browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Deep State lançará “Invasão [fake] Alienígena” após esgotar suas opções de controle global? (2)

Posted by on 13/06/2020

Pouco antes de sua morte, em 1977, o cientista nazista alemão Wernher Magnus Maximilian Freiherr von Braun, pioneiro em programas de foguetes V1 e V2 nazistas alemães e depois responsável pela criação da NASA e do Projeto Apollo norte-americanos, alertou que um grupo de controladores globais, conhecido como Deep State, passaria sistematicamente por implantar uma série de eventos de bandeira [False Flag Attack] falsa ou “cartões”, que seriam jogados sobre a humanidade em uma sequência de eventos projetados para finalmente militarizar o espaço e inaugurar um governo global estilo NWO – Nova Ordem Mundial.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Invasão alienígena de Falsa Bandeira [Fake] – um aviso genuíno ou mais um engano dos nazistas do Quarto Reich ? – PARTE 1

Fonte:  https://www.exopolitics.org/von-brauns-false-flag-alien-invasion-genuine-warning-or-deception/

De 1974 a 1977, o cientista nazista alemão Dr. Wernher Magnus Maximilian Freiherr von Braun [levado para os EUA pelo Projeto Paperclip, após o término da II Guerra Mundial] começou a contar em particular a Carol Rosin, sua colega numa importante empresa aeroespacial [do Complexo Industrial Militar] Fairchild Industries, sobre uma sequência de “cartões” de bandeira falsa de eventos globais a serem implantados pelo Deep State, como impactos de asteróides e invasão extraterrestre, o que levaria à militarização do espaço e inauguraria uma Nova Ordem Mundial. 

Von Braun com John F. Kennedy

Agora, mais de 40 anos depois, a sequência prevista por Von Braun parece estar acontecendo como previsto, à medida que a “grande mídia” [Pre$$titute] especula cada vez mais sobre ameaças de quedas de asteróides e uma invasão alienígena da Terra no que muitos acreditam serem casos de programação mental global das massas de forma preditiva.

Dado o histórico do cientista nazista alemão Dr. Wernher Magnus Maximilian Freiherr von Braun  e a existência de uma colônia separatista nazista na Antártica, na América do Sul e na era pós-Segunda Guerra Mundial que tentava estabelecer um Quarto Reich, ao dominar e controlar os EUA, uma questão-chave é se o aviso de Von Braun era genuíno ou se era parte de [mais] uma manipulação do Quarto Reich nazista.

Ao responder a essa pergunta, é importante entender por que Von Braun foi trabalhar com a Fairchild Industries, onde aprendeu sobre a sequência planejada de eventos de falsa bandeira planejados pelo Deep State sendo discutida nas reuniões da diretoria da empresa, conforme descrito por Rosin na Parte 1 desta série.

Depois que a NASA tomou a decisão de encerrar o Programa Apollo, um de seus criadores, o cientista nazista Von Braun decidiu se aposentar em 26 de maio de 1972, seis meses antes do lançamento do Apollo 17, a última missão [pública] de pouso na lua. Ele havia sido o diretor do Marshall Space Flight Center da NASA (1960-1972), onde liderou as equipes de engenharia em grande parte cientistas nazistas alemães que projetaram os foguetes Saturno V que acionariam e impulsionaram o Programa Apollo.

Von Braun ingressou na Fairchild Industries como vice-presidente de engenharia e desenvolvimento. A Fairchild Industries foi uma das empresas aeroespaciais envolvidas secretamente na construção de uma estação espacial  projetada por “Von Braun” em forma de anel, com base nos primeiros projetos de Von Braun para a USAF e o National Reconnaissance Office-NRO, conforme explicado no capítulo 13 do meu livro,  US Air Force Secret Space Program (2019).

O que não se sabe sobre o Programa Apollo é que ele foi usado como uma cobertura muito eficaz para enormes quantidades de financiamento, recursos e pessoal sendo secretamente transferido para a Antártica para ajudar na expansão de um Programa Espacial Alemão nazista separatista, escondido em profundas bases subterrâneas.

No capítulo 12 do meu livro US Air Force Secret Space Program (2019), detalho como o programa Apollo foi usado como parte de um acordo alcançado entre a Administração Eisenhower e a colônia alemã baseada na Antártica, também conhecido como o “Quarto Reich”.

O trabalho de Von Braun na NASA era enganar o público dos EUA sobre o potencial das viagens espaciais movidas a foguetes convencionais, assegurando ao mesmo tempo que o programa espacial alemão na Antártica tinha todos os recursos e pessoal necessários para que suas espaçonaves impulsionadas por sistemas de propulsão com base no eletromagnetismo iniciasse a colonização espacial na Lua, Marte e em outras partes do nosso sistema solar.  Simplificando, enquanto o programa Apollo levou americanos à Lua, ele desenvolveu secretamente outro programa e levou nazistas alemães e militares dos EUA a Marte e além.

Em troca de sua ajuda secreta através do programa Apollo, as forças armadas dos EUA obtiveram assistência científica em seus esforços para estudar e fazer engenharia reversa de tecnologias extraterrestres capturadas por ex-cientistas nazistas que foram trazidos para os EUA sob a Operação Paperclip (1945-1959). Muitos estavam trabalhando secretamente para o Quarto Reich voluntariamente ou foram coagidos a fazê-lo.

Werner Von Braun estava entre um seleto grupo de cientistas da Operação Paperclip que foram convidados a avaliar os restos mortais dos corpos de extraterrestres do Acidente de Roswell em julho de 1947 para a Força Aérea dos EUA (Exército), conforme revelado em um documento vazado do Majestic-12 chamado  Counter Intelligence Corps/Interplanetary Phenomenon Unit Report:

“Selecionar cientistas do Comitê Consultivo Geral da Comissão de Energia Atômica, principalmente DR. J. ROBERT OPPENHEIMER, foi entrevistado no LZ-2 (segundo local do acidente de OVNI em Roswell), além de outros membros. Entre os especialistas do PAPERCLIP identificados no LZ-2 estavam DR. WERNER VON BRAUN (Fort Bliss); DR ERNST STEINHOFF (AMC [Comando de Material Aéreo, Wright Field]) e DR. HUBERTUS STRUGHOLD (LABORATÓRIO AEROMÉDICO, CAMPO RANDOLPH)”.

Este documento vazado do Majestic-12 tem uma classificação de autenticidade “ Nível médio-alto de autenticidade “, de acordo com uma escala desenvolvida pelo Dr. Robert Wood e seu filho Ryan, usando vários critérios desenvolvidos para avaliar documentos governamentais vazados. O que ajuda a corroborar o relato do documento sobre o papel desempenhado por Von Braun na avaliação dos destroços de Roswell como consultor científico especializado é um ex-operador de espaçonave da NASA, Clark McClelland, que perguntou a Von Braun sobre o acidente de OVNI em Roswell.

Von Braun contou a McClelland sobre o incidente com a condição de que nenhum detalhe seria revelado até depois de sua morte.

O cientista nazista alemão Dr. Wernher Magnus Maximilian Freiherr von Braun explicou como ele e associados sem nome foram levados para o local do acidente depois que a maior parte do pessoal militar saiu de cena. Eles fizeram uma rápida visita ao local, afirmou Van Braun. Ele relatou como o exterior da nave espacial não era de metal como o conhecemos, mas parecia ser feito de algo biológico, como pele….

E sim, havia corpos alienígenas que estavam sendo mantidos em uma sala de contenção médica perto do OVNI acidentado. Os seres eram pequenos, muito frágeis e de natureza reptiliana. Von Braun comparou sua pele a cascavéis que ele e seu grupo encontraram em White Sands.  Von Braun ficou intrigado com a natureza dos escombros. O material era muito fino, cor de alumínio, semelhante à papel alumínio para assar alimentos, segundo o cientista.

O documento vazado do Majestic-12 e a lembrança de McClelland mostram que o cientista nazista alemão Dr. Wernher Magnus Maximilian Freiherr von Braun e outras centenas de cientistas nazistas levados para os EUA através do Projeto Paperclip estavam assessorando ativamente a Força Aérea do Exército dos EUA na reversão de tecnologias alienígenas recuperadas de Roswell e de outros acidentes {como em Aztec]  a partir de julho de 1947.

O Dr. Arthur Rudolph também foi um cientista alemão de foguetes que foi trazido para os EUA na Operação Paperclip. Ele trabalhou no Kennedy Space Center da NASA e no Marshall Space Flight Center como Engenheiro-chefe dos motores Saturn 5 que acionaram o programa Apollo e como assistente especial de Von Braun até janeiro de 1969. Rudolph foi identificado como trabalhando com a Força Aérea dos EUA estudando e fazendo engenharia reversa de uma espaçonave extraterrestre capturada, especialmente após sua aposentadoria “oficial” em 1969.

O gênio precoce David Adair, que projetou um “Mecanismo de Contenção Eletromagnética por Fusão” para a Força Aérea dos EUA em 1971, descreve como Rudolph liderava um esforço científico altamente classificado para fazer engenharia reversa de uma espaçonave extraterrestre capturada e mantida armazenada na Área 51. Adair descreveu como Rudolph tinha autoridade sobre os Oficiais da Força Aérea e estava sendo ativamente ajudado pela CIA.

 

Então, se os cientistas alemães da Operação Paperclip estavam ajudando a USAF a estudar e fazer engenharia reversa de tecnologias alienígenas, eles estavam realmente prestando assistência ou eram agentes duplos sabotando os esforços dos EUA? William “Bill” Tompkins, desenhista / engenheiro da Douglas Aircraft, TRW e outras empresas aeroespaciais líderes nos anos 50-70, descreve como os cientistas nazistas alemães do Paperclip que ocupam cargos corporativos seniores em conglomerados do Complexo Industrial Militar sabotavam os esforços da indústria para construir sistemas de propulsão eletromagnética e de torção de campo.

E mesmo na gigante Douglas Aircraft e na TRW, e todas essas outras empresas, incluindo a General Dynamics, algumas pessoas de alto nível estavam negando tudo o que estávamos tentando fazer secretamente. Portanto, você deve se fazer a seguinte pergunta: “Por que temos tanta dessa sabotagem acontecendo em um nível tão alto de tecnologia no país e em toda as forças armadas? E quem está dizendo a eles para tentar parar tudo, tentar reduzi-lo quando estamos tentando nos ajudar? ( Selected by Extraterrestrials, Vol 2, p. 92)

O poder de um misterioso Quarto Reich sobre os cientistas da Operação Paperclip, alguns dos quais foram forçados a sabotar os esforços de pesquisa e desenvolvimento dos EUA, é ilustrado por McClelland, que diz ter testemunhado pessoalmente o ex-general nazista da S.S. Hans Kammler em meados da década de 1960 no escritório do Dr. NASA. Kurt Debus, chefe do Centro Espacial Kennedy. Kammler havia escapado da Alemanha nazista antes de seu colapso na América do Sul e Antártica para ajudar o Quarto Reich a expandir suas bases subterrâneas por lá.

McClelland descreveu a poderosa influência exercida pelos cientistas nazistas alemães que trabalhavam para a NASA que temiam Kammler e o sombrio Quarto Reich:

Abri a porta do escritório e vi duas pessoas que não tinha visto no KSC [Kennedy Space Center]. Ele me apresentou aos dois homens. Ele só me deu o primeiro nome durante a introdução…. Um foi apresentado a mim como Sigfried e o outro como Hans…. Ambos tinham a aparência de altos oficiais de comando nazistas. Hoje tenho certeza de quem eram esses dois homens. Acabei aprendendo com outros cientistas alemães que um deles era Siegfried Knemeyer. Ele era um oficial nazista engenheiro aeronáutico de alto escalão na Luftwaffe … O outro homem era difícil de reconhecer até que vi uma foto mais antiga dele depois que ele mais tarde entrou nos EUA. Ele era na minha opinião Heinz (Hans) Kammler…. Depois da Segunda Guerra Mundial, houve rumores de que Kammler havia feito um acordo com o general George Patton para entregar a tecnologia alemã Top Secret por seu apoio na entrada de Kammler nos EUA. Isso pode ter realmente acontecido. Pessoalmente, acredito que aconteceu. (As Crônicas de Stargate , cap. 15)

O que emerge dos depoimentos de Adair, McClelland, Tompkins e outros é que o complexo industrial militar dos EUA havia sido infiltrado com sucesso pelo Quarto Reich usando cientistas nazistas da Operação Paperclip que foram forçados ou voluntariamente trabalharam como agentes duplos.

Enquanto os cientistas alemães pareciam estar fornecendo assistência técnica para o desenvolvimento de foguetes dos EUA e outros programas aeroespaciais avançados, muitos sabotavam os esforços da indústria dos EUA para replicar as tecnologias aeroespaciais avançadas que os nazistas haviam feito engenharia reversa a partir de naves extraterrestres recuperadas em acidentes.

Isso naturalmente levanta a questão de saber se Von Braun havia realmente se libertado de todas as influências nazistas enquanto dirigia o Marshall Space Flight Center e construía os foguetes Saturn V para o programa Apollo, ou se ele era um agente duplo.

A lembrança de  David Adair de um aviso dado por Von Braun a ele sobre Rudolph sugere que, como diretor inaugural do Marshall Center, Von Braun estava sendo tratado por Rudolph, que era o diretor de projeto do foguete Saturn V e, posteriormente, assistente especial de Von Braun:

“O fato é que von Braun me avisou que, se durante o meu trabalho com foguetes, eu encontrar um homem chamado Dr. Arthur Rudolph, devo ser extremamente cuidadoso, porque ele é muito perigoso”.

Parece que Von Braun e outros cientistas alemães da operação Paperclip foram intimidados por Rudolph – um nazista ardente – que quase certamente foi recrutado por Kammler como um agente importante do Quarto Reich. A missão secreta de Rudolph era coagir os cientistas da operação Paperclip a cumprir as ordens dos alemães nazistas do Quarto Reich baseados na Antártica ou enfrentar graves consequências. Se Von Braun voluntariamente ou foi coagido a trabalhar como agente duplo para o Quarto Reich, isso levanta a questão de qual era sua verdadeira agenda quando conheceu Carol Rosin na Fairchild Industries em 1974.

Von Braun foi sincero com Rosin ao avisá-la de uma conspiração do Deep State para encenar uma invasão alienígena de bandeira falsa para justificar a existência de armas espaciais, ou estava tentando sabotar os esforços militares dos EUA para um dia preencher a lacuna da tecnologia de defesa com o programa espacial secreto alemão?

O Programa Apollo retirou recursos valiosos da pesquisa científica e do desenvolvimento de sistemas de propulsão eletromagnética e de campo de torção, que os alemães dominaram para desenvolverem sua frota espacial secreta na Antártica, descrita por vários membros como a “Frota Negra” ou “Nacht Waffen” (armas noturnas)

Compreender o verdadeiro papel de Von Braun nos programas espaciais da Apollo dos EUA e da Antártica Alemã é um contexto vital para analisar sua subsequente oposição às armas espaciais, como lembrou Rosin. Von Braun estava genuinamente comprometido com a eliminação de armas no espaço ao convencer Rosin durante os últimos anos de sua vida, ou ele era um agente duplo trabalhando secretamente para os alemães antárticos do Quarto Reich?

Assim como Von Braun e outros ex-cientistas nazistas convenceram o Congresso dos EUA e a comunidade científica de que a propulsão de foguetes era a chave para futuras viagens espaciais, como uma distração do verdadeiro potencial dos sistemas de propulsão eletromagnética e de campo de torção, Von Braun estava plantando as sementes para prejudicar um futuro programa espacial militar dos EUA que poderia um dia ameaçar ou rivalizar com a frota negra alemã / Nacht Waffen através de armas espaciais avançadas?

© Michael E. Salla, Ph.D.


“Somos confrontados em todo o mundo por uma Conspiração Monolítica e Implacável que se baseia principalmente em meios secretos para expandir sua esfera de influência – em infiltração em vez de invasão, em subversão em vez de eleições, em intimidação em vez de livre escolha, em guerrilhas pela noite em vez de luta com exércitos à luz do dia. Seus preparativos  são ocultos, secretos, não são publicados. Seus erros estão enterrados, não são noticiados. Seus dissidentes são silenciados, ninguém ora por eles. Nenhuma despesa é questionada, nenhum rumor é impresso, nenhum segredo é revelado. Ela induz à Guerra Fria, em suma, com uma disciplina de tempo de guerra, nenhuma democracia jamais esperaria ou desejaria ter que enfrentar tal situação.” –  John F. Kennedy, uma semana antes de ser assassinado …


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

 

2 Responses to Deep State lançará “Invasão [fake] Alienígena” após esgotar suas opções de controle global? (2)

  1. Silvio J B Maia

    De um modo geral as pessoas não têm saco para se informar corretamente, e as que têm são egoístas e não estão nem aí para os indiscernentes por inoportunidade de se esclarecerem, sendo o resultado disso uma curralização em massa, por sua vez conduzida a uma polarização para eleger-se a ferramenta de sistema via de regra corrupto, e as coisas continuarem com os poucos ricos dominadores escravizando a boiada ignorante e vulnerável.

  2. eadaeda

    Antes era a china e a russia imperialistas que queriam implantar uma EURÁSIA e uma nova ordem mundial. Agora é os EUA que querem militarizar o espaço pra implantar uma nova ordem mundial. Rapaz … axo que no final das contas ninguém sabe é de nada rs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.