browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Algumas perguntas que ‘Precisamos Fazer’ sobre o Afeganistão: O que REALMENTE está acontecendo ? 

Posted by on 20/08/2021

O Afeganistão “caiu” nas mãos do Taleban, essa é a linha da mídia Pre$$titute$. As forças do Taleban aproveitaram a oportunidade da retirada dos EUA / OTAN e varreram todo o país, tomando todas as grandes cidades em uma semana e com apenas um tiro disparado. Joe Biden está sendo culpado e ridicularizado por sua “falta de plano B”, mesmo enquanto os democratas tentam jogar a culpa em Trump, que havia decidido retirar os EUA do Afeganistão há mais de 18 meses .

Algumas perguntas, seis,  que PRECISAMOS fazer sobre o Afeganistão: O que REALMENTE está acontecendo ? A aparente “vitória” do Taleban apresentada pela mídia pre$$titute$ está mascarando os verdadeiros [e ocultos] fatos?

Kit Knightly  –  Fonte:  Off Guardian

Enquanto isso, a imprensa pre$$titute$ está relatando dezenas de histórias sobre crises humanitárias, refugiados que fogem do novo regime, o destino das mulheres sob o Talibã e “vídeos chocantes” de pessoas desesperadas tentando fugir do pais.

Essa é a história oficial, a de consumo das massas. Mas o que realmente está acontecendo?

1. O TALIBÃ REALMENTE VENCEU ALGUMA GUERRA?

Em primeiro lugar, sejamos claros, os EUA não se “retiraram” do Afeganistão, não no verdadeiro sentido da frase. Eles ainda se reservam o direito de bombardear o local quando bem entenderem.  Ainda existem empreiteiros privados no país. E o Pentágono já está reservando suas passagens de volta .

Em segundo lugar, o Taleban não “venceu”, porque eles não tiveram oposição. Mais do que sem oposição, eles foram ajudados diretamente. Quando os EUA abandonaram a base aérea de Bagram, deixaram centenas de veículos blindados, armas e mais de 5.000 supostos prisioneiros do Taleban … todos os quais “acidentalmente” caíram nas mãos das forças do Taleban que avançavam .

O exército afegão [Que chegou a ter mais de 200 000 militares no serviço ativo, armados, treinados e financiados majoritariamente pelas potências Ocidentais], sob o comando do presidente fantoche dos EUA, Ashraf Ghani, basicamente cedeu todo o terreno sem que sequer um tiro fosse disparado.  Dezenas de milhares de soldados treinados e armados pelos EUA nada fizeram para impedir o avanço do inimigo.

Existem MUITOS artigos na mídia pre$$titute$ tentando explicar isso. O The Guardian . E o Telegraph . The Financial Times . E o Times não financeiro . Todos eles tentaram. Max Boot do Washington Post, escrevendo para o Conselho de Relações Exteriores, se amarra em nós mentais tentando explicar como o exército afegão, com números E PODER DE FOGO muito superiores,  “desabou sob pressão” .

O Independent relata que os bilhões de dólares que o Pentágono [e a CIA] gastou no treinamento das forças de segurança afegãs acidentalmente” beneficiaram o Taleban , que agora tomou posse de centenas de veículos, mísseis e aeronaves de última geração das forças armadas dos EUA !!!.

A imprensa pre$$titute$ vê claramente o que realmente aconteceu – É um imenso buraco em sua história que eles realmente precisam tapar.

Todas as coisas sendo iguais, a explicação mais simples é geralmente a mais provável. E a explicação mais simples aqui é que as forças de segurança afegãs receberam ordens de se retirar do caminho dos revolucionários como parte de um acordo secreto com o Taleban. Existem relatos e rumores nas redes sociais de negócios sendo fechados:

E, é claro, os termos exatos do acordo de paz, assinado por Donald Trump e o Taleban no ano passado, não são conhecidosMas é interessante notar que esse acordo na verdade exigia a entrega de exatamente 5.000 prisioneiros do Taleban . O mesmo número “acidentalmente” deixado desprotegido na gigantesca base aérea de Bagram.

Uma interpretação plausível é que a retirada ocorreu exatamente como planejado no acordo  assinado pelo então presidente Trump. E que o melodrama e “caos” da retirada era parte do negócio ou uma adição posterior para causar uma distração ou para “salvar algumas aparências”.

2. O CAOS EM CABUL É REAL?

A mídia tem gerado memes para vender o “caos” do avanço do Taleban. A comparação certa foi a queda de Saigon, porque as (completamente não intencionais, claro) “imagens quase idênticas”  (completamente não intencionalmente, é claro) “se tornaram virais” .

Recebemos um monte de vídeos virais. Variando do questionável . . . :

. . . Para o bizarro:Para o bizarro:

Tudo isso tem um propósito, além da distração de metáforas emotivas e manchetes chocantes .  Tudo auxilia na construção, manipulação e apresentação de uma narrativa. Neste caso, as ideias de “erros” e “incompetência” e “ilusão” dos militares e governantes dos EUA são  discutidas longamente , sem nunca tocar na verdadeira mentira no cerne da “vitória” afegã .

O “fim” da guerra afegã está sendo usado para reformular o seu início 20 anos atrás. O Taleban é apresentado e sustentado como vilões, novamente, e associado à Al Qaeda , como se eles nunca tivessem sido criados [CIA] por e nada além de uma ferramenta ocidental [EUA] em primeiro lugar.

As pessoas estão falando sobre “espalhar a democracia” e “contra-terrorismo” como se fossem os verdadeiros objetivos da guerra, em vez de mentiras há muito desacreditadas. O marketing do Afeganistão como uma “derrota” para os EUA camufla a verdade disso – a guerra foi um empreendimento comercial MUITO lucrativo para os warlords do Complexo Industrial Militar.

E, claro, tudo isso serve para reforçar a frágil história oficial do “atentado [fake] terrorista” de 11 de setembro, uma pedra angular vital na construção de nossa “realidade” geopolítica.

3. E QUANTO À HEROÍNA E O ÓPIO?

A imprensa pre$$titute$ tem uma longa história de, não apenas mentir sobre a heroína afegã, mas inverter totalmente a verdade. Em 2019, por exemplo, durante o “vazamento” ridículo dos papers do Afeganistão , a imprensa lamentou o “fracasso dos EUA em restringir” o comércio de ópio e heroína [sendo que a CIA é o maior traficante de drogas do planeta].

O Afeganistão atualmente produz cerca de 90% da heroína global. Quando os EUA invadiram em 2001, esse número era muito mais próximo de zero. O Taleban proibiu o cultivo de papoulas do ópio no início de 2001 e, no final do ano, o negócio estava quase extinto.

Os EUA invadiram em novembro de 2001 e a produção de ópio aumentou vertiginosamente quase todos os anos desde então. Não precisamos entrar em detalhes sobre os vínculos da CIA com o tráfico de drogas aqui, ou quanto dinheiro “certas pessoas” ganharam com essa produção de heroína. Isso não é mais relevante, o que precisamos perguntar é: e agora?

Será que o recém-reinstaurado Talibã porá fim a esse comércio novamente? Ou a produção continuará? Segundo a imprensa, a heroína continuará a fluir. Na verdade, o Taleban aumentará a produção porque o “comércio ilegal de drogas ajuda a abastecê- los .

A Reuters relata que o plano dos EUA de interromper a produção de heroína “falhou” e que o comércio de ópio é uma “dádiva” para o Taleban . O Telegraph em manchete disse que “o Taleban pondera inundar o Ocidente com heroína para apoiar a economia afegã” . Portanto, devemos estar preparados para o aumento do comércio ilegal de heroína agora que os EUA se “retiraram” do Afeganistão.

Mas a ideia de que a heroína beneficia o Taleban e que os EUA querem acabar com isso é um mito.  A heroína afegã é, e sempre foi, uma operação 100% americana, via CIA / Deep State / Corporações até o osso. E, se o Taliban permitir que os EUA continuem a usar suas terras para produzir em massa heroína e ópio, que é ainda um outro pedaço de evidência de apoio ao acordo entre o Taleban e o Ocidente.

4. HAVERÁ ALGUMA PRECIPITAÇÃO POLÍTICA?

Então, quais são as próximas etapas ? Para onde isso vai dar ?

Bem, nos Estados Unidos, o decrépito e senil presidente Joe Biden está experimentando um fogo bastante pesado. Até mesmo seus partidários geralmente robustos na CNN pre$$titute publicaram a manchete “Joe Biden está enfrentando uma crise de competência .

O que pode significar que eles estão nos estágios iniciais de nos preparar para a mudança do presidente, saindo o velho e senil Joe e entrando a psicopata Kamala Harris, podemos estar nos estágios iniciais desta manobra.

Geopoliticamente, fala-se de Rússia e China – os únicos dois países a reconhecer oficialmente o governo do Taleban – “entrando no vazio” . Isso está sendo jogado como uma vitória para os inimigos da América (e outra vara para derrubar o velho Joe Biden), mas isso realmente significa alguma coisa?

A “pandemia” de Covid abriu os olhos em termos de conflito entre nações. Eles nos mostraram que, quando realmente precisam, trabalham juntos para o mesmo fim. Eles contam as mesmas mentiras, vendem as mesmas histórias [e vacinas] e querem a mesma coisa. A parede na parte de trás do teatro foi revelada a esse respeito.

A verdade é que, independentemente de quais nações teoricamente dominem o Afeganistão, os lucros da guerra, o lítio, as terras raras [a China esta de olho] e a heroína acabarão indo para os mesmos poucos bolsos. Governam grandes Corporações, não países, muito menos os políticos, meros marionetes . Os Estados-nação não são mais os jogadores do Grande Jogo, são as peças. Brinquedos para megálitos corporativos e psicopatas oligarcas sedentos de poder. Seus donos podem fazê-los brigar, ou arremessá-los uns contra os outros e fazer barulhos de beijos. Cada um é igualmente sem sentido.

5. EXISTE OUTRA “CRISE DE REFUGIADOS” A CAMINHO?

A narrativa “oficial” da mídia pre$$titute sobre o Afeganistão é que vai alimentar outras grandes narrativas daqui para frente. Em primeiro lugar, “existe”“crise dos refugiados” que se  aproxima .

“pior desde a segunda guerra mundial” , de acordo com Tobias Elwood MP (com quem sempre se pode contar para promover os pontos de discussão da agenda do Deep State), o que é estranho porque tenho certeza de que foi o que eles disseram sobre a crise dos refugiados em 2016 também.  Ah, e em 2019 .

O Secretário de Defesa do Reino Unido já anunciou planos para permitir que os requerentes de asilo afegãos entrem na Grã-Bretanha sem passaportes [e provavelmente sem vacinas]. Merkel está defendendo medidas semelhantes na Alemanha , e a imprensa americana também está a bordo dessa agenda.

Esses refugiados serão forçados a ficar em “hotéis de quarentena” às suas próprias custas? Todos eles foram “injetados duas vezes”? Nós não sabemos. Ninguém está pensando nisso, é parte  da  outra narrativa, a pandêmica. Estamos falando sobre refugiados hoje, a Covid pode esperar.

Qualquer pessoa que se oponha à entrada de requerentes de asilo por causa de Covid será considerada racista, e os profissionais médicos alegarão que “o racismo é um problema de saúde pública mais perigoso do que a covid” , assim como fizeram quando a narrativa de Covid colidiu com a narrativa de Black Lives Matter no verão passado.

O fato de que a importação de requerentes de asilo, sem documentos, de um estado quase falido poderia ser sugerido durante uma suposta “pandemia mortal” é um sinal de como ambas as narrativas são artificiais [covid e “crise” no Afeganistão].

Não se fala muito – mas as empresas adoram refugiados. Assim como os imigrantes ilegais, os refugiados sem documentos podem ser usados ​​como mão de obra barata, sem nenhuma das proteções legais de cidadãos plenos. Eles podem então ser responsabilizados pela deterioração dos padrões de vida, desemprego e estagnação salarial. Eles agem como um dissipador de calor para a raiva pública.

Além disso, “refugiados” sem passaportes são uma ótima maneira de fazer seus mercenários treinados, agitadores, sabotadores e / ou forças especiais cruzarem as fronteiras nacionais sem deixar rastro algum.

O exército resultante de homens indocumentados em idade de lutar pode então servir como um pool de potenciais “terroristas” que podem ser “radicalizados” a qualquer momento e implantados para espalhar o pânico em casa ou no exterior. O que nos leva clara, direta e perfeitamente a …

6. … EM BREVE VEREMOS UM GRANDE ATAQUE TERRORISTA?

Passaram-se apenas alguns dias desde a “queda” de Cabul, mas a “renovada ameaça do terrorismo” já está fazendo barulho na imprensa pre$$titute. The Sun, em seu estilo discreto usual, manchetes :

ALERTA VERMELHO: Grã-Bretanha enfrenta ‘ameaça direta de terrorismo’ da tomada do Taleban no Afeganistão em nova onda de terror contra o Ocidente.

Um relatório bem mais tranquilo da AP diz : “As preocupações com as ameaças terroristas dos EUA aumentam à medida que o Talibã aumenta”.

O New York Times torna-se quase totalmente esquizofrênico, relatando “Uma década atrás, a retirada dos EUA do Iraque abriu as portas para o Estado Islâmico. A retirada do Afeganistão fará o mesmo com o Taleban? e aviso de outros ataques terroristas no futuro …

… Sem nunca reconhecer que os EUA nunca “se retiraram” do Iraque . Ou que eles armaram e treinaram o ISIS e criaram outras organizações “terroristas”. A Bloomberg avisa que “O Taleban já está inspirando terror além do Afeganistão” . O Times está preocupado com a “elite terrorista” que o Talibã libertou da prisão de Bagram.

O Projeto Syndicate relata que “O mundo não deve ignorar o risco de que o Afeganistão sob o Talibã possa se tornar um terreno fértil para o terrorismo internacional. ” Políticos da França , Estados Unidos e Reino Unido também estão ansiosos para falar sobre isso:

O ex-chefe da OTAN disse que o Ocidente precisa “reforçar suas defesas contra o terrorismo” , enquanto o Presidente da Junta de Chefes dos EUA disse que “grupos terroristas vão se reconstituir no Afeganistão mais rápido do que o esperado” e a ONU está pedindo “unidade contra os ameaça terrorista global ” .

Há um tema comum para alguns desses “avisos terríveis” também. Tobias Elwood MP (ele de novo), disse ao Independent :

Eu não ficaria surpreso se víssemos outro ataque na escala de 11 de setembro, quase para encerrar o que aconteceu há 20 anos,

Enquanto Ivor Roberts, outro sênior Tory, usou a mesma frase exata no Metro , como faz este artigo no The Sun . Tudo isso apenas nos últimos dois dias. Isso significa que veremos um grande ataque terrorista?

Talvez talvez não. Estamos atrasados ​​para um, certamente. O grande terrorismo internacional, assim como a gripe, tirou uma folga durante a “pandemia” COVID. Mas, de muitas maneiras, a ameaça é tão eficaz quanto o próprio ataque. A névoa do medo de Covid está se dissipando, apesar dos esforços em contrário, as pessoas estão começando a acordar um pouco e as pessoas que pensam que “comandam” as coisas precisam que todos tenham medo.

CONCLUSÃO

Para resumir a narrativa oficial sobre a retirada dos EUA do Afeganistão em tópicos:

  • Trump assinou um acordo com o Taleban, há mais de um ano, para se retirar do país e entregar 5.000 prisioneiros.
  • Apesar de ter mais de um ano para planejar, a “retirada” dos EUA foi caótica e confusa.
  • Os EUA “acidentalmente” deixaram para trás armas, helicópteros, munições e veículos blindados que o Taleban tomou.
  • Os EUA “acidentalmente” deixaram para trás 5.000 prisioneiros, que o Taleban libertou.
  • Sem o apoio dos EUA, o exército afegão, que supera o Taleban em número, desistiu sem disparar um tiro e o Taleban assumiu o controle de todo o país em menos de uma semana.
  • Apesar de ter encerrado o comércio de heroína antes da invasão dos Estados Unidos, agora o Taleban pretenderia mantê-lo e até aumentar a produção.

Você acredita nessa história ? Ela é totalmente verossímil ?

Ignore o som e a fúria da mídia pre$$titute$. A imprensa é como um mágico de rua, se você quiser entender o que eles estão tramando, você tem que olhar além da mão que ele está acenando na sua cara, e olhar para a que está atrás dele.

Parece bastante óbvio, para mim, pelo menos, que os EUA deram armas e veículos ao Talibã em troca da promessa de manter a produção de heroína (e talvez acesso a depósitos de minérios, nenhuma palavra sobre isso ainda).

Enquanto isso, a “queda” e o “caos” totalmente fabricado está sendo usada para atiçar as chamas da pornografia do medo sobre a mesma massa de zumbis ignorantes apavorados [a manada, o rebanho, a tribo]. Promover a divisão entre os requerentes de asilo e espalhar o pânico sobre novos atentados terroristas.

Em suma, a história do Afeganistão, conforme relatada pela grande imprensa pre$$titute$, é uma bola de confusão ilógica retorcida, manipulada e destinada a fornecer combustível para futuras narrativas para impor mais controle sobre as massas apavoradas.

… O que se aplica a quase tudo nas notícias das prostitutas da mídia pre$$titute$ hoje em dia.


“O indivíduo é [TÃO] deficiente mentalmente [os zumbis], por ficar cara a cara, com uma conspiração tão monstruosa, que nem acredita que ela exista. A mente americana [humana] simplesmente não se deu conta do mal que foi introduzido em seu meio. . . Ela rejeita até mesmo a suposição de que as [algumas] criaturas humanas possam adotar uma filosofia, que deve, em última instância, destruir tudo o que é bom, verdadeiro e decente”.  – Diretor do FBI J. Edgar Hoover, em 1956


Mais informações, leitura adicional:

Permitido reproduzir desde que mantida a formatação original e a conversão como fontes.

phi-cosmoswww.thoth3126.com.br

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.