browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

EUA: NSA grava 100% de telefonemas de outros países

Posted by on 14/12/2014

NSA-logo-nazismo

Programa de vigilância da NSA busca “no passado” para recuperar gravações de telefonemas

A Agência de Segurança Nacional dos EUA (National Security Agency) desenvolveu e construiu um sistema de vigilância capaz de gravar 100 por cento das chamadas telefônicas de um país estrangeiro, que permitem ao organismo para voltar no tempo e rever qualquer conversa, desde um mês depois dela ter acontecido, de acordo com pessoas com conhecimento direto do esforço da agência e dos documentos apresentados pelo ex-funcionário da própria NSA Edward Snowden .

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@gmail.com

E.U.A.: a NSA grava “100%” de telefonemas de outros países

Fonte: ttp://www.washingtonpost.com/

By Barton Gellman e Ashkan Soltani , Publicado de e-mail escritores 

Um gerente sênior para o programa compara-o a uma máquina do tempo – que pode reproduzir as vozes de qualquer chamada sem exigir que uma pessoa seja identificada com antecedência para a fiscalização. O programa de interceptação de voz, chamado de MYSTIC, começou em 2009. 

Sua ferramenta RETRO (retrospective retrieval), abreviação de “recuperação retrospectiva”, e projetos relacionados atingiu capacidade total contra o primeiro país alvo em 2011. Documentos de planejamento de dois anos mais tarde anteciparam operações similares em outros “lugares” (países).

nsa.si

 Na implantação inicial do programa, o sistema de coleta está gravando “todas” as conversas em todos o países, armazenando bilhões delas em um buffer com gravações dos últimos 30 dias que limpa as chamadas mais antigas quando os novos períodos de gravação chegam, de acordo com um resumo classificado como secreto.

O buffer de chamada abre uma porta “para o passado”, diz o resumo, permitindo aos agentes da NSA “recuperar o áudio de interesse que não sofreu escuta no momento da chamada original.” Analistas ouvem apenas uma fração de um por cento das chamadas, mas os números absolutos são elevados. A cada mês, eles enviam milhões de gravações de voz, ou “cortes”, para processamento e armazenamento de longo prazo.

A pedido de autoridades norte-americanas, o jornal The Washington Post está retendo detalhes sobre informações que poderiam ser usadas ​​para identificar o país onde o sistema está sendo empregado ou outros países onde seu uso esta sendo imaginado.

Nenhum outro programa de armanezamento de dados engoliu toda rede de telefonia de um país inteiro. Experts internacionais têm descrito algumas vezes essa perspectiva tão inquietante, mas remota, com implicações notáveis ​​para um crescente debate sobre a prática de “coleta massiva de dados” da NSA  no exterior.

prismprogramNSA

Métodos de captura enorme de dados em massa  flui “sem o uso de critérios discriminantes”, como o presidente Barack Obama colocou em janeiro. Pelo projeto, eles sugam todos os dados que tocam – o que significa que a maior parte das conversas recolhidas pela RETRO seria irrelevante para os interesses de segurança nacional dos Estados Unidos. Na visão de autoridades norte-americanas, no entanto, essa capacidade é altamente valiosa.

Em um comunicado, Caitlin Hayden, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, se recusou a comentar sobre as “alegadas atividades específicas de informação.” Falando em termos gerais, ela disse que “as ameaças novas e emergentes” estão “muitas vezes escondidas dentro do sistema moderno, grande e complexo de comunicações global e os Estados Unidos devem conseqüentemente coletar sinais de inteligência massivamente, em certas circunstâncias, a fim de identificar essas ameaças.”

A porta-voz da NSA, Vanee Vines, em um comunicado enviado por email, disse que:

 “Reportagens contínuas e seletivas (n.t. como esta que voce esta lendo) de técnicas e ferramentas específicas utilizadas para atividades “legítimas”  de inteligência externa dos EUA é altamente prejudicial para a segurança nacional dos Estados Unidos e dos nossos aliados, e colocam em risco aqueles que juramos proteger”.

Alguns dos documentos fornecidos por Snowden sugerem que o alto volume de espionagem em breve poderá ser expandido para outros países, se já não tiver sido. A ferramenta RETRO foi construído há três anos como um “único recurso one-off”, mas o orçamento secreto de inteligência do ano passado incluiu mais cinco países para os quais o programa MYSTIC já suporta “acesso abrangente a conteúdo e metadados”, com um sexto país para estar sendo implantado no programa em outubro passado.

manipulação-ocidente

O orçamento não disse se a NSA agora grava chamadas em quantidade nesses países ou espera vir a fazê-lo. Um documento separado coloca uma alta prioridade no planejamento “para o programa Mystic acessar novas exigências projetadas da missão”, incluindo “voz”.

Vigilância onipresente de voz (comunicações telefônicas), mesmo no exterior, puxa uma grande quantidade de conteúdo a partir de norte americanos que telefonam, visitam e trabalham no país alvo. Ele também pode ser visto como incompatível com a promessa de Obama de 17 de janeiro de “que os Estados Unidos não está espionando as pessoas comuns que não ameaçam a segurança nacional, independentemente da nacionalidade, e que nós temos as nossas preocupações com a sua privacidade.”

Em uma diretiva política presidencial, Obama instruiu a NSA e outras agências de que a aquisição em massa de dados podem ser utilizadas apenas para recolher informações relacionadas a uma das seis ameaças específicas, incluindo a proliferação do terrorismo nuclear. A diretiva, no entanto, também observou que limites para coleta massiva “não se aplicam aos dados de inteligência que estão temporariamente coletados.”

O emblema do programa MYSTIC descreve um feiticeiro dos desenhos animados com um cajado com cabeça de telefone celular. Entre os programas de coleta de dados massiva da agência divulgados ao longo do ano passado, seu foco na palavra falada é único. A maioria dos programas envolveram a coleta a granel de metadados – que não inclui o conteúdo de chamadas telefônicas – ou de texto, como livros de endereços de e-mail .

nsa-mystic-program

As chamadas telefônicas são muitas vezes mais efêmeras e menos adequadas do que um texto para o processamento, armazenamento e pesquisa. E há indícios de que o programa de gravação de chamadas tem sido dificultado pela limitada capacidade da NSA para armazenar e transmitir volumosos arquivos de voz. No primeiro ano de sua implantação, um oficial de programa escreveu que o projeto “há muito tempo atingiu o ponto em que a captura e envio de dados para casa é muito superior do que a largura de banda poderia segurar.”

Por causa de limites de capacidade semelhante através de uma variedade de programas de coleta de dados, a NSA está pulando para a frente com sistemas de recolha baseados em nuvem e um novo “repositório de dados” gigantesco em Utah. De acordo com sua visão coletiva, a instalação em Utah é projetada “para lidar com os grandes aumentos de dados digitais que têm acompanhado o aumento da rede global de comunicações.”

Christopher Soghoian, o diretor técnico para a American Civil Liberties Union, disse que a história sugere que “ao longo dos próximos dois anos eles vão se expandir para mais países, manter os dados por mais tempo e expandir os usos secundários dos mesmos.” (n.t. ou seja aumentar a vigilância). Os porta-vozes da NSA e o gabinete do Diretor de Inteligência Nacional James R. Clapper  Jr. se recusou a confirmar ou negar os planos de expansão ou discutir os critérios para qualquer mudança.

Com base em análises internas do RETRO, a NSA tem um motivo forte para implantá-lo em outros lugares. Nos documentos e em entrevistas, autoridades dos EUA disseram que o sistema RETRO é excepcionalmente valioso quando um analista descobre um novo nome ou número de telefone de interesse. Com prazo de até 30 dias de conversas gravadas em mãos, a NSA pode puxar uma história instantânea de movimentos, indivíduos associados e planos do sujeito. Algumas outras agências de inteligência dos Estados Unidos também têm acesso ao RETRO.

NSA

A gigantesca sede da agência de inteligência NSA

Briefings altamente secretos citam exemplos em que a ferramenta ofereceu altas apostas da inteligência que não teria existido no âmbito de programas de vigilância tradicionais em que os sujeitos estão identificados para o direcionamento com antecedência. Em contraste com a maioria das reclamações públicas do governo sobre o valor dos controversos programas os briefings fornecem nomes, datas, locais e fragmentos de chamadas interceptadas com detalhes convincentes.

Funcionários atuais e antigos dos EUA, falando sob condição de anonimato para fornecer o contexto para um programa classificado, reconheceram que um grande número de conversas envolvendo os norte americanos seriam recolhidas a partir do país onde opera o RETRO. O NSA não tenta filtrar suas chamadas, definindo-as como “comunicações adquiridas como resultado da coleção dirigida contra alvos de inteligência estrangeiros apropriados.”

Até cerca de 20 anos atrás, essa coleta incidental era incomum, a menos que um americano estivesse se comunicando diretamente com um alvo de inteligência estrangeira. Em sistemas de coleta a granel, que são exponencialmente mais capazes do que os de uso durante a Guerra Fria, as chamadas e outros dados de cidadãos americanos e residentes permanentes são regularmente ingeridos aos milhões.

Sob “regras de minimização” internas da NSA, essas comunicações interceptadas “podem ser retidas e processadas​​” e incluídas em relatórios de inteligência. A agência geralmente remove os nomes dos interlocutores dos Estados Unidos, mas há várias exceções. Um grupo independente encarregado pela Casa Branca para rever as políticas de vigilância dos EUA recomenda que as chamadas e e-mails  coletados dos EUA – incluindo os obtidos no exterior – devem quase sempre “ser purgados após a detecção.” Obama não aceitou essa recomendação.

Vines, em seu depoimento, disse que o trabalho da NSA é “estritamente realizado sob o Estado de direito.” RETRO e MYSTIC são executados de acordo com a Ordem Executiva 12333, uma concessão tradicional da autoridade presidencial para as agências de inteligência (CIA, NSA, etc) para operações fora dos Estados Unidos.

tiosam-mago-negro

Desde agosto, a senadora Dianne Feinstein (Democratas-Califórnia), o presidente do Comitê de Inteligência do Senado, e outros em que o painel esta trabalhando em planos para afirmar um maior papel de supervisão  para a recolha de informações no exterior. Alguns legisladores estão considerando se o Congresso deve igualmente elaborar novas leis para reger essas operações. Especialistas dizem que não há muita legislação que rege o trabalho de inteligência no exterior.

“Grande parte da coleta de dados de inteligência do governo dos EUA não é regulado por qualquer lei aprovada pelo Congresso”, disse Timothy H. Edgar, ex-diretor de privacidade e as liberdades civis na equipe de segurança nacional de Obama. “Há um monte de foco na Lei de Vigilância de Inteligência Estrangeira, o que é compreensível, mas isso é apenas uma fatia do que a comunidade de inteligência faz.”

Todos na área de vigilância devem estar devidamente autorizados (legalmente) para um propósito legítimo de inteligência, disse ele, mas que “ainda existem lacunas para as atividades que de outra forma, basicamente, não são regidas por lei, porque elas não estão cobertas pela FISA.”

A partir de 2007, o Congresso afrouxou as restrições de 40 anos na vigilância doméstica porque tantos dados estrangeiros atravessaram o território dos EUA. Não houve mudanças comparáveis ​​para proteger a privacidade dos cidadãos e residentes dos Estados Unidos, cujas chamadas e e-mails agora rotineiramente atravessam fronteiras internacionais.

Vines observou que o trabalho da NSA é “identificar ameaças dentro do grande e complexo sistema de comunicações globais modernos”, em que pessoas comuns compartilhar cabos de fibra óptica com alvos legítimos de inteligência. Para Peter Swire, membro do grupo de análise do presidente, o fato de que os americanos e estrangeiros utilizam os mesmos dispositivos, software e as chamadas de redes, deve haver maior cuidado para proteger a privacidade dos americanos.

tiosamespiatodos

“É importante ter proteções institucionais para que as capacidades avançadas utilizadas no exterior não se voltem contra a nossa democracia em casa”, disse ele. 

Soltani é um pesquisador independente de segurança e consultor. Julie Tate contribuíram para este relatório.

Mais informações em:

  1. http://thoth3126.com.br/facebook-microsoft-e-apple-sao-processadas-por-ajudar-governo-dos-eua/
  2. http://thoth3126.com.br/eua-espionam-o-mundo-todo/
  3. http://thoth3126.com.br/os-eua-espionaram-milhoes-de-e-mails-e-ligacoes-de-brasileiros/
  4. http://thoth3126.com.br/eua-e-a-espionagem-na-internet-programa-xkeyscore/
  5. http://thoth3126.com.br/eua-e-a-espionagem-da-nsa-snowden-pede-asilo-a-russia/
  6. http://thoth3126.com.br/nsa-e-a-vigilancia-em-tempo-real-na-internet-nos-eua/
  7. http://thoth3126.com.br/microsoft-e-cumplice-da-espionagem-da-nsa/
  8. http://thoth3126.com.br/espionagem-global-por-edward-snowden/
  9. http://thoth3126.com.br/facebook-uma-conspiracao-da-cia/
  10. http://thoth3126.com.br/windows-8-e-um-chip-em-seu-computador-para-a-espionagem-da-nsa/
  11. http://thoth3126.com.br/skynet/

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Comentários estão fechados.