browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Caso Epstein: centenas de nomes podem ser implicados por pedofilia e escravidão sexual de menores

Posted by on 05/09/2019

Um advogado da ex namorada, amiga e confidente de Jeffrey Epstein (e alegadamente aliciadora de meninas menores de idade) Ghislaine Maxwell disse a uma juíza federal na quarta-feira que existem “centenas” de pessoas implicadas nas atividades sexuais do anel de tráfico de escravas sexuais de meninas menores de idade e pedofilia no que se espera que sejam aproximadamente 2.000 páginas de documentos ainda mantidos em sigilo pelo tribunal federal de Nova York, segundo declaração dada para a  agência  Bloomberg

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Advogado de Ghislaine Maxwell diz que ‘centenas de nomes’ mantidos em sigilo de justiça estão implicados no caso Epstein

Fonte: https://www.zerohedge.com/

O advogado, Jeffrey Pagliuca, disse à juíza norte-americana Loretta Preska na quarta-feira que os materiais também incluem um catálogo de endereços com cerca de 1.000 nomes. Preska está considerando como executar uma decisão do tribunal federal de apelações de Nova York de que ela deve considerar a possibilidade de selar alguns dos documentos. Não houve detalhes na audiência sobre a identidade das pessoas nomeadas nos documentos, e podem incluir mulheres que se dizem vítimas de Epstein, seus amigos e outras pessoas. – Bloomberg

Príncipe Andrew e Ghislaine Maxwell, foram diretamente acusados de cometer abusos por Virginia Roberts (Giuffre) 

Segundo documentos do tribunal, Ghislaine Maxwell teria contratado, supervisionado e demitido funcionários da casa,  enquanto dirigia as visitas de dezenas de jovens “massoterapeutas” à residência de Epstein , segundo o  Journal . 

Em depoimentos tomadas em 2009 e 2010 como parte de processos civis contra o Sr. Epstein, empregados domésticos, disseram que  “Ms. Maxwell era uma figura central na vida privada do Sr. Epstein” 

Vários empregados disseram que Maxwell contratou, supervisionou e demitiu funcionários da casa, enquanto dirigia as visitas de dezenas de “massoterapeutas” – tipicamente todas mulheres jovens.

Juan Alessi, que disse em um dos depoimentos que atuou como gerente da casa de Palm Beach entre 1992 e 2002,  descreveu uma cesta de brinquedos sexuais no armário do banheiro de Ghislaine Maxwell. Ele disse que os encontrava quando limpasse as dependências após as visitas das jovens.  – WSJ

O lançamento do documento decorre de um processo de difamação de 2015 em Nova York, movido pela acusadora da Epstein Virginia Roberts Giuffre contra Maxwell. Giuffre diz que Ghislaine Maxwell ajudou Epstein a traficar a si mesma e outras meninas menores de idade para festas de orgias sexuais nas muitas residências do pedófilo bilionário. Maxwell negou qualquer irregularidade e chamou Giuffre de mentirosa. 

O caso foi resolvido em 2017 e os registros foram selados – no entanto, os recursos legais levados a efeito pelo jornal Miami Herald, do professor de Direito de Harvard (e ex-colega de Epstein) Alan Dershowitz e do blogueiro de direita Mike Cernovich foram bem-sucedidos. 

Em agosto, o Tribunal de Apelações do Segundo Circuito dos EUA ordenou a  liberação parcial dos documentos referentes ao caso de tráfico sexual de menores de idade de Epstein, que revelaram que Giuffre disse que o presidente Trump era um “bom amigo de Jeffrey”, mas que Trump não participou de nenhuma orgia de sexo com qualquer uma de nós”, acrescentando “Donald Trump nunca flertou comigo”.

O ex presidente Bill Clinton é um dos implicados no escândalo de pedofilia e tráfico sexual de menores no caso Epstein

Epstein foi encontrado morto em uma prisão federal no mês passado depois de sua prisão sem fiança por acusações da justiça federal de tráfico sexual de crianças (meninas) menores de idade. 

Enquanto o caso foi julgado improcedente contra Epstein, a juíza Loretta Preska agora deve considerar como liberar os registros selados onde constam o nome de centenas de implicados, alguns são poderosos membros da elite norte americana – e, pelo que parece, também permanece a possibilidade de que eles não sejam liberados.  


Image result for puppet gifA Matrix (o SISTEMA de CONTROLE MENTAL):  “A Matrix é um  sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… 

As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando salvar. “Mas até que nós consigamos salvá-los, essas pessoas ainda serão parte desse  sistema de controle e isso os transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle Mental. E muitos deles estão tão habituados, tão desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você  para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …”


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

One Response to Caso Epstein: centenas de nomes podem ser implicados por pedofilia e escravidão sexual de menores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.