browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

China x Índia: “E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis” …

Posted by on 22/06/2020

Soldados da Índia recebem ordens de ‘abrir fogo à vontade’ contra tropas chinesas se ameaçados novamente, na zona fronteiriça de East Ladakh, no Vale Galwan, enfurecendo Pequim: Os militares chineses em Pequim estão enfurecidos com as recentes notícias da mídia indiana de que o Exército hindu recebeu ordens para disparar ou usar “total liberdade de ação” em escarauças hostis com as forças do exército chinês ao longo da disputada região fronteiriça de Ladakh.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

‘Não há mais restrições ao uso de armas de fogo’: Índia dá liberdade aos seus soldados em tempos extraordinários na disputa fronteiriça com soldados da China na região de Ladakh

Fontes:  HindustanTimes  e  ZeroEdge


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores”.  Mateus 24:6-8


Os novos relatórios vêm após o grande incidente na fronteira da semana passada  com a China, que resultou em cerca de 20 soldados do Exército hindu mortos e um número não revelado de vítimas de soldados chineses do PLA na disputada área fronteiriça de East Ladakh, no Vale Galwan.

O editor da mídia estatal chinesa Hu Xijin divulgou os relatórios, dizendo que, se as novas ‘regras de engajamento’ forem verdadeiras, é uma violação grave de tratados anteriores implementados para a desescalação . 

De fato, várias manchetes nos principais jornais indianos afirmaram que as tropas indianas receberam as novas ordens controversas. O Hindustan Times, por exemplo, tinha o seguinte a dizer :

Uma mudança significativa nas Regras de Engajamento (ROE) do Exército da Índia após a  escaramuça no Vale de Galwan, que deixou 20 soldados indianos mortos,  dá “total liberdade de ação” aos comandantes destacados na Linha de Controle Real (LAC) contestada para “lidar com situações em nível tático”, disseram dois oficiais graduados no sábado, sob condição de anonimato. Os comandantes não serão mais limitados por restrições ao uso de armas de fogo e terão autoridade total para responder a “situações extraordinárias” usando todos os recursos à sua disposição, disse um dos oficiais citados acima.

Essencialmente, agora as tropas da Índia serão capazes de disparar contra as tropas chinesas opostas se sentirem-se ameaçadas sem consultar oficiais de nível superior ou a cadeia de comando nacional. Obviamente, isso tem o potencial de mais escaladas mortais no conflito, como aconteceu há uma semana, considerado o mais grave confronto entre China e Índia ao longo da Linha de Controle Real (ALC) em mais de meio século.

O relatório do Hindustan Times citou outra fonte militar, que explicou : “Com as mudanças no ROE, não há nada que limite a capacidade dos comandantes militares do exército da Índia de tomar qualquer ação que considerem necessária na ALC . O ROE foi alterado para abordar as táticas brutais empregadas pelas tropas chinesas”.

Dias após o confronto de segunda-feira à noite, que aparentemente não envolveu o descarregamento de armas de fogo, mas um brutal combate corpo a corpo que resultou em soldados indianos sucumbindo a ferimentos graves em condições de alta altitude, alguns detalhes quase inacreditáveis ​​surgiram da “violência chinesa no confronto” no Himalaia ocidental.

O Guardian relatou que os soldados indianos realmente “morreram” depois de serem derrubados de uma cordilheira estreita :

Soldados militares indianos mantêm guarda enquanto o exército indiano se move na estrada Srinagar-Ladakh em Gagangeer, nordeste de Srinagar, Índia, na última quinta-feira, 18 de junho de 2020. (AP)

O combate corpo a corpo durou horas, em terrenos íngremes e irregulares, com barras de ferro, pedras e punhos. Nenhum dos lados carregava armas. A maioria dos soldados mortos nos piores combates entre a Índia e a  China em 60 anos perdeu o pé ou foram derrubados da estreita cordilheira do Himalaia, mergulhando no abismo em sua morte .

Outros relatórios internacionais disseram que tacos de beisebol com pregos e arame farpado foram usados ​​no confronto. Em um ponto, supostamente envolveu centenas de combatentes de perto em terrenos perigosos e íngremes :

Reforços do lado indiano foram convocados de um posto a cerca de 3,2 quilômetros de distância e, eventualmente, cerca de 600 homens estavam lutando com pedras, barras de ferro e outras armas improvisadas na escuridão quase total por até seis horas , disseram fontes do governo indiano, com a maioria das mortes em ambos os lados ocorrendo por soldados caindo ou sendo derrubados do terreno montanhoso.

Tropas chinesas do PLA {Exército de Libertação do “Povo”] que treinam em condições ásperas da área fronteiriça do Himalaia, imagem do arquivo.

Dizem que pelo menos mais quatro soldados indianos estão em estado crítico. Meios de comunicação indianos citaram fontes de inteligência alegando que até 50 soldados chineses podem ter sido mortos no tumulto, mas não apresentaram as evidências. O noticiário noturno da CCTV chinesa, amplamente assistido, não mencionou o confronto na fronteira na terça-feira.

Certamente, com esses números, agora com um aumento adicional de forças de cada lado, segundo as dezenas de milhares próximo à área de Galwan Valley, no leste de Ladakh, uma nova autorização de “atirar para matar” se usada tem potencial para desencadear uma grande batalha, possivelmente levando à guerra entre as duas potências nucleares mais populosas do planeta.

Na semana passada, os principais diplomatas de ambos os lados pediram desescalação do conflito, mas esses últimos relatos da mídia indiana e as acusações subseqüentes e a ira de Pequim não estão ajudando em nada a conter sua escalada. 


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores.  Mateus 24:6-8

“E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis“.  –  Apocalipse 13:11-18


Leitura adicional:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.