browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Em ato de autoproteção, Senado ergue muro contra STF para proteger Aécio Neves.

Posted by on 28/09/2017

Com espírito de autoproteção, Senado ergue muro contra STF para proteger Aécio Neves.

Com um claro espírito corporativista, quase todas as bancadas partidárias do Senado concordam em pressionar o Supremo Tribunal Federal para que ele revise a decisão de afastar Aécio Neves (PSDB-MG) da Casa. 

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Partidos (ou melhor seria dizer QUADRILHAS), incluindo O PT, se unem para revogar afastamento do tucano, decidido pela Primeira Turma do Supremo. Receio é que senador Aécio seja primeiro da fila em decisões do gênero

Afonso Benites – Brasília – Fonte: https://brasil.elpais.com/

Mas, por enquanto, os senadores preferiram não aprofundar a crise institucional aberta com o Judiciário e decidiram, nesta quinta-feira, devolver ao Supremo a responsabilidade sobre o futuro do líder tucano.

Por 43 votos a 8, os senadores decidiram que votarão na próxima semana a rejeição da decisão judicial que determinou o afastamento de Aécio das suas funções parlamentares e a obrigação de recolhimento noturno. Antes dessa votação, emissários do Senado tentarão convencer a presidenta do STF, Cármen Lúcia, a colocar o assunto na pauta do plenário da Corte. Eles querem que os onze ministros da analisem a ordem emitida pela Primeira Turma, o colegiado formado por cinco magistrados, que resultou na punição ao senador tucano.

“Não estamos aqui fazendo nenhum tipo de defesa do senador Aécio Neves”, afirmou o senador Jorge Viana (PT-AC). “Nós o temos como um algoz da democracia do nosso governo, parte de um esquema que fragilizou as instituições quando o Poder Legislativo interveio indevidamente no Executivo”, acrescentou, em referência ao impeachment de Dilma Rousseff (PT). No entanto, ele entendeu que a decisão foi um “assunto mal resolvido” pelo STF.

Jorge Viana foi um dos responsáveis pela “solução Renan”, no fim do ano passado. Naquele momento, o então presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL), foi afastado pelo ministro do Supremo Marco Aurélio Mello das funções administrativas após ele virar réu por um suposto crime de peculato. O Legislativo se recusou a cumprir a determinação, alegando que era necessária uma decisão do plenário do STF. No fim, ela veio e foi favorável ao peemedebista.

Em nota, o PT disse que a atual decisão contra Aécio é uma “condenação esdrúxula”. “Não existe a figura do afastamento do mandato por determinação judicial. A decisão de ontem é mais um sintoma da hipertrofia do Judiciário, que vem se estabelecendo como um poder acima dos demais e, em alguns casos, até mesmo acima da Constituição”. Para amenizar críticas de seus militantes, o partido também decidiu apresentar mais uma denúncia contra Aécio no Conselho de Ética do Senado.

Apesar da constatação nos bastidores, oficialmente o discurso dos parlamentares é que qualquer decisão do Supremo envolvendo a restrição de liberdade de senadores tem de ser referendada pelo plenário do Senado. Eles citam o artigo 53 da Constituição Federal, no qual trata especificamente da prisão de parlamentares. Por outro lado, os que entendem que o recolhimento noturno é possível, citam o artigo 319 do Código de Processo Penal.

O senador Cristovam Buarque (PPS-DF), um dos que votou a favor do requerimento de urgência, disse que espera um posicionamento do Supremo antes do plenário do Senado se manifestar. “Uma decisão agora só interessava a dois grupos de pessoas: as que são contra a democracia e as que  têm medo da Justiça”, afirmou.

Nos próximos dias, os advogados de Aécio tentarão apresentar um recurso para o STF analisar o caso. Só depois que isso ocorrer, o assunto poderá ser levado ao plenário. Até lá, o senador tucano segue afastado de suas funções e proibido de sair de casa à noite.


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida na formatação original e mencione as fontes.

phi-golden-ratiowww.thoth3126.com.br

One Response to Em ato de autoproteção, Senado ergue muro contra STF para proteger Aécio Neves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *