browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

O Retorno de Inanna: XV – Um helicóptero negro

Posted by on 28/06/2016
inanna-maça-serpente-direita

“Até quando vocês, inexperientes, irão contentar-se com a sua inexperiência? Vocês, zombadores, até quando terão prazer na zombaria? E vocês, tolos, até quando desprezarão o conhecimento?” – Provérbios 1:22

O Retorno de Inanna: “Eu, Inanna, retorno para contar como faz cerca de 500 mil anos, a minha família deNibiru tomou posse da Terra e alterou o genoma humano com o fim de produzir uma raça de trabalhadores criada para extrair ouro destinado à esgotada atmosfera de Nibiru, nosso planeta e lar original.

Como somos tecnologicamente muito superiores, esta raça de trabalhadores — a espécie humana — nos adorava como a deuses. Aproveitamo-nos deles (de voces) para liberar guerras em meio de nossas disputas familiares intermináveis até que, de um modo estúpido, desatamos sobre a Terra a terrível arma Gandiva (artefatos nucleares), que enviou uma onda de radiação destrutiva por toda a galáxia”

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.com

Parte II – Capítulo XV do livro “O Retorno de Inanna (Nibiru). Os deuses ancestrais e a evolução do planeta Terra“, de V.S. Ferguson

“Isto chamou a atenção dos membros da Federação Intergaláctica. E então, por causa de nossas próprias ações irresponsáveis em seu planeta, vimo-nos restringidos pela BARREIRA DE FREQUÊNCIA, imposta pela FEDERAÇÃO, uma prisão de freqüência que congelou a nossa evolução”.

Retornem comigo à antiga Suméria, a Babilônia, ao vale do rio Indus e ao Egito. Dentro de meus Templos do Amor, dou a conhecer segredos antigos da união sexual cósmica nibiruana e de meus matrimônios sagrados. Através de meus olhos contemplem a Torre de Babel, o Grande Dilúvio, os Túneis das Serpentes e os cristais em espiral na pirâmide de Gizé.

Sumeria-zigurate-inanna

 

Viajem comigo pelo tempo até a Atlântida, a Cachemira e o Pacífico Noroeste dos Estados Unidos à medida que encarno em meu Eu multidimensional para pôr a funcionar os códigos genéticos que estão latentes dentro de sua espécie e para libertar a Terra do controle por freqüências que exerce meu primo, o tirano deus Marduk (Baal, LÚCIFER, Bel)“.

Partes iniciais:

  1. http://thoth3126.com.br/o-retorno-de-inanna-nibiru-inanna-fala/
  2. http://thoth3126.com.br/o-retorno-de-inanna-nibiru/
  3. http://thoth3126.com.br/o-retorno-de-inanna-ninhursag-03/

SEGUNDA PARTE: Capítulo XV – UM HELICÓPTERO NEGRO

De sua cabana Graciela observava o céu estrelado. O fogo ardia com vigor e seus cães sonhavam comodamente sacudindo suas patas. Graciela ficou sem fôlego ante a beleza de uma estrela cadente fugaz que caiu com o passar do céu noturno. Tratou de recordar o que isso significava. Acaso era boa sorte? Nesse momento só pôde pensar em objetos voadores não identificados. Em 1975 ela tinha visto um ovni sobre o Monte Shasta na Califórnia. Não era estranho ver ovnis neste lugar; a gente os via todo o tempo, mas Graciela tinha visto a espaçonave a plena luz do dia e não tinha esquecido essa experiência.

Ela tinha saído a caminhar com alguns amigos e logo decidiu seguir sozinha. Olhou o formoso céu azul claro e viu um disco grande como de prata que flutuava por cima dela. Em vez de emocionar-se, ela sentiu pânico e a adrenalina se acelerou por todo seu corpo. Nesse mesmo instante, a nave subiu vertical e rapidamende e desapareceu. Graciela correu para seus amigos e com a voz entrecortada lhes perguntou: “Voces viram, viram?” Mas nenhum tinha visto nada; somente ela tinha visto o ovni esse dia. Nunca pôde esquecer nem resolver este mistério, o qual a tinha obcecado depois.

É obvio ela tinha lido todos os livros que tinha encontrado sobre os ovnis e as experiências que outras pessoas tinham tido com eles, mas isto não pareceu ajudar. Muitas pessoas trataram de convencer de que só tinha sido sua imaginação posto que a sua era muito viva, mas ela sabia o que tinha visto esse dia e ninguém pôde persuadi-la do contrário.

Mt_Shasta_California_Sacred_Mountains

Monte Shasta, próximo à Sacramento, na Califórnia-EUA

Até mais estranhas eram as imagens que Graciela tinha pintado antes do avistamento, e quando tinha escassos 16 anos. As pinturas eram de grupos de seres que se viam exatamente como os extraterrestres Greys que mais tarde eram desenhados pelas pessoas que alegavam te-los visto ou que tinham sido raptados por eles. Graciela se desgostou quando viu os extraterrestres cinzas de suas pinturas em um filme muito da moda e na capa de um livro best seller.

Ela não recordava se a tinham abduzido, como a muitos outros, embora tratasse de recordar. Tampouco lhe inspiravam temor estes pequenos amigos cinzas. De uma forma misteriosa, todas as pinturas que ela tinha feito neste período foram furtadas. Essas pinturas constituíam sua série mais popular. Deu-se conta de que seus olhos estavam já cansados de observar as estrelas e os fechou. 

Em sua mente, viu-se voando pelo espaço, as galáxias lhe apareciam zumbindo, ou era ao contrário? Ela sentiu que se aproximava mais e mais de um planeta em particular. Suas cores eram muito estranhas, algo assim como animação surrealista por computador, mas não eram cores da Terra. O planeta era deserto, vazio de vida ou seres viventes. Rapidamente se cansou dessas paisagens solitárias tão estéril.

Retornou ao espaço e sentiu que descansava dentro do que parecia ser sua nave privada. Havia uma cadeira reclinável que estava à frente de um painel de controle, mas tudo era escuro e escassamente iluminado na parte interior. A nave parecia funcionar unicamente com os pensamentos da Graciela e, o ser no que ela se converteu, quem pilotava este veículo, sabia exatamente como lhe dar ordens com sua mente.

merkabah-anahata

A nave como objeto material desapareceu misteriosamente dos arredores da Graciela e sua consciência começou a mover-se com facilidade através do espaço para explorar outro planeta. Este planeta tinha cores similares, mas havia grandes atoleiros de líquido e seres que tomavam forma a partir desses atoleiros. Os seres de líquido eram muito amáveis e amistosos. Ela sentiu que podia permanecer lá muito tempo e aprender deles.

Graciela escutou uma voz em sua cabeça: “São os seres líquidos!” A aventura da Graciela tinha atraído a Atilar, já que este planeta era um de seus favoritos. Sorria para Graciela, saudava seus amigos e um por um os apresentava. Isto era muito para Graciela. Sentou-se desconcertada e assustou a seus cães. Tratou de recuperar o controle de si mesma e decidiu que era hora de ir para a cama e dormir um pouco. De vez em quando as coisas apareciam muito pesadas e ela não podia controlá-las.

Foi para sua pequena cama e se acomodou debaixo das mantas quentes. Olnwynn apareceu para protegê-la. Chamou a atenção de Atilar e o acusou de sobrecarregar a pobre moça. O grande guerreiro celta se sentou ao pé da cama de Graciela entre os dois cães para montar guarda esta noite.

Marduk flutuava sobre as águas cor turquesa de sua piscina no Sri Lanka. Gostava especialmente desta ilha no oceano Índico porque quando puseram o nome de Ceilão, tinha sido o lar do demônio Rakshasa Ravanna, que tinha causado grandes dificuldades ao deus Rama (Krishna) e a Sita em uma época anterior ao dilúvio, épico contado no Ramayana.

vimana-Rama

Rama e Sita desembarcam de seu VIMANA

Enquanto sorria de suas lembranças, Marduk observou um pássaro chamativo e estranho que voava pelo céu. Também amava ao Sri Lanka porque era um lugar de conflito como todo o Oriente Médio, o Norte da Irlanda e mais recentemente a Síria, o Egito e o Iraque. Todas estas áreas de conflito constituíam delicioso prazer para Marduk e seus exércitos, os quais se alimentavam do medo e o desespero de seus habitantes manipulados e controlados pelo FANATISMO RELIGIOSO.

Um servente andróide entrou no jardim de Marduk: “Senhor, algo está aparecendo na unidade exploradora e eu acredito que o senhor deva vê-lo. Há evidência de uma consciência interdimensional entre os terrestres”. “Como?” Marduk se levantou bruscamente de seu salva-vidas inflável e tombou seu copo de Martini de cristal francês. “Me siga ao quarto de exploração”, ordenou.

Marduk conduziu o andróide em volta do quarto de exploração, ninguém se atrevia a guiar Marduk a nenhum lugar. A unidade exploradora estava no centro subterrâneo de comunicações e controle, um dos tantos que ele tinha construído. Ele tinha convertido a arquitetura subterrânea em toda uma arte. Suas novas máquinas para construir túneis faziam que os velhos túneis do Povo da Serpente se vissem toscos e patéticos. Os túneis de Marduk eram sem par e estavam forrados com um material que parecia mármore italiano fino mas que emitia um amplo espectro de luz e freqüências eletromagnéticas.

O quarto de exploração estava mobiliado com um escritório estilo Luis XIV, ornamentado com ouro real e uma cadeira de trono que fazia jogo. Cadeiras de mão antigas chinesas adornavam a parede do quarto e um toalha de mesa persa cobria o piso de lápis lázuli. A unidade exploradora emitia um sinal que mostrava o lugar da consciência interdimensional. Mostrou o lugar: Montanha Perdida, a Noroeste do Pacífico, eles tinham localizado Graciela.

Marduk estava furioso. Esta nova consciência que começava a se ampliar, mas Marduk sabia que tinha que extingui-la imediatamente antes que crescesse, se expandisse e se espalhasse para influenciar os outros como um “câncer”. Se os seres humanos se davam conta de que havia outras dimensões e outras formas de vida, seus cérebros poderiam abrir-se além de sua lastimosa capacidade normal média de meros 5% e já não poderiam mais ser controlados. E Marduk vivia para e do controle ABSOLUTO.

Black-Magician-trevas-darkReptilianoolhargif

Ordenou que se enviasse um helicóptero Black Hawck negro à Montanha Perdida com a dupla função de fotografar a área e de assustar ao ser humano que por lá vivia. Possivelmente ele poderia espantá-la da montanha e fazê-la retornar às cidades onde as freqüências eletromagnéticas ELF (frequência extremamente baixas) eram mais fortes, mais hostis e a fariam voltar para o modo de sobrevivência dos zumbis que vivem no planeta, o que esmagaria este novo estado de consciência que florescia.

Graciela despertou. Seus cães ladravam furiosamente. Através da janela de seu quarto se filtrava um jogo de luz que caía sobre as mantas da cama da Graciela. A luz vinha de um helicóptero negro que flutuava ruidosamente no ar por fora da janela. Ela saltou da cama e correu para baixo. Que diabos se passava?

Aí estava, um enorme helicóptero negro que não era como os helicópteros que ela tinha visto antes. Era liso, detestável, ameaçador, algo como tirado de uma novela de ficção científica. Sua escuridão se via mais sinistra por causa do desenho aerodinâmico de sua estrutura.

A máquina negra continuava derramando seu raio de luz para a cabana da Graciela. Por um momento pensou em uma arma para defender-se mas logo se deu conta de que isso não lhe serviria para nada. Um helicóptero como esse certamente teria a bordo armaa sofisticadas, pelo menos fuzis M-16. Ela se obrigou a respirar profundamente. O helicóptero voou ao largo do vale onde Graciela vivia muito sozinha. Enviou uma poderosa luz infravermelha a um estábulo e galinheiro abandonados que havia na parte baixa da estrada.

Finalmente, depois de colocar jogar outra vez o jato de luz, o desagradável helicóptero negro desapareceu, aparentemente rumo para o norte. Graciela não sabia a que ponto exatamente. Sentou-se rendida e tratou de acalmar a seus cães. Definitivamente necessitava um gole de vinho! Enquanto Graciela corria para sua cabana, Olnwynn chamou a atenção de Inanna para o helicóptero negro.

“Marduk!”, exclamou Inanna. “Como se atreve? Se chegar a tocar a Graciela, levarei-o ante o Conselho antes de que possa piscar. O que não daria para apontar minha arma de plasma para seu perfeito nariz!” Melinar deteve esses pensamentos em Inanna. “Inanna, querida, estamos no processo de evolução. Não é apropriado que abrigue pensamentos de vingança neste momento”.

navemãe-interior

Desenho do interior de uma Nave Mãe real da Confederação, em órbita da Terra (à esquerda na imagem)

“Queria envolver a esse réptil filho da…. Está bem, Melinar, vou me acalmar; estou pensando como Olnwynn”. Este riu. Agora vai jogar a culpa em mim, pensou ele, quando foi ela quem me criou para começar. “Inanna, temos que proteger Graciela”, suplicou-lhe Olnwynn.

Inanna foi a suas telas e chamou Anu, que estava nas naves dos Etéreos com Enlil. Para Atilar tudo isto pareceu muito interessante e, quando viu que a nave Nodriza dos Etéreos entrou na consciência de Inanna, com emoção se projetou a si mesmo a bordo. Imediatamente estava parado ao lado de Anu e Enlil na sala de comunicações e nesse momento lhes estavam informando sobre o incidente do helicóptero.

“Atilar, o que faz?”, gritou Inanna. Anu respondeu por Atilar:

“Oh, lhe permita que fique. Sempre quis falar com um de seus Eus multidimensional Inanna, e este me parece bastante apropriado. Não se preocupe com Graciela; vou ordenar amparo imediatamente. Esse safado, embora seja meu neto não lhe permitirei que destrua o que poderia ser nossa última esperança”.

“Oh, Anu, não diga essas palavras, última esperança. Muito certamente os Eu multidimensionais de Enki, Ninhursag ou dos outros se estão se aproximando para a ativação de seus genes divinos”, disse Inanna.

“Bom, parece ser questão de sincronicidade e sinergia, querida. Se só um acorda, os outros que também o desejem despertarão simultaneamente. A transformação é interconectada. Cada humano está conectado a outro, e por isso cada um é parte dos outros. Todos são vitais para nossa missão”.

“Você é diferente, Anu. Dê meu amor a minha bisavó Antu. Fecharei a transmissão já. Não deixe que Atilar te incomode”.

stargate--cosmo-evolução-portal

Anu se voltou para seu filho Enlil com toda sua majestade e beleza. Os dois eram tão parecidos por natureza que inclusive o cabelo dourado de Enlil estava começando a branquear como o de Anu. Tinha sido uma época difícil para ambos os líderes. Anu tinha perdido o comando de Nibiru e Enlil à Terra, ambos agora controlados pelo usurpador Marduk. Os dois, pai e filho, tinham passado os últimos séculos conformando um exército de renegados para reclamar o controle de Nibiru das mãos de Marduk e seus tiranos.

Estavam planejando a volta e trabalhavam ombro a ombro com o Conselho e muitos outros líderes nibiruanos que também estavam no exílio. Mas primeiro tinham que curar as feridas, que não eram poucas,  que a família de Anu tinha causado ao planeta Terra.

Anu e Enlil, assim como Enki e os outros, tinham sido obrigados a pensar introspectivamente. Tinham que chegar a um acordo com a etapa adolescente de sua evolução e tinham que mudar o suficiente para ir além da tirania. Anu e Enlil foram para a porta e ordenaram a Atilar que os seguissem para encontrar-se com os Etéreos …


Saiba mais em:

  1. http://thoth3126.com.br/nibiru-o-genesis-e-adao-e-eva/
  2. http://thoth3126.com.br/o-vaticano-e-o-regresso-do-planeta-x/
  3. http://thoth3126.com.br/cidades-annunaki-encontradas-na-africa/
  4. http://thoth3126.com.br/nibiru-o-livro-perdido-de-enkiea/
  5. http://thoth3126.com.br/conselho-de-nibiru-parte-i/
  6. http://thoth3126.com.br/conselho-de-nibiru-parte-ii/
  7. http://thoth3126.com.br/cientistas-encontram-genes-extraterrestre-em-dna-humano/
  8. http://thoth3126.com.br/emmanuel-origens-da-humanidade-racas-de-ets-arcanjos/
  9. http://thoth3126.com.br/naves-gigantes-se-aproximam-da-terra/
  10. http://thoth3126.com.br/maldek-e-nibiru-mais-dois-planetas-de-nosso-sistema-solar/
  11. http://thoth3126.com.br/baalbek-antiga-plataforma-de-pouso-para-espaconaves-extraterrestres/
  12. http://thoth3126.com.br/nibiru-o-livro-perdido-de-enkiea/
  13. http://thoth3126.com.br/o-retorno-de-inanna-nibiru-inanna-fala/
  14. http://thoth3126.com.br/o-retorno-de-inanna-nibiru/
  15. http://thoth3126.com.br/insider-da-dhs-fala-de-crise-de-magnitude-sem-precedentes-sendo-preparada-nos-eua/

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione autor e fontes.

Thoth-flordavidawww.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *