browser icon
You are using an insecure version of your web browser. Please update your browser!
Using an outdated browser makes your computer unsafe. For a safer, faster, more enjoyable user experience, please update your browser today or try a newer browser.

Supertufão Haiyan, mortes e destruição nas Filipinas

Posted by on 09/11/2013

Pelo menos 1.200 mortos até o momento, como consequência da passagem do super-tufão Haiyan que causou destruição maciça ao passar através das Filipinas – conforme a Cruz Vermelha declarou.

A Cruz Vermelha diz que mais de 1.200 pessoas foram confirmadas mortas após a passagem do supertufão Haiyan pelas Filipinas, um dos tufões tropicais mais poderosos de todos os tempos já registrado, que varreu tudo através das Filipinas com ventos atingindo até 315 km/hora.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@gmail.com

A Cruz Vermelha diz que mais de 1.200 pessoas foram confirmadas mortas após a passagem do supertufão Haiyan pelas Filipinas, um dos tufões tropicais mais poderosos de todos os tempos já registrado, que varreu tudo através das Filipinas com ventos atingindo até 315 km/hora.

Moscou- Rússia – Publicado em: 09 de novembro de 2013

Fontehttp://rt.com/news/  e  http://indiatoday.intoday.in/

A Cruz Vermelha das Filipinas anunciou que pelo menos mais de 1.000 pessoas poderiam ter sido mortas pelo super-tufão Haiyan somente no centro da região que abrange a cidade de Tacloban e das cidades em seu entorno. Enquanto o capitão John Andrews, vice-diretor-geral da Autoridade de Aviação Civil do país, anteriormente informou que 100 corpos já tinham sido encontrados nas ruas de Tacloban na província de Leyte. Na província vizinha de Samar 200 pessoas até aqui foram dadas como mortas, a Reuters informou citando a Cruz Vermelha como fonte.  

Uma foto ampla mostra casas destruídas pelos fortes ventos causados pelo tufão Haiyan em Tacloban, leste da ilha de Leyte em 9 de novembro de 2013. (Foto: AFP / Noel Celis)

Quando perguntado pela rede de TV ABS-CBN neste sábado sobre o número de vítimas do tufão, o secretário de Energia Jericó Petilla disse Eu acho que serão centenas de pessoas. 

Quase todas as casas em Tacloban, que tem uma população de cerca de 220.000 habitantes, foram danificadas ou totalmente destruídas, e se teme que sejam muitas as vítimas humanas, que seja um número enorme, foi um enorme desastre natural, foi declarado à agência Reuters mais cedo, sem se anunciar os números das vítimas. Muitos corpos ainda não identificados foram encontrados nas estradas.  

O governo ordenou anteriormente o envio de mais sacos plásticos para corpos, para ser enviados a Tacloban. 

As pessoas olham para o prédio da prefeitura destruído na sequência de Super Typhoon Haiyan em ILOILO em 9 de novembro de 2013. (AFP Photo / Tara Yap)

Operações de resgate estão sendo dificultados por árvores caídas que estão bloqueando a maioria das estradas, que em algumas regiões ficaram debaixo d’água completamente. Muitos serviços de ferryboat, trens e aeroportos locais na região central das Filipinas permanecem fechados, impedindo a entrega de suprimentos de ajuda vitais, como remédios, alimentos, água potável, baterias, e a chegada de equipes de socorro. 

Um total de 13 aeroportos foram fechados, com cerca de 450 voos domésticos e oito internacionais suspensos. Autoridades e empresas de telefonia se comprometeram a restaurar os serviços no prazo de até 24 horas. 

A visão da tempestade da Estação Espacial Internacional foi postada por um de seus astronautas da NASA, no sábado.

A última vez que vi algo desta escala foi no rescaldo do tsunami no Oceano Índico“,   disse Sebastian Rhodes Stampa, o chefe da Equipe de Coordenação de Avaliação de Desastres da ONU, em declaração à Reuters. Stampa tinha sido enviado para Tacloban, cerca de 580 quilômetros a sudeste de Manila. Todas as ruas da cidade estão arrasadas, preenchidas com detritos, postes quebrados e folhas de coberturas metálicas arrancadas das casas. 

Quase todas as casas foram destruídas, muitos estão completa e totalmente danificadas. Apenas algumas estão restaram ainda de pé“,  disse  o Major Rey Balido, um porta-voz da agência nacional de desastres do governo das Filipinas.

As pessoas olham para uma ponte danificada pela passagem do Super Typhoon Haiyan em ILOILO em 9 de novembro de 2013. (AFP Photo / Tara Yap)

Na ilha de Samar, o supertufão obrigou milhões a fugir da área. A tempestade agora está se movendo para fora das Filipinas, indo em direção ao Vietnã, depois de ter devastado tudo por onde passou, propriedades, destruindo cidades, provocando deslizamentos de terra, inundações e colocando o governo incapacitado e interrompendo as comunicações em várias ilhas. 

[A tempestade] foi muito poderosa”, disse Roger Mercado, governador do sul da província de Leyte, à rádio DZBB. Perdemos o poder de reação e todas as estradas estão intransitáveis por causa das árvores caídas. Nós apenas temos que orar“. 

De acordo com os meteorologistas, a tempestade é esperada para pegar força ao longo do Mar da China Meridional em seu caminho para o Vietnã, onde mais de 300.000 pessoas já foram evacuadas das áreas costeiras em 15 províncias.

Duas mulheres andam ao lado de árvores caídas sobre as calçadas e de casas destruídas na sequência da passagem do Super Typhoon Haiyan em Tacloban, no leste da ilha de Leyte em 9 de novembro de 2013. (AFP Photo / Noel Celis) 

As Filipinas experimenta vários tufões todos os anos. Em 2013 já houve 24 deles, com o Haiyan tornando-se o segundo a atingir a categoria 5 na escala de supertufões.

Casas ficaram totalmente destruídas após a passagem do tufão na cidade de Tacloban nas Filipinas.Romeo Ranoco/Reuters

No ano passado o Tufão Bopha devastou três cidades no sul da província de Mindanao, também nas Filipinas, matando 1.100 pessoas e resultando em um recorde de US$ 1 bilhão de dólares em danos materiais.

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *