browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Conjunção Vênus e Júpiter e a estrela de Belém

Posted by on 01/07/2015

estrela-dupla

Os dois planetas estarão tão próximos que vão parecer uma estrela dupla. Fenômeno será visível a partir das 18h, na direção oeste

Na noite de 30 de junho aconteceu o ápice de um belo encontro celeste. Os planetas Vênus e Júpiter estarão alinhados e tão “próximos” que parecerão uma estrela dupla e brilhante. O cerca de meio grau de distância entre eles poderá ser observado no Brasil, a olho nu, a partir das 18h, na direção oeste do céu.

“Entre o início do crepúsculo até as 20h será o melhor horário para se observar”, sugere a pesquisadora Josina Nascimento, do Observatório Nacional, instituto de pesquisa vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@gmail.com

MUITO BONITO – MAS NÃO É A “ESTRELA DE NATAL”:

http://spaceweather.com/  e  http://veja.abril.com.br

Quando o sol se por hoje à noite, do dia 01 de julho, saia para um espaço aberto, de preferência longe das luzes artificiais das cidades e olhe para o oeste. Os planetas Vênus (Afrodite, a deusa do Amor) e Júpiter (Zeus, o deus dos deuses) estarão em conjunção e tendo um belo encontro muito próximos um do outro no céu do por do sol.

A seguir apresentamos uma foto dos dois planetas feita pelo fotógrafo Marek Nikodem com um amigo que aprecia a vista desde Bydgoszcz, na Polônia:

conjunção-venus-jupiter-polonia

“Foi uma noite maravilhosa”, diz Nikodem, que capturou os planetas em 30 de junho na aproximação – cerca de 0,3 graus de separação.

Na medida em que julho começa, Vênus e Júpiter estão se separando, mas lentamente, para que permaneçam um par bonito durante algumas noites por vir. Navegue pela galeria de fotos para mais observações.

Extras: relatórios de alguns meios de comunicação têm comparado a conjunção entre os planetas Vênus e Júpiter de 30 de junho de 2015, com a conjunção dos mesmos planetas ocorrida no ano 2 a.C., muitas vezes identificadas como a “Estrela do Natal (ou de Belém)”, conforme relatado no livro do evangelho de Mateus.

conjuncao-venus-jupiter-com-regulus_solarsystemscope

Os dois planetas como deverão ser vistos em 1º de julho.

Na verdade, não há possibilidade de comparação. A conjunção do ano 2 a.C., 2017 anos passados, foi quase 200 vezes mais apertada do que a reunião de ontem à noite entre Vênus e Júpiter. Em “The Star of Bethlehem: An Astronomical and Historical Perspective”, (A Estrela de Belém: Uma Perspectiva Astronômica e Histórica”, Susan S. Carroll escreve:

Em 17 de Junho do ano 2 a.C., Vênus e Júpiter se juntaram, se encontraram …. na constelação de Leão. Os dois planetas então ficaram, na melhor das hipóteses 6 arcseconds separados; alguns cálculos indicam que eles realmente se sobrepuseram um ao outro. Essa conjunção ocorreu durante a noite e teria parecido como uma estrela muito, muito brilhante. Mesmo que estivessem apenas 6 arcseconds separados, o fenômeno teria exigido uma imagem mais nítida para os olhos distinguir os dois planetas, por causa de seu enorme brilho em conjunto.

Pelos números: No dia 30 de junho de 2015, a conjunção foi de 0,3 graus (1080 segundos de arco) de largura. A conjunção ocorrida em 2 a.C. não foi mais do que 0.002 graus (6 segundos de arco) de largura. Ontem à noite foi muito bonito, mas não foi a repetição da Estrela do Natal!

venus_jupiter_animação-conjunção

A aproximação dos dois planetas durante o mês de junho e inicio de julho.

Desde o início do mês de junho, os dois planetas estão “chegando mais perto um do outro” no céu. O fenômeno costuma ocorrer a cada dois anos, mas essa deverá ser a maior “aproximação” da década.

A proximidade é apenas aparente, pois Vênus está a 90 milhões de quilômetros da Terra, enquanto Júpiter fica ainda mais longe, a 890 milhões de quilômetros. O que ocorre é que os planetas – que são os mais brilhantes do Sistema Solar – estão passando em órbitas paralelas, o que proporciona a conjunção.

Nos próximos dias, os planetas vão trocar de posição no horizonte. “O que se vê atualmente é Vênus mais perto do horizonte, logo após o pôr-do-sol, e, mais acima, Júpiter. Nos dias que se seguem após a máxima aproximação, Júpiter é que estará mais perto do horizonte e, Vênus, mais acima”, pois terá ultrapassado Júpiter, diz Josina.

Um último alerta, O FENÔMENO É VISÍVEL LOGO APÓS O POR DO SOL ATÉ CERCA DE 20:30 DE ACORDO COM A SUA LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA (Onde voce esta situado no planeta).

Mais informações em:

  1. http://thoth3126.com.br/conjuncao-entre-jupiter-e-venus-com-a-lua-e-regulus-muito-proximos/
  2. http://thoth3126.com.br/conjuncao-de-venus-e-jupiter-um-show-no-ceu/

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth-escribawww.thoth3126.com.br

2 Responses to Conjunção Vênus e Júpiter e a estrela de Belém

  1. david kalugin

    olá
    a extraordinária conjunção na epoca do nascimento de jesus foi entre jupiter, saturno e a constelação de peixes.
    naquele ano tivemos ainda mais duas conjunções oque gera muita controvérsia.
    porem minha fonte diz que foi no ano 7 ac.

    quem tiver no seu computador um simulador ou calculador das orbitas dos planetas, encontrará com precisão a data correta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *