browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Bloqueios COVID causarão 1 MILHÃO de mortes em excesso, alertam especialistas

Posted by on 20/01/2021

Especialistas das universidades Harvard, Johns Hopkins e Duke alertam: Bloqueios COVID causarão UM MILHÃO de mortes em excesso: “Nós interpretamos esses resultados como uma forte indicação de que os formuladores de políticas [marionetes do Deep State] devem levar em consideração as implicações severas e de longo prazo de uma recessão econômica tão grande nas vidas das pessoas ao deliberar sobre a recuperação do COVID-19 e medidas de contenção como distanciamento social, lockdowns e bloqueios generalizados”.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Bloqueios COVID causarão 1 MILHÃO de mortes em excesso, alertam especialistas

Por Steve Watson  –  Fonte:  Summit News

Acadêmicos das universidades de Duke, Harvard e Johns Hopkins concluíram que poderia haver cerca de um milhão de mortes em excesso nas próximas duas décadas como resultado dos bloqueios pelo Covid-19.

Um documento de trabalho do NBER intitulado O impacto de longo prazo do choque de desemprego da Covid-19 sobre a expectativa de vida e as taxas de mortalidade sugere que “Para a população em geral, o aumento na taxa de mortalidade após a pandemia de COVID-19 implicará em impressionantes 0,89 e 1,37 milhão em excesso de mortes nos próximos 15 e 20 anos, respectivamente

O artigo foi escrito por Francesco Bianchi, um economista da Duke University, Giada Bianchi, uma MD na Divisão de Hematologia, Departamento de Medicina, Brigham and Women’s Hospital Harvard Medical School, e Dongho Song, um economista da Johns Hopkins University’s Carey Business School.

O estudo sobre como o desemprego afeta a mortalidade e a expectativa de vida foi centrado em dados acumulados em estudos de 67 anos sobre desemprego, expectativa de vida e taxas de mortalidade do Bureau of Labor Statistics e dos Centros para Controle e Prevenção de Doenças [CDC].

O documento sugere que as mortes causadas pelo declínio econômico e social como resultado de bloqueios podem “exceder em muito aquelas imediatamente relacionadas à atual doença crítica aguda COVID-19. A recessão causada pela pandemia pode comprometer a saúde da população nas próximas duas décadas”, acrescentam. O artigo explica:

Esses números correspondem a 0,24% e 0,37% da população dos Estados Unidos projetada nos horizontes de 15 e 20 anos, respectivamente. Para afro-americanos, estimamos 180 mil e 270 mil mortes em excesso nos próximos 15 e 20 anos, respectivamente. Esses números correspondem a 0,34% e 0,49% da população afro-americana projetada nos horizontes de 15 e 20 anos, respectivamente. Para brancos, estimamos 0,82 e 1,21 milhão de mortes em excesso nos próximos 15 e 20 anos, respectivamente. Esses números correspondem a 0,30% e 0,44% da população branca projetada nos horizontes de 15 e 20 anos, respectivamente. Esses números são divididos quase igualmente entre homens e mulheres.

Os autores também observam que “Com base em dados emergentes, é provável que o acesso limitado aos cuidados de saúde durante os bloqueios, a descontinuação temporária das intervenções de cuidados preventivos, a perda maciça da cobertura de seguro saúde fornecida pelo empregador e a preocupação persistente da população sobre procurar atendimento médico com medo de contrair COVID-19 terá um impacto ainda mais grave na taxa de mortalidade e na expectativa de vida”.

Eles acrescentam: “Nós interpretamos esses resultados como uma forte indicação de que os formuladores de políticas devem levar em consideração as graves implicações de longo prazo de uma recessão econômica tão grande nas vidas das pessoas ao deliberar sobre a recuperação do COVID-19 e medidas de contenção”.

As descobertas aumentam as montanhas de pesquisas já existentes, sugerindo que a [pseudo]  ‘cura é pior do que o problema’. Em outubro, o Diretor Regional da Organização Mundial da Saúde para a Europa, Hans Kluge, disse que os governos deveriam parar de aplicar os bloqueios, a menos que seja como um “último recurso”, porque o impacto em outras áreas da saúde e do bem-estar mental é mais prejudicial.

A advertência de Kluge correspondeu à do enviado especial da OMS no COVID-19, Dr. David Nabarro, que disse ao Spectator em uma entrevista que os líderes mundiais deveriam parar de impor bloqueios como uma reação reflexa porque eles estão tornando “os pobres muito mais pobres”.

Os avisos ressoam com vários outros especialistas que tentaram desesperadamente alertar os governos de que os bloqueios acabarão matando mais pessoas do que o próprio vírus, mas foram amplamente ignorados.

O Ministro de Cooperação e Desenvolvimento Econômico da Alemanha, Gerd Muller, também  alertou recentemente que os bloqueios da COVID-19 resultarão em “uma das maiores” crises de fome e pobreza da história. “Esperamos mais 400.000 mortes por malária e HIV este ano apenas no continente africano”, disse Muller,acrescentando que “mais meio milhão morrerá de tuberculose”.

Os comentários de Muller chegaram meses depois que um  estudo vazado  de dentro do Ministério do Interior alemão revelou que o impacto do bloqueio do país pode acabar matando mais pessoas do que o coronavírus devido a vítimas de outras doenças graves que não recebem tratamento. Outro  estudo  descobriu que os bloqueios conservadoramente “destruirão pelo menos sete vezes mais anos de vida humana” do que salvam.

O professor Richard Sullivan também  alertou  que haverá mais mortes por câncer em excesso no Reino Unido do que mortes totais por coronavírus devido ao acesso das pessoas a exames e tratamento sendo restrito como resultado do bloqueio.

Seus comentários foram  ecoados  por Peter Nilsson, um professor sueco de medicina interna e epidemiologia da Universidade de Lund, que disse: “É tão importante entender que as mortes de COVID-19 serão muito menores do que as mortes causadas pelo bloqueio social quando a economia está arruinada

Milhares de pacientes com câncer estão sendo omitidos todas as semanas porque os pacientes não vão ao médico, alertou uma importante instituição de caridade. Acima, a equipe da ambulância trata de um paciente no Royal London Hospital 

De acordo com o professor Karol Sikora , um oncologista consultor do NHS, pode haver 50.000 mortes em excesso por câncer como resultado de exames de rotina suspensos durante o bloqueio no Reino Unido.

Uma análise do Guardian  descobriu que houve milhares de mortes em excesso de pessoas em casa no Reino Unido devido ao bloqueio.

O especialista em doenças infecciosas e professor da Universidade de Edimburgo, Mark Woolhouse, reconheceu que a decisão de bloquear o Reino Unido em março passado foi uma “medida bruta” que foi promulgada porque “não podíamos pensar em nada melhor para fazer”.

Woolhouse disse que o bloqueio foi uma “medida de pânico” e um “erro monumental em escala global”, acrescentando “Eu acredito que os danos pelos bloqueios está fazendo à nossa educação, acesso à saúde e aspectos mais amplos de nossa economia e [a vida em] sociedade que acabarão ser pelo menos tão grande quanto o dano causado pelo COVID-19”. 

Como destacamos anteriormente  , um consórcio de analistas de dados na África do Sul descobriu que as consequências econômicas do bloqueio do país levarão a 29 vezes mais mortes do que o próprio coronavírus. Os especialistas também  alertaram  que haverá 1,4 milhão de mortes em todo o mundo por infecções de Tuberculose não tratadas devido ao bloqueio.

Além disso,  um estudo publicado no The Lancet  que observa que “distanciamento físico, fechamento de escolas, restrições comerciais e bloqueio de países” estão piorando a desnutrição infantil global. Milhares de médicos  e cientistas também se opuseram às medidas de bloqueio, alertando que elas causarão mais mortes do que o próprio coronavírus.


Questione tudo, nunca aceite nada como verdade sem a sua própria análise, chegue às suas próprias conclusões


“Parece duvidoso se, de fato, a política de “Botas no rosto” pode continuar indefinidamente.  Minha própria convicção é que a oligarquia governante encontrará maneiras menos árduas e perdulárias de governar e de satisfazer sua ânsia de poder, e essas formas serão semelhantes às que descrevi em Admirável Mundo Novo [uma verdadeira profecia publicada em 1932]Na próxima geração, acredito que os governantes do mundo descobrirão que o condicionamento INFANTIL e a narco-hipnose são mais eficientes, como instrumentos de governo, do que e prisões e campos de concentração, e que o desejo de poder pode ser completamente satisfeito sugerindo às pessoas que amem sua servidão ao invés de açoita-los e chutando-os até à obediência. ”  Carta de Aldous Huxley  EM 1949 para George Orwell autor do livro “1984” 


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.