browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Ciclone Yakecan chega ao sul do Brasil com ventos de 100 km/h e deixa Defesa Civil em alerta. Temperatura despenca no sul

Posted by on 17/05/2022

O Ciclone Yakecan, que significa “o som do céu” em tupi-guarani, chegou ao sul do Brasil com ventos de cerca de 100 km/h e deixa Defesa Civil em alerta. Fenômeno subtropical atinge a costa do Rio Grande do Sul com ventos de 100 km/hora, segundo o Inmet. Primeira neve de 2022 em SC é registrada em Urupema. Em Bom Jardim da Serra, em SC, a mínima chegou a -2,4ºC

Ciclone Yakecan chega ao sul do Brasil com ventos de 100 km/h e deixa Defesa Civil em alerta. Temperatura despenca no sul

Fontes: ClicRBSCNNBrasilGloboG1

Um ciclone subtropical atinge o Sul do Brasil na madrugada desta terça-feira (17). A previsão é de que o fenômeno, batizado de Yakecan, chegue primeiro à costa do Rio Grande do Sul, passando, depois, por Santa Catarina e Paraná, além do sul do estado de São Paulo.

As rajadas de vento podem chegar a 100 quilômetros por hora e evoluir ao longo desta terça-feira (17), segundo explicou o diretor do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Miguel Ivan, durante coletiva de imprensa nesta segunda.

“Ele começa na noite de hoje [segunda], no Rio Grande do Sul, fica mais intenso na madrugada de amanhã [terça] e depois se desloca pro mar. A subida para a região sudeste vai acontecer, mas é provável que se restrinja ao alto. Mas isso não deve impactar a vida das pessoas. Se os ventos aumentarem, ele pode seguir para costa e impactar a vida das pessoas a partir de três ou quatro dias”, disse.

Ivan informou que o Inmet vai emitir, a cada 12 horas, um boletim sobre os riscos gerados durante a passagem do ciclone.

A Marinha, que classificou o fenômeno meteorológico como “tempestade subtropical”, afirmou que o deslocamento previsto para o sistema é na direção oeste/noroeste, em direção à costa do litoral gaúcho, ocasião na qual poderá ser classificado como tempestade tropical, entre as noites de terça e quarta (18). O nome do ciclone vem da expressão “Yakecan”, que significa “o som do céu” em tupi-guarani.

Marcia Seabra, coordenadora de Meteorologia do Inmet explicou que toda frente fria tem um ciclone extratropical associado. “Essa [frente] em específico passou o ciclone extratropical, só que se desprendeu dessa frente. Isso faz com que ele mude de categoria e vire um ciclone subtropical, porque está bem no extremo sul do Rio Grande do Sul”, disse.

Risco de desastre

O diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), Armin Braun, afirmou que os órgãos responsáveis já iniciaram os avisos de risco de desastre no Sul do país.

“Já estamos em coordenação com os municípios do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Já nos comunicamos com Ministério da Defesa, Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, Ministério da Cidadania e Ministério da Saúde. Sugerimos cadastrar o celular no número da Defesa Civil. 40199. com CEP onde mora para receber informações de alerta no celular”, disse.

Braun informou também que há risco de queda de árvores, postes e interrupção no fornecimento de energia elétrica. Segundo ele, é ideal que as pessoas busquem locais protegidos no momento de ventos mais fortes. Ele orienta “desligar a energia da tomada e fechar a saída de gás do botijão nos momentos de ventos mais fortes. Autoproteção e proteção comunitária são muito importantes”, disse.

Intensidade do ciclone

Ivan afirmou que ‘não há razão para pânico’. “A velocidade dos ventos chega a 70 quilômetros por hora. Até 120, é tempestade tropical. Acima de 120, é furacão. Não está classificado como furacão, mas pode virar um. Há possibilidade de que isso aconteça em um ou dois dias”, disse.

Seabra disse que a frente fria [prevista para essa semana] já se aproximou do Rio de Janeiro, o que provocou chuvas de granizo e tempestades isoladas no estado.

Os primeiros efeitos da tempestade que avança pelo Rio Grande do Sul nesta terça-feira (17) foram registrados já durante a madrugada no Litoral Sul gaúcho. Em São José do Norte, a elevação da maré no oceano gerou alagamento na Rua Carlos Bulamarque, uma das principais vias do município. Segundo a Defesa Civil da cidade, não há relatos de moradores afetados.

Em Rio Grande, o nível da Lagoa dos Patos subiu em pontos como no bairro Vila Portugal, mas sem sinais de inundações. As rajadas de vento também atingiram o município. As duas cidades  suspenderam as aulas por conta da previsão do mau tempo.

Conforme a Marinha,  as ondas podem chegar a 6 metros em alto-mar entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina até quinta-feira. A condição também favorece a ocorrência de ressaca no litoral dos dois estados. Na segunda-feira (16), o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) realizou uma coletiva de imprensa para orientar a população sobre os cuidados que devem ser tomados em relação ao fenômeno, já que a previsão indica rajadas de vento que podem ultrapassar os 100 km/h.

Primeira neve de 2022 em SC é registrada em Urupema

Registro foi feito no Morro das Antenas, em Urupema, e confirmado pela Epagri/Ciram, órgão que monitora as condições do tempo no Estado.

O registro foi feito no Morro das Antenas, em Urupema, e confirmado pela Epagri/Ciram, órgão que monitora as condições do tempo no Estado (veja as imagens abaixo). Conforme o instituto, as temperaturas baixas, entre -1°C e 5°C, aliadas ao tempo úmido trazem a condição para que a neve ocorra. Em Bom Jardim da Serra, a mínima chegou a -2,4ºC (veja as menores temperaturas mais abaixo).

Menores temperaturas, atualizadas até as 6h30:

Uma massa de ar frio de origem polar avança desde o sul da Argentina para o Sul do Brasil e derruba fortemente as temperaturas. A Defesa Civil catarinenses afirmou que esta primeira onda de frio de 2022 deve durar até a noite da próxima segunda (dia 23).

Nesta terça (17), na serra gaúcha, Cambará do Sul registrou 4°C, com sensação de -4,3°C. Em Vacaria, os termômetros marcaram 3,6°C, com sensação de -3,5°C. E, em Canela, 4,7°C, com sensação de -2,7°C.

A tempestade também provoca chuvas de moderada a forte intensidade que devem atingir quase todas as áreas do estado. A região de Uruguaiana, na fronteira com a Argentina, oeste do RS, é a única com tempo aberto, poucas nuvens e sem possibilidade de chuva.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.