browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Papa Bento XVI renunciou para evitar a própria prisão …

Posted by on 18/02/2013

Papa Bento XVI renunciou (também) para evitar a sua prisão e a apreensão da riqueza da igreja até a Páscoa:

Nota Diplomática foi emitida pelo Vaticano pouco antes dele anunciar a sua renúncia. O Novo Papa e o clero (a Igreja como um instituição internacional) católico enfrentam a acusação e a prisão na medida que é processada pela “Easter Reclamation”.

Tradução e imagens: Thoth3126@gmail.com

Categoria O Tribunal Direito Internacional Comum de Justiça , O Vaticano

Fonte: http://itccs.org/2013/02/13/pope-benedict-resigned-to-avoid-arrest-seizure-of-church-wealth-by-easter/

Postado em 13 de fevereiro de 2013 pelo itccs

O ITCC-Tribunal Internacional para Crimes da Igreja e do Estado (International Tribunal into Crimes of Church and State) faz declaração para a imprensa internacional global.

Nota emitida em 13 de fevereiro de 2013 – 12:00 GMT pelo  Escritório Central de Bruxelas, Bélgica.

Luta pelo poder na igreja de Roma após denúncias de corrupção no I.O.R.- o Banco do Vaticano, acusações de pedofilia, traições e possibilidade de prisão do papa e do sequestro dos bens da igreja.

A renúncia, historicamente sem precedentes de Joseph Ratzinger como Papa esta semana foi obrigada por uma ação futura por um governo europeu para emitir um mandado de prisão contra o papa Bento XVI, Joseph Ratzinger e uma garantia pública contra  os bens e haveres do Vaticano até a Páscoa.

O  Escritório Central em Bruxelas do ITCCS se ve obrigado pela súbita renúncia do Papa Bento XVI para divulgar os seguintes detalhes:

1. Na sexta-feira, 01 fevereiro, 2013, com base em provas fornecidas pelo nosso afiliado Tribunal de Direito  Comum de Justiça (itccs.org), nosso Escritório concluiu um acordo com representantes de uma nação europeia e os seus tribunais para garantir um mandado de captura (prisão) contra Joseph Ratzinger, também conhecido como o Papa Bento XVI, por crimes contra a humanidade e como comandante de uma conspiração criminosa.

2. Este mandado de prisão era para ser entregue ao escritório da “Santa Sé”, em Roma, nesta sexta-feira 15 fevereiro, 2013. O mandato permitia que o país em questão (nesse caso a Itália) deter Ratzinger como suspeito de crime, se ele entrasse em seu território soberano.

O Cardeal Tarcisio Bertone, Secretário de Estado do Vaticano.

3. Uma nota diplomática foi emitida pelo governo do país para o Secretário de Estado do Vaticano, o Cardeal Tarcisio Bertone, na segunda-feira 4 de fevereiro, 2013, informando a Bertone do mandado de detenção iminente e convidando o seu secretariado para cumpri-lo. Nenhuma resposta a esta nota foi recebida do Secretário de Estado do Vaticano Cardeal Bertone ou de seu escritório, mas seis dias depois, o Papa Bento demitiu-se.

4. O acordo entre o nosso Tribunal e da nação italiana, inclui uma disposição segundo a emissão de uma garantia comercial através dos tribunais daquele país contra a propriedade e a riqueza da Igreja Católica Romana com início na Páscoa, no domingo de 31 março, 2013. Esta garantia deveria ser acompanhada por uma campanha pública e global “Easter Reclamation”, pela qual a propriedade da igreja católica era para ser ocupada e reivindicada por cidadãos como bens públicos perdidos sob o uso do direito internacional e do Estatuto de Roma do Tribunal Penal Internacional.

5. É decisão do nosso Tribunal e do governo do país (Italia) proceder na prisão de Joseph Ratzinger e a sua desocupação do escritório do Pontífice Romano, sob a acusação de crimes contra a humanidade e conspiração criminosa.

6. É nossa decisão ainda mais para continuar, com o indiciamento e prisão do (papa) sucessor de Joseph Ratzinger, o novo Papa sob as mesmas acusações, e para fazer valer a garantia comercial e “Easter Raclamation Campaign” contra a Igreja Católica Romana, conforme planejado.

Para encerrar, o nosso Tribunal reconhece que devido à cumplicidade do Papa Bento XVI em atividades criminosas do Banco do Vaticano (IOR) ele foi convencido para pedir sua demissão pelos mais altos funcionários do Vaticano. Mas de acordo com nossas fontes, o secretário de Estado, o cardeal Tarcisio Bertone forçou a renúncia de Joseph Ratzinger imediatamente em uma resposta direta à nota diplomática relativa ao mandado de prisão que foi emitida a ele pelo governo do país em 4 de fevereiro de 2013.

Depoimento de uma Testemunha ocular do encobrimento do Genocídio canadense: Drª. Jennifer Wade, co-fundadora da Anistia Internacional (Vancouver)

Apelamos a todos os cidadãos e governos para ajudar em nossos esforços para desestabilizar legalmente e diretamente o Vaticano Inc. e prender seus diretores e membros do clero que são cúmplices em crimes contra a humanidade e da conspiração criminal em curso para ajudar e proteger torturadores  e o tráfico de crianças.

Boletins adicionais sobre os eventos da Campanha de Recuperação de Páscoa (“Easter Reclamation”) será emitido pelo nosso escritório esta semana.

Nota emitida em 13 de fevereiro de 2013 – 12:00 GMT pelo  Escritório Central de Bruxelas, Bélgica.

Saiba (informe-se) mais sobre a “santa” igreja romana emhttp://thoth3126.com.br/bispos-no-vaticano-ligados-ao-demonio/;
http://thoth3126.com.br/lavagem-de-dinheiro-tambem-no-banco-do-vaticano/;
http://thoth3126.com.br/vaticano-telescopio-lucifer-em-busca-de-alienigenas/
http://thoth3126.com.br/as-profecias-do-papa-joao-xxiii/;
http://thoth3126.com.br/o-vaticano-e-o-regresso-do-planeta-x-parte-ii/;
http://thoth3126.com.br/o-vaticano-e-o-regresso-do-planeta-x-parte-final/;
http://thoth3126.com.br/o-vaticano-e-o-regresso-do-planeta-x/http://thoth3126.com.br/por-que-a-renuncia-do-papa-bento-xvi/
 

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *