browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Mudanças climaticas. 2012 foi o ano mais quente nos EUA

Posted by on 14/03/2013

 O ano de 2012 foi o mais quente da História dos EUA, e  sim são as Mudanças Climáticas atuando fortemente.

Em julho, 61% do país estava passando por algumas condições de seca  – mais ou menos iguais às secas devastadoras da década de 1950, menor e menos radicais do que a seca Dust Bowl da década de 1930. Os períodos prolongados de seca e tempo quente brutalmente definiram o cenário para grandes incêndios de florestas – com cerca de 9.2 milhões de acres completamente queimados.

Tradução e imagens: Thoth3126@gmail.com
Por  janeiro 08, 2013
AGORA É oficial: 2012 foi o ano mais quente já registrado em todo a história do território continental dos  EUA – e ele não foi nem mesmo perto. O ano passado, 2012 bateu o recorde anterior por um 1 º F integral (0,56 º C). – do ano de 1998, o verão em que passei assando quase até à morte trabalhando como um estagiário em  Nova York  –
imagem: um ramo morto fica na terra rachada perto do reservatório de Morse, ao norte de Indianápolis, 22 de julho de 2012.
DANNY WILCOX FRAZIER / REDUX PARA TIME Um galho seco e morto sobre a terra rachada pela seca perto do reservatório de Morse, vazio, ao norte de Indianápolis, em 22 de julho de 2012, o ano mais seco da historia dos EUA. 

Essa é uma diferença muito pequena (1º F), pelos padrões meteorológicos. O ano de 2012 foi muito, muito quente o ano passado. Eu poderia citar mais estatísticas para provar esse ponto, mas acho que este mapa da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica-NOAA faz isso melhor do que qualquer outra coisa:

Como os números e cores em que se mostram no mapa, cada um dos 48 estados experimentaram uma média de temperatura anual do ano passado, que foi maior do que a média do século 20 para o mesmo Estado. (A temperatura média para os EUA continental em 2012 foi de 55,3 º F [12,9 º C], 3,2 º F [º 1,8 ºC] mais elevadas do que a média do século 20). Dezenove estados – incluindo o Texas, Nova York, Ohio e Oklahoma – tiveram sua maior média de temperaturas anual  no registro; outros 26 estados tiveram classificados nos 1o anos mais quentes que já tiveram. Eu disse que estava quente? Estava muito quente.

E isso foi apenas sobre a temperatura. Mas o ano passado também foi extraordinariamente seco para os EUA continental O total de precipitação média foi de 26,57 polegadas (67,49 centímetros), 2,57 polegadas (6,53 cm) abaixo da média – bom para o ano mais seco em 15 registros. E esse número nacional escondeu devastadores extremos locais, tanto que o Centro-Oeste foi dominado – e permanece preso – em uma interminável e histórica seca.

Em julho, 61% do país estava passando por algumas condições de seca  – mais ou menos iguais às secas devastadoras da década de 1950, menor e menos radicais do que a seca Dust Bowl da década de 1930. Os períodos prolongados de seca e tempo quente brutalmente definiram o cenário para grandes incêndios de florestas – com cerca de 9.2 milhões de acres (3,7 milhões de hectares) de florestas que foram queimados em 2012, a terceira maior área atingida no registro de 13 anos.

E enquanto 2012 certamente se destacou por suas altas temperaturas e seca, ele não foi incomum. A última década no mundo tem sido a mais quente registrada na história. (Registros de temperatura dos EUA voltando desde 1895.) E o calor tem sido acima da média por algum tempo. Quer saber a última vez que os EUA continental teve um recorde no mês frio? Foi Dezembro de 1983, lá se vão trinta anos.

Não podemos ficar sem mencionar que o principal motor por trás dessas aumento das temperaturas é PRODUZIDO pelo homem, as mudança climáticas, como Angela Anderson, da Union of Concerned Scientists, que disse:

“Infelizmente, esta não será a última vez que vamos quebrar recordes como estes. Quanto mais adiarmos a redução das emissões, mais vamos ficar presos às mudanças climáticas. O presidente (Obama) prometeu fazer das alterações climáticas uma prioridade em seu segundo mandato, mas ele precisa transformar suas palavras em ação. O preço para lidar com as mudanças climáticas sem controle faz o abismo fiscal gigante do governo se parecer como uma pequena rachadura na calçada”.

O problema é que temos a tendência para nos embasbacarmos com estas temperaturas extremas, ou com as perdas em bilhões de dólares com as tempestades, então depois encolhemos os ombros e voltamos para cuidar do nosso negócio diário. Esse comportamento (da omissão) não deve ser mais uma opção.

É claro, poderá sempre piorar. Exatamente agora a amena Austrália, com a alta temperatura média nacional sendo de 40,33º de MÉDIA . Exceto … que em vez de Farenheit na verdade é em Celsius. O que significa que a Austrália está queimando através de elevadas temperaturas médias  de 104,6 º F (40,3 º C).

Walsh é um editor sênior do  TEMPO . Encontre-o no Twitter em  @ bryanrwalsh . Você também pode continuar a discussão sobre  TEMPO ‘s  página no Facebook  e no Twitter em  @ HORA

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *