browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Cometa ISON rumo ao seu encontro com o sol em 28/11

Posted by on 10/11/2013

O promissor Cometa ISON agora brilhando para os astrônomos que o acompanham da Terra

O Cometa ISON – potencialmente deslumbrante, mas até agora um decepcionante cometa – finalmente parece estar iluminando os céus como pode ser visto a partir da Terra, agora nos momentos finais de sua aproximação (periélio) máxima com o Sol em 28 de novembro. 

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@gmail.com

Cometa ISON rumo ao seu encontro com o sol em 28/11

por Joe Rao, colunista SPACE.com Skywatching | 08 novembro de 2013 07:30 ET – NASA

http://www.space.com/ – NASA

Durante os últimos dias, os astrônomos observadores em todo o mundo têm notado um aumento perceptível no brilho geral do Comet ISON , bem como um prolongamento de sua cauda. Enquanto ele ficou um pouco escuro desde que voltei à vista para skywatchers, o cometa pode agora estar no bom caminho de se tornar um show brilhante quando se efetivar a sua estreita passagem com o sol no final de novembro (28).

De Astúrias, Espanha, JJ Gonzales observou o cometa na quarta-feira (06 de novembro), e disse:. “O cometa mostra claramente um maior grau de condensação, em comparação com a minha observação anterior, em 31 de outubro” [ Fotos surpreendentes de Comet ISON Tomado por Stargazer ]

O que acontece em novembro nos céus, vídeo da NASA-JPL-Jet Propulsion Laboratory em Pasadena, Califórnia:

O observador britânico, Denis Buczyński, concorda.”Eu espero que eu não esteja chorando como um lobo, mas eu honestamente acredito que houve algum desenvolvimento da estrutura da cauda deste cometa hoje“, disse Buczyński. “Vai ser interessante se outras imagens de telescópios em melhores locais e condições mostrar ser essa uma mudança real.”

Enquanto a atividade manteve-se estável durante cerca de um mês (nós começamos nosso monitoramento em 12 de outubro), as taxas de produção de gás, finalmente aumentou rapidamente nos últimos dias! Este aumento talvez seja devido a uma explosão ou talvez venha de camada mais profunda do CIEM e que esta finalmente sublimando agora“, disse Emmanuel Jehin. Ele, C. Opitom, J. Manfroid e M. Gillon, da Universidade de Liège (Bélgica) tem acompanhado o cometa ISON desde 12 de outubro com o telescópio robótico TRAPPIST de 0,6 m  de diâmetro do ESO La Silla Observatory.

“Eu não acho que o cometa esteja se rompendo agora, como não vemos qualquer característica especial do coma, da concha ou grande produção de poeira nas últimas noites“, acrescentou Jehin. “As próximas noites nos dirão mais sobre este aumento de atividade, e talvez o destino do cometa.”

No início da manhã do dia 25 outubro de 2013, o Marshall Space Flight Center da NASA em Huntsville, Alabama, usou um “telescópio de 14 polegadas para capturar essa imagem do cometa ISON cruzando através da constelação de Leão, a 132 milhões de km da Terra e indo na direção do sol na velocidade de 87.900 milhas por hora. Crédito da foto: NASA / MSFC / Aaron Kingery

Finalmente aumento no brilho

Até agora, a tendência de aumento do brilho do cometa tem, na sua maior parte, se mantida num frustrante ritmo lento. O astrônomo amador Bruce Gary, do Arizona, o primeiro a fotografar o cometa ISON depois que ele surgiu a partir de fora do brilho do sol no dia 12 de agosto, resumiu a situação:

“Uau! Acho que falo por muitos ao expressar a minha frustração ate aqui com indiferença deste cometa para com os milhões de seres humanos que estão torcendo para que ele ‘ganhe vida’ e faça um show impressionante, pois por enquanto esta decepcionando todos nós!”

Bruce Gary de Hereford, Arizona obteve esta imagem de cor verdadeira da Comet ISON em 22 de outubro de 2013, mostrando um coma esverdeado e cauda avermelhada. O coma esta agora mais verde do que a cauda, o que também é um resultado da recente emissão de gás para a coma. O coma está crescente em tamanho, bem como o seu brilho. A cauda leva mais tempo para sofrer uma transformação, porque leva tempo para o gás e poeira em coma se dispersar ate ela. Credito: Bruce Gary

Ficando para trás?

A partir de 01 de novembro, um consenso de observadores em todo o mundo indicam que ISON se animou no seu brilho com a magnitude 9,0 – quanto menor o número de magnitude, mais brilhante será o objeto em questão.

De um modo geral, a magnitude menor que o olho humano pode perceber em um céu claro, escuro e livre de quaisquer luzes e neblina é 6.5, portanto, o ISON ainda estava com cerca de 2,5 magnitudes (cerca de 10 vezes ainda muito fraca) para ser visto visualmente sem o auxílio de binóculos ou de um pequeno telescópio. [ Comet ISON: 8 fatos essenciais e estranho ]

Em comparação com a previsão de brilho “oficial” pelo Observatório Smithsonian em Cambridge, Massachusetts, o ISON estava funcionando pelo menos mais fraco em uma magnitude do que o previsto.

Cauda com aparência estranha

O notável observador de cometas, John Bortle de Stormville, NY, pegou o ISON através de  binóculos 15×70, na manhã de 04 de novembro e estima-se em magnitude 8.8. Mas em seu telescópio refletor 16.1 polegadas a 70 potência, Bortle foi atingido por quão incomum a cauda do cometa apareceu.

Ao contrário do típico cometa,  com estreitamento da cauda que desaparece rapidamente com o aumento da distância para a cabeça do cometa,  o ISON  apresentou uma cauda longa e reta – não chega ainda a meio grau de comprimento – com lados paralelos que eram tão grandes quanto a própria cabeça do cometa. o que realmente se destacou para mim foi que, apesar de fraco em toda a sua extensão, ela tinha quase o mesmo brilho de superfície ao longo de toda a sua extensão, exceto em direção ao seu fim. Eu não acho que eu “já tenha visto antes tal aparição de um cometa por telescópico; parece verdadeiramente estranho“, disse Bortle.


Bortle analisou a curva de luz do cometa de 24 observações, de 1 de outubro a 2 de novembro. Qual a sua avaliação?

“O cometa nem mesmo mostra uma imagem próxima do que seria de se esperar para um corpo refletor simples”, disse Bortle da avaliação anterior. “Devo admitir que as perspectivas para o futuro do cometa parecem bastante sombrias.”

O Cometa ISON poderá se partir em pedaços?

Alguns observadores sugeriram que ISON vai se quebrar em vários pedaços ou mesmo se desintegrar completamente.  No entanto, isso pode não ser uma coisa tão ruim, se isso acontecer durante o tempo em que o cometa está fazendo sua maior aproximação ao sol. Neste momento, o cometa com tamanho entre 2 a 3 milhas de largura (3,2 a 4,8 km) seu núcleo será submetido a um aquecimento máximo solar e as forças de maré.

Cometas como o Ikeya-Seki em 1965 e o cometa West, em 1976, deram shows espetaculares, em parte devido aos rompimentos de seus núcleos durante todo o tempo de periélio. O resultado final foi uma tremenda onda de poeira no espaço, ambos os cometas desfraldaram então estupendas e maravilhosas caudas brilhantes que persistiram durante semanas.

O Cometa West foi um cometa que alguns especialistas consideraram na categoria de ” grande cometa”. Foi descoberto fotograficamente por Richard M. West, no Observatório Europeu do Sul, em 10 de agosto de 1975 e alcançou seu brilho máximo em março de 1976 com uma magnitude de -3 durante o seu periélio. Segundo os observadores, durante o seu brilho máximo foi de tal forma que ele pode ser estudado durante o dia.1

O Cometa Lovejoy em dezembro de 2011, finalmente se desintegrou – mas só depois de ter passado mais próximo do sol. Ela também produziu uma cauda espetacularmente brilhante.

Por outro lado, se a dissolução ou desintegração ocorrer antes de atingir o periélio, os fragmentos do cometa e a trilha associada de poeira poderia chicotear em torno do Sol e voltar para o espaço na sua maior parte invisível.

O Cometa Lovejoy e seu espetáculo noturno.

Fique atento ao SPACE.com para Comet atualizações ISON uma vez que continua a correr em direção ao sol.

Joe Rao serve como um instrutor e palestrante convidado no Hayden Planetarium de Nova York. Ele escreve sobre astronomia para a revista História Natural, Farm Almanac e outras publicações, e ele também é um meteorologista para News 12 Westchester, NY.

Siga-nos em @ Spacedotcom , Facebook e Google+Artigo original em SPACE.com .

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

One Response to Cometa ISON rumo ao seu encontro com o sol em 28/11

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *