browser icon
You are using an insecure version of your web browser. Please update your browser!
Using an outdated browser makes your computer unsafe. For a safer, faster, more enjoyable user experience, please update your browser today or try a newer browser.

Vírus H5N1 da gripe criado artificialmente pelos militares

Posted by on 26/04/2013

 Virologistas dos EUA intencionalmente criaram o super-vírus mortal da gripe H5N1.

Ron Fouchier do Erasmus Medical Center, na Holanda e Yoshihiro Kawaoka da Universidade de Wisconsin intencionalmente desenvolveram uma linhagem militarizada do VÍRUS da gripe aviária H5N1 capaz de ser transmitida facilmente entre os mamíferos e humanos.

Tradução e imagens: Thoth3126@gmail.com

http://www.naturalnews.com

Virologistas dos EUA intencionalmente criaram o super-vírus mortal da gripe H5N1.

por Ethan A. Huff, escritor do staff (NaturalNews)

Dois pesquisadores americanos, cujos esforços para deliberadamente criar o vírus H5N1 da gripe aviária, através da reengenharia genética, para se tornar mais virulenta e mortal para os seres humanos estão agora pedindo uma moratória do governo para sua investigação controversa, aconselhando  que ela seja levantada. 

De acordo com o TIME magazine , a dupla alega que os detalhes precisos sobre como se desenvolveu a cepa mortal do vírus da gripe aviária deve ser tornada pública, e que a sua investigação controversa ser autorizada a continuar por uma questão de “saúde pública”.

Como já relatado de volta no início de 2012, Ron Fouchier do Erasmus Medical Center , na Holanda e Yoshihiro Kawaoka da Universidade de Wisconsinintencionalmente desenvolveu uma linhagem militarizada da gripe aviária H5N1 capaz de transmitir facilmente entre os mamíferos. Variedades naturais de H5N1, por outro lado, principalmente, transmitir entre pássaros e outras aves apenas, o que significa que este tipo de gripe não é significativa de uma ameaça aos seres humanos.

Mas para o propósito alegado de se aprender se o vírus H5N1 pode sofrer mutação em algum momento no futuro e se tornar mais uma ameaça letal para os seres humanos, Fouchier e Kawaoka deliberadamente induziram essas mutações genéticas no vírus em animais furões de teste com sucesso. No processo, eles essencialmente descobriram uma forma de potencialmente desencadear uma pandemia global de gripe aviária com o vírus H5N1 com potencial para matar ou ferir gravemente bilhões de pessoas. E após a sua insana realização, eles realmente tentaram publicar a fórmula em jornais públicos, receita de como se obter, fabricar esta cepa mortal do vírus H5N1.

Preocupado com a possibilidade de que esta informação crítica possa ser mal utilizada, a National Science Advisory Board for Biosecurity (NSABB), um comitê consultivo federal que supervisiona pesquisas biológicas dessa natureza, exortou os dois cientistas a não publicarem suas descobertas em revistas da Nature and Science. E, enquanto eles inicialmente concordaram com esta recomendação, Fouchier e Kawaoka estão agora pressionando para continuar com o seu trabalho.

Porque os estudos da transmissão do vírus H5N1 são essenciais para uma preparação para enfrentar uma pandemia de gripe aviária  e compreender a adaptação dos vírus da gripe na infecção dos mamíferos, pesquisadores que têm a aprovação de seus governos e instituições para realizar esta pesquisa com segurança, sob condições de biossegurança apropriada, têm a responsabilidade de saúde pública para retomar estas importantes pesquisas.“, alegam os pesquisadores originais sobre o seu trabalho.

Apenas cerca de 350 pessoas no mundo todo já morreram de H5N1

Com base no texto da petição, você poderia pensar que o vírus H5N1 é responsável pela morte de pelo menos dezenas de milhares de pessoas a cada ano, e que temos de agir agora para impedir a sua propagação. Mas, na realidade, o vírus H5N1 só infectou cerca de 600 pessoas desde que foi descoberto em Hong Kong, China em 1997. E entre estes 600, apenas cerca de 350 acabaram morrendo, o que significa que cerca de 24 pessoas por ano, em média, morrem de infecção pelo vírus H5N1 até o momento.

Compare isso com os cerca de 5.000 norte-americanos que morrem anualmente de intoxicação alimentar, por exemplo, e torna-se claro que o vírus H5N1 não é uma séria ameaça à saúde pública que Fouchier, Kawaoka, e outros que continuamente afirmam que é mortal. Na média uma pessoa esta mais propensa a morrer por asfixia com um pedaço de alface do que de contrair a gripe H5N1, e muito menos morrer com ela. Então, por que todo o foco e pressão em deliberadamente induzir o vírus H5N1 se espalhando entre seres humanos e causar uma pandemia real?

A verdadeira resposta a esta questão está envolta em muito mistério. Se você acreditar na explicação oficial, os pesquisadores simplesmente querem antecipar como o vírus H5N1 pode sofrer mutações no futuro, a fim de obter um modo de como enfrentá-lo desde o início de sua propagação. É um cenário meramente hipotético, que não poderia nunca vir a acontecer, claro, mas é o motivo alegado ea justificação para essa pesquisa, mesmo que tal pesquisa possa acabar sendo a causa de um surto de gripe H5N1 em um futuro muito próximo.

E isso nos leva à segunda explicação e a mais sinistra. Investigadores podem ter deliberadamente criado pela engenharia genética uma forma super-mortal do vírus H5N1 com o objetivo não declarado de, eventualmente, liberando-o na vida selvagem, a fim de desencadear uma pandemia global. Isto não é um exagero ao considerar que os pesquisadores envolvidos neste trabalho estão cuidadosamente estudando quantas vezes o vírus já mutado precisa se espalhar entre os mamíferos por conta própria, a fim de e naturalmente, se transformar novamente em um vírus ainda mais letal.

{n.t. Sobre o uso de vírus como arma biológica contra a China, segue um excerto do post: http://thoth3126.com.br/nova-ordem-mundial-a-missao-anglo-saxonica-parte-2/

Bill Ryan: Tudo bem. Então, só para voltar ao que eu disse há um minuto atrás, matar dois pássaros com uma pedrada. Um dos objetivos aqui, então, é estabelecer uma aliança unida dos países ocidentais com uma espécie de totalitarismo “em emergência e em estado de guerra”, um aspecto de controle pesado para essa aliança. E o outro aspecto é realmente o de acender o fogo da guerra, o que resultará em todos os tipos de caos e em um número enorme de pessoas morrendo em algum lugar, ou em vários lugares. 

W: Sim. 

Bill Ryan: A população chinesa? Ou todos no planeta? Isso é parte do plano de redução da população? O que eles dizem? 

W: Bem, havia uma conversa sobre os agentes biológicos a serem utilizados, descritos como sendo utilizados VÍRUS DE GRIPE e que iria se espalhar rapidamente. Agora, apesar de eles não mencionaram isso nesta reunião, mas agora eu sei que ele vai atacar as pessoas geneticamente, e não todos os diferentes povos em sua totalidade. Como isso vai acontecer … 

Eu não sou um geneticista, eu realmente não sei. Só se pode assumir que é ligado ao DNA de alguma forma. E as diferenças que são encontradas no DNA. Essas diferenças foram identificadas e os vírus podem ser produzidos para matar uma pessoa de um grupo genético específico e fazê-lo muito rapidamente por toda a população desse grupo genético. 

Bill Ryan: E assim o vírus é feito para atingir um alvo (uma raça) genético específico, é isso o que você está dizendo? 

W: Sim. 

Bill Ryan: Geneticamente direcionados para um tipo racial específico, é isso? 

W: Certo, dirigido a um tipo racial. Eu posso ser muito claro sobre isso. Eles estão falando sobre a extinção de toda uma parte da raça humana, para fazê-lo geneticamente. 

Bill Ryan:  Sério? Mencionaram nesta reunião, assim nestes termos?

W: Não exatamente. Esses são meus termos. Mas isto é como foi mencionado, e esta é a minha recordação de como isto surgiu e como eu o interpretei.  NWO, Nova Ordem Mundial-A Missão anglo-Saxônica, Parte 2Fim de citação}

Abaixo um documentário sobre a epidemia de gripe suína de 1976 da CBS “60 Minutes”, nos EUA. Ele foi transmitido apenas uma vez e nunca mais foi mostrado novamente. Por favor, olhe atentamente, ele fala por si mesmo.

“A taxa de letalidade do H5N1 selvagem na OMS (Organização Mundial da Saúde – banco de dados) é quase de 60 por cento … Portanto, se uma cepa do vírus H5N1 com essa taxa de letalidade foi projetado para se espalhar como se fosse de gripe sazonal, centenas de milhões de vidas de seres humanos estariam em risco”. Thomas Inglesby, diretor e CEO do Centro de Biossegurança naUniversidade de Pittsburgh Medical Center, é citado pela CNS News.com . : “Mesmo uma cepa cem vezes menos fatal do vírus colocaria em risco milhões de vidas de seres humanos“, ele  acrescentou.

Para saber mais sobre como se proteger de cepas de vírus de gripe militarizadas, confira o relatório especial, os cinco melhores produtos anti-virais para bater a Influenza, a gripe suína, gripe aviária e SARS (The Five Best Anti-Viral Products to Beat Influenza, Swine Flu, Bird Flu and SARS ):

http://www.naturalnews.com/ report_anti-viral_remedies_influenza_0.html 

Fontes para este artigo incluem:

http://www.naturalnews.com/034228_bioterrorism_flu_strain.html
http://www.naturalnews.com
http://cnsnews.com
 

Permitida a reprodução desde que mantido na formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

2 Responses to Vírus H5N1 da gripe criado artificialmente pelos militares

  1. Elza Tributino

    Gostaria de receber seus e-mails informativos. Grata.Elza

    • Thoth3126

      Olá Cara Elza, foi enviada uma mensagem para voce para que o seu endereço seja incluído no mailing list.Basta clicar concordando e esta pronto. Muita Luz e Paz.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *