browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Tempestades Solares ameaçam redes de distribuição elétrica

Posted by on 19/06/2016

Tempestades Solares ameaçam redes de distribuição elétrica

Em entrevista ao The Independent, Thomas Bogdan, diretor do Centro de Previsão do Clima Espacial, dos EUA, disse que “interrupções” controladas de fornecimento de energia protegeriam a Rede Nacional de distribuição de Energia Elétrica (dos EUA) contra danos que podem levar meses ou mesmo anos para serem reparados, caso uma grande tempestade solar colidir com a Terra sem ter havido as devidas precauções. 

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@protonmail.ch

Pode haver cortes ‘controlados’ de energia se tempestade Solar ameaçar rede de distribuição nacional de eletricidade dos EUA. 

Por Steve Connor, editor de Ciência, em Boulder, Colorado 

Fonte: http://www.independent.co.uk/

Funcionários dos governos na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos estão se preparando para fazer cortes de energia controlados para os seus fornecimentos de eletricidade nacional em resposta a um aviso de que uma possível poderosa tempestade solar, com emissão de plasma solar carregado e energizado venha atingir a Terra.  

cme

Imagens de uma CME-Coronal Mass Ejection em 06/03/99.

Em entrevista ao The Independent, Thomas Bogdan, diretor do Centro de Previsão do Clima Espacial, dos EUA, disse que “interrupções” controladas de fornecimento de energia protegeriam a Rede Nacional de distribuição de Energia Elétrica contra danos que podem levar meses ou mesmo anos para serem reparados, caso uma grande tempestade solar colidir com a Terra sem ter havido as devidas precauções. 

O Dr. Bogdan está em diálogo direto com os cientistas no UK Met Office para criar um segundo espaço do centro de previsão do clima espacial na Grã-Bretanha para coordenar uma resposta global à ameaça vista seriamente  por ambos os governos dos EUA e Reino Unido. 

Um tópico de discussão é como proteger redes nacionais de distribuição de eletricidade a partir do imenso poder causados pelas   explosões de flares solares que geram enormes tempestades geomagnéticas na Terra, que acontecem quando partículas de energia solar altamente carregadas energéticamente colidem com o campo magnético da Terra. 

solar-flare-june-2011

Foto de uma ENORME explosão e Ejeção de Massa Coronal (CME) solar em 07 de junho de 2011 que espantou os cientistas da NASA e que (felizmente) não foi dirigida em direção à Terra.Para efeito de escala o tamanho da TERRA esta bem no canto superior esquerdo, uma pequena esfera. (NASA) 

As partes mais vulneráveis da rede são as centenas de transformadores conectados às linhas de energia a muitas milhas de comprimento que podem experimentar os surtos de corrente súbita durante uma tempestade solar geomagnética, o Dr. Bogdan disse. “Isso aponta para um possível cenário onde grandes partes de uma América do Norte ou a Europa do Norte pode ficar sem energia entre dias ou semanas, talvez meses e, em casos extremos, há estimativas de que ela pode durar anos”, disse o Dr. Bogdan. 

O objetivo da colaboração conjunta EUA-Reino Unido é de melhorar a previsão do clima espacial e a  atividade solar, até um ponto onde é possível para avisar as empresas de energia de uma tempestade iminente. Há um sentimento que, se uma categoria de tempestade solar Classe “5” – a maior das cinco categorias – ser prevista em acontecer, em seguida, o melhor cenário seria ter a rede fora de linha, desligada, antes que o excesso de energia da tempestade solar venha atingir a Terra e deixar a tempestade passar seria melhor do que tentar manter as coisas funcionando, ele disse. 

Aurora boreal provocada por tempestade geomagnética na Terra, após uma ejeção de massa coronal  que atingiu o campo magnético da Terra agora em 08 de outubro, o que provocou uma exibição dramática das luzes do Ártico, três dias depois. Hugo Løhre fotografou auroras boreais sobre Lekangsund, Noruega, em 10 de outubro. 

Em 1989, uma tempestade solar atingiu a Terra e gerou uma tempestade geomagnética que nocauteou e derrubou a rede elétrica através de uma grande parte do Canadá. A perda com efeito em cascata nos Estados Unidos e causou problemas de fornecimento de energia tão distantes como a Califórnia. O maior medo é de uma nova enorme tempestade solar tão grande como a documentada pelo astrônomo Richard Carrington em 1859, que queimou os fios do telégrafo, aconteça novamente.

Salem

Acima: Um Transformador da Public Service Electric and Gas (PSE&G) na Salem Nuclear Generating Station em New Jersey, nos Estados Unidos, queimado pelas correntes elétricas geomagneticamente induzidas, causadas pela tempestade geomagnética de 13-14 de março de 1989O custo total do dano foi US$ 20 milhões. Na frente do transformador está Peter Balma, co-autor do estudo sobre os danos ao transformadorOutros transformadores também foram queimados em 2003. A maior causa das correntes gigantescas induzidas nas linhas de distribuição de energia elétrica é a taxa de mudança temporal no campo magnético da Terra. 

“É o tipo de tempestade capaz de acontecer que são bastante raros. Referimos-nos a elas como “cisnes negros “, disse o Dr. Bogdan.  “Se o evento Carrington ocorresse hoje, e se os operadores da rede de distribuição de energia não tomarem medidas e esforços para salvaguardar a sua infra-estrutura, poderíamos estar diante de um cenário como esse”, ou seja: catastrófico.

Abaixo: O AVANÇO de novas manchas solares em outubro de 2012: Durante as duas últimas semanas, a atividade solar tem sido relativamente baixa. Agora, uma mudança é iminente. O lado escuro do sol esta salpicado com novas manchas solares, e algumas delas estão começando a se voltar para a Terra. O SDO-Solar Dynamics Observatory da NASA fotografou este par de regiões ativas com Sunspots (Manchas Solares) avançando  desde o lado leste do sol durante essa madrugada de 11 de outubro:

Subjacente a cada ninho de brilhantes laços dos campos magnéticos na superfície do sol, existe uma mancha solar escura que representa uma ameaça para novas erupções solares. Os Meteorologistas do Clima Espacial do NOAA estimam uma chance de 40% de emissão de Flares Solares de Classe M e uma chance de 5% de erupção de Flares/Chamas de classe X-chamas durante as próximas 24 horas. Publicado em Janeiro 2014.


“E o quarto anjo derramou a sua taça sobre o SOL, e foi-lhe permitido que abrasasse os homens com fogo. E os homens foram abrasados com grandes calores, e blasfemaram o nome de Deus, que tem poder sobre estas pragas; e não se arrependeram para lhe darem glória”.  Apocalipse 16:8-9


Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

thoth-escribawww.thoth3126.com.br

4 Responses to Tempestades Solares ameaçam redes de distribuição elétrica

  1. Sala da Elétrica

    O que fazer se no Brasil existem locais que basta cair uma garoa já tem interrupção no fornecimento de energia elétrica. Agora os raios solares também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *