browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Chuvas de Meteoros, começando em 22 e 23 Abril, com Lyrids

Posted by on 22/04/2016

Imagens da queda e explosão de meteoro, em Chelyabinsk,  na Rússia. 15/02/13

Chuva de Meteoros e Estrelas Cadentes, como se formam, fatos e a sua descoberta com belas imagensAssistir a uma chuva de meteoros em uma noite escura, mas com céu limpo, pode ser uma experiência inesquecível. Este show cósmico faz até mesmo o astrônomo mais endurecido se embevecer com admiração com as milhares de estrias e flashes de luz que perfuram o céu noturno para uma exibição celestial impressionante.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@protonmail.ch

http://www.space.com (NASA)

As Chuvas de meteoros ocorrem quando a poeira e partículas de asteroides ou cometas, entram e caem na atmosfera da Terra a uma velocidade muito alta. Quando esses detritos atingem a atmosfera, os meteoros se atritam contra partículas de gases existentes na atmosfera e pelo atrito, aquecendo os meteoros que se incendeiam a mais de 3.000 graus Fahrenheit (dependendo do tamanho alguns explodem emitindo muita luz).

Meteoros Eta Aquarids em 06 de maio de 2013. Stephen Voss enviou esta foto de Otago Harbour Entrance in Dunedin, New Zealand

O calor gerado pelo atrito com os gases da atmosfera vaporiza a maioria dos meteoros, criando o que chamamos popularmente de estrelas cadentes (a maioria se tornam visíveis à distância de cerca de 60 milhas de altitude – 96 quilômetros). Alguns grandes meteoros explodem, causando um flash brilhante chamado de bola de fogo, que muitas vezes pode ser ouvido muito longe até 30 quilômetros.

O que são meteoros 

A maioria dos meteoros são muito pequenos, alguns tão pequenos quanto um grão de areia, de modo que eles se desintegram no ar. Os maiores que atingem a superfície da Terra são chamados de meteoritos e são mais raros. 

Uma “tempestade” de meteoros Leonids em 1999. NASA

Para um objeto em queda pela atmosfera se romper depende da sua composição, velocidade e ângulo de entrada. Um meteoro mais rápido num ângulo oblíquo sofre maior stress e pressão atmosférica. Os meteoros compostos de ferro (ou outro metal) suportam melhor o stress da entrada na atmosfera do que os que são feitos de outros materiais, como rochas.

Até mesmo um meteoro de ferro geralmente se quebrará quando penetrar na atmosfera mais densa, em torno de 5 a 7 milhas (entre 8 a 11,2 km) de altitude. Grandes meteoros podem explodir acima da superfície, causando danos generalizados a partir da explosão e consequente incêndio.

Isso aconteceu em 1908, sobre a Sibéria, no que é chamado o evento de Tunguska (n.t. e recentemente, de novo na Rússia, em 15 de fevereiro, na região de Chelyabinsk, ferindo centenas de pessoas com estilhaços da explosão provocada pela onda de choque quando o meteoro explodiu ainda em alta altitude). 

Em 15 de fevereiro um meteoro explodiu sobre a região de Chelyabinsk, na Rússia, e APENAS a onda de choque da explosão causou centenas de feridos, destruiu milhares de vidraças em pleno inverno, derrubou paredes de fábricas e o som da explosão foi ouvido em um raio de dezenas de quilômetros.

Fatos sobre a chuva de meteoros

Meteoros são muitas vezes vistos caindo do céu sozinhos – um aqui, outro ali. Mas há certas vezes durante o período de um ano, quando dezenas ou até mesmo centenas de meteoros caem por hora iluminando o céu, aparentemente vindo de uma parte específica da abobada celeste, irradiando em todas as direções, e caindo em direção à Terra, um após o outro.

Chuvas de meteoros ocorrem quando a Terra atravessa periodicamente um rastro de detritos e poeira deixados pela passagem de um cometa. Por exemplo, a chuva de meteoros Orionidas acontece quando a Terra passa através de uma nuvem de detritos deixados pelo cometa Halley . Outros são causados por restos de asteróides. Milhares destas pequenas partículas podem entrar na atmosfera da Terra, entrarem em ignição pelo atrito e deixar rastros de fogo na medida em que eles se queimam.

Em média, meteoros podem acelerar através da atmosfera de cerca de 30.000 mph (48.280 kph) e atingem temperaturas de cerca de 3.000 graus F (1.648 graus Celsius). Às vezes, os meteoros podem explodir em bolas de fogo magníficas que às vezes podem ser vistos até durante o dia.

Bola-de-fogo-meteoro

Meteoros, alguns são mais velhos do que a Terra, trazendo fogo (e vida) dos céus.

Chuvas de meteoros que merecem ser vistas ao longo do ano:

Existem várias chuvas de meteoros periódicas e anuais que os astrônomos e observadores amadores esperam a cada ano:

Lyrids: Eles parecem surgir a partir da brilhante estrela Vega, na Constelação de Lyra: todos os anos, no final de abril a Terra passa pela empoeirada cauda do cometa Thatcher  (C/1861 G1), e o encontro provoca uma chuva de meteoros – chamada de Lyrids.

Este ano de 2016, os picos dessa chuva de meteoros será na sexta-feira de madrugada, dia 22 de abril. Os Meteorologistas do clima espacial esperam queda de 10 a 20 meteoros por hora, embora explosões tão elevadas como a queda de 100 meteoros por hora sejam possíveis com os Lyrids. 

lyrids-skymap

A chuva de meteoros Lyrids ocorrerá a partir do dia 22 e 23 de abril de 2016, será visível em todo o hemisfério Sul, incluindo o Brasil, com o melhor momento para a observação sendo quando a estrela mais brilhante dessa constelação de Lyra, Vega  estiver bem alta no céu. Isso pode acontecer entre as 02h30 as 04:30 da manhã. 

Um fato que torna essa chuva particularmente interessante de ser observada é a magnitude do brilho dos meteoros durante sua queda. A magnitude aparente prevista para os meteoros dessa chuva é de 2.0, o que possibilita observá-los até mesmo em grandes cidades, nos locais mais escuros e retirados do centro. 

meteorosLyrids

A Chuva de meteoros Lyrids ocorre a cada ano, em meados de abril, quando a Terra passa através do rastro empoeirado de detritos que sobraram da passagem do Cometa Thatcher, que também é conhecido como C/1861 G1 Thatcher. O cometa orbita o Sol uma vez a cada 415 anos. Os Lyrids são criados quando estrias de poeira do cometa caem através da atmosfera da Terra a uma velocidade de até 110.000 mph (177.027 kph). Os Lyrids tem o seu nome, porque eles parecem irradiar da constelação de Lyra. Os seres humanos têm observado “estrelas cadentes” caírem há mais de 2.600 anos, os cientistas da NASA disseram.

Leonids: A mais brilhante e mais impressionante é a chuva de meteoros Leonids ou a rainha das Chuvas de meteoros que pode produzir uma tempestade de meteoros que inundam os céus da Terra com milhares de meteoros por minuto em seu pico máximo. Na verdade, o termo chuva de meteoros foi cunhado após os astrônomos, observarem uma  das exibições/exposições dos Leonids das mais impressionantes no ano de 1833.  

A mais linda chuva de meteoros Leonids só acontece em intervalos de aproximadamente 33 anos, sendo a última que iluminou o céu da Terra, em 2002, e não deverá ser repetida até 2028. [ surpreendentes Leonid Meteor Shower Fotos ]

Italian astrophotographer Lorenzo Lovato photographed this spectacular fireball from the 1998 Leonid meteor shower on Nov. 17, 1998.

Perseidas: Outra combinação que vale a pena se manter acordado durante a noite é a chuva de meteoros Perseidas , que é associado com a passagem do cometa Swift-Tuttle. A Terra passa através da órbita do cometa durante o mês de agosto de cada ano. Não é tão ativo quanto as Leonids, mas é a chuva de meteoros mais vista do ano (no hemisfério norte porque então é o auge do verão), chegando a 12 de agosto, com mais de 60 meteoros por minuto.

O astronauta da NASA Ron Garan fotografou uma “estrela cadente”, durante a chuva de meteoros Perseidas em 13 de agosto de 2011 a partir da ISS-Estação Espacial Internacional. NASA

Orionids: A chuva de meteoros Orionids , como mencionado antes, é o evento que ocorre quando a Terra passa através dos detritos deixados pelo cometa Halley que orbita o Sol a cada 75 a 76 anos. O chuveiro Orionids acontece todo mês de outubro e pode durar uma semana, tratando observadores pacientes com um show de 50-70 estrelas cadentes por hora em seu pico. As chuvas de meteoros são nomeados com o nome das constelações de onde a chuva parece estar vindo. [ Fotos: meteoros Orionids Meteoros de 2011 ]

Uma imagem do cometa Halley tomada em 1986. O Cometa Halley é a fonte da Chuva de meteoros Orionids (outubro) e chuvas de meteoros Eta Aquarid (maio) a cada ano. NASA

Os Orionids se originam surgindo da constelação de Orion enquanto meteoros Perseids parecem estar vindo da constelação de Perseus. Outras chuvas de meteoros que vale a pena assistir são os Quadrantids, Geminidas e Lyrids.

Quadrantids: A chuva de meteoros Quadrantid surge dos restos do asteroide chamado 2003 EH1 que é, provavelmente, uma parte de um cometa que se partiu há séculos atrás. Os detritos entraram na atmosfera da Terra em janeiro de 2012 e ofereceu aos astrônomos e outros observadores da Terra uma breve apresentação, que durou algumas horas. [Espetacular Quadrantid Meteoro Fotos ]

Meteor Quadrantid fotografado por Brian Emfinger Crédito: Brian Emfinger. Ele tirou esta fotografia em 2 de janeiro de 2012, em Ozark, Arkansas.

Geminids: Como os Quadrantids, a chuva de meteoros Geminid também veio de partículas de poeira de um asteroide, desta vez um asteroide próximo à Terra chamado 3200 Phaeton. Chuvas de meteoros são em sua maioria causadas por detritos e poeira de cometas, os Quadrantids e Geminidas são gerados por restos de asteroides, fazendo-os diferente das outras chuvas de meteoros. Os Geminids pulverizam até 40 meteoros por hora surgindo da constelação de Gêmeos em seu pico máximo.

Melhor tempo e lugar para se ver uma chuva de meteoros

As pessoas que vivem no Hemisfério Norte estão na melhor posição para observar as mais belas chuvas de meteoros. Por exemplo, a América do Norte esta logo abaixo da região do céu onde em janeiro a chuva de meteoros Quadrantids aparece.

A presença de uma lua brilhante pode escurecer a perspectiva de se ver uma boa chuva de meteoros, abafando todos, mas deixando os meteoros mais brilhantes. Locais  poluídos de luz artificial (como nas cidades) diminui muito a capacidade de observação, e o melhor lugar para se ver uma chuva de meteoros é fora da cidade, na zona rural.

A maioria das chuvas de meteoros é melhor visualizada nas horas logo imediatamente antes do amanhecer, quando a parte da Terra em que você está fica voltada para a direção da órbita do planeta.

É como os insetos que batem no pára-brisa de um carro. Nos horários noturnos, por outro lado, os meteoros são menos freqüentes – vagamente semelhante a insetos batendo no pára-choque traseiro de um carro.

A Melhor época do ano para chuvas de meteoros

Chuvas de meteoros podem ser vistas em diferentes épocas do ano, dependendo de quando a Terra vai passar pelo rastro dos detritos e poeira de um cometa ou asteroide em seu caminho orbital. 

Algumas chuvas de meteoros acontecem anualmente, outros só aparecem durante um período de vários anos, enquanto alguns dos melhores shows – tempestades de meteoros – acontecem uma ou duas vezes na vida.

Vídeo com imagens do impacto da queda do meteoro na Rússia em fevereiro:

O clima também pode dificultar uma boa visão de chuvas de meteoros. Um céu limpo com noite escura (fase da lua nova) é um presente para contempladores noturnos do céu, e é por isso que as chuvas de meteoros durante o verão (no hemisfério norte, de junho a setembro) são os mais esperados do que aqueles que caem nos meses de inverno. Postado em Abril de 2014.

Saiba mais em:

  1. http://thoth3126.com.br/chuva-de-meteoros-perseidas-de-2013-12-e-13-de-agosto/
  2. http://thoth3126.com.br/explosao-e-queda-de-meteoro-na-russia-destruicao-e-feridos/
  3. http://thoth3126.com.br/argentina-meteoro-explode-e-ilumina-provincia-de-tucuman/
  4. http://thoth3126.com.br/chuva-de-meteoros-perseidas-e-delta-aquarids/
  5. http://thoth3126.com.br/meteoro-explode-nos-ceus-dos-eua-sexta-a-noite/
  6. http://thoth3126.com.br/meteoro-na-argentina-explosao-em-novas-imagens/
  7. http://thoth3126.com.br/meteoro-explode-sobre-a-espanha/
  8. http://thoth3126.com.br/licoes-do-impacto-de-meteoro-na-russia/ 
  9. http://thoth3126.com.br/chuva-de-meteoros-na-constelacao-de-lyra/

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

18 Responses to Chuvas de Meteoros, começando em 22 e 23 Abril, com Lyrids

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *