browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

EUA se preparam para iminentes eventos catastróficos provocados pelo SOL

Posted by on 04/11/2016

flare-solar-westernblast-stripPresidente Obama assinou uma ordem executiva em outubro para preparar e MOBILIZAR toda estrutura de governo dos EUA e entidades privadas e o povo norte americano para se prepararem para enfrentar os efeitos de “eventos climáticos espaciais” (SOLAR FLARES) IMINENTES nos próximos 120 dias 

“Pela autoridade investida em mim como Presidente pela Constituição e as leis dos Estados Unidos da América, e PARA preparar a nação para eventos (provocados pelo SOL) do CLIMA ESPACIAL, fica ordenado da seguinte forma:…

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@protonmail.ch

Fonte: https://www.whitehouse.gov

THE WHITE HOUSE, PRESIDENT BARACK OBAMA


A Casa Branca

Gabinete do Secretário de Imprensa

Para divulgação imediata – 13 de outubro de 2016

Ordem Executiva – Coordenar os esforços para preparar o país para Eventos do Clima Espacial 

Ordem Executiva

COORDENAÇÃO DE ESFORÇOS PARA PREPARAR A NAÇÃO (EUA) PARA EVENTOS DE CLIMA ESPACIAL

Pela autoridade investida em mim como Presidente pela Constituição e as leis dos Estados Unidos da América, e PARA preparar a nação para eventos (provocados pelo) CLIMA ESPACIAL, fica ordenado da seguinte forma:

Seção 1. Política. Eventos climáticos do espaço, na forma de erupções solares, partículas energéticas solares e perturbações geomagnéticas (do planeta), ocorrem regularmente, alguns com efeitos mensuráveis sobre os sistemas de infra-estruturas críticos e tecnologias, tais como o Sistema de Posicionamento Global (GPS), operações de satélite e comunicação, (controle da) aviação, e a rede de energia elétrica. Eventos extremos do clima espacial – aqueles que podem degradar significativamente a infra-estrutura crítica – poderiam desativar grandes porções da rede de energia elétrica, resultando em falhas em cascata que poderiam afetar os principais serviços como abastecimento de água, saúde e transporte. O clima espacial tem o potencial de afetar e prejudicar a saúde e segurança por todos os continentes simultaneamente. Se preparando com sucesso para (enfrentar) eventos de clima espacial é um esforço de toda a nação que exige parcerias entre os governos, gestores de emergência, universidades, meios de comunicação, indústria de seguros, (empresas) sem fins lucrativos e do setor privado.

ciclosolar24

Acima: Imagens compostas de um CICLO SOLAR COMPLETO de 11 anos e a respectiva atividade de emissões de CMEs (Coronal Mass Ejection) completa.

É a política dos Estados Unidos se preparar para eventos do clima espacial para minimizar a extensão dos prejuízos econômicos e o sofrimento humano. O Governo Federal deve ter:

(1) a capacidade de prever e detectar um evento do clima espacial,

(2) os planos e programas necessários para alertar os setores público e privado para permitir ações de mitigação para um evento do clima espacial iminente,

(3) a proteção e planos de mitigação, protocolos e normas necessárias para reduzir os riscos para a infra-estrutura crítica, antes e durante uma ameaça potencial, e

(4) a capacidade de responder e se recuperar dos efeitos do clima espacial. Departamentos executivos e agências (federais) devem coordenar os seus esforços de preparação para os efeitos de eventos do clima espacial.

Seção 2. Objetivos. Esta ordem define papéis e responsabilidades das agências e orienta os órgãos a tomar medidas específicas para preparar o país para os malefícios do clima espacial. Estas atividades devem ser implementadas em conjunto com os identificados no Plano Nacional de Meteorologia 2015 Espaço de Ação (Plano de Ação) e quaisquer atualizações subsequentes. A implementação desta ordem e do Plano de Ação exigirá do Governo Federal para trabalhar em todas as agências e para desenvolver, como parcerias adequadas, avançadas e inovadoras com o Estado, tribal, e os governos locais; acadêmico (Universidades); organizações sem fins lucrativos; o setor privado; e parceiros internacionais.Estes esforços reforçarão a preparação nacional e acelerarão a criação de uma nação pronta dentro do espaço-tempo.

Seção 3. Coordenação. (A) O Diretor do Escritório de Política Científica e Tecnológica (OSTP), em consulta com o Assistente do Presidente para a Segurança Interna e Contraterrorismo e o Diretor do Escritório de Administração e Orçamento (OMB), deverá coordenar o desenvolvimento e implementação das atividades do governo federal para preparar o país para eventos do clima espacial, incluindo as atividades estabelecidas no ponto 5 do presente pedido bem como as recomendações do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (NSTC), criado pela ordem Executiva 12881 de 23 de Novembro, 1993 (Estabelecimento do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia).

(B) Para garantir a responsabilização por e a coordenação da investigação, desenvolvimento e implementação de atividades identificadas nesta ordem e no Plano de Ação, o NSTC deve estabelecer um espaço de Operações Meteorológicas, pesquisa e Subcomissão de Mitigação (Subcomissão). As agências membros da subcomissão devem realizar atividades para avançar na implementação desta ordem, para atingir os objetivos identificados na Estratégia Nacional de 2015 sobre Clima Espacial e quaisquer atualizações subsequentes, e para coordenar e acompanhar a execução das atividades previstas no Plano de Ação e fornecer subsequente atualizações.

solar-flare

Seção 4. Papéis e Responsabilidades. Na medida do permitido por lei, as agências abaixo adotarão as seguintes funções e responsabilidades, que são fundamentais para garantir previsão reforçada de espaço de tempo, a consciência situacional, espaço de preparação a tempo, e as operações contínuas do Governo Federal durante e após os eventos do clima espacial.

(A) O secretário de Defesa deve assegurar o fornecimento oportuno de espaço operacional para observações meteorológicas, análises, previsões e outros produtos para apoiar a missão do Departamento de Defesa e parceiros de coalizão, incluindo o fornecimento de alertas e avisos para os fenômenos do clima espacial que podem afetar sistemas de armas, operações militares, ou a defesa dos Estados Unidos.

(B) O Secretário do Interior deve apoiar a pesquisa, desenvolvimento, implantação e operação de capacidades que melhoram a compreensão das variações do campo magnético da Terra associados com interações solares-terrestres.

(C) O secretário de Comércio deverá:

(I) fornecer previsões do CLIMA ESPACIAL operacionais oportunas e precisas, relógios, avisos, alertas e monitoramento do clima espacial em tempo real para o governo, civis e setores comerciais, exclusivo das responsabilidades do secretário de Defesa; e

(Ii) garantir a melhoria contínua dos serviços de meteorologia espacial operacionais, utilizando parcerias, conforme o caso, com a comunidade científica, incluindo a acadêmica (universidades) e o setor privado, e agências relevantes para desenvolver, validar, testar a transição de plataformas de observação meteorológica do clima espacial e modelos de investigação para as operações e para operações de investigação.

(D) O secretário de Energia deve facilitar a proteção e restauração da confiabilidade da rede elétrica durante (o período de decretação de) declaração presidencial de emergência de segurança da rede associada a uma perturbação geomagnética, nos termos do 16 USC 824o-1.

tempestade-solar-se-aproxima

(E) O Secretário da Segurança Nacional deve:

(I) assegurar a redistribuição oportuna de  alertas meteorológicos do clima espacial e avisos que suportem  a preparação nacional, a continuidade do governo e a continuidade das operações; e

(Ii) coordenar a resposta e recuperação dos efeitos de eventos do clima espacial na infra-estrutura crítica e a comunidade em geral.

(F) O Administrador da National Aeronautics and Space Administration (NASA) deve:

(i) implementar e apoiar um programa nacional de investigação para compreender o SOL e suas interações com a Terra e o sistema solar para avançar na modelagem do clima espacial e previsão de recursos aplicáveis a previsão do tempo do clima espacial;

(ii) desenvolver e operar missões relacionadas com o espaço-tempo de investigação, capacidades de instrumentos e modelos; e

(iii) apoiar a transição de modelos do clima espacial e tecnologia da investigação para as operações e para operações de investigação.

(G) O diretor da National Science Foundation (NSF) deve apoiar a investigação fundamental ligada às necessidades de informação da sociedade sobre o clima espacial através de investimentos e parcerias, conforme o caso.

(H) O Secretário de Estado, em consulta com os chefes das agências relevantes, devem realizar esforços de diplomacia e públicos para fortalecer a capacidade global (do planeta) para responder a eventos do clima espacial.

(I) Os secretários da Defesa, do Interior, Comércio, Transporte, Energia e Segurança Interna, juntamente com o administrador da NASA e do Diretor do NSF, devem trabalhar em conjunto, de acordo com as suas atividades em curso, para desenvolver modelos, sistemas de observação, tecnologias e abordagens que informam e reforçam a preparação nacional para os efeitos de eventos do clima espacial, incluindo os eventos do clima espacial que podem afetar a infra-estrutura crítica e mudar o cenário de ameaças em relação a outros perigos.

(J) Os chefes de todas as agências que oferecem suporte a funções essenciais nacionais, definidas pela Diretiva Presidencial Política 40 (PPD-40) de 15 de Julho de 2016 (Política Nacional de Continuidade [do governo dos EUA]), devem assegurar que eventos climáticos do clima espacial são tratadas de forma adequada em todos os seus riscos, na planificação da preparação, incluindo a mitigação, resposta e recuperação (do sistema), conforme indicado pelo PPD-8 de 30 de Março de 2011 (National Preparedness).

(K) Os membros do NSTC devem coordenar através do NSTC para estabelecer papéis e responsabilidades para além dos identificados na seção 4 a fim de aumentar a preparação para eventos de clima espacial, de acordo com a autoridade legal de cada agência.

Seção 5. Implementação. (A) No prazo de 120 dias (DIA 10 de FEVEREIRO de 2017) a contar da data desta ordem, o secretário de Energia, em consulta com o secretário de Segurança Interna, deve desenvolver um plano para testar e avaliar os dispositivos disponíveis que mitiguem os efeitos das perturbações geomagnéticas na rede de energia elétrica através do desenvolvimento de um programa piloto que implanta tais dispositivos, in situ, na rede de energia eléctrica. Após o desenvolvimento do plano, o secretário deve implementar o mesmo, em colaboração com a indústria. Na tomada de medidas nos termos da presente subseção, os secretários de Energia e Segurança Interna deve consultar o presidente do Federal Energy Regulatory Commission.

tsunami-gigante

(B) No prazo de 120 dias a contar da data desta ordem, os chefes das agências setoriais que supervisionam as funções de infra-estrutura crítica da linha de vida como definido pelo Plano Nacional de Proteção de Infra-estruturas de 2013 – incluindo sistemas de comunicações, energia, transporte e água e sistemas de águas residuais -, bem como dos reatores nucleares, materiais e Setor de resíduos, devem avaliar o seu executivo e autoridade legal, e os limites da autoridade competente, para dirigir, suspender ou controlar operações críticas de infra-estrutura, funções e serviços antes, durante, e depois de um evento do clima espacial. Os chefes de cada agência específica para o setor deve incluir um resumo destas avaliações à Subcomissão.

(C) Dentro de 90 dias (DIA 10 de JANEIRO de 2016) a contar da recepção das avaliações encomendadas na seção 5 (b) do presente despacho, a Subcomissão deve apresentar um relatório sobre os resultados dessas avaliações, com recomendações para o diretor da OSTP, o Assistente do Presidente para a Segurança Interna e Contraterrorismo, e do Diretor do OMB. As avaliações podem ser usados para informar o desenvolvimento e implementação de autoridades e responsabilidades políticas, que estabelece para as agências em resposta a um evento do clima espacial.

(D) No prazo de 60 dias a contar da data desta ordem (DIA 11 de DEZEMBRO de 2016), os secretários de Defesa e Comércio, o administrador da NASA, e o diretor da NSF, em colaboração com outras agências conforme o caso, identificar os mecanismos para o avanço das observações do clima espacial, modelos, e previsões, e para sustentar e fazer a transição das capacidades adequadas de investigação para operações e operações de pesquisa, colaborando com a indústria e as universidades na medida do possível.

(E) No prazo de 120 dias a contar da data desta ordem, os secretários de Defesa e Comércio fará dados históricos das constelação GPS e outros satélites do governo dos EUA acessíveis ao público, em conformidade com a Ordem Executiva 13642 de 9 de Maio, 2013 (Fazendo aberta e Machine Readable o novo padrão para informação do Governo), para melhorar a validação e melhorias na previsão do clima espacial e consciência do modelo situacional .

(F) No prazo de 120 dias a contar da data desta ordem, o secretário de Segurança Interna, através do administrador da Agência Federal de Gestão de Emergências (FEMA) e em coordenação com as agências relevantes, deve liderar o desenvolvimento de um conceito operacional Federal coordenado e lista de verificação associada a coordenar ativos e atividades federais para responder a notificação de e proteger contra, os iminentes eventos do CLIMA ESPACIAL. No prazo de 180 dias após a publicação do conceito operacional e lista de verificação, as agências devem desenvolver planos operacionais documentar seus procedimentos e responsabilidades para se preparar para, proteger contra, e mitigar os efeitos de eventos do clima espacial iminentes, em apoio ao conceito de operação Federal e compatíveis com o Sistema Nacional de preparação descrito no PPD-8.

Seção 6. Participação de Interessados. As agências identificadas nesta ordem devem procurar colaborações público-privadas e internacionais para melhorar as redes de observação, realizar pesquisas, desenvolver modelos de previsão e abordagens de mitigação, aumentar a resiliência da comunidade e preparação, e fornecer os serviços necessários para proteger a vida e a propriedade e promover a prosperidade econômica, como consistente com a lei.

Seção 7. Definições. Tal como utilizado neste pedido:

(A) “Prepare-se” e “preparação” têm o mesmo significado que eles têm em PPD-8. Eles referem-se às medidas tomadas para planejar, organizar, equipar, treinar e exercícios para construir e manter as capacidades necessárias para prevenir, proteger, mitigar os efeitos de, responder e se recuperar das ameaças que representam o maior risco para a segurança da nação. Isso inclui a previsão e notificação de eventos de CLIMA ESPACIAL.

(B) “CLIMA ESPACIAL” significa variações no ambiente espacial (NA INTERAÇÃO) entre o Sol e a Terra (e em todo o sistema solar) que pode afetar tecnologias no espaço e na Terra. Os principais tipos de tais eventos são erupções (flares) solares, partículas energéticas solares e perturbações geomagnéticas.

(C) “Alargamento solar” significa uma breve erupção de energia intensa sobre ou perto da superfície do Sol, que é tipicamente associada com as manchas solares.

(D) “partículas energéticas solares” significa íons e elétrons ejetados do Sol que estão tipicamente associados a erupções solares.

(E) “perturbação geomagnética” significa uma perturbação temporária do campo magnético da Terra resultante da atividade solar.

(F) “infra-estruturas críticas” tem o significado fornecido na seção de 1016 (e) da Lei Patriota dos EUA de 2001 (5195c 42 USC (e)), ou seja, sistemas e ativos, seja física ou virtual, tão vital para os Estados Unidos que a incapacidade ou a destruição de tais sistemas e ativos teria um impacto debilitante sobre a segurança, a segurança econômica nacional, a saúde pública ou a segurança nacional, ou qualquer combinação desses elementos.

(G) “Agência Setor-Especifico” significa os órgãos designados nos termos do PPD-21 de 12 de Fevereiro, 2013 (Critical Infrastructure segurança e resiliência), ou qualquer diretiva sucessora, a ser responsável por fornecer conhecimento institucional e conhecimentos especializados, bem como levando, facilitando, ou apoiando os programas de segurança e resiliência e atividades associadas de seu setor de infra-estrutura crítica designado no ambiente de todos os riscos. Sec. 8. Disposições Gerais.

(A) Nada nesta ordem deve ser interpretada para prejudicar ou afetar:

(I) a autoridade concedida por lei a uma agência ou a chefia dela; ou (ii) as funções de diretor da OMB relativas a propostas orçamentárias, administrativas ou legislativas.

(B) Esta ordem deve ser implementada de acordo com a legislação aplicável e sujeito à disponibilidade de dotações.

(C) Esta ordem não se destina a criar qualquer direito ou benefício, material ou processual, executável perante a lei ou na equidade por qualquer das partes contra os Estados Unidos, seus departamentos, agências ou entidades, seus diretores, empregados, ou agentes, ou a qualquer outra pessoa.

BARACK OBAMA

A CASA BRANCA, 13 de outubro de 2016.


Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos (os inconscientes e ignorantes), e Cristo te esclarecerá. Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios*, mas como sábios”  Efésios 5:14-15

{Nota: Significado de Néscio: adjetivo, Característica de quem não possui (não desenvolveu) conhecimento, capacidade, sentido ou coerência. s.m. Sujeito ignorante, estúpido, incompetente, burro, incoerente, inepto e sem discernimento. (Etm. do latim: nescius.)}

contagem-regressiva-azul

“Haverá muitas mudanças dramáticas no clima do planeta, muitas mudanças nas condições meteorológicas  na medida em que o TEMPO DA GRANDE COLHEITA se APROXIMA RAPIDAMENTE ao longo dos próximos anos. Você vai ver a velocidade do vento em tempestades ultrapassando 300 milhas (480 quilômetros) por hora, às vezes. Deverão acontecer fortes tsunamis e devastação generalizada NAS REGIÕES COSTEIRAS, e EMISSÃO DE ENERGIA SOLAR (CME-Ejeção de Massa Coronal do Sol) que fará  importante fusão e derretimento das calotas de gelo nos polos, e subseqüente aumento drástico no nível do mar, deixando muitas áreas metropolitanas submersas em todo o planeta

Excerto do POSThttp://thoth3126.com.br/illuminati-revelacoes-de-um-membro-no-topo-da-elite-explosivo/


Mais informações em:

  1. http://thoth3126.com.br/supertempestade-solar-poderia-causar-o-caos/
  2. http://thoth3126.com.br/tempestades-solares-ameacam-redes-de-distribuicao-eletrica/
  3. http://thoth3126.com.br/sol-se-agita-tempestade-solar-com-emissao-de-cme-rumo-a-terra/
  4. http://thoth3126.com.br/supertempestade-solar-poderia-causar-o-caos/
  5. http://thoth3126.com.br/anatomia-de-um-flare-solar-gigante/
  6. http://thoth3126.com.br/ciclo-solar-24-surpreende-o-mais-fraco-em-100-anos/
  7. http://thoth3126.com.br/buraco-negro-sugando-energia-do-nosso-sol-ou-ufo-gigante/
  8. http://thoth3126.com.br/as-manchas-solares-sunspots-e-os-ciclos-de-atividade-do-sol/
  9. http://thoth3126.com.br/apice-do-ciclo-solar-24-em-2013-e-a-quebra-das-modernas-tecnologias/
  10. http://thoth3126.com.br/nacoes-unidas-nasa-e-o-clima-espacial/
  11. http://thoth3126.com.br/sol-emite-flare-solar-gigante-hoje/
  12. http://thoth3126.com.br/sol-em-alta-atividade-com-emissao-de-flares/
  13. http://thoth3126.com.br/uma-visao-pessoal/
  14. http://thoth3126.com.br/vulcao-cumbre-vieja-mega-tsunami-pode-atingir-o-brasil/

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *