão do clima espacial” (???), mas verifica-se que nossos dados científicos têm na prática usos econômicos e civis”, diz Fisher. “Este é um bom exemplo da ciência espacial dando apoio para a sociedade moderna“.

Em 19 de abril de 2010, o SDO observou uma das maiores erupções do sol nos últimos anos. A Terra não estava na linha de fogo do sol …naquele momento. [história completa aqui ]

O ano de 2010 marcou o 4 º ano consecutivo em que os decisores políticos, investigadores, legisladores e jornalistas se reuniram em Washington para compartilhar idéias sobre o clima espacial. Naquele ano, os organizadores do fórum pretenderam aguçar o foco sobre a proteção das infra-estruturas críticas. O objetivo final é melhorar a capacidade da nação para se preparar, mitigar e responder aos eventos meteorológicos potencialmente devastadoras vindos do espaço.

Acredito que estamos no limiar de uma nova era em que o clima espacial pode ser tão influente na nossa vida diária como o clima terrestre normal.” Fisher conclui: “Nós levamos isso muito a sério.”

Autor: Dr. Tony Phillips | Crédito: Science @ NASA

E o quarto anjo derramou a sua taça sobre o SOL, e foi-lhe permitido que abrasasse os homens com fogo. E os homens foram abrasados com grandes calores, e blasfemaram o nome de Deus, que tem poder sobre estas pragas; e não se arrependeram para lhe darem glória.”  Apocalipse 16:8-9

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e a citação das fontes.

www.thoth3126.com.br

3 Responses to Ciclo Solar 24

  1. Sher Duarte

    “Pois as Escrituras Sagradas dizem: “Destruirei a sabedoria dos sábios e acabarei com o conhecimento dos instruídos.” – 1 Coríntios 1:19

    Bençãos e muita luz para todos! <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *