browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Austrália: dois enormes incêndios florestais se unem em um temido “MEGA INCÊNDIO”,

Posted by on 10/01/2020

Fortes ventos com força de vendaval uniram dois dos enormes incêndios florestais da Austrália em um previsto e temido “mega incêndio”, com as autoridades australianas alertando para o pior tempo que está por vir. Temia-se há dias que o fogo se espalhasse sobre a fronteira entre Nova Gales do Sul e Victoria, nas Montanhas Nevadas. As previsões são de mais calor, ventos fortes e raios secos. No sul da Austrália, os bombeiros também enfrentaram infernos na ilha Kangaroo. Em partes de ambos os estados, os moradores foram orientados a abandonar imediatamente as suas casas.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

MEGA INCÊNDIO‘ na Austrália assola área quatro vezes maior que Nova York

Fontes:  https://www.bbc.com/  –  https://g1.globo.com/

Dois grandes incêndios no sudeste da Austrália se uniram nesta sexta-feira (10), originando um incêndio gigantesco que assola um território equivalente a quatro vezes a superfície da cidade de Nova York, segundo a agência de notícias France Press (AFP). Na terça (6), as autoridades haviam alertado para o risco destes incêndios se unirem.

As temperaturas subiram nesta sexta-feira para 40°C em algumas regiões, agravando os incêndios que queimavam no estado de Nova Gales do Sul e no estado vizinho de Victoria. Os ventos fortes na região foram os responsáveis por espalhar as chamas e unir os dois incêndios.

“As condições estão difíceis hoje. Os ventos quentes e secos são novamente um verdadeiro desafio”, disse o chefe dos bombeiros na zona rural de Nova Gales do Sul, Shane Fitzsimmons, à AFP.

Várias ordens de evacuação foram emitidas para os moradores das áreas de fronteira entre ambos os estados.

‘Mudança de políticas, não de clima’

Em Sydney e em Melbourne, milhares de pessoas saíram às ruas para exigir que o governo conservador da Austrália faça mais para combater as mudanças climáticas globais e reduza as exportações de carvão.

“Mudança de políticas, não de clima”, dizia uma das faixas dos manifestantes de acordo com a AFP, refletindo a crescente conscientização sobre mudanças climáticas ligadas aos incêndios devastadores.

Alguns manifestantes defendem que há uma campanha de desinformação nas redes sociais que tem como objetivo desconsiderar o efeito das mudanças climáticas sobre os incêndios e atribuí-los a uma origem criminosa, assim como aos recordes de seca e às altas temperaturas.

Por outro lado, a hashtag #arsonemergency (“emergência incêndio criminal”) tem sido usada por milhares de internautas que atribuem o período de queimadas a ações criminais.

Danos do fogo na Ilha Kangaroo

O primeiro-ministro Scott Morrison tentou, nesta sexta-feira, evitar as perguntas dos jornalistas sobre se a mudança climática poderia transformar em norma os terríveis incêndios desta temporada. “Olha, já conversamos sobre isso várias vezes”, respondeu Morrison, acrescentando que as avaliações relevantes serão feitas quando a temporada de incêndios terminar.

Nova Gales do Sul em alerta

A primeira-ministra de Nova Gales do Sul, Gladys Berejiklian, disse que há mais de 130 incêndios em seu estado, dos quais cerca de 50 ainda estão fora de controle.

Dos 26 casos de pessoas mortas em consequência das queimadas em todo país, 18 ocorreram em Nova Gales do Sul. Dos mais de 8 milhões de hectares destruídos em todo o país, cerca de 5 milhões são de terras do estado. Além disso, 24 mil pessoas foram afetadas por problemas na rede elétrica da região.

A situação também é particularmente preocupante na Ilha Kangaroo, terceira maior ilha da Austrália, composta por reservas ambientais que abrigam animais silvestres e espécies em extinção. Kingscote, maior cidade da ilha, está isolada do resto do mundo, devido aos enormes incêndios.

Especialistas da Universidade de Sydney acreditam que a catástrofe já matou um bilhão de animais, um balanço que inclui mamíferos, pássaros e répteis. Em 2019, a Austrália teve seu ano mais quente e seco, com a mais alta temperatura máxima MÉDIA já registrada em dezembro: 41,9ºC.

Outros estados também estão sofrendo

No estado do sul da Austrália, os residentes foram instados a evacuar a cidade de Vivonne Bay, na ilha Kangaroo, com incêndios fora de controle. Duas pessoas e cerca de 25.000 coalas foram mortos quando chamas devastaram a Ilha Kangaroo na semana passada. A ilha é conhecida por sua mistura única de espécies animais.

Em outros lugares do sul da Austrália, o incêndio de Cudlee Creek destruiu mais de 80 casas na região de Adelaide Hills. Pensa-se também que os incêndios destruíram até um terço das videiras que fornecem uvas para a indústria vinícola de Adelaide Hills.

Um alerta de emergência também foi emitido na Austrália Ocidental na quinta-feira para vários subúrbios no sul de Perth. Foi dito aos moradores que “estão em perigo e precisam agir imediatamente para sobreviver”.

A fumaça dos incêndios se tornou um grande perigo

A capital australiana Canberra – parte de uma região administrativa cercada por NSW – sofreu uma das piores poluições de fumaça, com a qualidade do ar classificada como a terceira pior de todas as principais cidades do mundo em 3 de janeiro, segundo o grupo suíço AirVisual.

Imagem de satélite 4 jan 2020

Imagens de satélite de 4 de janeiro mostram a propagação de fumaça de incêndios em Victoria e NSW, o que afetou a qualidade do ar em lugares tão distantes quanto a Nova Zelândia.

Gráfico: Propagação de carbono preto dos incêndios florestais

Os incêndios desta temporada foram muito piores que o normal

Embora a Austrália sempre tenha tido incêndios florestais, esta temporada foi muito pior que o normal. A área total de terras afetadas por incêndios na Austrália, um continente costumeiramente seco –  foi de 10 milhões de hectares – agora é comparável à área dos 13 milhões de hectares da Inglaterra. Às vezes, os humanos são os culpados pelo início dos incêndios, mas também são frequentemente provocados por causas naturais, como relâmpagos que atingem a vegetação seca.

Uma vez iniciados os incêndios, outras áreas estão em risco, com brasas sopradas pelo vento, causando a propagação de chamas para novas áreas. Os próprios incêndios em Bush também podem causar tempestades, aumentando o risco de descargas elétricas e outros incêndios.

Como os incêndios florestais podem criar clima próprio

O número de pessoas mortas como resultado dos incêndios desde setembro de 2019 é maior do que nos últimos anos. O desastre com vítimas mais mortal da Austrália foi o “Sábado Negro” em fevereiro de 2009, quando cerca de 180 pessoas morreram em incêndios em Victoria.

Se houver um sério risco de incêndio atingir casas ou propriedades, as autoridades instam as pessoas a sair a tempo, pois o fogo pode viajar mais rápido – mais rápido do que a maioria das pessoas pode correr.

Então, a catástrofe está relacionada às mudanças climáticas?

Muitos australianos estão fazendo essa mesma pergunta – mas a ciência é complicada. Os cientistas alertam há muito tempo que um clima mais quente e seco contribuirá para que os incêndios se tornem mais frequentes e mais intensos. Muitas partes da Austrália estão em condições de seca, algumas há anos, o que tornou mais fácil a propagação e o crescimento dos incêndios.

Os dados mostram que a Austrália aqueceu em geral um pouco mais de um grau Celsius desde 1910, com a maior parte do aquecimento ocorrendo desde 1950, diz o Bureau of Meteorology.

Gráfico mostrando como a Austrália está ficando mais quente nas últimas décadas

A Austrália quebrou seu recorde de temperatura de todos os tempos duas vezes em dezembro do ano passado. Uma média máxima de 40,9 ° C foi registrada em 17 de dezembro, quebrada um dia depois por 41,9 ° C, ambos superando o recorde de 2013 de 40,3 ° C.

Até o final do mês, todos os estados mediram temperaturas acima de 40 ° C – incluindo a Tasmânia, que geralmente é muito mais fria que o continente.

Um fenômeno climático está por trás da onda de calor

O principal fator climático por trás do calor tem sido o dipolo do Oceano Índico (IOD) positivo – um evento em que as temperaturas da superfície do mar são mais quentes na metade ocidental do oceano e mais frias no leste.

A diferença entre as duas temperaturas é atualmente a mais forte em 60 anos.

Como resultado, houve chuvas e inundações acima da média no leste da África e secas no sudeste da Ásia e na Austrália.

Mapa mostrando os efeitos de um dipolo positivo no Oceano Índico

Andrew Watkins, chefe de previsões de longo alcance da agência, disse que o dipolo é crucial para entender a atual onda de calor. “O principal culpado de nossas condições atuais e esperadas é um dos mais fortes eventos positivos de dipolo no Oceano Índico já registrados”, diz ele.

“Um IOD positivo significa que temos água mais fria que a média acumulada na Indonésia, e isso significa que vemos menos sistemas climáticos com chuvas e temperaturas mais quentes que a média em grandes partes do país”.

E os meteorologistas alertam que, no momento, o clima intenso e o risco elevado de incêndio na Austrália devem continuar para os próximos dias.


As mudanças climáticas que o planeta esta enfrentando são inevitáveis, causarão grandes mudanças e tem como causa FATORES EXTERNOS, algo que muitos cientistas já descobriram. Saiba mais em:


A Matrix (o SISTEMA de CONTROLE MENTAL): “A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando despertar.

Mas até que nós consigamos despertá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso as transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle. E muitos deles estão tão habituados, tão profunda e desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …”


Mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.