browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

A exoneração do General Flynn e a divulgação do SSP [Programa Espacial Secreto] nos EUA

Posted by on 11/05/2020

A retirada de todas as acusações contra o General Michael Flynn encerra uma longa batalha legal decorrente da investigação do [pseudo] escândalo de interferência da Rússia na campanha presidencial de Donald Trump e seu governo subsequente. Embora haja certamente consequências jurídicas poderosas para a armadilha de perjúrio efetuada por altos funcionários do FBI contra Flynn, que havia acabado de começar seu curto período como consultor de segurança nacional de Trump, o que resta a ser respondido é por que Flynn foi alvo? 

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

exoneração do General Michael Flynn e a divulgação do SSP [Programa Espacial Secreto] e dos OVNIs

Fonte:  https://www.exopolitics.org/will-general-flynn-exoneration-impact-ufo-ssp-disclosure/

Isso tem alguma coisa a ver com o conhecimento do General Flynn sobre OVNIs, os programas espaciais secretos e sua nova posição em que ele poderia legalmente obter acesso e divulgar essas informações a Trump, que por sua vez seria capaz de divulgá-las ao público em geral?

É importante enfatizar que, como ex-diretor da Agência de Inteligência de Defesa (DIA) de julho de 2012 a agosto de 2014, Flynn teria sido informado sobre um grande número de Programas de Acesso Especial (USAPs) não reconhecidos executados por ou envolvendo a agência DIA {Defense Intelligence Agency]. Talvez ainda mais significativamente, ele teria aprendido sobre a existência dos programas USAPs aos quais o diretor do DIA e seu vice tiveram acesso negado.

Os USAPs sobre os quais ele teria sido informado incluíam um programa espacial secreto executado pela Força Aérea dos EUA [USAF] e pelo Escritório Nacional de Reconhecimento [NRO], com a ajuda da Agência de Segurança Nacional[NSA] e do DIA. A colaboração dessas diferentes entidades do Departamento de Defesa no espaço envolvente do USAP é discutida no meu livro USAF Secret Space Program: Shifting Extraterrestrial Alliances & Space Force (2019).

USAPs adicionais administrados por grandes empresas aeroespaciais [do Complexo Industrial Militar] que envolvem tecnologias extraterrestres desenvolvidas por engenharia reversa de espaçonaves alienígenas capturadas  teriam sido de grande interesse para o Diretor do DIA, apesar da falta de responsabilidades formais de supervisão, como mostrarei em breve.

Uma das responsabilidades de Flynn como Diretor do DIA era coordenar a coleta e análise de dados de inteligência sobre as capacidades espaciais de potenciais rivais militares dos EUA. Isso incluiu a China, que Flynn havia investigado extensivamente como parte de seu portfólio de inteligência durante sua carreira militar.

Ao mesmo tempo, Flynn e seus antecessores como diretores do DIA estavam muito interessados ​​no que as principais empresas aeroespaciais estavam pesquisando, construindo e implantando SECRETAMENTE para seus “clientes confidenciais”.

Uma pista sobre o quanto um diretor do DIA e / ou seu substituto é informado sobre programas espaciais secretos e a engenharia reversa das tecnologias de espaçonaves alienígenas capturadas por trás deles é obtida examinando o caso de um dos antecessores de Flynn, o vice-almirante Thomas Wilson e o que ele conhecia esses programas.

Em 10 de abril de 1997, o contra-almirante Wilson recebeu um informe sobre OVNIs do ex-astronauta da Apollo 14, Edgar Mitchell, e Stephen Greer, um médico de pronto-socorro da Carolina do Norte que logo após efetuou o lançamento do famoso Disclosure Project. Depois que Wilson recebeu informações sobre um Programa de Acesso Especial Não Reconhecido (USAP), envolvendo a engenharia reversa da tecnologia de uma espaçonave alienígena recuperada, ele buscou informações e teve acesso negado por três funcionários corporativos, embora ele ocupasse os cargos simultâneos de vice-diretor do DIA e Vice-Diretor de Inteligência dos Chefes de Estado-Maior Conjunto de novembro de 1994 a setembro de 1997.

Wilson estava muito descontente com a situação e expressou sua frustração a Mitchell e Greer, que revelaram publicamente elementos do que havia acontecido. Em 2019, um documento de 15 páginas que Mitchell adquiriu de uma entrevista literal entre o almirante Wilson e um proeminente físico, Dr. Eric Davis, veio à tona após a morte do astronauta  Mitchell, fornecendo significativamente mais detalhes do que aconteceu.

Wilson apelou ao Comitê de Supervisão do Programa de Acesso Especial para ter acesso a um programa de engenharia reversa executado por uma empresa [do Complexo Industrial Militar] aeroespacial, mas foi negado. Além disso, Wilson foi ameaçado de interromper suas investigações, ou sua carreira militar sofreria represálias.

Wilson concordou e, depois de uma breve designação para a CIA, foi posteriormente promovido a vice-almirante e tornou-se diretor do DIA de julho de 1999 a julho de 2002. É importante ressaltar que Wilson era apoiado por seu superior, general Patrick Hughes , que havia participado do “briefing” de abril de 1997, juntamente com outros funcionários do DIA, garantindo que o incidente de Wilson agora fazia parte da memória institucional do DIA, em vez de um incidente isolado envolvendo um funcionário e que seria esquecido.

Logo após sua aposentadoria em julho de 2002, Wilson se encontrou com Davis em outubro e divulgou detalhes do que havia acontecido na esperança de aprender mais sobre o programa corporativo. Cobri a reunião de outubro de 2002 em uma série de três artigos (ver Parte 1 , Parte 2 Parte 3 ).

O que o caso do almirante Wilson nos diz é que existe um sistema de sigilo rigidamente controlado para restringir o acesso aos secretos programas USAPs conduzidos por empresas que ativamente fazem engenharia reversa de tecnologia extraterrestre de espaçonaves recuperadas de acidentes. Enquanto os diretores do DIA supervisionam os produtos finais produzidos para a Força Aérea e a Marinha – naves espaciais com sistemas de propulsão eletromagnética antigravidade – eles não têm o poder formal de investigar o que está acontecendo em instalações administradas por empresas, muitas das quais estão situadas em bases militares, de acordo com vários participantes .

Queda de UFO em Roswell, no Novo México, caso mais rumoroso de resgate de um UFO acidentado e corpos de extraterrestres

Consequentemente, é certo que o General Flynn herdou a memória institucional do incidente de Wilson quando se tornou diretor do DIA em 2012. Flynn não apenas teria sido oficialmente informado sobre os USAPs relacionados a um programa espacial secreto da Força Aérea e da NRO, mas também aprendeu sobre quais empresas estavam conduzindo programas de engenharia reversa aos quais ele e o DIA NÃO tinham acesso.

O Comitê de Supervisão do Programa de Acesso Especial que negou o acesso de Wilson a um desses programas provavelmente teria negado o acesso de Flynn da mesma forma, se ele tivesse feito perguntas semelhantes.  Consequentemente, Flynn teria sabido que uma autoridade institucional superior seria obrigada a substituir o Comitê de Supervisão do Programa de Acesso Especial, a fim de conceder ao DIA o acesso necessário a esses USAPs.

Consequentemente, o perigo representado ao Estado [Deep State] Profundo por Flynn ser nomeado Conselheiro de Segurança Nacional de Trump fica muito claro. Flynn estava em posição de aconselhar Trump a conceder ao Diretor do DIA e ao Consultor de Segurança Nacional o acesso necessário aos programas de engenharia reversa de tecnologias alienígenas administrados por empresas [do Complexo Industrial Militar] protegidos pelo Comitê de Supervisão de Programas de Acesso Especial.

Além disso, Flynn poderia providenciar um briefing oficial em que Trump aprenderia sobre o programa espacial secreto que envolvem a USAF, NRO, NSA e DIA. Depois de um briefing oficial, Trump estaria em posição de divulgar publicamente essas informações se acreditasse que era do interesse nacional faze-lo.

A armadilha de perjúrio criada por funcionários corruptos do FBI  controlados pelo Deep State contra o general Flynn não foi apenas uma farsa da justiça orquestrada pelo Deep State para sabotar a Presidência de Donald Trump, mas também para impedir que Flynn aconselhasse Trump de maneiras que prejudicariam as décadas de segredo sobre o desenvolvimento dos Programas espaciais Secretos, as tecnologias desenvolvidas e mantidas em segredo, que e se reveladas, podem modificar completa e definitivamente todo o paradigma de nossa atual civilização.

A exoneração de qualquer culpa do General Flynn agora permite que ele seja reconduzido para uma posição sênior no governo Trump e para facilitar a divulgação do programa espacial secreto e USAPs de engenharia reversa de tecnologias alienígenas desenvolvidos e administrados por grandes empresas aeroespaciais [do Complexo Industrial Militar].

© Michael E. Salla, Ph.D.


A Matrix (o SISTEMA de CONTROLE MENTAL):   “A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando salvar. 

“Mas até que nós consigamos salvá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso os transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle Mental. E muitos deles estão tão habituados, tão desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você  para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …”


Saiba MUITO mais, informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.