browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Cometa Siding Spring-C/2013 A1, possivel colisão com Marte

Posted by on 17/10/2014

Cometa Siding Spring-C/2013 A1

O Planeta MARTE esta na primeira fila do banco para assistir a passagem do 1º cometa de 2014, que foi descoberto logo no início do ano passado, em 03 de janeiro.

O enorme (com até 50 km de diâmetro) Cometa Siding Spring-C/2013 A1, que poderia colidir com o planeta vermelho, em 19 de outubro, em seu caminho para sua aproximação com o sol…

Tradução, edição e imagensThoth3126@gmail.com

O Cometa SIDING SPRING (C/2013 A1), descoberto em 03 de janeiro de 2013 e agora adentrando o sistema solar vindo da Nuvem de Oort, promete dar um show espetacular em dezenove de Outubro de 2014. Os primeiros cálculos determinam que ele se aproximará MUITO do planeta Marte.

Postado Por Kbeatty@SkyandTelescope.Com 

Fonte: www.skyandtelescope.com

Os amantes de astronomia e de cometas estão imaginando como eles podem magicamente se transportar para as planícies rosadas de Marte no final do próximo ano para ver um espetáculo realmente incrível. 

siding-spring

 O observatório Siding Spring Observatory, próximo à   Coonabarabran, Nova Gales do Sul, parte da Research School of Astronomy & Astrophysics (RSAA) na Austrália, que descobriu o novo cometa. 

O Cometa SIDING C/2013  A1

Ele foi descoberto em 03 de janeiro de 2013 pelo astrônomo amador Robert McNaught, o cometa recebeu a denominação oficial de C/2013 A1 Siding Spring por ter sido descoberto pelo Siding Spring Observatory, próximo à  Coonabarabran, Nova Gales do Sul, parte da Research School of Astronomy & Astrophysics (RSAA) na Austrália. 

Antes de Robert McNaught tê-lo oficialmente descoberto , o cometa já tinha sido localizado em 8 de dezembro de 2012 pelo observatório Catalina Sky Survey, da Universidade do Arizona, mas sem que fosse possível determinar sua orbita.

O quão próximo o  Cometa Siding (C/2013 A1) passou do planeta Marte em outubro de 2014? As previsões iniciais sugerem que até uma colisão seria possível.

Isso porque o cometa Siding Spring (C/2013 A1) vai passar muito perto do planeta vermelho em 19 de outubro de 2014. Agora cálculos de dinamicistas celestes no JPL-Jet Propulsion Laboratory, Laboratório de Propulsão a Jato acham que o cometa deve alterar sua órbita em cerca de 65 mil milhas (105.000 km), mas ainda permanece a change de 1 em 10, 000 de uma colisão direta do cometa com o planeta Marte.cometa-siding-spring-gráfico

Acima: Você pode acompanhar o movimento do cometa dentro do distema solar usando excelente simulador orbital fornecido pelo site do JPL Horizons. Acima uma amostragem do caminho do cometa por Rob Kaufman do Australia’s Bright Astronomy). 

O perito em acompanhar/descobrir cometas Robert McNaught descobriu este objeto em 3 de janeiro usando o telescópio Schmidt Uppsala na Observatório Siding Spring, na Austrália. (Notavelmente, isto aconteceu apenas 10 dias antes que um incêndio invadisse parte do observatório). Quase imediatamente, os astrônomos no Arizona encontraram o objeto em imagens no Catalina Sky Survey tomadas um mês antes. 

Essas observações, combinadas com outras feitas por observatórios em outros lugares, mostraram que o cometa tem uma órbita altamente inclinada, retrógrada, que não passará mais perto do que 1,4 unidades astronômicas (140 milhões de milhas) do sol. Isso não é nada perto da Terra, mas essa distância de 1,4 UA é justamente sobre a órbita de Marte. Há poucos dias o astrônomo amador amador russo (e descobridor do cometa que levou seu nome) Leonid Elenin identificou a grande aproximação do Siding Spring ao planeta vermelho em outubro do próximo ano.

cometa-siding_spring_marte

Acontece que ele não foi o primeiro a notar esse fato. “O sistema de monitoramente de pequenos objetos (como meteoros e asteroides) do laboratório JPL  automaticamente verifica as órbitas desses objetos se aproximando em relação a todos os planetas, da Terra e da Lua”, comenta o dynamicist Paul Chodas, “e nós estamos acompanhando esta séria  probabilidade de impacto nas últimas semanas.”Na medida em que os dois corpos se aproximam, eles estarão correndo em direção um ao outro de 35 milhas (56 km) por segundo, e as estimativas preliminares sugerem que o núcleo do cometa  C/2013 A1 poderia ser de 30 ou 50 quilômetros de diâmetro.

Assim, uma colisão dessa magnitude significaria um péssimo mau dia em Marte. O Impacto calculado pelo especialista H. Jay Melosh com os números usados em um poderoso calculador de crateras que ele desenvolveu, apesar de  que ninguém sabe ainda o tamanho do núcleo com certeza, ele fez as  simulações utilizando diâmetros de 5 e 30 milhas (8 a 50 km) para o cometa. 

Ambas as simulações produziram crateras de pelo menos 6 milhas (10 km) de profundidade. Na menor hipótese cria uma bacia de 100 milhas (160 km) de largura. Mas o resultado é uma cratera maior, inimaginável: um enorme buraco de mais de 500 milhas (800 km) de largura.  

cometa-siding-spring-111014

De tamanho enorme, este seria um dos 10 maiores impactos  acontecidos no Planeta Vermelho! “Esse realmente seria um grande buraco no chão de Marte “, diz Melosh. “Mas desde que o intervalo de recorrência médio de tais grandes crateras é muito longo, nós teríamos que ser muito, muito sortudos para ver uma coisa dessas acontecer em nossas vidas.”

Este gráfico acima mostra como o Cometa Siding Spring (C/2013 A1) aparecerá como visto de Marte. O “melhor ponto de observação” ocorre quando o brilho total do cometa é de pelo menos magnitude 12 e seu alongamento do Sol é de 30 ° ou mais. Clique na imagem para ampliá-la. Jon Giorgini / NASA / JPL

cometa siding-spring-best_observing

Colisão ou passar raspando, o cometa Siding Spring vai proporcionar um show que poderia ser visto a partir de Marte. Calculado pelo aficionado em pequenos corpos,  Bill Gray, a órbita do cometa se aproxima de Marte a partir do sul e varre os céus do hemisfério norte do planeta vermelho em apenas algumas horas. “Ele provavelmente não vai alcançar a magnitude -8,8 em brilho mostrado na efeméride”, adverte.”Ainda assim, talvez ele vai ser próximo e brilhante o suficiente (e devidamente colocado) em Marte para obter algumas imagens agradáveis”. Essa possibilidade não escapou para os gerentes de missões da NASA.  

Atualmente três embarcações/sondas espaciais estão circulando agora o planeta vermelho  (MRO-Mars Reconnaissance Orbiter, Mars Odyssey e a europeia Mars Express da ESA), e outras duas, as Curiosity e Opportunity são sondas itinerantes “hoje passeando sobre a superfície de MARTE. Potencialmente qualquer uma delas pode ser comandado para tirar algumas fotos do cometa, por exemplo, uma das câmeras do mastro da Curiosity tem um comprimento focal de 100 mm e capacidade de cor. 

Se o cometa passar como o esperado, diz Michael Ravine de Malin Space Science Systems, que construiu as câmeras, algumas imagens serão definitivamente possíveis de serem feitas. “Eu estou imaginando um cometa brilhante espetacularmente posicionado sobre uma paisagem que inclui o Monte Sharp em Marte,” ele brinca. Ou o que dizer de MRO? Tem um monte de “ativos de imagem.”

cometa_siding-spring

Então eu coloquei essa questão para o  cientista do projeto do MRO Richard Zurek. “Isso já esta em cima da minha cabeça”, Zurek respondeu, “há vários instrumentos que podem entrar em jogo: MARCI com sua imagem multi-cores (inclusive no espectro ultravioleta), CTX com a sua resolução moderadamente alta em um amplo campo de visão, e CRISM e MCS pode adicionar informações no infravermelho próximo e médio. A maior parte deste equipamento seria focada no coma do cometa por CTX e e o resto na cauda, dependendo da evolução da passagem do cometa . 

E, claro, nós vamos tentar algo com o HiRISE com a sua resolução espacial muito alta (possivelmente muitos pixels no núcleo), assumindo que as taxas da espaçonave são razoáveis. Mas o Cometa SIDING SPRING C/2013 A1 representa perigo para essas embarcações também. O cometa deve passar por perto o suficiente para mergulhar completamente Marte em seu coma de gás e poeira. Quem sabe o que pode chover para a superfície marciana? Mas de uma forma ou de outra, deverá ser um belo espetáculo!

Postado Por Kbeatty@SkyandTelescope.Com.

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

10 Responses to Cometa Siding Spring-C/2013 A1, possivel colisão com Marte

  1. Felipe silva

    Ahn…Uma Dúvida se um cometa colidi em um planeta ou em outro corpo celeste por ex.Ele ainda é considerado um cometa?ou passa a ser um meteoro,asteróide ou meteorito…

    • Thoth3126

      Olá Felipe, segue alguns dados sobre a sua pergunta:

      COMETAS: É uma grande bola de gelo – formada pela junção de vários gases – que vaga pelo espaço. O cometa é uma espécie de “sobra” do processo de formação dos grandes planetas gasosos do sistema solar, como Júpiter e Saturno. Também variam muito de tamanho e sua principal característica é a formação de sua cauda e coma quando se aproxima do sol, seus gases congelados se aquecem e se desprendem da superfície do cometa.

      Asteroides/Meteoros: Enquanto o cometa é uma bola de gases congelados, os asteroides/meteoros vão desde uma pequena até uma grande e SÓLIDA pedra/rocha/montanha espacial,que pode ter diferentes composições, desde metais até simples pedras. Eles são também uma “sobra” do sistema solar, mas uma sobra do processo de formação dos próprio planetas rochosos, como Terra, Vênus, Marte e outros. Com formato irregular e tamanhos variados,a maioria dos asteroides e meteoros são pequenos, mas alguns podem chegar a centenas de quilômetros de diâmetro como é o caso do Apophis e do Vesta.

      Todos os corpos que vagam no espaço interplanetário e até mesmo interestelar, ao penetrarem no interior de um sistema solar, dependendo de sua trajetória pode colidir com algum planeta e com o próprio sol do sistema, apresentando diferentes resultados..

  2. Felipe silva

    Muito Obrigado.Estou realmente satisfeito com sua resposta.Até breve.
    Paz.

  3. Sonia Regina Ribeiro Ramalhoso

    Caso o cometa c-2013A1 colida com Marte,existe alguma possibilidade de algum destroços respingar aqui na terra, apesar da distância? Corremos algum risco?

    • Thoth3126

      Olá Sonia

      Pelo que sei em astronomia e pela distância média entre os dois planetas, não creio que haja algum risco disso acontecer. O que poderia ser mais fácil de ocorrer é o cometa passar raspando a superfície de Marte, sem batê-lo mas sofrendo um desvio de sua trajetória original pela ação gravitacional do planeta vermelho e então, dai para frente tudo passa a ser uma incógnita. Todos os cálculos terão que ser refeitos para determinar a sua NOVA trajetória.
      Um grande abraço com muita Luz e Paz.

  4. lucss

    Quando vai passa esse cometa

  5. KLEBER TOMAZ

    Por que não temos fotos inéditas do cometa ? Tendo em visto que o fenomeno aconteu ontem.

  6. Roberto Antonio Bontempi

    Achei interessante essa matéria sobre o cometa e gostaria de ter uma foto desse cometa e saber se ele colidio com o planeta marte ou passou muito perto?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *