browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Entrevista com um Alienígena – Capítulo Nove

Posted by on 28/11/2016

entrevista-com-extraterrestre-alienLivro “ALIEN INTERVIEW” – Entrevista com um alienígena. Baseado em notas pessoais e transcrição de entrevistas de Matilda O’Donnell MacElroy.

Se você estudou o fenômeno UFO, você já está familiarizado com a infame transmissão de rádio de “Guerra dos Mundos, e a invasão de Marte” de Orson Welles feita em 30 de outubro de 1938. Esta dramatização de rádio fictícia de um invasão da Terra por “extraterrestres” incitou uma histeria mundial sobre OVNIs e aliens um pouco antes da queda do UFO perto de Roswell, NM, no ano de 1947.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Livro “ALIEN INTERVIEW”  (Entrevista com um alienígena)

Fonte: http://www.bibliotecapleyades.net/vida_alien/alieninterview/alieninterview.htm

Capítulo Nove do livro “ALIEN INTERVIEW” – Entrevista com um alienígena – A cronologia dos eventos (da Terra) – Chapter Nine – A Time Line of Events

Transcrição oficial da entrevista TOP SECRET – Força Aérea do Exército dos EUA, Base do Exército ROSWELL Airfield, 509  Bomb Group: ASSUNTO ENTREVISTA ALIEN, em 27.07.1947 – 1ª Sessão

Capítulo Nove – A cronologia dos eventos

(Nota pessoal Matilda O’Donnell MacElroy): “Para esta entrevista, eu tomava notas escritas porque o ser alienígena Airl me deu um monte de datas e nomes que eu não poderia lembrar sem registrá-los. Eu não costumava tomar notas, mas durante esta entrevista foi que eu percebi que era importante registrar as informações e os dados exatamente como ela as deu para mim.

roswell2

No entanto, eu descobri que as minhas anotações tornava muito mais difícil para mim me concentrar em receber a comunicação de Airl. Eu por vezes, estava tão distraída com a minha própria escrita que eu perdia o ritmo de seu pensamento, então eu tinha que pedir-lhe para “repetir” a si mesma várias vezes.

Airl continuou a ficar em comunicação com o oficial de comunicações na estação espacial de sua raça existente no cinturão de asteróides, a partir do qual ela recebeu muitas dessas informações. Desde que Airl era uma oficial / piloto / engenheira do Domínio, e não uma historiadora, ela teve que obter essa informação a partir de registros de missões de reconhecimento conduzidos por outros oficiais da Força Expedicionária do Domínio em nosso planeta.

(Transcrição oficial da entrevista)

Fala AIRL: “A história real da Terra é muito bizarra. É tão absurda e é tão incrível para qualquer pessoa na Terra que tenta investigá-la. Uma miríade de informação vital está faltando a partir dela. Um enorme conglomerado de relíquias non sequitur (sem sentido) e mitologia tem sido arbitrariamente introduzidos. A natureza volátil e cíclica da geologia da própria Terra cobre, afoga e mistura os pedaços de evidência física a cada mudança cataclísmica de seus polos magnéticos.

Esses fatores, combinados com a amnésia geral e sugestões pós-hipnóticas, falsas fachadas e manipulação encoberta fazem uma reconstrução das origens de fato e da história das civilizações da Terra praticamente ser indecifrável. Qualquer investigador, não importa o quão brilhante seja, está condenado a chafurdar em um atoleiro de pressupostos inconclusivos, hipóteses impraticáveis e perpétuo mistério.

Desde que o Domínio não sofre dessas aflições, tendo a vantagem de ter vasta memória, longevidade e um ponto de vista exterior, vou acrescentar alguns esclarecimentos ao vosso conhecimento fragmentado da história da Terra. Estas são algumas das datas e eventos que não são mencionados nos livros de história do vosso planeta. Estas datas são importantes porque fornecem algumas informações sobre as influências do “Antigo Império” e do Domínio sobre a Terra.

time-travel

Apesar de eu ter frequentado vários briefings por nosso pessoal do controle da missão, no contexto geral da Terra nos últimos cem anos, vou me basear principalmente em dados recolhidos a partir de registros capturados após a invasão da sede planetária do “Antigo Império”. Desde então, a Força Expedicionária do Domínio tem monitorado o progresso geral dos acontecimentos na Terra.

Como já referi, em alguns casos, o Domínio escolheu intervir em determinados assuntos na Terra, a fim de garantir o sucesso de nossos planos de expansão de longo prazo. Embora o Domínio não tenha interesse em terras, per se, ou na população de IS-BEs neste planeta, ele serve os nossos interesses para assegurar que os vastos recursos da Terra não sejam destruídos ou deteriorados. Para esse efeito, certos oficiais do Domínio tem sido enviados à Terra regularmente em missões de reconhecimento ao longo do tempo para reunir informações.

No entanto, as seguintes datas e eventos foram extraídos a partir das informações acumuladas nos arquivos de dados do Domínio – pelo menos aqueles que são acessíveis para mim através do centro de comunicações da estação espacial localizada no cinturão de asteroides:

Cerca de 208.000 aC

A criação do “Antigo Império”, cuja sede foi localizado perto de uma das “estrelas da cauda” da Constelação da Ursa Maior (Ursa Major Constellation) desta galáxia. As forças de invasão do “Antigo Império” conquistaram a área com armas nucleares em algum momento antes.

Após a radioatividade diminuir e a limpeza e restauração serem concluídas, recebeu a imigração de seres de outra galáxia para àquele sistema estelar. Aqueles seres configuraram uma sociedade que continuou até cerca de 10.000 anos atrás, quando ele foi substituído pelo  civilização controlada pelo Domínio na constelação da Ursa Maior.

Muito recentemente a civilização da Terra tem vindo a assemelhar-se em muitos aspectos com aquela antiga civilização, agora que ele caiu fora de seu controle imediato. Em particular, a aparência e tecnologia de transporte como aviões, trens, navios, carros de bombeiros, e automóveis, bem como aquilo que você considera ser arquitetura “moderna” ou “futurista”, que imitam o desenho de edifícios nas grandes cidades do “Antigo Império”.

ursamaior

Antes de 75.000 aC

Os registros de domínio contêm muito pouca informação sobre as civilizações existentes nas massas continentais de terra de Atlântida e Lemuria, exceto para notar que eles coexistiram na Terra, mais ou menos ao mesmo tempo (durante o final da Lemúria). Aparentemente, ambas as civilizações foram fundadas por restos de culturas com capacidades para viagens espaciais e tecnologia eletrônica que fugiram de seus sistemas planetários nativos para escapar da perseguição política ou religiosa.

O domínio sabe que um decreto de longa data do “Antigo Império” proíbe a colonização não autorizada de planetas. Portanto, é possível que sua destruição foi causada por forças policiais ou militares que perseguiram os colonos como criminosos e os destruíram. Embora isso pareça uma suposição provável, não existe evidência conclusiva que explica a completa destruição e desaparecimento de duas civilizações com capacidades eletrônicas completas.

Outra possibilidade é que uma erupção vulcânica submarina maciça na região de Lake Toba, em Sumatra e do Monte Krakatoa em Java causou a destruição de Lemúria. As águas da inundação causadas pela erupção varreram todas as massas de terra, incluindo as montanhas mais altas. Sobreviventes da destruição dessa civilização, os lêmures, são os primeiros ancestrais dos chineses. Austrália e as áreas oceânicas a norte eram o centro da civilização Lemuriana e são a fonte das raças orientais. Ambas as civilizações possuíam tecnologia eletrônica, capacidade de voo e capacidades semelhantes de culturas que operam no espaço interestelar.

Aparentemente, a erupção vulcânica expeliu uma massa tão significativa de rocha fundida que o vácuo resultante abaixo da crosta da Terra causou o afundamento de grandes áreas das massas de terra para abaixo dos oceanos. As áreas continentais ocupadas por ambas as civilizações foram cobertas com a matéria vulcânica, e depois submersas, deixando muito pouca evidência de que já existiu, exceto para as lendas de um dilúvio global que prevalecem em todas as culturas da Terra, e para os sobreviventes do cataclismo, que são a gênese das raças e culturas orientais .

Esse tipo de explosão vulcânica colossal enche a estratosfera com gases tóxicos que são espalhadas ao redor de todo o planeta. O lixo habitual destas erupções vulcânicas pode facilmente causar uma chuva que dura por “40 dias e 40 noites” devido à poluição atmosférica, bem como um extenso período durante o qual a radiação do sol é desviada de volta para o espaço, e deste modo causando um resfriamento global. Certamente um evento como esse poderia causar uma idade do gelo, a extinção de várias formas de vida e muitas outras mudanças relativamente de longo prazo com duração de milhares de anos.

atlãntida-gravadanarocha

Devido à miríade de tipos de ocorrência natural de eventos cataclísmicos globais que são cíclicos para a Terra, o planeta não é adequado para a habitação pelos IS-BEs. Além disso, houve cataclismos globais ocasionais causadas por IS-BEs como a que destruiu os dinossauros há mais de 70 milhões de anos atrás. Essa destruição foi causada pela guerra intergaláctica durante o qual a Terra, e muitas outras luas e planetas vizinhos, foram bombardeados por armas atômicas. Explosões atômicas causaram precipitação atmosférica muito semelhante as de erupções vulcânicas. A maioria dos planetas neste sector da galáxia têm sido desde então desertos inabitáveis.

A Terra é indesejável por muitas outras razões: gravidade pesada e densa atmosfera, inundações, terremotos, vulcões, mudanças polares, da deriva continental, impactos de meteoros, mudanças atmosféricas e climáticas, para citar apenas alguns. Que tipo de civilização duradoura poderia qualquer cultura sofisticada propor a se desenvolver em um ambiente caótico e instável como esse?

Além disso, a Terra é um planeta pequeno de uma “estrela na existente borda” de uma galáxia (longe do SOL CENTRAL GLÁCTICO – EU SOU O EU SOU DO EU SOU). Isso faz com que a Terra fique muito isolada geograficamente das civilizações planetárias mais concentradas que existem em direção ao centro da galáxia e mais próximas da LUZ do SOL CENTRAL. Estes fatos óbvios fizeram a Terra um planeta adequado para uso apenas como um jardim zoológico ou botânico, ou para a sua utilização atual como uma prisão – mas não muito mais do que isso.

Antes de 30.000 aC

A Terra começou a ser utilizada como uma lixeira e prisão de seres IS-BEs que foram julgados “intocáveisl”, ou seja, condenados à prisão e os não-conformistas. Estes seres IS-BEs foram capturados, encapsulados em armadilhas eletrônicas e transportados para a Terra a partir de várias partes do “Antigo Império”.  “Estações de amnésia” subterrâneos foram criadas em Marte e na Terra nas montanhas Rwenzori na África, nas montanhas dos Pirenéus entre a França e a Espanha e as estepes da Mongólia.

Estes pontos de monitoramento eletrônico criam telas de força projetados para detectar e capturar IS-BEs, quando o ser IS-BE abandona o seu corpo físico no momento da morte. Os IS-BEs sofrem uma lavagem cerebral usando a força eletrônica extrema, a fim de manter a população da Terra em estado de amnésia perpétua. Mais controles populacionais são instalados através da utilização de mecanismos de controle de pensamento eletrônico de longo alcance (como na moderna tecnologia de comunicação móvel via fones celular).

Estas estações ainda estão em operação e são extremamente difícil de atacar ou destruir, mesmo para o Domínio, o que não vai manter uma força militar significativa nesta área até uma data posterior. As civilizações das pirâmides foram intencionalmente criadas como parte do sistema de aprisionamento de IS-BEs na Terra .

A pirâmide é dito de ser um símbolo para a “sabedoria”(construídas com a Geometria Sagrada). No entanto, a “sabedoria” do “Antigo Império” no planeta Terra está previsto para funcionar como parte da “armadilha” elaborada com amnésia que consiste em MASSA, SIGNIFICADO e MISTÉRIO. Estes são qualidades opostas às qualidades de um ser espiritual imortal livre (de ocupar um corpo material pesado) que não têm massa, limite ou significado. Um IS-BE “existe” apenas porque pensa que ele “É”.

egito-antigo-rio-nilo-piramides

MASSA: representa o universo físico, incluindo objetos como estrelas, planetas, gases, líquidos, partículas de energia e “copos de chá”. As pirâmides eram objetos muito, muito sólidos, como foram todas as estruturas criadas pelo “Antigo Império”. Pesados, enormes e densos, os objetos sólidos criam a ilusão da eternidade.

Cadáveres envoltos em linho, embebido em resina, colocados dentro de caixões gravados de ouro  e sepultados com posses terrenas em meio a símbolos enigmáticos criam uma ilusão da vida eterna. No entanto, os pesados e densos símbolos do universo físico são exatamente o oposto de um IS-BE. Um IS-BE não tem massa ou sofre ação do tempo. Objetos não duram para sempre. Um ser IS-BE “EXISTE” para sempre.

SIGNIFICADO: significados falsos evitam o conhecimento e a descoberta da verdade. As culturas das pirâmides da Terra são uma ilusão fabricada. Eles são nada mais do que “falsas civilizações” inventados pelo “Antigo Império” cultos de mistério dos Irmãos da Serpente. Significados falsos foram inventados para criar a ilusão de uma sociedade falsa para reforçar ainda mais o mecanismo de amnésia entre os IS-BEs alojados no sistema prisional Terra.

MISTÉRIO: é construído de mentiras e meias-verdades. Mentiras causam a persistência, porque alteram fatos que são compostos de datas exatas, lugares e eventos. Quando a verdade é conhecida, uma mentira não persiste mais. Se a verdade exata é revelada, ela não é mais um mistério a ser procurado.

Todas as civilizações das pirâmides da Terra foram cuidadosamente planejadas de camada sobre camada de mentiras, habilmente combinados com algumas verdades. O culto sacerdotal do “Antigo Império” combinou matemática sofisticada e tecnologia espacial, com metáforas teatrais e simbolismo. Todo este aparato são fabricações completas da “verdade”, iscas com o fascínio de estética, ocultismo e mistério.

Os rituais intrincados, alinhamentos astronômicos, ritos secretos, monumentos enormes, arquitetura maravilhosa, hieroglifos artisticamente lapidados e “deuses” meio homem-animal foram projetados para criar um mistério insolúvel para a população IS-BE na prisão da Terra. O mistério desvia a atenção para o fato de que os IS-BEs foram capturados, brindados com tratamento de amnésia e presos em um planeta muito, muito longe de seus sistemas solares de origem.

A verdade é que todos os IS-BEs na Terra para cá vieram de algum outro sistema planetário. Nenhuma pessoa na Terra é um habitante “nativo” do planeta. Os seres humanos não “evoluem” na Terra. No passado, a sociedade egípcia foi governada pelos administradores da prisão ou sacerdotes, que, por sua vez, manipularam o faraó, controlavam o Tesouro e mantinham a população carcerária escravizada física e espiritualmente. Nos tempos modernos, os sacerdotes e a religião mudaram, mas a função é a mesma. No entanto, agora os sacerdotes são prisioneiros também.

O Mistério reforça as paredes da prisão. O “Antigo Império” temia que o IS-BEs prisioneiros na Terra conseguissem recuperar suas memórias. Por isso, uma das principais funções do sacerdócio no “Antigo Império” é impedir que IS-BEs na Terra se lembrarem quem eles realmente são, como eles vieram para a Terra, e de onde vieram.

draco-reptiliano

Os operadores do “Antigo Império” do sistema prisional e seus superiores, não querem os IS-BEs se lembrando quem os assassinou, os capturou, roubou todos os seus bens, os enviou para a Terra, deu-lhes amnésia e os condenou à prisão eterna ! Imagine o que poderia acontecer se todos os presos nessa prisão planetária, de repente se lembrasse que eles têm o direito de ser livres ! E se de repente eles perceberam que eles foram falsamente presos e se rebelarem contra os guardas da “prisão” Terra ?

Eles estão com medo de revelar qualquer coisa que se parece com a civilização dos planetas originais dos presos. Um corpo, uma peça de roupa, um símbolo, uma nave espacial, um avançado dispositivo eletrônico, ou qualquer outro remanescente da civilização de um planeta original poderia “lembrar” um ser IS-BE e reavivar a sua memória.

Tecnologias sofisticadas de aprisionamento e escravidão, que foram desenvolvidas ao longo de milhões de anos no “Antigo Império”, tem sido aplicada aos IS-BEs na Terra com a intenção de criar uma falsa fachada para a prisão que é o planeta. Estas tecnologias foram instaladas na Terra em sua totalidade, de uma só vez. Cada peça é uma parte totalmente integrada do sistema prisional.

Isso inclui uma religião de mambo-jambo de duplo sentido. Toda civilização das pirâmides usa isso como parte de um mecanismo de controle para manter a população escravizada pela força, controle, medo e por ignorância. A confusão indecifrável de informações irrelevantes, desenhos geométricos, cálculo matemático, alinhamentos astronômicos, são parte de uma falsa espiritualidade baseada em objetos sólidos, em vez de espíritos imortais, a fim de confundir e desorientar os IS-BEs presos na Terra.

Quando o corpo de uma pessoa morria eles eram enterrados com as suas posses terrenas, incluindo seu antigo corpo envolto em linho, para sustentar a sua “alma” ou “Kah” após a morte. Um IS-BE não “tem” uma alma. Um IS-BE é uma alma .

No planeta natal de um IS-BE seus bens materiais não foram perdidos, roubados ou esquecidos quando o corpo que ele ocupa morre. Um IS-BE poderia voltar (em outro corpo com a memória das vidas anteriores) e reivindicar os seus bens. No entanto, se como aqui o IS-BE tem amnésia, eles não vão se lembrar de que eles tinham qualquer posse. Assim, os governos, companhias de seguros, bancos, familiares e outros abutres podem se apossar dos seus bens sem medo de represálias do falecido.

A única razão para esses falsos significados é incutir a ideia de que um IS-BE não é um espírito, mas um objeto físico! Isso é uma mentira. É uma armadilha para um IS-BE. Inúmeras pessoas, historiadores e arqueólogos passaram horas intermináveis tentando resolver o quebra-cabeça do antigo Egito e outras civilizações estilo “Antigo Império”. Eles são quebra-cabeças feitos de peças que não se encaixam. Uma pergunta que contém a sua própria resposta.

Qual é o mistério do antigo Egito e outras culturas das pirâmides? Mistério!

Cerca de 15.000 aC

As forças de “Antigo Império” supervisionou a construção de uma operação de mineração hidráulica nas montanhas dos Andes, no dia de hoje a Bolívia, perto do Lago Titicaca (Lago de pedras de Estanho) em Tiahuanaco, incluindo a construção do complexo de pedra maciça de construções de pedra esculpida conhecido como Kalasasaya e sua “Porta do Sol”, a uma altitude de cerca de 14.000 pés (4.257 metros) acima do nível do mar.

tiahuanaco-kalasasaya-kiss

O Kalasasaya na Bolívia

Em torno de 11.600 aC –

O eixo polar (norte) da Terra se deslocou para uma área de mar. A última Idade do Gelo chegou ao fim abruptamente quando as calotas polares derreteram e o nível do mar subiu para submergir grandes setores das massas terrestres da Terra. Os últimos vestígios da Atlântida e Lemúria foram cobertos pela água. Extinções maciças de animais ocorreu nas Américas, Austrália e as regiões árticas devido à mudança dos pólos magnéticos norte sul.

Em 10.450 aC

Os planos foram feitos pelo “Antigo Império” e o ser IS-BE chamado de Thoth foi incumbido da construção da grande pirâmide de Gizé. Os 4 “poços de ar” da pirâmide apontar precisamente para às estrelas principais no “Antigo Império” como visto de Gizé neste ano. O alinhamento das pirâmides de Gizé no solo combina perfeitamente com o alinhamento das três estrelas (Mintaka, Alnilan e Alnitak) do cinturão da Constelação de Orion, como visto no céu de Gizé em relação ao rio Nilo, como a representação terrena do braço de Órion da constelação da Via Láctea no céu.

cinturão-órion

Em 10.400 aC

Segundo o historiador grego Heródoto (484 a.C.), os registros da civilização em ruínas de Atlântida, que contém a tecnologia eletrônica e outras tecnologias daquela sociedade, foram enterrados em um cofre sob as patas da Esfinge. O historiador grego escreveu que lhe foi solicitado por alguns de seus amigos que eram sacerdotes de Anu, o deus sumério, na cidade egípcia de Heliópolis. No entanto, é altamente improvável que quaisquer vestígios de uma civilização eletrônica seriam autorizados a ser deixados intactos na Terra, o “Antigo Império” pelos administradores do sistema prisional que é o planeta. 

Em 8.212 aC

Os Vedas ou hinos védicos são um conjunto de hinos religiosos que foram introduzidas nas sociedades da Terra. Eles foram mantidos através da tradição oral, memorizados, de geração em geração. “The Hymn to the Dawn Child” inclui uma ideia chamada “ciclo do universo físico”:  A criação, crescimento, conservação, decadência e morte ou destruição de matéria e energia em um espaço Estes ciclos produzem o tempo O mesmo conjunto de hinos descreve a “teoria da evolução”. Aqui é um corpo enorme de conhecimento que contém uma grande dose de verdade espiritual. Infelizmente, foi avaliado incorretamente pelos seres humanos e alterado com mentiras e reversões de fatos por uma casta de sacerdotes (os brâmanes) que são uma armadilha para impedir que alguém usando da sabedoria possa descobrir uma maneira de escapar do planeta prisão que é a Terra.

Em 8.050 aC

Destruição do planeta da sede do governo do “Antigo Império” nesta galáxia. Este foi o fim do “Antigo Império” como uma entidade política na galáxia local Via Láctea. No entanto, a enorme abrangência do “Antigo Império” vai provocar que muitos milhares de anos sejam necessários para que as forças do Domínio o conquistasse completamente. A inércia dos sistemas políticos, econômicos e culturais do “Antigo Império” vão permanecer no local por algum tempo ainda à frente.

No entanto, os restos da frota espacial do “Antigo Império” no sistema solar da Terra somente foram finalmente destruídas em 1.230 AD. Além dos agentes do “Antigo Império”, que administram a operação da prisão Terra, havia outros seres do “Antigo Império” que vieram à Terra.

orion-constelação

Desde que o planeta não estava mais sob o controle do “Antigo Império” depois de sua derrota pelas forças do Domínio, não havia nenhuma força policial para controlar os militares renegados, piratas espaciais, mineiros, comerciantes e empreendedores que vieram à Terra para explorar os recursos do planeta para ganho pessoal, além de muitas outras razões nefastas. Por exemplo, a história da Terra, de acordo com o povo hebreu descreve os ” Nephilim “. O Capítulo 6 do Livro do Gênesis, descreve a origem dos “Nephilim”:

“E aconteceu que, como os homens começaram a multiplicar-se sobre a face da terra, e lhes nasceram filhas, Viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram. Gênesis 6:1,2.

Havia naqueles dias gigantes (Nephilim) na terra; e também depois, quando os filhos de Deus  entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os homens de fama. Gênesis 6:4“.

O antigo povo hebreu que escreveu o livro de história chamado o Antigo Testamento eram escravos, pastores e coletores. Qualquer tecnologia moderna, mesmo uma lanterna simples, parecia-lhes surpreendente e milagrosa para eles. Eles atribuíam qualquer fenômeno ou o funcionamento de qualquer tecnologia inexplicável como obra de um “deus”. Infelizmente, esse comportamento é universal entre todos os IS-BEs que receberam tratamento para amnésia e não lembram de suas próprias experiências, formação, conhecimento de tecnologia, personalidade ou identidade.

deus-homem-animal-ets

Obviamente, se estes seres eram homens, e eles acasalaram com as mulheres da Terra, eles não eram “filhos de deus”. Eles eram IS-BEs que habitavam corpos biológicos, a fim de tirar proveito da situação política no “Antigo Império”, ou simplesmente para entrar em corporificação física. Eles montaram pequenas colônias na Terra por seu próprio risco , fora do alcance das autoridades policiais e fiscais do Domínio.

Coincidentemente, um dos crimes mais graves que um IS-BE poderia cometer no “Antigo Império” era violar os regulamentos de recolhimentos de impostos. O recolhimento de impostos era usado como um mecanismo de escravidão e como um castigo no “Antigo Império”. O menor erro em um relatório de imposto condenava um IS-BE “intocável”, seguido de sua prisão na Terra.

Em 6.750 aC

Outras civilizações das pirâmides foram criadas pelo “Antigo Império” na Terra. Estas foram estabelecidas na Babilônia, Egito, China e Mesoamérica (Maias). A área da Mesopotâmia teve instalações de serviço, estações de comunicação, portos espaciais e operações de extração de pedras para o uso nestas civilizações. Ptah foi o nome dado ao primeiro de uma sucessão de administradores do “Antigo Império” que se apresentavam para a população da Terra como governantes “divinos”.

A importância de Ptah pode ser entendida quando se aprende que a palavra “Egito” é uma corrupção grega da frase “Het-ka-Ptah”, ou “Casa do Espírito de Ptah”. Ptah, foi apelidado de “O Construtor”. Ele era um engenheiro de construção. Ao seu sumo sacerdote foi dado o título de “Grande Líder dos Artesãos”. (Aqui temos o arquétipo do futuro Grande Arquiteto do Universo).

Anunnaki-deuses-nunca-mais

Ptah era também o deus da reencarnação no Egito. Dele se originou a “cerimônia de abertura da boca”, que era realizada por sacerdotes em funerais para “liberar as almas” de seus cadáveres. Claro que, quando as “almas” eram libertadas, elas eram capturadas, dado o seu estado de amnésia, e voltou para a Terra novamente.

Os chamados governantes “divinos” que seguiram Ptah na Terra foram chamados de “Ntr” (Neteru, Neter), que significa “Guardiães ou Sentinelas” pelos egípcios. Seu símbolo era a serpente ou dragão que representava um sacerdócio secreto do “Antigo Império” chamado de os “Irmãos da serpente”.

Engenheiros do Antigo Império” utilizavam ferramentas de ondas de luz altamente concentrada para esculpir rapidamente e escavar blocos de pedra. Eles também usaram campos de força e naves espaciais para levantar e transportar os grandes blocos de pedra pesando centenas ou milhares de toneladas cada um. A colocação no terreno de algumas destas estruturas serão identificados como tendo importância relativa geodésica e astronômica  com várias estrelas nesta região galáctica.

Os edifícios são brutos e impraticáveis, em comparação com as normas de construção na maioria dos demais planetas. Como engenheira do Domínio, posso atestar que as estruturas construídas como estas nunca iriam passar pela inspeção em um planeta no Domínio. Blocos de pedra como os usados nas antigas civilizações das pirâmides ainda podem ser vistos, parcialmente escavados, nas pedreiras existentes do Oriente Médio e em outros lugares.

A maior parte dessas estruturas foram construídas às pressas como “acessórios”, como as falsas fachadas de uma cidade ocidental no set de um filme. Eles parecem ser real, e de ter alguma utilidade ou valor, no entanto, elas não têm nenhum valor. Eles não têm nenhum propósito útil. As pirâmides e todos os outros monumentos de pedra erguidos pelo “Antigo Império” na Terra poderiam ser chamados de “monumentos misteriosos”.

Baalbek-Líbano.03

Gigantesco bloco de pedra único escavado na rocha para ser utilizado no complexo do templo de Baalbek, no atual Líbano.

Por que razão alguém iria desperdiçar tantos recursos para construir tantos prédios inúteis? Para criar uma ilusão misteriosa. O fato da questão é que cada um dos antigos “governantes divinos” foram IS-BEs que serviram como agentes do “Antigo Império”. Eles certamente não eram “divinos”, embora fossem IS-BEs.

Em 6.248 aC

O início da guerra ativa no espaço entre as forças do Domínio Space Command e os restos sobreviventes da frota do “Antigo Império” neste sistema solar durou quase 7.500 anos. Tudo começou quando uma instalação foi criada nas montanhas de Himalaya por um batalhão de 3.000 oficiais e membros da tripulação da Força Expedicionária (Comando Espacial) do Domínio. A instalação não foi fortificada na medida que o Domínio não estava ciente de que o “Antigo Império” mantinha a Terra como um planeta prisão.

A Base do Domínio foi atacada e destruída por forças espaciais do “Antigo Império”, que continuaram a operar no sistema solar da Terra. Os IS-BEs do Batalhão do Domínio foram capturados, levados para Marte, aplicado a amnésia, e enviados de volta à Terra para habitar corpos biológicos humanos. Eles ainda estão presos na Terra.

 Em 5.965 aC

As investigações sobre o desaparecimento das forças do Domínio neste sistema solar levou à descoberta de bases secretas do “Antigo Império” em Marte e em outros lugares. O Domínio assumiu o controle doplaneta Vênus como uma posição defensiva contra as forças espaciais do “Antigo Império”. A Força Expedicionária do Domínio também monitora as formas de vida em Vênus, que tem uma atmosfera muito densa, quente e pesada de nuvens de ácido sulfúrico. Existem algumas formas de vida na Terra que pode suportar um ambiente atmosférico como o de Vênus.

O Domínio também estabeleceu instalações secretas ou estações espaciais no sistema solar da Terra. Este sistema solar originalmente tinha mais um planeta (MALDEK) que explodiu (há cerca de 251 milhões de anos)  – e cujos restos estão hoje localizados onde era sua antiga órbita, no Cinturão de asteróides, entre Marte e Júpiter. Esses asteroides fornecem uma plataforma de baixa gravidade muito útil para a decolagem e a aterragem das espaçonaves do Domínio. O Cinturão de asteróides também é usado como um “salto galáctico” na viagem entre a Via Láctea e galáxias vizinhas.

cinturao_asteroides(restos de Maldek)

Não existem planetas neste final da galáxia que possam servir como um bom local de entrada para a galáxia para espaçonaves de transporte e outras espaçonaves. Mas o cinturão de asteroides serve como local de uma estação espacial muito ideal. Como resultado de nossa guerra contra o “Antigo Império”, esta área do sistema solar é agora uma posse valiosa para o “The Domain – O Domínio”.

Em 3.450 – 3.100 aC

A intervenção nos assuntos da Terra pelos agentes do “Antigo Império” ou “deuses divinos” foi interrompida neste momento pelas forças do Domínio. Eles foram forçados a serem substituídos por governantes humanos. A primeira dinastia de faraós humanos que uniu os reinos do Alto e Baixo Egito começou com o governo de um faraó que, coincidentemente, foi nomeado como “MEN” (homens em inglês) (Menés em português). Ele estabeleceu a capital chamada Men-Nefer, “The Beauty of Men” no Egito. Esse momento marca o início da série de 10 faraós humanos e um período de 350 anos de caos que se seguiu nas fileiras administrativas do “Antigo Império”.

Em 3.200 aC

Como mencionei anteriormente, a Terra estava sob influência das guerras entre o Domínio e as forças do “Antigo Império” durante este período. Claro que isso não faz qualquer sentido para os arqueólogos ou historiadores da Terra, porque o período egípcio é um período de lutas entre seres extraterrestres pelo controle do planeta. Desde que os “eruditos historiadores” da Terra são seres (IS-BEs) com amnésia, eles assumem que este foi apenas um período religioso do antigo Egito.

Além disso, porque as civilizações e tecnologias instaladas na Terra durante este período eram “pré-existentes”, elas não “evoluíram” na Terra. Claro, não há nenhuma evidência em qualquer lugar na Terra de uma transição evolutiva que, subitamente, resultou no surgimento da matemática sofisticada, das línguas antigas, da escrita, religião, arquitetura, agricultura, tradições culturais no Egito ou de qualquer uma das outras antigas “civilizações” das pirâmides. Estas antigas culturas, completas com todos os detalhes de tipos raciais, penteados, maquiagem facial, rituais, códigos morais e assim por diante, apenas “apareceram”, de repente, em completos pacotes integrados .

As evidências físicas sugerem que todas as provas da intervenção da intervenção extraterrestre do Domínio ou das forças do “Antigo Império”, ou de qualquer outra atividade extraterrestre, foi cuidadosamente “limpada”, a fim de não levantar suspeitas. As forças do “Antigo Império” não querem que os IS-BEs da Terra suspeitem que eles foram capturados, transplantado para a Terra e sofreram uma lavagem cerebral completa.

Assim, os (“Grandes Eruditos”) historiadores da Terra continuam a assumir e a propagar como verdade absoluta que os sacerdotes egípcios não deveriam ter “armas de raios” ou outras tecnologias estilo do “Antigo Império”. E, eles supõem que não havia nada acontecendo na Terra, com exceção de alguns sacerdotes perambulando por aí dizendo “amém”, o que os católicos  ainda fazem…

Machu-Picchu

Machu Picchu

Em 3.172 aC

Disposição da grade astronômica que une os principais locais de mineração e edifícios astronômicos dos (construídos pelos)  ‘deuses’ nas montanhas dos Andes, como em Tiahuanaco, Cuzco, Quito, as linhas de Nazca, as cidades de Ollantaytambu, Machu Picchu e Pachacamac para a mineração de metais raros, incluindo estanho para a fabricação de bronze. Os principais metais eram propriedade dos “deuses”, é claro.

Uma grande variedade de atividades de mineração foi empreendida na Terra naquela época devido à guerra entre as forças extraterrestres do “Antigo Império” e do The Domain (O Domínio) pelo controle do planeta. Estes povos mineradores fizeram algumas esculturas de si mesmos. Eles são vistos usando capacetes dos mineiros.

A escultura estela (Monolito) Ponce  encontrada no pátio do templo Kalasasaya é uma reprodução bruta de um trabalhador cortador de pedras usando um cortador de pedra eletrônico de emissor de onda de luz como ferramenta para o corte de pedras, colocado em um coldre. O “Antigo Império” (e demais extraterrestres) também mantem operações de mineração em planetas por toda a galáxia por um tempo muito longo. Os recursos minerais da Terra são agora uma propriedade do The Domain (O Domínio).

tiahuanaco-estela-ponce-escultura

A escultura estela (Monolito) Ponce encontrada no pátio do templo Kalasasaya é uma reprodução bruta de um trabalhador cortador de pedras usando um cortador de pedra eletrônico de emissor de onda de luz como ferramenta para o corte de pedras, colocado em um coldre.

Em 2.450 aC –

O complexo de pirâmides e a “grande” pirâmide localizadas hoje perto de Cairo foram concluídas. Uma inscrição criada pelos administradores do “Antigo Império” pode ser visto nos chamados textos das pirâmides. Os textos dizem que a pirâmide foi construída sob a direção de Thoth, filho de Ptah. É claro que nunca houve um rei enterrado na câmara, uma vez que as pirâmides nunca foram destinadas a serem usadas como uma câmara mortuária, conforme afirmado pelos “grandes eruditos” da antiga história do Egito.

A grande pirâmide foi localizado precisamente no centro exato de todas as massas de terra do planeta Terra,  como visto do espaço. Obviamente essas medições precisas exigem perspectiva (visão) aérea e uma vista das massas terrestres da Terra a partir do espaço. O cálculos puramente matemáticos do centro geodésico dos continentes da Terra não poderiam ser feitos de outra forma, a não desde o espaço.

cinturao de orion

Eixos foram construídos no interior da pirâmide para se alinhar com a configuração de estrelas na constelação de Orion, Canis Major e, especificamente, com SÍRIUS (a principal estrela da constelação do Cão Maior – Canis Major). Os eixos também estão alinhados com as estrelas da constelação da Ursa Maior, onde o planeta sede do “Antigo Império” existia. Além disso, a estrela Alnitak (do cinturão da Constelação de Órion), Alpha (Thuban) Draconis e a estrela Beta (Kochab) da constelação da Ursa Menor. Estas estrelas são cada um dos sistemas solares chave no “Antigo Império” a partir do qual os IS-BEs foram trazidos para a Terra como objeto de dumping, como mercadoria indesejada.

A configuração de todas as pirâmides do planalto de Gizé foi destinada a criar uma “imagem de espelho”, na Terra do sistema solar, de certas constelações estelares e do braço local de Órion da galáxia, quando o “Antigo Império” comandava a nossa galáxia.

Em 2.181 aC

MIN, tornou-se o deus da fertilidade do Egito. O IS-BE, também conhecido como Pan, era um deus grego. Min ou Pan, era um IS-BE que de alguma forma conseguiu escapar do sistema de controle pela amnésia do “Antigo Império”.

Em 2.160 – 2.040 aC

Um dos resultados do recrudescimento da luta pelo controle da Terra, entre as forças do Domínio e as tropas do “Antigo Império” foi de que o controle dos “governantes divinos”, foi quebrado neste momento. Eles finalmente deixaram (agentes a serviço do “Antigo Império”) o Egito e voltaram para os “céus”, por assim dizer, derrotados. Os seres humanos assumiram o papel dominante como faraós governantes. O primeiro faraó humano mudou a cidade capital do Egito de Memphis para Heracleópolis. 

mapa-Heracleópolis-egito-antigo

Heracleópolis: Conhecida igualmente como Henen-nesw (“Cidade da Criança Real”), Hnes ou Ihnasya el-Medina (denominação atual), a sua origem remontou ao terceiro milênio antes da era cristã e situava-se no Norte do Egito, a Sul de Faium. Foi capital do XX nomo do Alto Egito e sabe-se que ali se cultuava primitivamente o deus Herishef, ao qual foi erigido um templo provavelmente no Império Médio (entre 2050 e 1650 a. C.), que sofreu alterações ao longo dos tempos, a mais significativa das quais talvez tenha sido a aposição de uma sala hipóstila durante o reinado de Ramsés II.

Em 1.500 aC –

Esta é a data para a destruição do último fragmento (ilha) do continente de Atlântida dada pelos altos-sacerdotes egípcios, Psenophis de Heliópolis, e Sonchis de Sais, para o sábio grego Solon que mais tarde transmitiu este conhecimento para PLATÃO. Os sacerdotes de Anu registraram que a região do Mediterrâneo foi invadida por forças de “Atlântida” para as pessoas daquele tempo. Claro, essas pessoas não eram do antigo continente de Atlântida, no Oceano Atlântico, que existiu há mais de 70.000 anos antes.

Estes eram refugiados da civilização minoica em Creta escapando de tsunamis, terremotos, maremotos e destruição generalizada provocados pela erupção vulcânica do Mt. Thera (atual Santorini) que destruiu sua civilização. As referências de Platão a Atlântida foram emprestados a partir dos escritos do filósofo grego Solon, a quem foi dada a informação pelo sacerdote egípcio que chamou Atlântida de  “Kepchu”, que também acontece de ser o nome egípcio para as pessoas nativas da ilha de Creta. Alguns dos sobreviventes do desastre vulcânico que destruiu a civilização minoica pediram ajuda ao Egito, uma vez que eles eram a única outra civilização com alta cultura na área do Mediterrâneo na época.

Em 1.351 aC – 1.337 aC

A Força Expedicionária do Domínio se engajou ativamente em uma guerra de conquista religiosa contra o culto de mistério egípcio chamado de os “Irmãos da serpente” controlados pelos sacerdotes de Amom, também conhecido como a religião do “Antigo Império”. Durante este tempo o faraó (agente do Domínio) Akhenaton (XVIII Dinastia) aboliu o sacerdócio de Amom, e mudou a capital do Egito de Tebas para o novo local em Tel El Amarna (Akhetaton), no exato centro geodésico do Egito (Movimento repetido no BRASIL, com a construção da nova capital, BRASILIA). No entanto, este plano para derrubar o controle religioso do estilo “Antigo Império”  foi rapidamente interceptado.

Em 1.193 aC

No Oriente Próximo e na Acaia (Peloponeso|), os gregos e troianos lutaram pela supremacia, que terminou com a destruição de Troia como o final da Guerra de Troia. Durante este mesmo tempo, a guerra estava sendo travada no espaço do sistema solar entre duas forças para o controle das “estações espaciais” em torno da Terra. Esse período de 300 anos foi uma resistência muito violenta pelos remanescentes das forças militares do “Antigo Império” às tropas do Domínio. A resistência não durou muito tempo no entanto, pois é inútil resistir às tropas militares do The Domain.

atlantida3

Em 850 aC

Homero, o poeta grego cego, escreveu as histórias dos deuses “de textos emprestados e modificados a partir de fontes anteriores de textos védicos, textos sumérios, babilônios e mitologia egípcia. Seus poemas, assim como muitos outros “mitos” do mundo antigo são descrições muito precisas sobre as façanhas dos seres IS-BEs na terra que foram capazes de evitar a operação de implantação de amnésia do “Antigo Império” e operar sem corpos biológicos.

Em 700 aC

Os Hinos védicos foram pela primeira vez traduzidos para a língua grega. Este foi o início de uma revolução cultural na civilização ocidental que transformou culturas tribais brutais em repúblicas democráticas baseadas em conduta mais razoável e civilizada.

Em 638 – 559 aC

Solon, um homem sábio da Grécia, relatou a existência de Atlântida. Esta foi a informação que ele recebeu dos altos-sacerdotes do “Antigo Império”, Psenophis de Heliópolis e Sonchis de Sais, com quem estudou no Egito.

Em 630 aC

Zoroastro cria práticas religiosas na Pérsia em torno de um IS-BE chamado Ahura Mazda. Este foi mais um dos inúmeros deuses “monoteístas” postos em prática por agentes do Domínio para deslocar e subverter uma panóplia de deuses adorados e impostos pelo “Antigo Império”.

Em 604 aC

Lao Tsé, um filósofo que escreveu um pequeno livro chamado “O Caminho”, foi uma incorporação de um IS-BE de grande sabedoria, que superou os efeitos da amnésia impostas pelas máquinas de hipnose do “Antigo Império” e escapou da Terra. Sua compreensão da natureza de um IS-BE deve ter sido muito boa para poder fazer isso.

Segundo a lenda comum, sua última vida como um ser humano foi vivida em uma pequena aldeia na China. Ele contemplou a essência da sua própria vida. Como Siddhartha Gautama, ele confrontou seus próprios pensamentos e vidas passadas. Ao fazê-lo, ele se recuperou um pouco da sua própria memória, capacidade e relembrou da sua imortalidade.

sidharta-gautama-buddha

Como um homem velho, ele decidiu deixar a aldeia e ir para a floresta para abandonar o seu corpo. O guardião das saídas de sua vila o parou e pediu-lhe para escrever sua filosofia pessoal de vida antes de sair da aldeia. Aqui está um pequeno exemplo dos conselhos que ele deu sobre “O Caminho” em que ele redescobriu a conexão com seu próprio espírito:

  • “Aquele que olha não vai vê-lo; Aquele que escuta não irá ouvi-lo; Aquele que tateia não vai agarrá-lo.
  • A nulidade sem forma, a fonte imóvel do movimento.
  • A essência infinita do espírito é a fonte da vida.
  • O Espírito é auto existente.
  • As Paredes formam e apoiam um quarto, no entanto, o espaço entre eles é o mais importante.
  • Um pote é formado de argila, no entanto, o espaço formado dentro dele é mais útil.
  • A ação é causada pela força do nada em alguma coisa, assim como o nada do espírito é a fonte de todas as formas.
  • Alguém sofre grandes aflições porque tem um corpo.
  • Sem um corpo que aflições alguém poderia sofrer?
  • Quando alguém se importa mais com o corpo do que com o seu próprio espírito, Este torna-se o corpo e perde o caminho do espírito.
  • O SER, o espírito, cria a ilusão.
  • A ilusão do Homem é que a realidade não é uma ilusão.
  • Aquele que cria ilusões e as torna mais reais do que a “realidade”, segue o caminho do espírito e encontra o caminho do céu “.

Em 593 aC

A história do Gênesis escrito pelo povo judeu descrevem “anjos” ou “filhos de Deus” que copulam com as mulheres da Terra, que geraram crianças. Estes seres eram, provavelmente, renegados do “Antigo Império”. Eles também podem ter sido piratas espaciais ou comerciantes de um sistema de fora desta galáxia, que vieram para roubar recursos minerais, ou contrabandear drogas.

O domínio tem observado que existem muitos visitantes diferentes para a Terra vindo de planetas e galáxias vizinhas, mas eles raramente param e aqui se estabelecem. Que tipo de seres que viveriam em um planeta prisão se eles não forem forçados a fazê-lo?

UFOEzequiel

O mesmo livro também relata a história de um ser humano chamado Ezequiel, que testemunhou o pouso de uma espaçonave perto do rio Chebar na Caldéia. A sua descrição da embarcação utiliza uma linguagem muito arcaica, tecnicamente, mas é, no entanto, uma descrição bastante exata de um disco voador do “Antigo Império” ou uma espaçonave de pesquisa. É semelhante ao avistamento dos “vimanas” pelas pessoas no sopé dos Himalaias, na ÍNDIA.

Sua história do Gênesis também menciona que “o Senhor deus Yahweh“, projetou corpos biológicos para viver cerca de 120 anos na Terra. Corpos biológicos existentes em planetas do tipo “Sol 12, planetas Classe 7”  são geralmente projetados para durar uma média de cerca de 150 anos. Os corpos humanos na Terra duram apenas cerca de metade desse tempo. Nós suspeitamos que iste é porque os administradores da prisão Terra alteraram o material biológico dos corpos humanos na Terra para que morressem mais cedo para que os IS-BEs que os habitam possam se reciclar através do mecanismo de amnésia.

Note-se que grande parte do “Antigo Testamento” foi escrito durante o cativeiro dos hebreus que foram levados cativos por Nabucodonosor para a Babilônia, que era muito fortemente controlada pelos sacerdotes do “Antigo Império”. O livro “sagrado” apresenta uma falsa sensação de tempo e um falso conceito da origem da criação. A serpente é o símbolo do “Antigo Império”. Ela aparece no início de sua história da criação, ou como dizem os gregos, na “Gênesis”, e provoca a destruição espiritual dos primeiros seres humanos, que são metaforicamente representados por Adão e Eva.

O Antigo Testamento, claramente influenciado pelas Forças do “Antigo Império”, dá uma descrição detalhada dos IS-BEs sendo induzidos em corpos biológicos na Terra. Este livro também descreve muitos das atividades de lavagem cerebral efetuada pelo “Antigo Império”, incluindo a instalação de memórias falsas, mentiras, superstições, ordenando o “esquecimento” e todos os tipos de truques e armadilhas concebidas para manter os IS-BEs presos na Terra. Mais importante, ela destrói a consciência de que os humanos são seres espirituais imortais.

Em 580 aC

O Oráculo de Delfos era um templo que integrava uma vasta rede de muitos oráculos em templos. Cada um destes templos era um centro de comunicação. Os sacerdotes do “Antigo Império” designavam um “deus” local para cada templo. Cada um desses templos dessa rede estavam localizados precisamente a intervalos de 5 graus de latitude da capital de Tebas em toda a área do Mediterrâneo para o norte até o Mar Báltico.

Os santuários serviam, entre outras coisas, como uma grade, abrigando “faróis” eletrônicos, mais tarde chamados de “Pedras Omphalus”. O arranjo da rede de Templos de Oráculos só pode ser visto a partir de altitudes de milhas acima da Terra. A rede original de “faróis” de comunicações eletrônicas foram desativados quando o sacerdócio foi disperso, e foram substituídas por pedras esculpidas. O símbolo do sacerdócio do “Antigo Império” é uma serpente Python, ou dragão. Era chamado de “Dragão da Terra”, em Delfos, que é sempre representado em escultura e pinturas em vasos e cerâmicas como uma serpente.

ereshkigal-inanna-povo-serpente

Na mitologia grega a guardiã da pedra Omphalus no templo de Delfos era um oráculo cujo nome era Python, a serpente (a uma Pitonisa). Ela era uma IS-BE, que foi conquistada por um “deus” chamado Apollo. Ele a enterrou sob a pedra Omphalos. Este é um caso de um “deus” criando o seu templo na sepultura de outro. Este é um eufemismo preciso para a força de Domínio que detectou e desativou a rede de templos de oráculos do “Antigo Império” na Terra. Ele foi um dos golpes fatais do Domínio contra as Forças do “Antigo Império” no sistema solar da Terra.

Em 559 aC

O oficial comandante do Batalhão do Domínio que foi perdido em 5.965 aC foi detectado e localizado por uma equipe de busca enviada para a Terra da Força Expedicionária do Domínio. Ele encarnaou como Ciro II da Pérsia durante este tempo.

Um sistema único de organização foi usada por Ciro II e os membros desse batalhão que o haviam seguido desde a Índia através de sua progressão de vidas humanas encarnados na Terra. Em parte, isso permitiu-lhes construir o maior império da história da Terra naquele momento, na Pérsia. As Forças de Resgate do Domínio que o localizou viajou ao redor da Terra procurando pelos IS-BEs do Batalhão perdido por vários milhares de anos.

O grupo de procura e resgate consistia de 900 oficiais do Domínio, divididos em 3 equipes de 300 cada. Uma equipe procurou em terra, uma outra equipe pesquisou nos oceanos e a terceira equipe procurou no espaço circundante da Terra. Há muitos relatórios feitos em diversas civilizações humanas antigas sobre as suas atividades no planeta, o que os seres humanos nunca entenderam, é claro.

As Forças de Resgate do Domínio concebeu uma ampla variedade de dispositivos de detecção eletrônicos necessários para acompanhar a assinatura eletrônica ou comprimento de onda de cada um dos membros ausentes do Batalhão perdido. Alguns foram usados no espaço, outros em terra, e dispositivos especiais foram inventados para detectar IS-BEs debaixo da água. Um destes dispositivos de detecção eletrônicos é referido como a “árvore da vida”. 

O dispositivo é, literalmente, uma ferramenta concebida para detectar a presença de vida, de um IS-BE. Este dispositivo consistia num gerador de tela eletrônica de grande porte desenhado para pesquisar áreas amplas. Para os seres humanos antigos na terra se assemelhava a uma espécie de árvore, uma vez que é composto por uma rede entrelaçada de geradores e receptores de campo eletrônicos. O campo eletrônico detecta a presença de IS-BEs, se o IS-BE está ocupando um corpo, ou mesmo se eles estão fora de um corpo humano.

A versão portátil deste dispositivo de detecção foi idealizada por cada um dos membros das Forças de Resgate do Domínio. Esculturas de pedra na Suméria mostram seres alados se utilizando de instrumentos em forma de pinha para digitalizar os corpos dos seres humanos. Eles também são mostrados carregando a unidade de energia para o scanner, que são descritos como cestas estilizadas ou baldes de água, sendo conduzidos por seres com cabeça de águia e alados.

anunaki-nibiru-sumeria-arvore-da-vida

Árvore da Vida e seres alados em estela da Suméria.

Os membros das Forças de Resgate do Domínio, liderados por Ahura Mazda, foram muitas vezes chamados de “deuses alados” em interpretações humanas. Durante toda a civilização persa, há um grande número de esculturas de pedra que retratam naves espaciais aladas, que eles chamavam de “faravahar”. 

Os membros das Forças de Resgate Aquáticas do Domínio foram chamados de “Oannes” por seres humanos locais. esculturas de pedra dos chamados Oannes são mostradas vestindo trajes de mergulho de cor prateada. Eles viviam no mar e apareciam para a população humana como seres humanos com aparência de peixes. Alguns membros do Batalhão perdido foram encontrados nos oceanos onde habitavam (animavam) corpos de golfinhos ou baleias.

Portanto, embora a mitologia e a história possa ter por base acontecimentos factuais, eles igualmente estão cheios de mal compreensão e avaliações mal interpretadas dos dados, com o embelezamento, teorias e hipóteses que são falsas. A unidade espacial da Força Expedicionária do Domínio são mostrados voando em um “Disco Alado”. Esta é uma alusão ao poder espiritual do IS-BEs, bem como ao ofício do espaço utilizado pela Pesquisa Partido Domínio .

O comandante do batalhão perdido, como Ciro II, era um ser IS-BE que foi considerado como um messias na Terra por ambos os povos, hebreus e arianos. Em menos de 50 anos, ele estabeleceu uma filosofia altamente ética e humanitária que mais tarde permeou toda a civilização ocidental.

oannes-sumeria-nibiru

Suas conquistas territoriais, organização militar, administração de pessoas e projetos de edifícios monumentais foram sem precedentes antes ou depois na história. Tais realizações radicais em um curto período de tempo só poderia ter sido alcançado por um líder e uma equipe de oficiais treinados, pilotos, engenheiros e membros da tripulação de uma unidade do Domínio, agindo como uma equipe, que tinha sido treinada e trabalhando em conjunto durante milhares de anos.

Embora tenhamos descoberto a localização de muitos dos IS-BEs no Batalhão perdido, o Domínio ainda tem sido incapaz de restaurar a sua memória e devolvê-los à ativa.

É claro que não podemos transportar os IS-BEs que estão habitando corpos biológicos humanos às estações espaciais do Domínio já que não há atmosfera de oxigênio em nossas naves espaciais. Também nós não mantemos instalações de apoio de vida para entidades biológicas em nossas bases e espaçonaves. Nossa única esperança tem sido a de localizar e reavivar a consciência, memória e identidade dos IS-BEs do Batalhão Perdido. Um dia, eles serão capazes de voltar a se reunir conosco.

anunnaki-movie (1)

Em 200 aC

A última civilização das pirâmides remanescente do “Antigo Império”  está localizada em “Teotihuacan” no hoje México. O nome azteca para o local significa “lugar dos deuses” ou “onde os homens foram transformados em deuses”. Como a configuração astronômica das pirâmides de Gizé, no Egito, todo o complexo é um modelo preciso em escala, do sistema solar que reflete com precisão as distâncias orbitais dos planetas interiores (Mercúrio e Vênus) o cinturão de asteróides (restos do planeta MALDEK), Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão. Uma vez que o planeta Urano só foi “descoberto” com telescópios terrestres modernos, em 1787, e Plutão em 1930, é evidente que os construtores tinham informação de “outras fontes”.

Um elemento comum das Civilizações das pirâmides ao redor da Terra é o uso constante da imagem de uma cobra, dragão, ou serpente. Isso ocorre porque os seres que plantaram essas civilizações aqui queriam criar uma ilusão de que os “deuses” são répteis. Esta é também uma parte de uma ilusão destinada a perpetuar a amnésia no planeta. Os seres que criaram falsas civilizações na Terra são IS-BEs, assim como você. Muitos dos corpos biológicos habitadas por IS-BEs no “Antigo Império” são muito similares na aparência aos corpos na Terra. Os “deuses” não são répteis , embora muitas vezes se comportem como as serpentes venenosas.

Em 1.034 – 1.124 AD

O mundo árabe inteiro foi escravizada e corrompido por um homem: Hasan ibn-al-Sabbah, o Velho da Montanha. Ele estabeleceu a saida dos Hashshashin que operava uma parte do islamismo (Xiita) que controlava pelo medo e o terror, grande parte da Índia, da Ásia Menor e mais a Bacia do Mediterrâneo. Tornaram-se um sacerdócio que se utilizava de um mecanismo de controle da mente e ferramenta de extorsão extremamente eficaz que permitiu aos “assassinos” controlar o mundo civilizado por várias centenas de anos. {n.TOrdem de Assassinos, em Arábico: حشاشين Ḥashāshīn ou باطنیان Bāteniān, foi uma seita fundada no século XI por Hassan ibn Sabbah, conhecido como O Velho da Montanha. Seu fundador criou a seita com o objetivo de difundir nova corrente do ismaelismo, que ele mesmo havia criado. Sua sede era uma fortaleza situada na região de Alamut, no hoje IRÃ. A fama do grupo se alastrou até o mundo cristão, que ficou surpreso com a fidelidade de seus membros, mais até que com sua ferocidade. Seu líder possuía cerca de 60 mil seguidores, segundo alguns relatos da época especulavam. Para Bernard Lewis, autor de Os Assassinos, haveria um evidente paralelo entre essa seita e o comportamento extremista islâmico, assim como o ataque suicida como demonstração de fé. O ismaelismo é uma das correntes do esoterismo islâmico, que se enquadra no Islão Xiita.}

huris-assassinos-oriente-medio

Seu método era simples. Os homens ainda jovens eram seqüestrados e viciados com haxixe. Eles eram levados para um jardim repleto de belas huris de olhos negros em um harém decorado com rios de leite e mel. Os jovens eram induzidos e enganados de que eles estavam no paraíso. Eles recebiam a promessa de que eles poderiam voltar a viver lá para sempre se eles sacrificassem suas vidas como um assassino de quem eles fossem ordenados a matar. Após serem fanatizados, eram liberados novamente, e manipulados e para fora no mundo para realizar a sua missão de assassinato.

Enquanto isso, o Velho da Montanha enviava um mensageiro ao califa ou, a qualquer que fosse o governante rico de quem exigia o pagamento, demandando camelos carregados de ouro, especiarias, incenso ou outros objetos de valor. Se o pagamento não chegasse a tempo, o assassino seria enviado para matar o ofensor. Não havia praticamente nenhuma defesa contra o desconhecido assassino enviado que não queria nada mais do que realizar a sua missão, para depois ser morto e voltar ao “céu” para desfrutar das huris virgens.

Este é um exemplo muito bruto de como uma operação de lavagem cerebral e controle da mente simples e eficaz pode provocar quando ele é usado com habilidade, com força e sem escrúpulos. É uma demonstração em pequena escala de como a operação de controle da mente e amnésia  é usada contra a população de seres IS-BEs da Terra pelo “Antigo Império”.

Em 1.119 AD –

A Ordem dos Templários 183 (Nota de rodapé) foi estabelecida como uma unidade militar Christian depois da Primeira Cruzada, mas rapidamente se transformou em base para o sistema bancário internacional para acumular dinheiro para conduzir a agenda de agentes de vestígios do “Velho Império” na Terra.

Em 1.135 – 1.230 AD

A Força Expedicionária do Domínio concluíu a aniquilação dos remanescentes restantes da frota espacial do “Antigo Império” que operavam no sistema solar e na região em torno da Terra. Infelizmente, a sua base de operação de controle da mente, há muito estabelecida, permanece praticamente intacta e desconhecida.

Em 1.307 AD

Os Cavaleiros Templários foram dissolvidos pelo rei Filipe IV de França, que estava profundamente em dívida para com a Ordem dos Cavaleiros Templários. Ele pressionou o Papa Clemente V a condenar os membros da Ordem, a prende-los, tortura-los para obter falsas confissões, e os queimou na fogueira em um esforço para apagar a sua dívida, para roubar toda a riqueza da Ordem, no que não foi bem sucedido.

Templarios-frota-navios

A maioria dos Templários fugiu para a Suíça onde estabeleceram um sistema bancário internacional que secretamente, hoje controla a economia da Terra. Os agentes  do “Antigo Império” agem como uma influência invisível através dos grandes banqueiros internacionais. Os bancos são operados secretamente como um provocador não combatente para promover secretamente a venda de armas, provocar guerras e controlar as finanças das nações da Terra. A guerra é um poderoso mecanismo interno de controle sobre a população carcerária de IS-BEs da Terra. 

O objetivo do genocídio sem sentido e carnificina das guerras financiadas por esses bancos internacionais é evitar que os IS-BEs da Terra passem a compartilhar de comunicação aberta, possam cooperar em atividades altruístas que possam permitir aos seres IS-BEs a prosperar e tornarem-se iluminados, e escaparem de sua prisão que é o planeta Terra. “

Muito mais informações em:

  1. http://thoth3126.com.br/o-governo-oculto-secreto-nos-eua/
  2. http://thoth3126.com.br/grupo-bilderberg-misterios-e-controle-alienigena/
  3. http://thoth3126.com.br/o-governo-oculto-secreto-nos-eua-ii/
  4. http://thoth3126.com.br/category/serpo-zeta-reticuli/
  5. http://thoth3126.com.br/aliens-eles-estao-entre-nos/
  6. http://thoth3126.com.br/henry-deacon-01/
  7. http://thoth3126.com.br/resumo-do-quadro-geral-do-atual-momento-na-terra/
  8. http://thoth3126.com.br/o-maior-dos-segredos/
  9. http://thoth3126.com.br/henry-deacon-segredos-desvelados-3/
  10. http://thoth3126.com.br/area-51-janet-airlines-uma-misteriosa-companhia-aerea-do-governo-americano/
  11. http://thoth3126.com.br/majestic-12-area-51-aliens-j-rod-greys-ufos-por-dan-burisch-parte-1/
  12. http://thoth3126.com.br/entrevista-com-um-alienigena-introducao/
  13. http://thoth3126.com.br/entrevista-com-um-alienigena-capitulo-um/
  14. http://thoth3126.com.br/entrevista-com-um-alienigena-capitulo-dois/
  15. http://thoth3126.com.br/entrevista-com-um-alienigena-capitulo-tres/

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

9 Responses to Entrevista com um Alienígena – Capítulo Nove

  1. Flávio

    A primeira vez que li sobre prisão planetária, pensei que o autor do site estava apenas querendo divulgar(RSRS) uma técnica que reaviva a conexão com a Fonte. Depois de ler esse post agora entendo perfeitamente e compreendi sobre essa prisão planetária. Parabéns pelo post.

  2. danillo

    Muito interessante. cada vez mais enriquecedor. muito obrigado pelas informações.

  3. Satyaraja

    Esse camarada sabe tudo pelo jeito. Não há controvérsias no seu relato que é claro, preciso e direto. Só Deus (o único e verdadeiro, a Causa Primordial sem causa) no coração para nos salvar desses demônios do antigo império e seus asseclas.

  4. Andrews Vilela

    Muito interessante o relato deste ser. Entretanto fica uma dúvida: Se o ser consciente se libertar deste cárcere, para onde ele deve ir, para viver sob tutela do Domínio? Hora, se nós que aqui vivemos nesta 3D fomos expurgados de nossos lares, se voltarmos para lá, irão mandarnos novamente para cá. Pois que viemos de lugares onde reina o Antigo Imperio. Segundo o que é dito no post. O quê você poderia dizer sobre isto thoth3126?

  5. Francisco

    Bom dia Thoth, ajuda ai a cabeça do velinho aqui, em Post anterior a data crédito para a pirâmide de Gizé são de 250.000.000(milhões de anos nossos) e construídas por humanos de Graecea (planeta) a encomenda dos Maldequianos,, aqui neste Post fala de Thoth nos anos citados acima??

    -estou confuso ou há mesmo estas duas versões?

  6. Francisco

    Referente a construção da pirâmide de Gizé não fecha com informações de outro post, qu seriam os Graceanos há mais de 2.500.000 ou 250.000.000 de anos terrestres os executores a serviço de Maldequianos?¿????

  7. Francisco

    A informação da construção da pirâmide não fecha com outra em outro post!!!

  8. Francisco

    A informação sobre Gizé não fecha com a de outro post,, época, construtor e finalidade!!!
    ??

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *