browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Espionagem Global por Edward Snowden…

Posted by on 24/06/2013

Agência de espionagem britânica tem acesso às comunicações globais, em ações coordenadas de informação com a N.S.A. dos EUA.

A agência de espionagem britânica GCHQ (Government Communications Headquarters-Quartel General de Comunicações do Governo-Foto à direita da sua sede) coleta e armazena grandes quantidades de mensagens mundiais de e-mail, conversas do Facebook, histórias de internet e chamadas telefônicas e os compartilha com a N.S.A. dos EUA, conforme revelam os últimos documentos de Edward Snowden.

 Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

http://rt.com/news/snowden-uk-agency-spy-075/ e http://www.guardian.co.uk

Publicado:  ,  ,  ,  e  – guardian.co.uk , 

GCHQ logo.png

A agência de espionagem britânica GCHQ (Government Communications Headquarters-Quartel General de Comunicações do Governo) tem acesso à rede mundial de comunicações, ao armazenamento de chamadas telefônicas, mensagens no Facebook e histórias da internet – e compartilha esses dados com a N.S.A.(National Security Agency-Agência de Segurança Nacional, nos EUA), Edward Snowden revelou ao jornal The Guardian, em um novo vazamento.

A Rede de cabos da GCHQ é capaz de processar grandes quantidades de informação de dois alvos específicos: alvos específicos e de pessoas completamente inocentes, incluindo gravação de telefonemas e a leitura de mensagens (interceptadas) de e-mail, conforme foi revelado na sexta-feira pelo The Guardian.

Não é apenas um problema dos EUA. O Reino Unido tem um enorme “cachorro” envolvido nessa luta, Snowden disse ao Guardian.  Eles [o GCHQ] são piores do que os EUA“.

Edward Snowden (Foto: AFP)Edward Snowden (Foto: AFP)

A agência do governo britânico, a GCHQ tem dois programas diferentes, que visam a realização deste monitoramento on-line e por telefone – categorizados em “Mastering the Internet (Dominando a Internet)’ e ‘Global Telecoms Exploitation (Exploração Global das Telecomunicações). Ambos foram criados e realizados na ausência de qualquer conhecimento do público, informa o The Guardian.

 “Se você se lembrar, mesmo a NSA disse que eles não fizeram gravações de telefonemas, mas de acordo com estas últimas revelações por Edward Snowden, que até ‘600 milhões’ de ligações telefônicas no ano passado foram gravadas/registrados por dia pelo GCHQ “, disse ao RT Tesa Arcilla desde Londres. “Não há dúvida quanto a quais são os objetivos destes programas, quando eles foram postos a funcionar”, disse ela, ressaltando os títulos.

A agência é capaz de armazenar os volumes de dados que acumula a partir de cabos de fibra óptica por até 30 dias, em uma operação de codinome Tempora. A prática vem acontecendo há cerca de 18 meses. O GCHQ que estava lidando com “eventos” de 600 milhões de chamadas telefônicas por dia, de acordo com os documentos, tinha aproveitado mais de 200 cabos de fibra óptica e tem a capacidade de analisar dados de mais de 46 deles ao mesmo tempo.  Os cabos utilizados pelo GCHQ pode transportar dados a 10 gigabits por segundo, o que, em teoria, significa que eles poderiam fornecer até 21 petabytes de informação DIÁRIA.

Agência de Segurança Nacional (NSA) em Fort Meade, Maryland (Foto: AFP)Agência de Segurança Nacional (NSA) em Fort Meade, Maryland (Foto: AFP)
 

 O programa continua a se desenvolver em uma base diária na agência com o objetivo de expandir-se para o ponto em que seja capaz de processar terabits (milhares de gigabytes) de dados de uma só vez. “Esta capacidade parece estar perigosamente perto de ser alcançada, se já não foi atingida, o banco de dados centralizado de todas as nossas comunicações na Internet, incluindo alguns conteúdos, que os sucessivos governos têm descartado e o Parlamento nunca legislou sobre o assunto”, disse Nick Pickles do movimento campanha sobre privacidade do grupo Big Brother Watch do Reino Unido. 

“Se o GCHQ for interceptar um grande número de comunicações de pessoas inocentes, como parte de um enorme exercício abrangente, em seguida eu tenho que me esforçar para ver como isso se enquadra com um processo que exige uma autorização para cada interceptação individual. Esta questão deve ser urgentemente  tratada no Parlamento ” , afirmou.

O acesso para o futuro 3
Capa do Documento secreto detalhando a ambição do GCHQ para ‘dominar a internet’

Em maio do ano passado, cerca de 300 analistas do GCHQ foram atribuídos e 250 da NSA tinham sido alocados especialmente para analisar grandes quantidades de dados obtidos através de redes de arrasto, como resultado das operações do GCHQ. O The Guardian relata que 850 mil NSA e fornecedores externos tiveram possibilidade de acesso a essa enorme base de dados. No entanto, o documento não explica como ele veio a uma figura tão enorme “Estas revelações demonstram a escala e o âmbito da cooperação entre o Reino Unido e os serviços de inteligência dos Estados Unidos (NSA)”, disse ao RT Gayane Chichakyan de Washington. “A partir dessas revelações aprendemos dramaticamente que isso tem se expandido ao longo dos anos. ” 

“O documento mostra que o tribunal FISA permite que os dados que a NSA usa seja roubado ‘inadvertidamente’. Eles basicamente dão um mandado contra os alvos suspeitos”, disse ela, lembrando a citação do tenente-general Keith Alexander, após uma visita  a base de Menwith da RAF em 2008, na Inglaterra: “Por que não podemos recolher todos os sinais e dados o tempo todo? Parece ser um bom verão para o projeto Menwith”, ele disse.

Acima: citação do tenente-general Keith Alexander, após uma visita  a base de Menwith da RAF em 2008, na Inglaterra: “Por que não podemos recolher todos os sinais e dados o tempo todo? Parece ser um bom verão para o projeto Menwith (Hill)”

O projeto GCHQ foi rastreado pela primeira vez em 2008. A organização de inteligência tem sido rotulada como uma “superpotência de inteligência” por conta de suas capacidades técnicas, que em 2010 lhe deu o mais forte acesso às comunicações de internet para fora dos “Five Eyes (cinco olhos)” – uma inteligência que é partilhada em uma aliança internacional, incluindo a Austrália, Canadá, Nova Zelândia , Reino Unido e EUA, trazido à existência em 1946.

{n.t. – FIVE EYESO Programa de Cooperação Técnica (TTCP) é uma organização internacional de longa data sobre a cooperação em matéria de defesa e ciência de tecnologia, incluindo a segurança nacional e de defesa civil. A sua composição inclui CINCO NAÇÕES: Austrália , Canadá , Nova Zelândia , o Reino Unido (UK) e Estados Unidos (EUA).}

A vigilância em massa viu a intercepção de informação e dados de cabos transatlânticos, que também carregam dados para a Europa Ocidental através de empresas comerciais ‘parceiros de interceptação(de dados e informações) que entraram em acordos privados com o GCHQ. Muitos foram pagos pela sua cooperação.

O GCHQ temia que a exposição dos nomes dessas empresas envolvidas poderia levar a “consequências políticas de alto nível”, e tomou medidas para assegurar que os nomes fossem mantidos em segredo. Mandatos judiciais supostamente foram emitidos para obrigar as empresas a cooperar para que o GCHQ pudesse se envolver em espionagem por meio deles “Eles não têm escolha”, disse uma fonte de inteligência da GCHQ.

Grupos de direitos humanos se manifestaram contra a coleta de dados em massa:  Eles estão explorando o fato de que a internet é tão internacional na sua natureza “, Shami Chakrabarti, diretora da Liberty, disse à BBC Radio 4 do programa ‘Today’. “Estou muito triste que em uma democracia tudo o que parece ser mais importante para o estado é a sua secreta capacidade física e tecnológica e não a sua ética ou uma interpretação apertada na aplicação da lei “, ela acrescentou.

RAF Menwith Colina base, que fornece serviços de comunicação e apoio de inteligência para o Reino Unido e os EUA é retratado perto Harrogate, no norte da Inglaterra (Reuters / Nigel Roddis)A Base da RAF em Menwith Hill, que fornece serviços de comunicação e apoio de inteligência para o Reino Unido e os EUA foi fotografada perto de Harrogate, no norte da Inglaterra (Reuters / Nigel Roddis)

Snowden previamente havia avisado de que ele estaria liberando mais informações relativas a operações de segurança em massa realizadas sobre o (sempre) incauto e descuidado público, afirmando em uma rodada anterior de Perguntas e Respostas com o The Guardian de que a “verdade está chegando, e não pode ser mais interrompido.

Saiba mais em:
http://thoth3126.com.br/echelon-o-esquema-de-espionagem-global-dos-eua/
http://thoth3126.com.br/facebook-uma-conspiracao-da-cia/
http://thoth3126.com.br/nsa-e-a-vigilancia-em-tempo-real-na-internet-nos-eua/
http://thoth3126.com.br/a-base-subterranea-e-os-segredos-de-pinho-abertura-e-canberra/

 

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

6 Responses to Espionagem Global por Edward Snowden…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *