browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

“Ciclone e COVID-19” – Índia e Bangladesh se preparam para uma tempestade perfeita do caos

Posted by on 19/05/2020

Ciclone Amphan coloca Índia e Bangladesh em estado de emergência ...Um poderoso ciclone tropical  formado no golfo de Bengala  (ou baía de Bengala), localizado no nordeste do Oceano Índico entre a costa leste da Índia e a costa oeste de Mianmar, está indo em direção a fronteira da Índia com Bangladesh, com um  enorme potencial  destrutivo que poderá agravar a situação desses países que estão enfrentando e tentando controlar a pandemia do coronavírus.  Atualmente o ciclone encontra-se na porção central do Golfo de Bengala, sobre o oceano, e mantém uma trajetória bem definida para norte, em direção ao continente asiático. De acordo com as previsões, o Amphan provavelmente já atingiu sua intensidade máxima e deve perder intensidade ao se aproximar do continente. Mesmo assim, a chegada do ciclone poderá ter efeitos catastróficos no leste da Índia e em Bangladesh.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Um super ciclone tropical, formado no golfo de Bengala, está indo em direção a fronteira da Índia com Bangladesh. O ciclone é o primeiro da temporada de ciclones do Índico Norte de 2020 e o mais intenso já registrado na região.

Fontes:  ZeroHedge Tempo

Embora tenha sido rebaixado para a Categoria 3 em relação à sua força anterior na Categoria 5, o Ciclone Tropical Amphan deverá atingir terra próxima às fronteiras da Índia e Bangladesh na quarta-feira como uma grande tempestade, com ondas catastróficas, ventos fortes e chuvas torrenciais. 

Essa tempestade super ciclônica está acontecendo ao mesmo tempo em que as infecções por COVID-19 da Índia ultrapassam a marca de 100.000 e estão aumentando no ritmo mais rápido da Ásia. 

Departamento Meteorológico da Índia (IMD) divulgou na terça-feira um comunicado dizendo que o “ciclone muito intenso” está agitando a Baía de Bengala e se dirigindo para as regiões costeiras que fazem fronteira com Bangladesh e Índia. Uma tempestade de 13 a 16 pés de volume de chuvas pôde ser vista em algumas áreas, especialmente em torno das florestas de mangas dos Sundarbans no leste da Índia e Bangladesh. 

O Amphan é o 1° ciclone tropical da temporada de ciclones do oceano Índico Norte de 2020 e a primeira “tempestade super ciclônica” no golfo de Bengala deste o ciclone Odisha em 1999, além de se estabelecer como o ciclone mais intenso já registrado no oceano Índico Norte, em termos de ventos sustentados, que chegaram a 265km/h!

O Amphan diminuiu a intensidade dos seus ventos nos últimos dias, mas continua sendo um dos ciclones mais fortes a atravessar a Baía de Bengala nas últimas décadas. 

O IMD advertiu: “Este ciclone tem amplo potencial de dano. Causará danos extensos em larga escala. (I) Dano esperado em Bengala Ocidental (leste de Medinipur, sul e norte 24 distritos de Parganas, Howrah, Hoogli, Kolkata) e ação sugerida”

A empresa climática  Joint Cyclone Center diz que a tempestade ainda está atingindo ventos de 115 mph [185 km/h].  “O centro do ciclone Amphan esta se aproximando do oeste de Bengala associado a tempestades, ventos fortes, inundações repentinas e bandas de chuva que se espalham por Bangladesh e Burma da noite para o dia …” 

O IMD emitiu um alerta para quarta-feira de ventos prejudiciais e inundações de Amphan no leste da Índia e Bangladesh. A maioria das chuvas torrenciais e ventos fortes serão centradas em torno de Bengala Ocidental, que inclui Calcutá.

“Estamos enfrentando um duplo desafio de ter que enfrentar um poderoso ‘ciclone na época da pandemia do COVID-19′”, afirmou Satya Narayan Pradhan, chefe da Força Nacional de Resposta a Desastres da Índia, em uma entrevista coletiva na terça-feira. “Estamos agindo de acordo com a enormidade desse desafio”.

O Grupo de Trabalho para Avaliação de Necessidades (NAWG) Bangladesh estima que até “cerca de 14,2 milhões de pessoas nos distritos costeiros provavelmente serão afetadas, com quase 1,4 milhão de pessoas deslocadas e até 600.000 casas danificadas. A evacuação de áreas de alto risco deve começar hoje e já está em andamento em áreas de alto risco na Índia “. 

O ciclone com risco de ceifar muitas vidas está chegando em um momento péssimo para os dois países, já que o COVID-19 confirmou muitos casos e mortes. A Índia registrou mais de 100.000 casos confirmados, enquanto Bangladesh disse ter cerca de 25.000, na terça-feira, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. 

A Índia registrou um aumento de 28% nos casos desde a semana passada:

O desafio de achatar a curva após a passagem do ciclone pode resultar numa grande disseminação do vírus nas próximas semanas. Espera-se que a tempestade desloque centenas de milhares de pessoas. Tudo isso sugere que as autoridades de ambos os países estarão lidando com dois GRAVES desastres ao mesmo tempo.

As temperaturas da superfície do mar nessa região ameaçada pelo ciclone estão mais aquecidas que o normal, fornecendo o combustível necessário para o rápido desenvolvimento e intensificação de sistemas como Amphan.

Essa região do Índico costuma ter dois períodos distintos do ano em que ocorrem a formação desses sistemas tropicais, o período entre abril a junho e outubro a novembro, períodos que marcam os meses antes e depois do período de monções no sudoeste da Índia. Durante as monções, os ventos de altos níveis não são favoráveis ao desenvolvimento de ciclones tropicais.


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores. – Mateus 24:6-8

“E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da BESTA; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis[666]“.  –  Apocalipse 13:16-18


 Mais informações, leitura adicional:

Permite reproduzir desde que mantida a formatação original e a conversão como fontes.

phi-cosmoswww.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.