browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Astronauta alemão Nazista fingiu ser de Vênus durante “contato ET” de Adamski?

Posted by on 26/06/2018

A primeira parte desta série levantou a possibilidade de George Adamski ter sido enganado ao acreditar que Vênus era a origem do alien Orthon, o ocupante do disco voador que ele encontrou  e conheceu em dezembro de 1952. Há vários aspectos sobre o caso de contato de Adamski em 1952 que leva à conclusão de que Orthon era membro de um programa espacial secreto alemão nazista dissidente e / ou ligado a uma aliança extraterrestre que ativamente apoiou a Alemanha nazista, cedendo tecnologia extraterrestre para os nazistas alemães durante a II Guerra Mundial.

Tradução, edição e imagensThoth3126@protonmail.ch

Um astronauta alemão nazista dissidentew fingiu ser de Vênus durante “contato extraterrestre” de Adamski em contato imediato de 3º grau em 1952?

Escrito por Dr. Michael Salla, Ph.D – Fonte: http://exopolitics.org/

Os discos voadores que Adamski fotografou pareciam se muito com as espaçonaves com sistema de propulsão antigravidade dos nazistas alemães, do tipo Haunebu, supostamente desenvolvidas na Alemanha nazista com tecnologia extraterrestre durante a II Guerra Mundial.

As especificações exatas da nave nazista Haunebu contidas nos arquivos secretos da SS nazista foram  lançados ao público pela primeira vez por Vladimir Terziski, engenheiro e ex-membro da Academia Búlgara das Ciências. Os arquivos nazistas foram liberados após o colapso do Pacto de Varsóvia em 25 de fevereiro de 1991 e entraram na posse de Terziski depois dele ter imigrado para os EUA em 1984.

Abaixo está uma comparação de um projeto de 1943 de uma artefato de espaçonave tipo disco voador Haunebu II desenvolvido secretamente pelos engenheiros nazistas das SS  para o esforço de guerra e uma nave exploradora fotografada por Adamski em dezembro de 1952.

Observe que o principal ponto de diferença é que a nave nazista tinha algum tipo de dispositivo de artilharia que significava uma tentativa de criar um bombardeio  voador para o esforço de guerra da Alemanha. Na verdade, em 1950, artigos publicados nos principais jornais  de todo o mundo, citando entrevistas com proeminentes cientistas italianos e alemães que confirmaram que os poderes do Eixo haviam cooperado em um esforço secreto para desenvolver discos voadores.

A configuração da espaçonave Haunebu de 1943 é tão semelhante à que Adamski fotografou em 1952 quanto a sugerir que, se não fosse o mesmo tipo de veículo, então, quem desenvolveu o último, estava em um nível de desenvolvimento tecnológico semelhante aos alemães em meados da década de 1940.

No entanto, se Orthon era de Vênus e parte de uma associação interplanetária avançada como discutido por Zirger em seu livro,We Are Here: Visitors without a Passport (2017) , então como a primeira geração de discos voadores nazistas era quase idêntica a espaçonave usada por uma pretensa sociedade interplanetária muito mais tecnologicamente evoluída?

Uma explicação é que os extraterrestres haviam fornecido tecnologia para a Alemanha nazista para que pudesse ser feita engenharia reversa de suas espaçonaves. Isto é apoiado por informações fornecidas pelo antigo engenheiro aeroespacial, William Tompkins, que diz que os espiões da Marinha dos EUA relataram durante as suas investigações em relatórios na Naval Air Station, base da Marinha dos EUA em San Diego, de 1942 a 1946, que os alemães haviam recebido de alienígenas seus aliados, mais de uma dúzia de modelos de projetos de naves espaciais com propulsão antigravidade.



Os nazistas tentaram furiosamente a engenharia reversa para o seu esforço de guerra, mas finalmente não conseguiram alcançar à tempo o sucesso no desenvolvimento de seus programas de produção de espaçonaves antigravidade baseados na Europa. A informação de Tompkins nos ajuda a entender que o diagrama de Haunebu II de 1943 foi uma tentativa dos nazistas de desenvolver um disco voador antigravidade, cuja tecnologia foi cedida ao Terceiro Reich de Hitler por aliados extraterrestres (reptilianos e/ou Tall Whites-Nórdicos) como resultado de um acordo secreto.

Portanto, Orthon pode ter fingido ser de Vênus, a fim de ocultar a existência de um programa espacial secreto alemão que sobreviveu à Segunda Guerra Mundial. Orthon só se comunicou com Adamski sem verbalmente usar linguagem de sinais durante o encontro do Centro do Deserto de 1952. Adamski explicou em uma palestra que a Orthon “falou principalmente em um dialeto estranho totalmente ininteligível para Adamski” ( We Are Here ,Kindle Location 903 of 5403).

Era um “alemão estranho”, que, como mencionado na Parte 1 desta série, Reinhold Schmidt identificou como usado pelos ocupantes da nave espacial durante sua experiência de contato de 1957. Schmidt teve um passado alemão e também lhe foi ensinado alemão na escola, mas Adamski pode não ter sido capaz de identificar dialetos alemães desde que seus antecedentes eram poloneses-norte americanos.

Alternativamente, Adamski pode ter sabido que  Orthon falou alemão, mas não permitiu revelar publicamente isto por razões de segurança nacional. Há tempos se tem rumores de que depois de cada uma de suas experiências de contato extraterrestre, Adamski foi  secretamente levado da Califórnia para o Pentágono pela Força Aérea dos EUA, onde foi interrogado sobre seus os contatos com aliens. Em maio de 2009, um vídeo raro foi lançado contendo entrevistas com várias testemunhas que conheciam Adamski e os seus esclarecimentos secretos no Pentágono.

As testemunhas confirmaram que Adamski possuía um cartão de identidade de ordens militares que lhe permitia o acesso ao Pentágono. A sua identidade militar foi testemunhada por várias pessoas, que trabalharam em diversos cargos do Departamento de Defesa no Pentágono.

Entre as testemunhas, William Sherwood havia trabalhado anteriormente para o Departamento de Artilharia do Exército dos EUA e possuía o seu próprio Passe de Ordnance. Bill Sherwood viu o  passe Ordnance de Adamski e confirmou sua autenticidade. Sherwood e outros testemunhos de apoio dão crédito aos rumores de que Adamski estava secretamente informando o Pentágono sobre seus contatos extraterrestres.

Em 1952, o Pentágono estava bem consciente de que um Programa espacial alemão nazista havia sobrevivido à Segunda Guerra Mundial e tinha começado a operar em território norte americano.  Funcionários sênior do Pentágono queriam que isso fosse mantido em segredo. Consequentemente, é muito possível que Adamski tenha sido informado para não dizer nada sobre Orthon falando alemão para evitar que o público aprendesse sobre a verdade em relação ao poderio nazista alemão do pós guerra.

Vídeo russo sobre base de UFOs nazistas alemães na Antártida:

A possibilidade de que a Orthon fazia parte de um Programa Espacial Secreto Alemão nazista, com sede na Antártica, que operava em território norte-americano, é fortalecida pelos eventos que levaram ao incidente conhecido como Washington Flyover de 1952, quando vários UFOs sobrevoaram a capital dos EUA (e o p´roprio capitólio) numa demonstração de força dos nazistas alemães. Sintomaticamente, isso ocorreu apenas alguns meses antes do encontro de Adamski com o “alien” Orthon.  Para primeira parte: (clique aqui)

© Dr.Michael E. Salla, Ph.D.


Mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

8 Responses to Astronauta alemão Nazista fingiu ser de Vênus durante “contato ET” de Adamski?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.