browser icon
You are using an insecure version of your web browser. Please update your browser!
Using an outdated browser makes your computer unsafe. For a safer, faster, more enjoyable user experience, please update your browser today or try a newer browser.

Mudancas climaticas: Reservas globais de alimentos atingem o seu nivel mais baixo em 40 anos

Posted by on 10/07/2013

30473813731163635 6 fatos que preveem o fim do mundo em 2012

Mudanças Climáticas: As Reservas globais de alimentos atingiram o seu nível mais baixo em quase 40 anos

De acordo com a Agência Reuters , a seca atingiu os fazendeiros norte americanos de uma forma particularmente difícil. Muitos deles tiveram de matar grandes porções de seus rebanhos (ovinos, bovinos, caprinos, etc), porque eles não podiam pagar (comprar ração) para alimentá-los por muito mais tempo. 

Então, houve um aumento de curto prazo no fornecimento de carne, mas porque os rebanhos estão menores agora o fornecimento de carne no longo prazo  vai se tornar muito mais apertado. Assim, se espera que os preços das carnes comecem a subir de forma significativa …

Seca nos EUA foi a pior dos últimos 50 anos e afeta principalmente a pecuária.

Tradução, edição  e imagens: Thoth3126@gmail.com

http://thetruthwins.com

The Truth – Por Michael

Para os seis dos últimos onze anos, o mundo consumiu mais alimentos do que produziu. Este ano, a enorme seca que atingiu os Estados Unidos e em outros lugares do planeta colocou ainda mais pressão sobre o abastecimento alimentar global do que o habitual. Como resultado, as reservas globais de alimentos atingiram o seu nível mais baixo em quase 40 anos.

Editora Globo

O secretário do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (Usda), Tom Vilsack, disse em 18/07 que a seca que atinge os Estados Unidos este ano é a “situação mais séria” que o país já enfrentou em 25 anos. Segundo Vilsack, as ferramentas administrativas para lidar com o problema são “um pouco limitadas”. Ele pediu ao Congresso norte-americano para agir rapidamente para ajudar os produtores do país.

Especialistas alertam que, se o próximo verão (no hemisfério norte) for semelhante a este último verão (junho/julho/agosto de 2012 no hemisfério norte) que ele poderia ser o suficiente para desencadear uma grande crise alimentar global. Neste ponto, o mundo está literalmente vivendo do que produz de um ano para o outro. Simplesmente não há muito alimento para amenizar a crise. No mundo ocidental, o primeiro meio pelo qual estamos indo perceber o impacto desta crise está no preço dos alimentos.

Eles estão sendo projetados de que os preços dos alimentos globais vão subir  entre 5 e 20 por cento até o final deste ano (2012). É cada vez mais claro que o mundo chegou a um ponto de inflexão na produção de alimentos. Nós não estamos mais produzindo alimentos o suficiente para todos, e as reservas globais de alimentos vai continuar a diminuir mais e mais. Eventualmente, ela irá desaparecer completamente.

A ONU emitiu um alerta sem precedentes sobre o estado da oferta mundial de alimentos. Segundo a ONU, as reservas globais de alimentos não estavam tão baixas como desde 1974 …

As reservas mundiais de grãos estão tão perigosamente baixas que o clima ruim nos Estados Unidos ou em outros países exportadores de alimentos poderia provocar uma crise principal alimentar e gerar mais fome no próximo ano, alertou as Nações Unidas.

A produção e as colheitas falhando nos EUA, Ucrânia e em outros países este ano minaram as reservas mundiais de alimentos para o menor nível desde 1974. Os EUA, que teve sucessivas ondas de calor e secas recordes em 2012, passou a deter uma reserva de alimentos historicamente baixa de apenas 6,5% todo o milho que se espera consumir no próximo ano, diz a ONU.

Global Food Reserves Have Reached Their Lowest Level In Almost 40 Years - Photo by Mosycity

“Nós não temos produzido, tanto quanto estamos consumindo. É por isso que os estoques de alimentos estão sendo consumidos. Os suprimentos de alimentos agora estão muito justos em todo o mundo e as reservas mundiais estão em um nível muito baixo, não deixando espaço para eventos inesperados no próximo ano” disse Abdolreza Abbassian, economista sênior da ONU para Agricultura e Alimentação (FAO).

Mas a população do globo hoje é muito maior do que era em 1974. Assim, escusado será dizer, nós temos um grande e principal problema em nossas mãos. Os Estados Unidos exporta mais alimentos do que qualquer outro país no mundo, e por isso a seca devastadora que os EUA experimentaram neste verão de 2012 está colocando um monte de pressão em todo o sistema alimentar global.

De acordo com a Agência Reuters , a seca atingiu os fazendeiros norte americanos de uma forma particularmente difícil. Muitos deles tiveram de matar grandes porções de seus rebanhos (ovinos, bovinos, caprinos, etc), porque eles não podiam pagar (comprar ração) para alimentá-los por muito mais tempo. Então, houve um aumento de curto prazo no fornecimento de carne, mas porque os rebanhos estão menores agora o fornecimento de carne no longo prazo  vai se tornar muito mais apertado. Assim, se espera que os preços das carnes começem a subir de forma significativa …

“A pior seca que atingiu as lavouras dos EUA em mais de meio século poderá em breve deixar os norte americanos procurando mais profundamente recursos em seus bolsos para financiar um luxo de que poucas pessoas em outros países hoje desfrutam: carnes a preços acessíveis.

A severa seca de 2012 dizimou as pastagens nos EUA e os campos de cultivo de cereais e empurrou para a estratosfera os preços dos grãos, e os custos de alimentação crescentes levaram alguns produtores de gado para liquidarem com os seus rebanhos. Esto fato se espera a redução do fornecimento de carne à longo prazo nos EUA  e forçará para cima os preços no balcão de carnes.

A chamada região do cinturão de produção de grãos/cereais dos EUA enfrentaram a sua pior seca nos últimos 56 anos.

Alguns analistas já estão projetando “uma escassez mundial de carne de porco e de bacon”, segundo o jornal Los Angeles Times …

“O preço do milho – um componente-chave para a alimentação animal (porcos e frangos) e um ingrediente básico de açúcares em pó, xaropes, molhos para saladas, refrigerantes e muito mais produtos – catapultou em 60% no início do último verão. Um grupo comercial britânico previu recentemente “uma escassez mundial de carne de porco e bacon já no próximo ano”, que a maioria dos analistas interpretam no sentido de que os preços mais altos estão surgindo à frente.

Enquanto isso, carne de frangos e perus estão ficando mais caras apenas a tempo da chegada dos feriados de fim de ano. Os preços de carne de frango estão mais altos em 5,3% ante o ano anterior, enquanto o custo de carne de peru e outras aves de consumo é de 6,9%. Os ovos já custam 18% a mais em setembro do que no ano anterior no mesmo mês.”

Infelizmente, a verdade é que os preços dos alimentos já esta vindo a aumentar nos Estados Unidos nos últimos anos. Nós estamos aceitando isso como “normal”, mas estes aumentos de preços são realmente horríveis e apertam mais os orçamentos das famílias de classe média e nós certamente não precisamos dos preços dos alimentos a começarem a subir ainda mais rápido.

Mapa da seca nos EUA em outubro de 2012

Recentemente um homem se apresentou com um recibo de supermercado de compras feitas há  oito anos atrás. Quando foram comparados os preços dos produtos com o custo que ele está pagando agora pelos mesmos produtos ele ficou absolutamente atordoado …

1 lata de sopa Campbells vegetal foi listado como a $ 0,89 dólares, estamos agora pagando $ 2,19 para o mesmo pote, aumento de 173,75%; Filés frescos de peixe Haddock eram de US $ 3,99 a £. Agora está a $ 7,99 a libra, aumento de 100%. 4 litros de leite desnatado eram $ 4,59 dólares … agora são $ 7,59 dólares, aumento de 65,36%.  Um pão de trigo integral era de $ 0,99 dólares … agora custa R $ 2,99, aumento de 200%. Pimenta verde fresca custava US $ 1,99 £ … agora custa $ 3,99 a libra, aumento de 100,5%. O suco de tomate enlatado custava US $ 0,99 por lata … agora se paga $ 2,29 a lata, com aumento de 131,31% …

Muitos preços simplesmente dobraram (aumento de 100%) em apenas oito anos. Agora que os preços dos alimentos podem começar a aumentar ainda mais rapidamente, quanto tempo passará até que os preços dos alimentos novamente dupliquem de preço? Muitos norte-americanos ficarão chocados com os preços dos alimentos, mas pelo menos por enquanto, não vão ter que lidar com a escassez de alimentos reais, como muitos outros povos do outro lado do planeta em breve. No final de agosto de 2012, o Banco Mundial publicou um aviso sobre a fome mundial 

“Os preços dos alimentos subiram drasticamente novamente ameaçando com fome a saúde e o bem-estar de milhões de pessoas”, disse o presidente do Banco Mundial , Jim Yong Kim. ” A África e o Oriente Médio estão particularmente vulneráveis, mas assim também estão as pessoas em outros países, onde os preços dos grãos subiram abruptamente.”

O banco Mundial disse que os preços dos alimentos em geral cresceram em torno de 10% entre junho e julho se fixar em patamar de 6% sobre um ano antes. “Nós não podemos permitir que esses aumentos de preços sejam históricos e que transformem a vida e ponham em perigo como as famílias tirem seus filhos fora da escola e comam alimentos menos nutritivos para compensar a alta dos preços”, disse Kim”.

A field of dried corn plants near Percival, Iowa

Um campo com plantação de milho, totalmente seco e improdutivo, próximo à Percival, no estado de Iowa, EUA.Photograph: Nati Harnik/AP

O preço dos alimentos pode significar a diferença entre a vida e a morte em algumas das áreas mais pobres da África. O que algumas famílias africanas enfrentam em uma base diária seria absolutamente inimaginável para muitos de nós no mundo ocidental enfrentarmos. O exemplo a seguir é de um recente artigo publicado no jornal The Guardian …

“Do outro lado do mundo, Maria Banda, que vive em Mphaka aldeia perto de Nambuma no Malawi, teve um ano em que ela quase não foi capaz de alimentar seus filhos, um dos quais foi para o hospital internado com desnutrição. Agente da saúde do trabalhador do Governo Patrick Kamzitu disse: “Nós estamos vendo cada vez mais a fome entre as crianças O preço do milho dobrou no último ano e famílias costumavam ter uma ou duas refeições por dia, agora eles estão encontrando dificuldade para ter apenas uma…”

Como você se sentiria se você só tivesse uma refeição por dia? Em muitas partes da Índia e em muitas partes da África mais de 40 % de todas as crianças têm crescimento retardado devido à desnutrição e falta de acesso à água limpa.

Então se sua família tem o suficiente para comer e beber todos os dias você deve ser grato por essas bênçãos. O que torna as coisas ainda mais piores é que os grandes bancos especulam em apostas no preço dos alimentos em um jogo gigante como num casino. Muitos estão ganhando enormes quantidades de dinheiro através da especulação de commodities (mercado futuro de cereais), mas dirigindo-se os preços para cima e gravemente prejudicando milhões de famílias do outro lado do planeta. O seguinte é de um artigo recente de Heather Stewart sobre o assunto…

“O Instituto Internacional de Finanças estimou que até o meio do ano passado, $ 450 bilhões de ativos financeiros foram investidos em commodities – ou derivados, apostando em movimentos de preços futuros (no mercado de cereais como soja, milho, arroz etc..).

Em princípio, não haveria nada de errado com financiadores entrando no mercado de alimentos, e colocando recursos de bilhões de dólares de investimento para a expansão da produção agrícola, trazendo novas terras para o cultivo e desenvolvimento de novas tecnologias para aumentar a produção de alimentos.

Mas – com o mercado financeiro internaci0nal completamente louco com os títulos lastreados em hipotecas (podres) na corrida para a crise de crédito, e o boom de construção civil resultado visto em todos os EUA, ilustrado de forma muito clara ultimamente- os sinais de aumento de preço emergentes dos rebanhos e dos alimentos alardeados pelos ganksters de Wall Street pode ser profundamente enganador.

Em um artigo recente, provocativamente intitulado “Não responsabilize os mercados físicos”, a agência de comércio da ONU e seu braço de desenvolvimento,  o Unctad, argumentou que a muralha de dinheiro inundando especulativamente em commodities tem distorcido muito mal os preços dos alimentos e sinaliza mal os preços para um mercado de commodities que funcionava bem e que deveria enviar aos produtores e consumidores sinais seguros dos preços”.

Uma onda de secas nos países de maior produção agrícola está provocando o aumento dos preços dos alimentos em todo o mundo, despertando temores de uma crise semelhante à que ocorreu há quatro anos. Neste ano, os Estados Unidos passaram pela sua pior seca em mais de meio século. Grandes extensões de terra da Rússia também não tiveram chuva suficiente. Até mesmo a temporada de monções na Índia foi seca. Na América do Sul, o índice pluviométrico ficou abaixo da média histórica.

A era da comida barata aparentemente interminável chegou ao fim. Nos próximos anos, simplesmente não haverá comida suficiente para todos no mundo. Algumas pessoas vão passar fome. Essa é uma razão pela qual eu estou encorajando todos a começar a se preparar para a crise alimentar que vai ser global. Alguns especialistas estão projetando o pior para os próximos anos … Evan Fraser, autor de Impérios de Alimentos e professor de geografia na Universidade de Guelph, em Ontário, no Canadá, diz:

“Para seis dos últimos 11 anos, o mundo consumiu mais alimentos do que produziu. Nós não temos qualquer amortecedor e estamos consumindo as reservas para baixo. Nossos estoques estão muito baixos e se tivermos um inverno seco e a colheita do arroz for pobre poderemos ter uma grande crise alimentar em todas as frentes”.

“Mesmo se as coisas não aconteçam desse modo este ano, no próximo verão vamos ter usado este amortecedor das reservas e os consumidores nas partes mais pobres do mundo serão novamente expostos aos efeitos de qualquer queda que ocorra na produção de alimentos”.

Vamos certamente esperar o melhor, mas vamos também nos preparar como se o pior absolutamente está vindo em nossa direção. Estou ocupado me preparando. E você também esta se preparando? Seja sociável, divida esta informação!

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e a citação das fontes.

www.thoth3126.com.br

2 Responses to Mudancas climaticas: Reservas globais de alimentos atingem o seu nivel mais baixo em 40 anos

  1. sergio

    tu ja viu isso e bom nos comesar a armazenar enlatados etc coisas que da pra guardar que nao estraga faser charque de carne e as coisas vao fica foda eu ja vinha a muito tenpo pesquiando sobre a falta de alimento mas com estes problemas de seca ta piorando . leia ai e comprove vc mesmo.

    • Eder Wagner

      Não sou a favor do consumo de carne! você é um herbivoro. seus dentes, sua mandibula, suas enzimas salivares, seu intestino são caracteristicos de um herbivoro. Comer carne é uma maneira facil de conseguir nutrir, mas traz desvantagens enormes para sua saude e para a saúde do planeta. para produzir um kilo de bife são usados no processo 15 mil litros de agua, precisa-se de um hectare e até 90% de toda soja e milho produzido vira ração…. com esta mesma área vc mantem 22 pessoas ao invéz de uma com o vegetarianismo. e os desmatamentos ocorrem basicamente para criação de gado e produção de soja/milho.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *