browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Estrela Betelgeuse em Órion pode explodir em uma supernova

Posted by on 21/08/2016

Constelação de Órion:

Pontos quentes misteriosos observados em Betelgeuse

Betelgeuse é uma estrela facilmente visível a olho nu, como a estrela vermelha brilhante na parte superior do ombro esquerdo da magnífica Constelação de Orion o Caçador

A própria estrela é enorme – cerca de 1.180 vezes maior do que o nosso Sol -, mas a uma distância de cerca de 650 anos-luz, ela ainda aparece como um pequeno ponto laranja no céu. Os cientistas procuram determinar quando ela poderá explodir se transformando em uma supernova, tal evento seria visível na Terra durante muito tempo de dia, como se tivéssemos dois sóis nos céus.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

By Royal Astronomical Society, Reino Unido

Fontes: http://www.astronomy.com e  http://www.esa.int/Betelgeuse

Uma nova imagem da estrela/sol Betelgeuse, uma estrela supergigante vermelha, que fica na Constelação de Órion, mostra que ela tem muitos locais quentes e um arco gigante de gás frio que se estende para muito além da sua atmosfera.

Astrônomos divulgaram uma nova imagem da atmosfera exterior da Betelgeuse – uma das mais próximas estrela supergigante vermelha da Terra, revelando a estrutura detalhada do assunto que está sendo jogado fora a estrela A nova imagem, tirada pela matriz do radiotelescópio e-MERLIN operado a partir Observatório Jodrell Bank, em Cheshire, no Reino Unido, também mostra regiões de gás surpreendentemente quente na atmosfera exterior da estrela e um arco mais frio do gás que pesa quase tanto como a Terra. 

Para se ter uma ideia do tamanho de Betelgeuse, no quadro acima o nosso sol tem o tamanho de um pixel apenas e quase nem aparece. Se fosse colocada em nosso sistema solar em lugar do nosso sol ela ocuparia o espaço até a órbita de Saturno.

Betelgeuse é uma estrela facilmente visível a olho nu, como a estrela vermelha brilhante na parte superior do ombro esquerdo da magnífica Constelação de Orion o Caçador. A própria estrela é enorme – cerca de 1.180 vezes maior do que o nosso Sol -, mas a uma distância de cerca de 650 anos-luz, ela ainda aparece como um pequeno ponto laranja no céu, por isso para ver detalhes dessa estrela e da região em torno dela, os astrônomos devem combinar telescópios em matrizes. 

A nova imagem de Betelgeuse mostra que ela se estende para fora da sua própria atmosfera em cerca de cinco vezes o tamanho da superfície visível da própria estrela. Revela, também, dois pontos quentes dentro da atmosfera exterior e um leve arco de gás frio ainda mais para além da superfície do raio da estrela. os pontos quentes aparecem em lados opostos de Betelgeuse, separados por cerca de metade do diâmetro visual da estrela. 

A Constelação de Órion, com as Três Marias (assim chamadas no Brasil) que é o cinturão de Órion, Mintaka, Alnilan e Alnitak, com BETELGEUSE no canto inferior esquerdo, em laranja.

Eles têm uma temperatura de cerca de 6.700 ° – 8.500 ° Fahrenheit (3.700 ° -4.700 ° C), muito mais elevada do que a temperatura média da superfície do raio da estrela (em torno de 1.700 ° F [930 ° C]) e ainda mais elevada do que o 6.000 ° F (3.300 ° C), a superfície de visualização. O arco de gás frio está quase a 4,500 bilhões de milhas (7,400 bilhões de quilômetros) de distância da estrela – aproximadamente o mesmo que a distância de Plutão, o planeta mais distante do sol. 

Os cientistas estimam que o gás tem uma massa de quase dois terços da massa da Terra e uma temperatura de apenas -190 ° F (-123 ° C). A líder da pesquisa Anita Richards da Universidade de Manchester, disse que ainda não ficou claro por que os pontos quentes externos são tão quentes:

“Uma possibilidade é que as ondas de choque provocadas tanto pela estrela pulsante ou por convecção em suas camadas exteriores, estão comprimindo e aquecendo o gás.  Outra é que a atmosfera exterior é irregular e nós estamos vendo através das regiões internas mais quentes”.

Acima: Betelgeuse, Alpha Orionis conhecida como Betelgeuse é uma estrela de brilho variável sendo a 10ª ou 12ª estrela mais brilhante no firmamento. É também a segunda estrela mais brilhante na constelação de Orion. Distância da Terra: 642,5 anos-luz. Temperatura na superfície: 3.500 K. Magnitude: 0,42. Raio: 1.180 R☉. Constelação: Orion

 O arco de gás frio é possível ser o resultado de um período de aumento da perda de massa da estrela, em algum ponto no século passado, mas a sua relação com as estruturas semelhantes a pontos quentes, que se encontram muito mais próximos e dentro da atmosfera exterior da estrela, é desconhecido.” 

O mecanismo pelo qual estrelas supergigantes vermelhas como Betelgeuse perdem sua matéria para o espaço não é bem compreendido, apesar de seu papel fundamental no ciclo de vida da criação da matéria, enriquecendo o material interestelar a partir do qual as futuras estrelas e os planetas se formarão.

Vários arcos são revelados em torno de Betelgeuse, a estrela supergigante vermelha mais próxima à Terra, nesta nova imagem do observatório espacial Herschel da ESA. A estrela e seus escudos em forma de arco poderia colidir com um intrigante e empoeirado ‘muro’ em 5.000 anos.

Estudos de alta resolução detalhadas das regiões em torno de estrelas massivas são essenciais para melhorar a nossa compreensão, a Drª Richards acrescentou:

“Betelgeuse produz um vento solar equivalente para perder uma massa da Terra a cada três anos, enriquecido com os produtos químicos que irão para a próxima geração de estrelas e na formação de planetas. Os detalhes completos de como essas novas estrelas evoluem e se desenvolvem lançando seus ventos carregados de energia é uma das grandes questões pendentes na astronomia estelar “.

Continuar com essas pesquisas vai ajudar os cientistas a determinar como é que os elementos  dos blocos de construção da vida retornam ao espaço, bem como o quão perto Betelgeuse esta para explodir como uma supernova. Postado em agosto 2015.

Mais informações em:

  1. http://thoth3126.com.br/ceu-da-terra-podera-ter-dois-sois-em-breve/

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

13 Responses to Estrela Betelgeuse em Órion pode explodir em uma supernova

  1. elza

    ESSA ESTORIA DELA EXPLODIR E NOS VERMOS DOIS SÓIS AQUI NA TERRA , ME CHEIRA A ENGANAÇÃO . QUERO DIZER PARECE QUE INVENTARAM ISSO PARA O PESSOAL NÃO PENSAR QUE É NIBIRU, HECOBULUS, MARKUT, PLANETA X!!!!!! FIQUEI MAIS AINDA COM A PULGA ATRAS DA ORELHA!!!!

    • Belguer

      Talvez seja exagerado dizer que veremos dois sois aqui da Terra, mas poderia afirmar que veremos algo bem mais brilhante na constelação de Orion, presumindo assim que a estrela já se colapsou. Já essa teoria do Planeta X, é algo totalmente sem bases cientificas.

    • gabriel luiz

      você tem noção do que é uma supernova? é uma explosão colossal causada pela fusão de metais pesados no núcleo da estrela. o brilho chagará facilmente a intensidade de uma lua cheia

  2. Eurides Albano

    Bom,se Betelgeuse está 642 anos-luz distante do Sistema Solar,a estrela que representa o ombro direito do caçador da mitologia grega, simplesmente pode ter colapsado e se transformado em uma supernova,afinal a luz visível é de 642 anos-luz no passado.
    Galileu nem tinha nascido!

    • May

      Ano-luz é unidade de velocidade e não de tempo…

      • Prometeus

        Incorreto, May. Ano-luz é a distância que a luz atravessa no vácuo em um ano. Portanto é uma medida de espaço percorrido no tempo de um ano. Assim, dizer que determinada estrela está a 642 anos-luz de distância significa dizer que a luz que nela vemos hoje foi emitida há 642 anos, conforme Eurides Albano falou.

  3. airton

    então há a possibilidade do surgimento de um buraco negro ?

  4. JAIME INÁCIO DA SILVA

    Olá, gostaria de saber o motivo que cita nas Escrituras sobre ORION.

  5. Ana

    Gente, não esquenta!
    Não temos que nos preocuparmos com o Planeta X ou com o buraco negro Y.
    Está tudo em ordem sob o comando do Altíssimo!
    Tenhamos Paz dentro de nós mesmos. Paz que vem do Alto. Cuidemos, e nos preocupemos, isto sim, com nossas atitudes e pensamentos!
    Se estivermos em contato constante com a Consciência Divina, nada nos abalará! Nem a queda da bolsa, ou do Skylab, ou a criação de um buraco negro ou branco! Meditem, se instruam! Leiam Cartas de Cristo. Fiquem em paz!

  6. Marcos Roberto Gimenez Talina

    Verdade, Ana. O mais importante é o conhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *