browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Um encontro com extraterrestres: Miriam Blue Star (01)

Posted by on 06/07/2016

anjoazuldaTerra

Entrevista com Miriam Blue Star (Miriam Estrela Azul), em Sedona, Arizona, setembro de 2008

“Esta muito claro para mim como esta rede de pessoas que estão trabalhando orientados pela Luz, com o propósito de educar, a fim de informar, e de modo a trazer a mudança para a humanidade e para a Terra, todos estão muito ligados um ao outro”.

Este momento particular em que estamos no planeta é muito delicado – e é verdadeiramente o tempo de se fazer uma escolha. Mas estamos nos movendo para um tempo em que as dificuldades estão começando a surgir para indivíduos, famílias, comunidades até a humanidade inteira. E precisamos prestar mais atenção ao que nós, como indivíduos estamos ou não fazendo, como estamos agindo” …

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Uma história incrível na entrevista com Miriam Blue Star (Miriam Estrela Azul), em Sedona, Arizona, em setembro de 2008 – PARTE 1

Miriam (Blue Star) Delicado foi contatada em uma idade muito precoce por extraterrestres louros, altos e benevolentes, aparentemente sendo incumbida para um papel muito especial e de grande responsabilidade. 

Fonte: http://projectcamelot.org/miriam_delicado.html

Ela foi aconselhada por eles para manter silêncio sobre a sua experiência durante muitos anos para, finalmente, no ano passado (2007), lhe ser dito que era o momento dela escrever o livro:Blue Star” (Estrela Azul ).

Após isso, Miriam se tornou uma pessoa de destaque quando milhares de leitores sentiram que o seu livro parecia ter sido escrito para cada um deles pessoalmente. E, agora Miriam é uma mulher desenvolvendo uma missão: motivada, articulada, apaixonada e com grande responsabilidade, ela conta uma estória fascinante do contato físico muito real dela com uma raça extraterrestre guardiã altamente avançada e a informação que lhe foi pedida que passasse adiante.

Miriam está ciente de que há outros da sua espécie vivendo como humanos na superfície da Terra. A mensagem é destinada a todas as pessoas e tem um significado especial para o pessoal a que George Green se referiu chamndo de Ground Crew* (Pessoal de Terra): que estamos quase no tempo de que os  indígenas HOPI – com quem Miriam estabeleceu uma afinidade e especial lealdade – se referem como o Final dos Tempos em suas profecias; a chegada do QUINTO MUNDO, de que o nosso planeta e a nossa civilização estão em grande perigo; e que (até agora, no momento em que escrevemos) o cronograma não parece ter mudado… Embora esteja sempre no nosso presente e capacidades criarmos qualquer tipo de futuro e a realidade que coletivamente nós quisermos.

Nós nos sentimos motivados da mesma forma, e é nosso grande privilégio ajudá-la nesse propósito de disseminar conhecimento ao apresentar essa entrevista. Essa pode ser uma das matérias mais poderosas e importantes que já fizemos.


Miriam Blue Star (Miriam Estrela Azul) Sedona, Arizona, setembro de 2008:

… Eu não queria estar falando com vocês. Realmente não. Eu gostaria de por uma máscara e não estar aqui. Mas eu estou, porque no meu coração, na minha mente, em todo o meu ser, eu sei que nós estamos trilhando um caminho assustador. …Existem pessoas por toda Terra que tiveram experiências parecidas com a minha, e nós estamos todos esperando o momento certo para nos levantarmos em unidade – Em Unidade – e nos apresentarmos e falarmos para o mundo.

… e imediatamente eu estremeci. Eu pensei : Ahhhhh… é isso. E ele falou: Você já trabalhou para a CIA ou para o FBI ? E é claro, eu tinha 22 anos de idade. Eu não queria ter nada a ver com aquilo. Eu pensava: Porque isso está acontecendo comigo?

Então o que faz tudo isso fascinante é que, durante o meu crescimento, meu pai em inúmeras ocasiões me contou uma estória de quando ele estava nas ruas de Paris, durante a guerra – porque, é claro, ele é da Europa – e como um homem o abordou. E o que o meu pai me contou, foi que eles o convidaram para fazer parte desse Exército Psíquico, o Exército Psíquico Russo.

E meu pai continuou me dizendo: “Se eles algum dia te abordarem, não vá com eles. Você entende? Nunca vá com eles, porque se você for, eles vão se apropriar de você”.

…Foi me mostrado uma imagem em que eu estava numa base subterrânea que… para mim, o que aconteceu lá era tão escuro e feio e assustador, que era difícil lidar com aquilo.

… O quê vocês estão fazendo aqui? Porque vocês não me deixam em paz? E aí, entrei na espaçonave.

… A lição é que nós não estamos sós, que nós estamos sendo observados, e o que está acontecendo é que estamos sendo assistidos por outros seres que tem uma evolução e nível de conhecimento que nós não possuímos.

… Eu vi o futuro através deles, com a ajuda deles.

miriam_blue-star

… Eu acredito que, porque nós estamos sendo despertados para começar a compartilhar essa informação com outros povos, que existem grandes mudanças na Terra se aproximando e que nós todos precisamos entender isso. Seja um meteoro se chocando com a Terra, ou seja uma guerra começando, ou seja a fome, ou outras mudanças na Terra – quaisquer dessas coisas – que os homens teriam a habilidade de mudar esse resultado do que quer que estivesse para acontecer.


A ENTREVISTA com Miriam Blue Star:

Kerry Cassidy(K): Oi, eu sou Kerry Cassidy do Projeto Camelot, nós estamos aqui com Miriam Blue Star(M). Ela tem o seu próprio site chamado Alienbluestar.com, e ela tem uma estória muito interessante para contar. Ela é uma das pessoas que foi contatada por extraterrestres, e ela tem um relacionamento muito especial com o povo pele vermelha HOPI e os Mayas, como veremos no prosseguimento da entrevista.

Oi Miriam, como você está hoje?

M: Muito bem, obrigada. Muito obrigada por me convidar Kerry.

K: É claro. É realmente um prazer. Eu li o seu livro. É um livro maravilhoso. E que tal você iniciar pelo começo, com o que quer que você se sinta à vontade, e conte para todos a sua estória? E aí a gente continua.

M: Ok. Para começar, é uma estória muito grande e é difícil para mim transmitir a todos a estória da minha vida; que é o que tentei fazer um pouco no meu livro, Blue Star (Estrela Azul), passar para as pessoas uma ideia das muitas coisas que aconteceram comigo. .

Eu tive os últimos vinte anos muito interessantes na minha vida, aonde eu tive inúmeros contatos com seres extraterrestres. E, muito freqüentemente, as pessoas me perguntam de onde é que esses seres se originam. E essa é uma pergunta muito importante, vamos chegar nesse ponto daqui a pouco.

medicine-wheel-redindians

Mas para dar ao (leitor) espectador um resumo: Você sabe, minha vida começou muito estranha já desde o começo, e a minha vida não foi nada comum enquanto eu estava crescendo. Primeiro comecei a perceber que eu era diferente, provavelmente, quando eu tinha cerca de dois anos. E, na verdade, eu tenho memórias que poderiam me levar de volta até quando eu era um bebê assim como… A maioria das minhas memórias retornaram para mim quando eu tinha por volta dos dois anos.

Então quando eu tinha cerca de nove anos, as minhas habilidades psíquicas começaram a aparecer e inúmeras coisas estranhas começaram a acontecer comigo. Eu estava tendo sonhos muito vividos, e muitas coisas desse tipo que eu não conseguia explicar.

Eu costumava fazer essa brincadeira quando eu era criança, expiar as pessoas dentro dos carros delas…enquanto eu estava passando por eles no meu carro. E eu tentava saber o que elas estavam falando ou pensando dentro das suas cabeças. E quando eu fazia isso, era fascinante para mim, algumas das coisas que eu ouvia elas pensando. Mas ao mesmo tempo eu estava sempre com medo que eles descobrissem que eu estava, você sabe, vasculhando dentro das suas cabeças, e nunca quis ser pega fazendo isso.

Então, essa é uma memória muito, muito clara para mim desde que eu era muito, muito nova. Não é algo que eu faça agora. Não é uma coisa que eu faço conscientemente, nunca, em nenhum momento, porque, é claro, eu teria que pedir permissão para alguém para fazer isso. Então, desde o começo eu era um pouco diferente.

Enquanto minha vida continuava, essas minhas habilidades ficaram cada vez mais fortes e mais forte. E quando eu me tornei adolescente, eu era capaz de fazer todo tipo de coisa. Estava tendo sonhos que eram proféticos. E, você sabe, em termos que todo mundo possa entender, eu tive um número de visões que realmente se tornaram verdade em muito pouco tempo. E eu também tive encontros com, digamos, seres, que eu não estava certa de onde eles vinham ou qual a intenção deles… de onde eles vinham.

Era realmente enervante para mim crescer porque, apesar de saber que meu pai tinha algumas habilidades também, eu não tinha intimidade o bastante com ele para poder falar sobre isso. E isso fez os meus primeiros anos serem muito difíceis, precisamente por essa razão .

Agora, o meu pai foi uma personalidade muito interessante na minha vida porque parecia que ele também tinha algumas habilidades. Quando nós eramos crianças, nós estavamos sempre, você sabe, um pouco nervosos em torno dele, pensando que ele sempre estava sabendo o que nós estavamos fazendo.

Então quando — pulando para minha vida mais a frente, para o ano de 1988, que foi há 20 anos, foi interessante quando eu tive esse encontro na rodovia no norte de British Columbia (Columbia Britânica, no Canadá) com extraterrestres. E esse foi um encontro físico que ocorreu e mudou a minha vida para sempre.

tzolkinsacerdotemaia

Os Maias também tem a tradição do FIM DOS TEMPOS em suas PROFECIAS, saiba mais no LINK

Mas quando isso aconteceu, quase imediatamente soube que meu pai tinha sido contatado, simplesmente porque … um número de coisas que esses seres me contaram, meu pai costumava falar à respeito o tempo todo quando eramos crianças – como o mundo eventualmente iria mudar, e como nós teríamos que aprender a como sobreviver, e o que precisaríamos fazer. Esse tipo de coisa. De forma que, eu sempre soube que ele tinha sido um contatado também.

K: Ele também não trabalhou para, você sabe, uma agência, uma secreta … quero dizer, em inteligência, fazendo algo?

M: Não que eu saiba.

K: Porque você fala sobre ele ter sido abordado. E ele também lhe avisou sobre ser abordada em algum momento. Não é verdade?

M: Sim.

K: E como você sabe isso a não ser que, você sabe, você tenha sido abordada?

M: Isso é uma estória muito interessante que o meu pai costumava me contar quando criança. Era uma estória fascinante que sempre, você sabe, me deixava realmente nervosa e eu não tinha a menor ideia do que ele estava falando. Então o que eu preciso fazer é ir adiante, passando 1988.

Foi alguns anos mais tarde e eu estava trabalhando numa lojinha de yogurte. Essa foi, realmente, uma parte fascinante do quebra-cabeça da minha vida, e até eu, ainda hoje, fico um pouco desconfiada dela.

Foi no ano, você sabe, alguns anos após 1988, quando estava trabalhando na loja de yogurte. Eu estava tendo um dia normal, pelo menos tentando ter um dia normal. Esse homem passou pela vitrine da loja e ele olhou diretamente para mim, nos meus olhos.

E, quando ele fez isso, ele entrou, veio até a mim, olhou diretamente dentro dos meus olhos e  disse: Você trabalha para a CIA ou para o FBI?

Eu disse: Não. Eu não. Imediatamente eu estremeci e pensei : Ahhhhh… é isso.

E ele falou: Você já trabalhou antes para a CIA ou para o FBI?

E, é claro, eu tinha 22 anos de idade. Eu não queria ter nada a ver com aquilo. Eu pensava: Porque isso está acontecendo comigo?

Eu disse: Não. Eu nunca trabalhei.

E então ele continuou a falar comigo… Ele disse: Você já pensou em trabalhar para os russos?

E, é claro que eu disse: De maneira nenhuma.

Então, ele continuou a me contar como os soviéticos tinham estado trabalhando com pessoas como eu por um tempo muito longo. E que se eu me juntasse a eles,  eu nunca ficaria sozinha de novo, que eu estaria cercada de gente que era como eu. E eu disse que eu não estava interessada.

manipulação-ocidente

O que ele estava mencionando era o Programa Psíquico (da extinta URSS). E ele disse que o Programa Psíquico havia existido por um tempo muito grande, naturalmente, eu sabia tudo sobre isso. E eu muito amavelmente, educadamente, com um sorriso no rosto, olhei para esse homem e disse que eu não estava interessada.

E ele continuou a insistir e falando: Você sabe como você é forte?
E eu sorri para ele. Eu falei: Sim, eu realmente sei como eu sou forte.
E ele disse: Mas você pode controlar as suas habilidades?
E eu disse: Na verdade, eu posso.

Então, ele disse que eles ainda estariam muito interessados em trabalhar comigo. Eu disse para ele que não havia chance. Eu disse: O que eu gostaria que você fizesse é voltar para as pessoas que te mandaram aqui, agradeça muito pelo interesse deles e lhes diga que não vale a pena retornar porque eu nunca estarei interessada. Meu pai vivia me dizendo: 

“Se eles algum dia eles te abordarem, não vá com eles. Você entendeu? Nunca vá com eles, porque se você for, eles vão se apropriar de você. Você não poderá correr ou se esconder porque eles te acharam com as mentes deles”.

Então, é claro, que eu sempre me senti muito assustada com isso. Isso nunca fez nenhum sentido para mim enquanto eu crescia. Mas naquele momento, na mesma hora que o homem entrou na loja e disse: Você trabalha para a CIA ou para o FBI? Eu sabia exatamente quem ele era, o que ele queria me perguntar, e eu estava muito certa de não estar interessada. Eu não estou interessada em ninguém que faça algo nessa maneira.

K: Ok. É. Eu me lembro dessa estória do seu livro e realmente me soa familiar. Eu acho que o seu pai tinha… o quê ? Talvez sangue de ancestrais (peles vermelhas) ameríndios em algum lugar? Ele com certeza tem, eu não sei, Europeu… Qual seria a sua descendência, apenas em, eu presumo, termos genéticos?

M: Minha mãe é alemã e, tanto quanto eu sei, voltando bem atrás ela é alemã. Meu pai é da Iugoslávia. E, tanto quanto eu sei… A história da família dele, voltando bem, bem, bem atrás, acredito haver algum sangue interessante lá. Mas, pra mim dizer alguma coisa com certeza, não seria justo com ele nem com ninguém, porque não sei com certeza.

Em termos de sangue ameríndio, não, não acredito que exista. Mas, com a genealogia dele, se tiver alguém que esteja interessado em olhar bem longe no tempo, quer dizer, você sabe, até milhares de anos, eu acho que seria muito fascinante ver a que isso nos levaria.

IndioAguia2

K: Ok. Então vamos voltar para o seu incidente em 1988 e contar um pouco mais sobre ele, meio que resumido, se você desejar…

M: Em 1988 eu estava vivendo uma vida muito normal, vida comum para uma pessoa jovem. Eu tinha acabado de me mudar de uma cidade pequena para uma cidade grande em Vancouver, British Columbia, e eu e meus amigos tinhamos decidido fazer uma viagem de carro até a minha cidade natal. E no caminho até lá, tudo foi normal. Nós fizemos a viagem e tudo foi bem. Mas no caminho de volta tudo, tudo mudou.

Havia quatro de nós, quatro adultos e uma criança pequena no carro. E a viagem… Nós dirigimos muitas horas… Eu estava dormindo no banco de trás do carro. Então, começou a anoitecer. As pessoas que estavam dirigindo queriam descansar, então eles foram para o assento de trás, e eu fui para frente, para o assento do passageiro com a minha amiga. E no mesmo instante umas bolas grandes de luz… na verdade, elas pareciam ser faróis de caminhão; isso foi o que nós pensamos que elas fossem por muito tempo… vieram nos seguindo bem rápido. E foi isso o que aconteceu, e nós nos perguntamos porque elas estavam viajando tão rápido.

Agora, essas luzes peculiares nos seguiram por horas e horas na escuridão. Toda vez que nós chegávamos perto de um carro ou qualquer casa ou prédio, essas luzas ficavam para trás ou desapareciam.

Então, depois de horas disso acontecendo, nós passamos por uma cidade aonde nós pensamos que, com certeza, essas luzes iriam desaparecer. Assim que nós chegamos no outro lado da cidade, numa área de floresta, o momento exato que nós dissemos: Ok, estamos sós. Não há maneira delas poderem nos alcançar… E literalmente num piscar de olhos, ali estavam elas, essas bolas de luz que eram mais ou menos desse tamanho. [abre as mãos mais ou menos com 30 cm de largura ]

E elas vinham atrás de nós. E então – puff – e nesse momento, depois de horas que elas tinham estado aparecendo e desaparecendo, aparecendo e desaparecendo, num piscar de olhos. Então, minha amiga estava muito, muito nervosa, assim com eu. Nenhum de nós estávamos tranquilos com o que estava acontecendo, e o pessoal no banco de trás ainda estava dormindo.

Então, de repente, eu gritei para ela dizendo: Estacione o carro agora! Não é você que eles querem. Sou eu! E eu fui segurar o volante para fazer ela parar, quando de repente minha amiga desmoronou, você sabe, como uma boneca de pano, com a cabeça para baixo e começou a estacionar, parando na beira da estrada.

E o carro se encheu de luz, vinda de todas as direções. E essas bolas de luz estavam estacionadas atrás do carro. Então nesse ponto – eu era a única pessoa consciente nesse momento — quando me virei da traseira para a frente do carro, eu vi a espaçonave na estrada.

Rendlesham-UFO-1980

Eu não conseguia distinguir qualquer detalhe porque parecia enevoado e muito, muito brilhante. E esses seres que tinham por volta de um metro e vinte de altura caminharam – estavam caminhando em minha direção. Eles eram muito andróginos, quase infantis por natureza. e eles tinham olhos pretos grandes e redondos. Eles não tinham de maneira nenhuma olhos ovais. Os olhos eram grandes e redondos.

E eles estavam sinalizando para mim sair do carro, o que eu fiz. E eu estava muito assustada. Entretanto, eu não estava apavorada, e essa distinção precisa ser feita. Eu não estava horrorizada. Eu estava com medo. Então, eu sai do carro. Eles me direcionaram para um pouco mais adiante na estrada, e nesse momento eu não estava nem pensando nos meus amigos, eu estava apenas conjeturando para onde esses seres estavam me levando.

Então, nesse aterro à esquerda … eles me levaram para esse aterro onde eu vi, quando eu olhei, uma espaçonave grande que tinha dois seres grandes parados na porta. E eles tinham cabelos louros – e eu quero dizer louro quase brancos como a neve – e os olhos azuis mais brilhantes, azuis como as águas do mar Mediterrâneo, que jamais vi, muito incríveis. E os seres, os mais baixos, me levaram à essa espaçonave, e quando eu cheguei na porta eu entrei dentro da espaçonave.

Mas, o que é mais interessante, é que antes de tudo isso acontecer eu tinha tido um sonho no banco de trás do carro. E nesse sonho que eu tive, esse homem e essa mulher me diziam, eles falaram: Nós viremos até você em breve. Não fique com medo. Nós somos seus amigos. Nós somos sua família. Não tema.

Então, quando eu vi esses seres altos, no momento que eu pus os olhos neles, eu falei dentro da minha cabeça: … O que vocês estão fazendo aqui? Por que vocês não me deixam em paz? E aí, eu subi na espaçonave.

alien-loira-olho-azul-miriam-blue-star

Aparência de um ser extraterrestre contatado por Miriam

K: E você se lembra do que aconteceu dentro da espaçonave a partir daquele  momento?

M: A partir do momento em que eu sai da espaçonave, eu tive memórias muito claras. E eu tenho tido essas memórias por vinte anos.

K: Memórias claras do que aconteceu na espaçonave? Ou apenas memórias claras até esse ponto da estória que você nos contou?

M: Ambos. Do momento em que eu estava dentro da espaçonave, eu me lembro bastante do que me aconteceu. Isso não quer dizer que eu me lembro das três horas inteiras. Eu não me lembro. E eu não sei se algum dia eu vou me lembrar, porque, até agora…quer dizer, eu não passei por hipnose para recuperar as memórias. Então isso é um aspecto muito importante para eu esclarecer para qualquer pessoa que estiver assistindo (lendo), essas memórias vieram de memórias conscientes.

Assim, em outras palavras, eu entrei na espaçonave, tive esse encontro. Me tomou algumas horas. Mas, acabei percebendo que foram um total de três horas. Foi uma conta matemática muito clara que fiz. Então, houve três horas de tempo perdido.  E eu me lembro bastante da informação que eles me passaram nesse momento.

Existem, bem … Existem coisas que ficaram comigo, tão claramente, que até nesse momento, enquanto eu estou olhando para você eu ainda posso ver as imagens na minha mente toda vez que eu escuto sobre… Você sabe…

K: Você pode nos dar uma ideia do que foi explicado para você nesse encontro? E isso tem algo haver com o que você está fazendo agora, aqui, visitando Sedona e a terra dos HOPI na área de Four Corners ? (n.T. ponto único nos Estados Unidos, onde quatro estados fazem fronteira em linhas retas de ângulo em 90º, que formam uma gigantesca SUÁSTICA em solo norte americano – Colorado, Novo México, Arizona e Utah)

four-corners

A região chamada de “Four Corners“, onde quatro estados dos EUA (Colorado, Novo México, Arizona e Utah) se encontram. É possível de se projetar uma SUÁSTICA formada pela junção, em ângulo reto, da fronteira dos quatro estados. Os Quatro Cantos (“Four Corners”) são uma região do oeste dos Estados Unidos da América com a particularidade de ser o único lugar do país onde se encontram as fronteiras de quatro estados, em ângulos retos de 90°. Esta singularidade geográfica está situada em terras dos índios Navajo e Ute (estes últimos têm uma reserva na “esquina” do Colorado, assim como os índios HOPIS). Apesar da sua remota localização, o local é um destino turístico popular, e já desde 1912 conta com um marco geográfico, substituído em 1992 por uma placa de granito com um disco de bronze que marca o exato ponto de encontro dos quatro estados, rodeado pelos escudos e bandeiras dos respectivos estados (ver foto acima). Outro ponto importante é que no estado do N. México foi instalada a famigerada BASE DULCE dos extraterrestres Greys e também o estado onde fica ROSWELL, famoso pela queda e resgate de dois UFOs em 1947.

M: Tem tudo a ver. Vinte anos atrás me foi dado mensagens. E essas mensagens e informações que me foram transmitidas, eram tão claras para mim que dois dias depois que eu deixei aquela espaçonave eu tive uma compreensão perfeita das minhas habilidades psíquicas, de onde elas vieram, de como as possuía, e porquê.

E eu tive uma compreensão muito maior do meu pai que eu nunca tive antes em minha vida. Eu sabia que ele tinha sido contatado. Eu tive uma compreensão muito clara de que existiam muitas outras pessoas no mundo que eram como eu e que todas essas coisas estavam relacionadas.

E, depois de dois dias, eu comecei a escrever bastante sobre tudo isso. Eu de maneira alguma escrevi tudo, mas existem pontos chaves que eu botei no papel. Agora, nesse momento, mesmo algumas delas eu não compreendo totalmente, o que estava nessa informação, mas era sobre a área de Four Corners como sendo uma das “áreas seguras” no que eles chamaram de o Fim dos Tempos – se esses Fim dos Tempos viessem na forma como a que eles estavam nos avisando que seria provável de acontecer.

Então, esses avisos eram só possibilidades futuras, as quais diziam que o planeta poderia ser destruído e as pessoas poderiam ter momentos muito difíceis pela frente.

Agora, esses avisos foram apenas possibilidades, mas existiam coisas que eles tinham tornado muita claras para mim, muito claras; que a humanidade tinha que fazer uma escolha sobre se iríamos ou não acabar seguindo esse caminho da destruição ou seguindo por um caminho positivo.

Então, muitas dessas coisas me foram ditas vinte anos atrás. Mas, me aprofundando um pouco mais no assunto, eles também me contaram, em particular, muito sobre o território da área que abrange Four Corners.

Então, é claro que eu não entendi verdadeiramente, naquele momento em que eu ainda estava processando toda essa informação, o que era que eles estavam dizendo com – que essa área em particular, era uma área “segura” – e de que, como nesse período, certas pessoas poderiam se reunir lá.

A área de Four Corners é uma área muito importante para esses seres, porque lá é um dos pontos centrais na Terra, onde reuniões ocorrerão para muitas pessoas. Isso não significa necessariamente que todos precisam arrumar as malas, saírem e irem para a área de Four Corners porque é um “lugar seguro”.

navemãe-interior

Interior (REAL) de uma NAVE MÃE da Federação Galáctica, com a Terra aparecendo ao fundo, no lado esquerdo. Esta espaçonave esta estacionada em órbita da Terra em níveis de consciência mais elevados do que o nosso e aguardando o momento para a EVACUAÇÃO do planeta.

O que isso quer dizer é que, se um indivíduo viajar por essa área, eles serão capazes de receber informações sobre si mesmos, de maneira que lhes seja útil e os ajudem a saber onde eles precisam estar no planeta.

Se um grande cataclismo acontecer, existem certas áreas, na Terra, que serão zonas seguras. Mas isso não quer dizer que você poderá ir para lá e tudo vai ficar normal. O que quero dizer é que algumas zonas não terão tanta destruição, mas mesmo assim estarão em caos. Então, é preciso esclarecer as pessoas que existem esses lugares em particular que serão pontos e zonas seguras em toda Terra. (n.T. De acordo com nossa experiência pessoal, a área mais segura do planeta É o Planalto Central do Brasil, designado para ser o local de nascimento de uma NOVA RAÇA, pela Hierarquia que dirige os destinos da evolução da humanidade)

Agora, os povos indígenas (os mais CONECTADOS com a Mãe Terra) por todo planeta tem sabido dessas coisas por milhares de anos, e são eles que possuem todo o conhecimento à respeito de onde essas áreas particulares estão situadas. E se nós olharmos nas suas estórias mitológicas, vamos poder encontrar toda essa informação.

E, da mesma forma, isso vem sido guardado por eles por milhares de anos de maneiras que, se nós precisássemos da informação, ela estaria disponível para todo mundo. Então isso é realmente importante. Os HOPI, além de outros povos indígenas no planeta, fazem parte disso.

Agora, é preciso que haja uma entendimento muito claro aqui sobre o que eu vou dizer, porque eu tenho amigos que vivem na área dos HOPI. E eu conversei com as pessoas lá, mas de maneira nenhuma eu sou porta–voz ou falo em nome deles.

Então o que eu vou fazer é, eu vou compartilhar a minha experiência com vocês. Eu não vou falar sobre os HOPI. Eu vou compartilhar as minhas experiências que giram em torno deles.

CristoredentorBrasil

K: Talvez você possa nos dizer de onde a conexão se originou? Foi lhe dito por esses seres em 1988, de alguma forma. Eu assumo que esse também foi o momento em que eles lhe disseram para vir até a terra dos HOPI, em algum momento. Também havia algum tipo de pedra ou colar, ou algo que você tinha, e que você enterrou no seu quintal? Você quer compartilhar essa estória antes da gente prosseguir até a estória mais geral?

M: Sim. O relacionamento entre esses seres e os HOPI, por exemplo… Novamente, isso surge somente das minhas experiências, e é fascinante. Até para mim é fascinante.

Quando eu estava dentro da espaçonave, eu estava sentada no que eu chamei de “cadeira de Luz”, e ela era… você pode pensar, assim como uma cadeira exatamente como essa. (aponta para a cadeira em que ela está sentada). Exceto, que ao invés de ser uma cadeira comum, era feita de pura luz, então quase que incandescia. E eu me sentei nessa cadeira, e olhava para o outro lado da sala, e tinha um ser de cada lado. E uma tela apareceu de repente. E a tela era de verdade e bastante grande. Era mais ou menos desse tamanho… Tão grande quanto a cadeira e, você sabe … 60 ou 90 cm de altura. E enquanto eu olhava para a tela, havia informações que vinham dela. E imagens.

Essas imagens eram acompanhadas por informações que era passada para mim por esses seres através de telepatia ou – quero dizer eles falavam diretamente comigo — ou parecia que havia um fluxo constante de informação que era posto dentro da minha mente.

Agora, uma das coisas que eles compartilharam comigo foi sobre a criação do homem. E isso está muito relacionado com os HOPI e todas os povos indígenas e nós próprios.

Dessa forma, para encurtar a estória, eles explicaram que eles deram uma “mãozinha” na criação da espécie humana; mas, de forma alguma eles eram Deus. Eles eram os ajudantes da Terra para assegurar que…  Eles eram os administradores, de formas que ele poderiam estar lá para assistir a Terra, ajudar os seres humanos a se tornarem mais do que eles são atualmente.

No começo a vida foi criada, mas, nada aconteceu. Então, eles… Foi como se eles jogassem as sementes da vida pela terra, apenas para ver o que poderia acontecer. A ideia era que um recipiente (corpo) pudesse surgir, um corpo em que as centelhas de vida — nós (n.t. como Almas)– pudêssemos entrar e experimentar a vida nesse mundo. Mas, nada surgiu das sementes.

No Segundo Mundo, eles deram a vida mais formas; mas, ainda pensavam que ela poderia desenvolver-se em algo melhor. E, novamente, nada de valor real produziu-se.

ufo1

O terceiro Mundo foi criado… E, novamente, essas são as coisas que me foram mostradas e ditas. No Terceiro Mundo, eles disseram que a forma — o que significa nossos corpos — foram criadas e, então, nossas almas vieram para dentro dos corpos. Quando assim o fizemos, tínhamos todo esse conhecimento, habilidade de se comunicar uns com os outros, telepatia, tínhamos uma compreensão muito além do que a que temos atualmente (sobre a vida).

Porém, foi como dar fósforos às crianças para brincarem, sem as permitir se desenvolver mais ao longo das linhas da emoção e serem capazes de lidar com todos esses conhecimentos. Por esse motivo, eles ficaram como loucos. Eles brincaram muito. Eles se tornaram destrutivos. E, as coisas que eles fizeram eram muito trevosas e malignas naquela época.

Portanto, foi feita uma faxina no mundo, novamente, ele foi “limpado” e, novamente, os novos recipientes foram criados — e que são os (corpos) recipientes que ocupamos agora. Dessa vez, houve uma evolução lenta da “espécie humana” no tempo. Postado em Fevereiro 2015.

Continua…


  • “NÃO ANDE ATRÁS DE MIM, TALVEZ EU NÃO SAIBA LIDERÁ-LO.
  • POR FAVOR, NEM ANDE EM MINHA FRENTE, TALVEZ EU NÃO SAIBA SEGUI-LO.
  • ANDE AO MEU LADO PARA QUE JUNTOS POSSAMOS CRESCER E GALGAR OS DEGRAUS DA ELEVAÇÃO DA CONSCIÊNCIA.”  –   Provérbio Sioux

Ver mais informações em: 

  1. http://thoth3126.com.br/profecias-dos-indigenas-hopi/
  2. http://thoth3126.com.br/peles-vermelhas-aviso-de-final/
  3. http://thoth3126.com.br/roswell-o-dia-depois-da-queda-de-um-ufo/
  4. http://thoth3126.com.br/roswell-o-dia-depois-da-qaeda-de-um-ufo-de-final/
  5. http://thoth3126.com.br/roswell-entrevista-com-o-coronel-philip-j-corso/
  6. http://thoth3126.com.br/carta-do-chefe-seattle/
  7. http://thoth3126.com.br/a-lenda-do-bufalo-branco/
  8. http://thoth3126.com.br/nasceu-raro-bezerro-de-bufalo-branco-no-texas/
  9. http://thoth3126.com.br/katchinas-os-amigos-dos-indios-hopi/
  10. http://thoth3126.com.br/indigenas-das-americas-admitem-sua-origem-nao-terrestre/
  11. http://thoth3126.com.br/a-historia-secreta-do-planeta-terra/
  12. http://thoth3126.com.br/um-testemunho-do-povo-pele-vermelha/
  13. http://thoth3126.com.br/os-maias/
  14. http://thoth3126.com.br/grand-canyon-misterios-de-uma-imensa-caverna-revelados/

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

7 Responses to Um encontro com extraterrestres: Miriam Blue Star (01)

  1. Faiçal

    Obrigado por compartilhar tanta informação conosco!

  2. Hipolito Augusto

    Muito legal…

  3. Fabricio

    Onde está a continuação?

    • Ricco

      Blá blá blá. Falou muito e não disse nada! Acho que essa aí é uma picareta. Até a forma como se expressa, de forma “macarronica”, revela tratar-se de enganação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *