browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Os riscos da queda de um GRANDE asteroide

Posted by on 24/11/2016

meteoros-shower-asteroideO perigo da queda de asteroides

Sempre que um enorme asteróide aponta cair sobre uma cidade, que esta em sua mira ao entrar na atmosfera – é apenas uma questão de tempo para que isso aconteça, se a humanidade não tomar algumas medidas defensivas, os especialistas salientam – alguns curiosos são obrigados a ignorar as ordens de evacuação e dirigir-se para o local do impacto para obter uma boa olhada em um evento do tipo uma vez-em-um-vida.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Uma catástrofe pela queda de um grande asteroide na superfície da Terra é apenas uma questão de tempo para que aconteça, se a humanidade não tomar algumas medidas defensivas

Por Mike Wall, Escritor sênior | Fontehttp://www.space.com

A oportunidade de ver uma grande rocha vinda do espaço bater em nosso planeta provavelmente irá revelar-se demasiado atraente para algumas almas corajosas e imprudentes para se resistir.

Sempre que um enorme asteróide aponta cair sobre uma cidade, que esta em sua mira ao entrar na atmosfera – e é apenas uma questão de tempo para que isso aconteça, se a humanidade não tomar algumas medidas defensivas, os especialistas salientam – alguns curiosos são obrigados a ignorar as ordens de evacuação e dirigir-se para o local do impacto para obter uma boa olhada em um evento do tipo uma vez-em-um-vida.

asteroide-ameaça-queda

Ilustração de um artista de asteroides ou objetos próximos da Terra, que destacam a necessidade de um sistema de consciência situacional completo do espaço próximo à Terra. Crédito: ESA – P.Carril

“Eu acho que o pessoal de gestão de situações de emergência (a FEMA nos EUA) realmente teria que se preocupar com os curiosos, turistas e pessoas que querem ver um evento deste tipo, porque isso seria um dos eventos naturais mais espetaculares (e destrutivos) da história da humanidade – provavelmente o evento mais espetacular, e previsto muito precisamente “, disse o especialista em impacto de asteróide Mark Boslough do Sandia National Laboratories, no Novo México. [ Asteróides Potencialmente Perigosas (Imagens) ]

“De modo que seria uma preocupação, e isso  provavelmente é algo que as pessoas que operam com a gestão de emergências precisa considerar quando escrevem seu livro sobre o que eles fariam”, disse Boslough quinta-feira (5 de junho), durante um webcast produzido pela  comunidade do observatório Slooh  on-line que debateu sobre o  asteróide 2014 HQ2014 com tamanho de 1.100 pés (335 metros) de diâmetro, que alguns observadores apelidaram de “The Beast” (A Besta).

A enorme rocha “The Beast” voou inofensivamente pela Terra no domingo (08 de junho), passando próximo por 777 mil milhas (1,25 milhões de quilômetros) – mais de três vezes a distância média entre o nosso planeta e a lua.

asteroide-chelyabinsk-meteor-explosion

O asteróide que explodiu perto de Chelyabinsk, Rússia, em 15 fevereiro de 2013 forneceu os cientistas novos insights sobre os riscos de impactos de asteróides menores. Esta simulação 3D da explosão de meteoros Chelyabinsk por Mark Boslough foi proferida por Brad Carvey usando o código de CTH na Sky Red supercomputador Sandia National Laboratories “. Andrea Carvey composta cauda wireframe. . Foto por Olga Kruglova Crédito: Sandia National Laboratories

Embora nunca houvesse qualquer perigo de um impacto nesta passagem desse “The Beast” Asteroide 2014 HQ2014, se acontecesse a queda, ela teria feito danos sérios se tivesse batido em uma área povoada. O asteróide poderia ter destruído uma cidade inteira, Boslough disse, criando uma cratera de três milhas (5 km) de largura e quebrando janelas até cerca de 62 milhas (100 quilômetros) do local do impacto.

Observações de radar enquanto o “The Beast” ia chegando mais perto teria permitido aos pesquisadores prever o seu local de impacto dentro de 0,6 milhas (1 km) e seu tempo de impacto dentro de 1 segundo, acrescentou. Esta informação, é claro, seria de grande interesse para o pessoal de gestão de emergências e para os curiosos também.

Milhões de asteróides cruzam através do espaço nas cercanias da Terra. Eles atingem o planeta de tempos em tempos ao longo de nossa história, por vezes com resultados devastadores. Um impacto de um objeto de 6 milhas de largura (10 km), por exemplo, se imagina ter dizimado os dinossauros há 65 milhões de anos atrás.

Outro ataque por um gigante deste tamanho não é iminente tão cedo. Os astrônomos descobriram que mais de 95 por cento dos asteróides próximos da Terra, tem pelo menos, o tamanho de 0,6 milhas (1 km) de largura, o que poderia acabar com a civilização do planeta se atingirem a Terra, mas que nenhum representa uma ameaça imediata.

meteororússia1

A chegada, explosão e queda dos fragmentos do meteoro de Chelyabinsk, na Rússia, foi registrada em filme assim como o enorme impacto que a região sofreu com a explosão da rocha espacial, destruindo milhares de janelas, derrubando prédios e ferindo centenas de pessoas.

Mas os números ficam mais inquietante na medida em que os asteróides ficam menores. Os pesquisadores descobriram que menos de 30 por cento das rochas espaciais, os asteróides que existem lá fora, pelo menos, tem até 330 pés (100 m) de largura, por exemplo, e menos de 1 por cento com 130 pés (40 m) .

Esses objetos podem causar danos consideráveis em uma escala local. Um pedaço de rocha espacial, apesar de ter cerca de 130 metros de largura explodiu acima do Rio Podkamennaya Tunguska, na Sibéria  em 1908, achatando e destruindo completamente cerca de 770 milhas quadradas (2.000 quilômetros quadrados) de floresta virgem.

Muitos especialistas estão forçando, assim, pela necessidade de se investir mais recursos na busca e acompanhamento das rochas (asteroides) espaciais. (Até o momento, os cientistas descobriram “apenas” 11 mil asteróides próximos da Terra, a partir de uma população com numeração na casa dos milhões.)

Se a humanidade localizar um objeto potencialmente perigoso, com tempo de espera suficiente – de preferência anos ou até décadas – para enfrentar o perigo, ele poderia ser neutralizado com uma missão de deflexão (tirar o asteroide de sua órbita de impacto com a Terra), dizem os cientistas.

chelyabinsk-meteoro.02-gif

Maior fragmento encontrado do meteoro que explodiu nos céus de Chelyabinsk, nos Montes Urais, Rússia em 15 de fevereiro de 2013, com cerca de 570 quilos.

Uma sonda “trator de gravidade” poderia ser lançada para se encontrar com a rocha espacial a caminho da Terra, por exemplo, empurrando-a para fora do curso de sua órbita de impacto, ao longo do tempo através de uma ligeira, mas muito persistente, força gravitacional.

Siga Mike Wall no Twitter  @ michaeldwall  e  Google+ Originalmente publicado em Space.com .

Para mais informações acesse:

  1. http://thoth3126.com.br/meteoro-da-russia-enorme-fragmento-com-570-quilos-foi-resgatado/
  2. http://thoth3126.com.br/meteoro-russo-mostra-que-20-milhoes-de-rochas-espaciais-ameacam-a-terra/
  3. http://thoth3126.com.br/inedito-meteoro-na-russia-foi-explodido-por-um-ufo-filme/
  4. http://thoth3126.com.br/meteoros-podem-estar-a-caminho-da-terra/
  5. http://thoth3126.com.br/licoes-do-impacto-de-meteoro-na-russia/
  6. http://thoth3126.com.br/explosao-e-queda-de-meteoro-na-russia-destruicao-e-feridos/

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *