browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Asteroide 2012-TC4 passará (a Estrela AZUL dos Hopis?) bem perto da Terra à noite

Posted by on 11/10/2017

O asteroide, que tem um diâmetro de cerca de 40 metros, se aproximará da Terra em 12 de outubro às 02h42 GMT (23h42 horário de Brasília de 11 de outubro). Em comparação com outros asteroides, o TC4 é menor, mas é o único de seu tipo que voará tão perto do nosso planeta, disseram os cientistas da Universidade Federal dos Urais, citados pela mídia russa.

Tradução, edição e imagensThoth3126@protonmail.ch

Asteroide 2012 TC4 passará (a Estrela AZUL dos Hopis?) “muito perto ‘da Terra hoje à noite testando nossas defesas espaciais – mas estaríamos preparados para um ataque?

Nessa noite da quinta-feira, 11 de outubro, um asteroide do tamanho de uma casa será observado cuidadosamente por astrofísicos na medida em que se aproxima “desgraçadamente muito próximo” da Terra.

A grande rocha espacial, chamada Asteroide 2012 TC4, foi detectado há cinco anos pelo telescópio Pan-STARRS no Observatório de Haleakala, no Havaí, antes de desaparecer quando ele orbita o sol. Então ressurgiu em julho em uma trajetória bem dentro da nossa órbita lunar.

Os cientistas disseram que o asteróide está em curso para passar com segurança, apenas ao sul da Austrália, e aparentemente não representa nenhuma ameaça. No entanto, ele se apresenta às agências espaciais como uma rara oportunidade de testar as defesas espaciais do planeta e as armas em órbita, sobre o que fariam se um asteroide  maior e mais ameaçador fosse detectado em direção a uma queda direta à superfície da Terra.

Quão próximo o Asteroide TC4 chegará à Terra?

O TC4 tem entre 50 a 100 pés de diâmetro (enre 15 e 30 metros) e percorre o espaço em aproximadamente 16,000 mph – 7,5 milhas por segundo. Prevê-se que comece a passar pela Terra das 7h às 7h GMT na quinta-feira e estará a cerca de 27.000 milhas da nossa atmosfera.

Isso pode parecer muito longe, mas é uma curta distância em termos planetários e cerca de apenas um oitavo da distância média entre a Terra e a Lua. Também está apenas acima da distância da órbita da maioria de nossos satélites. Rolf Densing, que dirige o Centro Europeu de Operações Espaciais em Darmstadt, Alemanha, disse: “Ele está muito perto. Os satélites mais distantes estão a 36 mil quilômetros [22,000 milhas], então esta é, de fato, uma grande aproximação.  

“O TC4 não representa “absolutamente” nenhuma ameaça para o planeta, mas oferece a chance de testar nosso controle de asteróides e capacidades de defesa espacial”.

A Terra já foi atingida antes?

A Terra já foi atingida por asteróides e meteoros repetidamente ao longo de sua vida útil de cerca de 4,5 bilhões de anos, no entanto, as chances de um incidente grave acontecendo novamente em nossa vida são “remotas”. O evento mais famoso foi o asteroide com cerca de sessenta milhas de espessura que atingiu a costa do México há cerca de 65 milhões de anos e se pensa que levou à extinção dos dinossauros. Mas houve exemplos mais recentes, e bem menos dramáticos.

A queda de Meteoro sobre Chelyabinsk, na Rússia em 2013

O evento mais próximo da memória viva aconteceu quando um meteoro veio atravessar a atmosfera nos céus acima de Chelyabinsk, no centro da Rússia (Montes Urais). Ao contrário de um asteroide, que é um pedaço sólido de rocha, os meteoros são pequenos cachos de detritos espaciais que se queimam e se transformam em fogo ardente quando atingem a atmosfera.

Meteoro caiu e explodiu sobre a região de Chelyabink, na Rússia, em 15 de fevereiro de 2013.

De acordo com a Academia Russa de Ciências, o meteoro de Chelyabinsk tinha cerca de dez toneladas e se desintegrou antes de atingir o chão. Cerca de 1.500 pessoas ficaram feridas por detritos voadores, quando a onda de choque da explosão varreu a cidade russa, quebrando milhares de vidraças de janelas, derrubando paredes e deixando uma rastro de destruição. 

A explosão foi estimada para ter uma força maior do que 30 bombas nucleares de Hiroshima, de acordo com os cientistas da Nasa, e a onda de choque foi tão poderosa que deu duas vezes a volta ao redor do planeta.

O evento Tunguska de 1908, também na Rússia.

O maior incidente de queda de asteróides registrado é o evento de 1908 na região de Tunguska na Rússia. Relatos de testemunhas oculares a partir do momento são escassos, já que o evento não foi devidamente investigado até 19 anos depois de sua ocorrência. Os relatórios da época dizem que uma bola de fogo de tamanho entre 160 pés e 330 pés de largura (49 a 100 metros) atingiu uma área da floresta remota da Sibéria, perto do rio Podkamennaya Tunguska.

As árvores se espalharam pelo campo da Sibéria 45 anos depois que um meteorito atingiu a Terra perto de Tunguska, na Rússia, nesta foto de arquivo de 1953 

A bola de fogo incinerou cerca de 1.200 milhas quadradas de floresta, destruindo cerca de 80 milhões de árvores.  Residentes na cidade mais próxima, a 35 quilômetros de distância, alegadamente sentiram o calor da explosão enquanto o chão tremia e as janelas se queimavam. Não foram relatadas vítimas humanas oficiais, embora um pastor local de cervos tenha sido morto depois de ser atingido por uma árvore pela explosão. O evento de Tunguska foi estimado em 85 vezes liberando mais energia do que a bomba atômica de Hiroshima.

De acordo com a Agência Espacial Européia (ESA), um asteróide ou meteorito do tamanho do de Chelyabinsk atinge a Terra em média a cada 10 a 100 anos, enquanto um objeto do tamanho do evento Tunguska atinge o planeta aproximadamente a cada cem a mil anos. 

O Asteroide TC4 representa uma ameaça?

Mesmo que a órbita do TC4 tenha sido descrita como ‘muito perto’ da Terra, os astrofísicos agora podem prever o caminho dos asteróides com uma margem de erro de cerca de 10 milhas e estão confiantes que o asteroide TC4 não chegará a atmosfera da Terra. Mesmo que fosse atingir a Terra, os cientistas dizem que teria um impacto semelhante ao do meteoro de Chelyabinsk. Detlef Koschny, gerente de segmento do programa Objetos Próximos à  Terra na ESA, com sede nos Países Baixos, disse:

“O [TC4] é menor [do que Tunguska], tem apenas cerca de 10-20 metros – [nós] acabamos de receber algumas observações de radar [Segunda à] noite . Então é mais como Chelyabinsk em 2013. Uma onda de choque possivelmente explodindo as janelas; possivelmente alguns meteoritos caindo”.

Defesas espaciais

O TC4 oferece às agências espaciais em todo o mundo a oportunidade de usar as defesas espaciais do planeta para um cenário onde a Terra estaria no caminho de um asteroide mais perigoso. Se um asteroide do tamanho de TC4 ou um pouco maior estiver em curso para atingir uma área povoada, agências espaciais como a ESA e a NASA procurariam alertar pessoas e trabalhar com governos relevantes para potencialmente iniciar uma evacuação.

No entanto, se as agências detectaram um objeto ao longo de mais de 130 pés de tamanho (cerca de 40 metros) de diâmetro, eles precisariam começar a pensar em desviar o asteroide do caminho da Terra.

Para que essas agências espaciais disparassem um satélite para o asteroide na tentativa de mudar sua trajetória, no que é conhecido como um método de “impactador cinético”. O asteróide precisaria ser atingido quando havia pelo menos dois anos de distância para dar tempo ao alterar sua trajetória e a terra clara.   

Mr. Koschny disse: “Sim, temos a capacidade de liquidar um asteroide ou uma cometa com um satélite. A NASA já fez isso em 2004 com a missão ‘Deep Impact’. O difícil é o objetivo, o alvo do Deep Impact foi um objeto comparativamente grande (alguns quilômetros). Mas a indústria nos assegura que eles poderiam fazer o mesmo por um objeto de 100 a 200 metros”.

Ele acrescentou que a trajetória de TC4 só foi detectada em julho devido ao seu tamanho relativamente pequeno, mas essas agências espaciais provavelmente veriam um asteroide suficientemente grande para representar uma séria ameaça para a Terra a tempo de disparar um satélite armado com dispositivo defletor.

Will TC4 será visível no Reino Unido?

Infelizmente, devido ao seu caminho o asteroide 2012TC4 não será visível para stargazers no Reino Unido. O melhor lugar para ver a sua passagem será a Austrália, e mesmo assim só será visível através do telescópio devido ao seu tamanho aparente. Todos os olhares dos cientistas astrofísicos estão voltados para os céus na esperança de que nada de  errado com a passagem deste asteroide.


{Excerto do post: Profecias dos Indigenas HOPI (o retorno da Estrela Azul)

Uma das profecias HOPI parece estar relacionada com o surgimento de um objeto celeste nos céus da Terra e  profetisa: Quando a Estrela Azul Katchina  fizer sua aparição nos céus, o Quinto Mundo então começara. Este será um dia de purificação”(Este evento pode ser a chegada de um ASTEROIDE à TERRA em 12 de OUTUBRO DE 2017). 

 “Então haverá muito para reconstruir. E logo após Pahana ter (significa o irmão [Extraterrestres] branco dos céus) desaparecido, ele então retornara e trará com ele o amanhecer do Quinto Mundo”. 

“Esta lenda da volta do Pahana parece estar intimamente relacionada com os Aztecas e a história de Quetzalcoatl, (assim como outras lendas da América Central). Ele plantará as sementes da sabedoria nos corações das pessoas. Até mesmo agora as sementes estão a ser plantadas. Isto abrirá o caminho para o aparecimento do Quinto Mundo”.

A profecia HOPI refere que o aparecimento da Estrela Azul Kachina nos céus iniciará um período de grande  purificação, um período em que a Terra e os homens e mulheres será purificada e limpa da negatividade, em preparação para o surgimento do 5º Mundo (“virá quando Saquasohuh – a ESTRELA AZUL – Kachina dançar na praça e remover a sua máscara”).}


“Existem três coisas que não podem ser escondidas por muito tempo: a  Lua, o Sol e a VERDADE” – Sidhartha Gautama (Budha)

countdown-contagem-regressiva

“É de sua responsabilidade dedicar o máximo de tempo para a sua própria Libertação”.  Arcanjo Miguel

“Tudo o que somos é o resultado do que pensamos. Se um homem-mulher fala ou age com um pensamento maligno, a dor o acompanhará como uma sombra. Se um homem-mulher fala ou age com um pensamento puro, a felicidade o segue, como uma luz que nunca o deixa”. – Budha  (Sidharta Gautama)


Muito mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *