browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Petrobras é o estopim de uma grave crise

Posted by on 24/03/2014

ampulheta

Denúncias de INCOMPETÊNCIA, CORRUPÇÃO e má gestão, fazem a Petrobrás (maior empresa brasileira) viver um inferno astral.

Suspeitas de corrupção, investigações da PF e do Tribunal de Contas, o valor de mercado reduzido à metade, endividamento cresceu OITO vezes de 2007 a 2013 (de R$ 26,7 bilhões para R$ 221,6 bilhões) e tarifas defasadas mancham profundamente a imagem da empresa em 2014. Já são pelo menos cinco inquéritos abertos na Polícia Federal, além de investigações no Ministério Público Federal e no Tribunal de Contas da União (TCU). 

Portanto, não tenham medo deles. Não há nada escondido que não venha a ser revelado, nem oculto que não venha a se tornar conhecido“.  Mateus 10, 26

Edição e imagens:  Thoth3126@gmail.com

ANTONIO PITA / RIO – O Estado de S.Paulo-23 de março de 2014 | 2h 07

http://www.estadao.com.br

Pressionada por uma avalanche de denúncias de corrupção, a Petrobrás vive sua mais grave crise de credibilidade e administração. São pelo menos cinco inquéritos abertos na Polícia Federal, além de investigações no Ministério Público Federal e no Tribunal de Contas da União (TCU). A crise é também financeira, com perdas acumuladas de R$ 185 bilhões, cerca de 51% do seu valor de mercado, em APENAS três anos.

Aberta às pressas na quinta-feira, a sala de crise da empresa não tem data para fechar. O clima é de desconforto geral, para a presidente Graça Foster, ao ver voltarem à cena as denúncias de corrupção na compra da refinaria de Pasadena, de 2006. E pelo próprio punho da presidente Dilma Rousseff, que atribuiu a aprovação da compra a falhas em relatório da empresa.

petrobras-divida-total-e-liquida

A dívida da Petrobras aumentou mais de seis vezes desde 2007 (em apenas seis anos), segundo as demonstrações financeiras da companhia divulgadas pela própria empresa no começo de março de 2014. O valor, que estava em R$ 39,7 bilhões em dezembro daquele ano, atingiu R$ 267,8 bilhões no final de 2013. Somente no ano passado, a alta foi de 36%. Se considerarmos apenas a dívida líquida, ou seja, a diferença entre o que a empresa está devendo e o que ela tem em caixa, o aumento foi ainda mais forte, pois alcançou R$ 221,6 bilhões em 2013, oito vezes mais que em 2007 e 50% acima do registrado no final de 2012.

É uma situação sem igual em 60 anos. Há um clima de revolta na empresa”, avalia o consultor Adriano Pires, do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE). “Não me lembro de nenhum diretor da Petrobrás que tenha sido preso”, completa, citando o ex-diretor Paulo Roberto da Costa, detido pela Polícia Federal na quinta-feira (n.T. A Polícia Federal prendeu nesta quinta-feira, dia 20 de março – DIA DO EQUINÓCIO DE OUTONO… – , no Rio de Janeiro, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás, Paulo Roberto da Costa, citado na Operação Lava Jato, deflagrada nessa segunda-feira, 17, para desmontar organização criminosa acusada de lavagem de dinheiro no montante de R$ 10 bilhões.).

À frente da Diretoria de Refino e Abastecimento em 2006, Costa é apontado como responsável pelo acordo de compra da refinaria de Pasadena, ao lado de Nestor Cerveró, ex-diretor da Área Internacional da companhia. Cerveró, que atuava como diretor financeiro da BR Distribuidora, foi demitido na sexta-feira, em meio a uma operação do governo para blindar a presidente. Ambos os cargos teriam sido preenchidos por indicação do PMDB.

A compra de Pasadena está sendo investigada há mais de um ano pelo TCU. Após a revelação de que Dilma, então presidente do Conselho de Administração da Petrobrás, votou a favor da aquisição, o relator do caso, ministro José Jorge, disse que pode convocar os conselheiros para depor. “Como regra geral do TCU, eles podem ser chamados a se explicar”, afirmou.

O caso da refinaria foi o ponto de partida para abertura de cinco inquéritos somente na Policia Federal. Agentes da instituição foram aos EUA e a países vizinhos para investigar o caso. Na Holanda, eles apuram o pagamento de US$ 139 milhões pela SBM Offshore em propinas a funcionários da estatal.

petrobras-criacaodaempresa

Getúlio Vargas assinando o decreto de criação da Petrobras em 1953

O Ministério Público Federal no Rio também começou a investigar se houve irregularidade nesse pagamento, a pedido do deputado Antonio Imbassahy, líder do PSDB na Câmara.

MercadoÀ atual crise política se somam insatisfações do mercado com a Petrobras. Entre outubro de 2010 e dezembro de 2013, ela perdeu R$ 185 bilhões do valor de mercado (e seus acionistas o seu patrimônio). Nos últimos três meses, o tombo foi de 18%, segundo cálculos da consultoria Economática.

Há decepção com perdas causadas por defasagem no preço dos combustíveis. “O mercado esperava que a presidente retomasse o caminho de lucratividade”, diz Adriano Pires. “O comportamento das ações nesta semana indica que o mercado está precificando o efeito Dilma.”

petrobras-Plataforma_P-52-lançamento

É uma situação sem igual em 60 anos. Há um clima de revolta na empresa”, avalia o consultor Adriano Pires, do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE). “Não me lembro de nenhum diretor da Petrobrás que tenha sido preso”, completa, citando o ex-diretor Paulo Roberto da Costa, detido pela Polícia Federal na quinta-feira.

Somente no ano passado as dívidas subiram mais de US$ 22 bilhões, alta de 30% em relação a 2012. A situação levou o Conselho Fiscal da empresa a registrar em ata um alerta. Em fevereiro, seus integrantes sugeriram um risco de rebaixamento pelas agências de classificação.

No Conselho de Administração houve divergências quanto às demonstrações financeiras. O conselheiro independente Mauro Cunha se opôs à sua aprovação, questionando operações contábeis que seriam usadas para encobrir as dívidas. Outros conselheiros também teriam expressado críticas.

A crise chamou atenção dos investidores internacionais, que formalizaram uma chapa para concorrer às vagas de conselheiros independentes. Encabeçado pelo fundo britânico de investimentos Aberdeen Asset, o grupo avalia a governança da empresa como “crítica” e capaz de comprometer “a capacidade de investimento e expansão da Petrobrás no longo prazo”.

ContagemRgressiva

O movimento foi apoiado por duas consultorias internacionais que orientam investidores globais sobre as assembleias. (n.T. A empresa é uma companhia de capital aberto e deve explicações legais a todos os seus acionistas, algo que a incompetência do governo federal talvez tenha esquecido, diferentemente de qualquer ministério do governo em que se pode fazer de tudo sem se dar nenhum tipo de satisfação a ninguém. A Petrobras não é uma empresa de venda de produtos a R$ 1,99 )

Há desconfianças ainda quanto à capacidade da Petrobrás de ampliar a produção. Na segunda-feira, em recado direto dirigido aos estaleiros nacionais, a presidente Graça Foster disse que “nada pode atrasar a curva de produção” da empresa. No mercado, a fala foi entendida como um ultimato.

Saiba mais em: http://thoth3126.com.br/revoltas-populares-unem-se-contra-governos-incompetentes-e-corruptos/

Permitida a reprodução desde que mantido o formato original e mencione as fontes.

thoth-escribawww.thoth3126.com.br

9 Responses to Petrobras é o estopim de uma grave crise

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *