browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Congresso dos EUA pede relatório da comunidade de Inteligência sobre UFOs

Posted by on 28/06/2020

O Comitê Selecionado de Inteligência do Senado dos EUA acaba de aprovar um projeto de lei que inclui uma solicitação para a Comunidade de Inteligência {DIA, CIA, DHS, FBI, NRO, et caterva] redigir um relatório abrangente sobre Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAPs, também conhecido como UFOs) em 180 dias. Mais importante ainda, o relatório resultante não será classificado, o que significa que suas descobertas devem ser divulgadas ao público em geral.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Congresso dos EUA pede relatório sobre OVNIs da comunidade de Inteligência em 180 dias

Fonte:  https://www.exopolitics.org/us-congress-asks-for-ufo-report-from-intel-community-in-180-days/

O eventual relatório da Comunidade de Inteligência pretende ser uma análise abrangente entre o conhecimento das agências do que está por trás dos fenômenos da UAP-UFO. Será que o relatório será o anúncio oficial de divulgação que os ativistas de divulgação {Disclosure] sobre OVNIs-Extraterrestres estão trabalhando há décadas ou será um ponto de encontro limitado para esconder a verdade …mais uma vez ?

Na parte de comentários da Lei de Autorização de Inteligência proposta para o Ano Fiscal de 2021, há uma seção intitulada “Ameaças Aéreas Avançadas”, que começa afirmando as preocupações do Comitê de que não existe um mecanismo de relatório unificado para o fenômeno UAPs / UFOs, dada a ameaça potencial que eles representam para a segurança nacional dos EUA.

O Comitê apóia os esforços da Força-Tarefa de Fenômeno Aéreo Não Identificado no Escritório de Inteligência Naval para padronizar a coleta e a comunicação de fenômenos aéreos não identificados, quaisquer vínculos que eles tenham com governos estrangeiros adversários e a ameaça que representam para a segurança dos equipamentos e instalações militares dos EUA. No entanto, o Comitê continua preocupado com o fato de não haver um processo abrangente e unificado dentro do governo federal dos EUA para coletar e analisar informações sobre fenômenos aéreos não identificados, apesar da ameaça potencial.

É importante enfatizar que o Comitê está particularmente preocupado com UAPs e “com qualquer vínculo que eles tenham com governos estrangeiros adversários”. O projeto propõe que o Diretor de Inteligência Nacional (DNI) supervisione o desenvolvimento de um relatório abrangente:

“Portanto, o Comitê orienta o DNI, em consulta com o Secretário de Defesa e os chefes de outras agências que o Diretor e o Secretário consideram relevantes em conjunto, a submeter um relatório no prazo de 180 dias a contar da data de promulgação da Lei ao Congresso. comitês de inteligência e serviços armados sobre fenômenos aéreos não identificados (também conhecidos como ” veículos aéreos anômalos ”), incluindo objetos aéreos observados que não foram identificados”.

O Comitê do Senado descreve em seguida as diferentes fontes de inteligência necessárias para enviar informações para o relatório. A lista exaustiva mostra que o relatório se destina a ser muito abrangente. O Comitê ainda direciona o relatório para incluir:

  • Uma análise detalhada de dados de fenômenos aéreos não identificados e relatórios de inteligência coletados ou mantidos pelo Escritório de Inteligência Naval, incluindo relatórios de dados e inteligência mantidos pela Força-Tarefa de Fenômenos Aéreos Não Identificados;
  • Uma análise detalhada dos dados de fenômenos não identificados coletados por:
  • inteligência geoespacial;
  • sinalização de inteligência;
  • inteligência humana; e
  • medição e inteligência de sinais;

  • Uma análise detalhada dos dados do FBI, que foi derivada de investigações de invasões de dados de fenômenos aéreos não identificados no espaço aéreo restrito dos Estados Unidos;
  • Uma descrição detalhada de um processo interagências de inteligência para garantir a coleta oportuna de dados e a análise centralizada de todos os fenômenos aéreos não identificados, relatando ao Governo Federal, independentemente de qual serviço ou agência tenha adquirido as informações;
  • Identificação de um funcionário responsável pelo processo descrito no parágrafo 4;
  • Identificação de possíveis ameaças aeroespaciais ou outras ameaças colocadas pelos fenômenos aéreos não identificados à segurança nacional e uma avaliação de se essa atividade de fenômenos aéreos não identificados pode ser atribuída a um ou mais adversários estrangeiros;
  • A identificação de quaisquer incidentes ou padrões que indiquem um potencial adversário pode ter alcançado recursos aeroespaciais inovadores que poderiam colocar em risco as forças estratégicas ou convencionais dos Estados Unidos; e
  • Recomendações relacionadas ao aumento da coleta de dados, pesquisa e desenvolvimento aprimorados e financiamento adicional e outros recursos. O relatório deve ser apresentado de forma não classificada, mas pode incluir um anexo classificado.

O que é digno de nota no pedido do Comitê é que haverá um funcionário que terá a responsabilidade de supervisionar o processo interagências para liberar todos os dados sobre o fenômeno UAP / UFOs. Além da comunidade de inteligência, isso também inclui o FBI e suas investigações em andamento sobre UAPs.

O mais significativo é o pedido do Comitê de que quaisquer tecnologias aeroespaciais inovadoras possuídas por adversários estrangeiros sejam incluídas no relatório. Mais especificamente, o Comitê teme que adversários estrangeiros, China, Rússia etc. tenham alcançado avanços tecnológicos na arena aeroespacial que ameaçam a segurança nacional dos EUA.

A China, em particular, fez “progressos incríveis” nas últimas décadas no desenvolvimento de um programa espacial secreto baseado em segredos e projetos avançados de tecnologia aeroespacial, obtidos da Força Aérea dos EUA. De fato, o principal cientista chinês que montou seu programa espacial secreto, o Dr. Tsien Hsue-shen (também conhecido como Qian Xuesen), começou sua carreira trabalhando para a Força Aérea dos EUA (década de 1940) e co-escreveu os planos para futuras tecnologias aeroespaciais avançadas baseadas em espaçonaves tipo UFO nazistas recuperados deacidentes. Para saber mais sobre o programa espacial secreto da China, consulte minha próxima série de seminários on-line a partir de 11 de julho e o livro Rise of the Red Dragon (abril de 2020).

É importante ter em mente que a seção Ameaças Aéreas Avançadas incluída no projeto de lei aprovado pelo Comitê de Inteligência do Senado ainda precisa passar por todo o Senado. Em seguida, ele precisa ser aprovado pela Câmara dos Deputados e finalmente assinado pelo presidente Donald Trump. Não está claro exatamente quando o projeto será promulgado em lei, mas assim que for, a contagem regressiva de 180 dias para o lançamento do relatório começará.

Dado que o projeto foi aprovado em uma base bipartidária (14 votos a favor, 1 contra), pode-se concluir com grande confiança que, no início de 2021, o público dos EUA lerá um relatório abrangente da UAP pela Comunidade de Inteligência.

Por que o Comitê de Inteligência do Senado incluiu essa solicitação sem precedentes à Comunidade de Inteligência na Lei de Autorização de Inteligência de 2021? Segundo Tom DeLonge, o pedido é resultado de um forte lobby de sua Academia To The Stars (TTSA).

O envolvimento de DeLonge e seu TTSA no lobby de passagens sobre “Ameaças Aéreas Avançadas” levanta suspeitas sobre a agenda real por trás da solicitação de um relatório abrangente. O pedido de um relatório da UAP é algo a ser adotado como a tão esperada divulgação oficial [Disclosure] prevista por DeLonge e pela comunidade de estudiosos do assunto OVNI, ou é um ponto de encontro limitado do Deep State, projetado para arrecadar dinheiro para programas classificados administrados por empresas?

No passado, levantei minhas preocupações de que DeLonge e seu TTSA estejam envolvidos em um hangout limitado e sejam fortemente influenciados, se não controlados, por funcionários comprometidos do Deep State. No entanto, não há dúvida de que a iminente aprovação da Lei de Autorização de Inteligência com passagens sobre “Ameaças Aéreas Avançadas” é um grande passo adiante que carrega grande significado para a Comunidade de Divulgação de OVNIs.

O fato de acontecer depois que um novo diretor do DNI, John Ratcliff, foi oficialmente confirmado pelo Senado dos EUA em 21 de maio, é um sinal muito encorajador. Ratcliff é um forte aliado do presidente Trump e tem autoridade para encarregar os White Hats [militares das três armas aposentados] de supervisionar os esforços interagências para divulgar informações a serem incluídas em um relatório abrangente sobre UAPs / OVNIs.

Talvez não seja coincidência que, em uma entrevista recente de 18 de junho, Trump tenha sido perguntado sobre OVNIs por seu filho, Donald Jr., o presidente Trump disse que as informações sobre os rumoroso caso ocorrido em Roswell, em julho de 1947,  são muito interessantes e que ele considerará desclassificá-las no futuro. O relatório da Inteligência a ser emitido por Ratcliff seria um veículo para a divulgação de muitos segredos por trás do acidente de Roswell e da Área 51?

Em vez de o relatório de Inteligência solicitado ser um hangout limitado orquestrado pelo Deep State, como afirmam alguns críticos de DeLonge , pode facilmente se tornar um meio para os membros do grupo White Hats no governo Trump divulgar oficialmente os principais componentes dos programas espaciais secretos desenvolvidos por seus principais adversários, China e Rússia.

Depois que a Comunidade de Inteligência divulgar seu relatório sobre as tecnologias aeroespaciais estrangeiras possuídas pela China, Rússia e outras fontes “estrangeiras” ligadas aos avistamentos da UAP, será preparado o cenário para as divulgações futuras sobre o próprio programa espacial secreto da USAF, que está atualmente no processo de transferência para a recém-criada Space Force.

Ratcliff e membros White Hats no governo Trump podem usar o relatório solicitado para divulgar ao público americano importantes verdades sobre tecnologias aeroespaciais avançadas secretas e programas espaciais secretos.

As divulgações sobre UAPs e OVNIs que estão à frente prometem ser importantes, mesmo que a intenção original no projeto de lei do Congresso fosse limitar o relatório ao que a China e a Rússia desenvolveram secretamente.  Previsivelmente, essas revelações levarão a apelos ao Congresso para aumentar massivamente os fundos da Força Espacial, para que possa desenvolver e implantar rapidamente tecnologias semelhantes para fins de segurança nacional.

Claramente, as eleições presidenciais de 3 de novembro terão impacto sobre o que sair no relatório da UAP de Ratcliff, previsto para o início de 2021. Assumindo que o presidente Trump vença a reeleição, ele e Ratcliff estarão em uma posição poderosa para divulgar muito mais do que apenas o que a Comunidade de Inteligência suspeita que China e Rússia tenham desenvolvido secretamente na arena aeroespacial.

O relatório UAP de Ratcliff pode muito bem ser parte de um plano elaborado para um programa espacial secreto da USAF de décadas sendo transferido secretamente para a Space Force e depois divulgado por Trump ao público americano como tecnologias recém-adquiridas desenvolvidas em resposta à ameaça representada pela China e pela Rússia. Embora esse processo fosse falso, seria um trampolim para o lançamento público da revelação de muitas tecnologias aeroespaciais revolucionárias que poderiam transformar a vida em nosso planeta.

© Michael E. Salla, Ph.D.


Leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.