browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Cometa ISON: atualização sobre seu remanescente

Posted by on 07/12/2013

Todos os olhos sobre o (que sobrou) Cometa ISON C-2012 S1.

Até o momento, nós já suspeitamos que a maioria das pessoas percebeu o triste destino do Cometa C/2012 S1 (ISON)

Durante meses ele nos tinha insuflado com a alternância de crises e períodos de inatividade, antes de se colocar com um show deslumbrante em novembro, resultando em algumas observações terrestres deslumbrantes do cometa. 

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@gmail.com

Submitted by Karl Battams on December/2013 – 18:38

Fontes:  http://www.isoncampaign.org/ e http://spaceweather.com/

Nos dias e horas antes de seu encontro muito próximo (periélio) com o Sol, o ISON continuou este comportamento dinâmico e imprevisível, nos dando alguns sustos no seu caminho para refletir um brilho máximo de cerca de magnitude -3º, a apenas cerca de 12 horas antes do seu periélio, e aumentando as esperanças do público mundial pela exibição de um show nos céus após sua passagem pelo sol. 

Ele pode ter (quase) se ido, mas o Cometa ISON deixou um legado de dados sem precedentes a partir de vários diferentes locais dentro do sistema solar em que sua trajetória foi acompanhada! [Crédito da imagem: ESA, NASA, Anotações por Karl Battams]

Mas depois as coisas meio que se saíram como uma queda “montanha abaixo” para o cometa ISON. Seu brilho caiu rapidamente nas próximas horas, levando muitos especialistas em cometas a sentir que este fato marcou o ponto em que o núcleo do cometa, finalmente sucumbiu ao intenso bombardeio de radiação solar e a brutal pressão e forças de cisalhamento exercida pela imensa força gravitacional do sol. 

Para agravar o problema, nós também acreditamos que este ponto de viragem ocorreu no momento em que a temperatura da superfície no núcleo do cometa teria atingido o ponto em que todo o material – e não apenas GELO -. iria começar a se vaporizar.

Temíamos o pior na medida que o cometa ISON mergulhou através da corona solar, e enquanto as nossas esperanças foram brevemente aumentadas quando algo brilhante saiu de trás do disco sólido de ocultação da câmara LASCO C2, da espaçonave solar SOHO, logo ficou evidente que o ISON já não era um cometa saudável. Dentro de um ou dois dias após o periélio, a nossa última esperança remanescente começou a desaparecer tão rapidamente como o próprio cometa, e em 30 de novembro de 2013 uma nuvem fantasmagórica era tudo o que parecia restar do cometa ISON. 

Embora seja possível que pequenos pedaços de núcleo do ISON ainda existam, essa possibilidade parece cada vez mais improvável e é com mais do que apenas um pouco de tristeza que temos que declarar o cometa como perdido.

Mas ao invés de lamentar o que perdemos, talvez devêssemos nos alegrar com o que ganhamos, a saber: o que esta indiscutivelmente estabelecido na história é o fato de que os maiores e mais amplos dados foram compilados pelos astrônomos estudiosos de cometas, com telescópios terrestres e telescópios espaciais, mais do que nunca, em todos os tempos. 

Nesta semana a característica foi de que destacamos como a frota de sondas solares estavam no palco principal durante o mergulho solar do cometa ISON. 

A montagem com a três imagens acima mostra uma visão pós-periélio do ISON feita por três espaçonaves diferentes aproximadamente no mesmo momento no tempo, todas as exibições são de diferentes lugares-pontos de vista do sistema solar. 

Não há dúvida de que este conjunto de imagens é verdadeiramente sem precedentes, dando a nós visualizações simultâneas próximas ao evento de três perspectivas do cometa ISON. Essas imagens vão ser de valor inestimável para nos ajudar a reunir a estrutura em 3D das trilhas de poeira do Ison, e construir a imagem de quando o núcleo se desfez e a distribuição dos tamanhos do material resultante, por exemplo. Há muito mais ciência do que esta dito aqui, e esses resultados vão sair em tempo útil. 

Mas o ponto que queremos transmitir aqui é que mesmo que o ISON possa ter ido embora, mas que nos deixou um legado na forma de um conjunto enorme de dados que vai nos ensinar uma quantidade enorme sobre cometas, sua composição, e os processos que eles sofrem ao mergulhar em seu periélio. 

Uma das questões fundamentais que temos sobre os cometas é como eles são construídos? “, e às vezes a melhor maneira de se descobrir como algo é colocado junto é separando-o em partes – e gostemos disso ou não, isso foi exatamente o que o Sol fez para nós em 28 de novembro de 2013 ao derreter o Cometa ISON. 

A evolução do Cometa ISON em diferentes momentos.

Na manhã de 06 de dezembro, os principais pesquisadores do Comet ISON Observing Campaign (CIOC) realizaram um workshop informal no Johns Hopkins Laboratório de Física Aplicada. Uma das questões-chave que foi discutida, afinal o Cometa ISON sobreviveu ? Pode parecer surpreendente que alguém ainda está fazendo esta pergunta. 

Este filme abaixo feito pela espaçonave STEREO-A (processado por Alan Watson) mostra a nuvem restante do cometa em forma de V sumindo para a invisibilidade em 01 de dezembro:

Poderia ainda haver alguns fragmentos restantes do núcleo desintegrado do cometa ainda intacto e potencialmente ativo?

Afinal, o “cometa” que emergiu da atmosfera do sol no dia de ação de graças (28/11) parecia ser pouco mais do que uma nuvem de poeira se desintegrando. Este filme anterior da espaçonave STEREO-A (processado por Alan Watson) mostra a nuvem em forma de V sumindo para a invisibilidade em 01 de dezembro:

A resposta definitiva depende do que é composto o conteúdo dessa nuvem. Seria ela nada mais do que uma nuvem de poeira – ou poderia haver alguns fragmentos restantes do núcleo desintegrado do cometa ainda intacto e potencialmente ativo? Aguarde que essas descobertas serão divulgadas.

Mais informações em:

  1. http://thoth3126.com.br/cometa-lovejoy-visivel-a-olho-nu-de-madrugada/
  2. http://thoth3126.com.br/cometa-ison-podera-causar-imensa-chuva-de-meteoros/
  3. http://thoth3126.com.br/novo-cometa-c2012-s1-ison-o-cometa-do-seculo/
  4. http://thoth3126.com.br/cometa-ison-c-2012-s1-sera-espetacular/
  5. http://thoth3126.com.br/cometa-ison-comeca-a-dar-show-nas-madrugadas/
  6. http://thoth3126.com.br/cometa-ison-resistira-a-uma-tempestade-solar/
  7. http://thoth3126.com.br/inedito-e-raro-quatro-cometas-no-ceu-ison-ja-apresenta-dupla-cauda/
  8. http://thoth3126.com.br/cometa-ison-mergulha-perielio-para-contornar-o-sol/
  9. http://thoth3126.com.br/meteoros-podem-estar-a-caminho-da-terra/
  10. http://thoth3126.com.br/cometa-ison-se-partiu-em-pedacos-e-desvanece/

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e a citação das fontes.

www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *