browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Estabilidade política da Rússia garantida enquanto o Ocidente afunda

Posted by on 08/07/2020

Apesar do que os comentaristas [manipulados pelo establishment] políticos americanos e europeus possam pensar, realmente existe um profundo desejo entre as pessoas de votar em sua própria soberania. E esse impulso esteve em exibição total na semana passada, num país importante no atual contexto global, com o anúncio dos resultados da votação pública da Rússia para aprovar as mudanças em sua constituição. A contagem final colocou a votação em 78% a favor, com uma participação de 65% dos eleitores no referendo. Essas são as mudanças mais amplas na constituição da Rússia desde que foi ratificada em 1993, que investiu o presidente com imenso poder.

Tradução, edição e imagens:Thoth3126@protonmail.ch

Estabilidade política da Rússia garantida enquanto o Ocidente afunda controlado pelas elites e seus “jogos de poder”

Fonte:  Strategic-culture.org

E enquanto o pacote final de reformas diferia em um aspecto importante do original – permitindo que um presidente cumprisse mais de dois mandatos ‘consecutivos’ – o principal tema das mudanças era retirar o poder da presidência, colocando mais poder nas mãos dos representantes eleitos na Duma.

Vladimir Putin

O gabinete do presidente da Rússia deve ser retirado da Duma e não indicado pelo presidente, enquanto o Conselho de Estado foi oficialmente adicionado à constituição que pode implementar os decretos presidenciais diretamente nas regiões. De fato, agora há um maior equilíbrio (e tensão) entre esses vários ramos do governo russo, à medida que o presidente da Rússia perde o controle sobre a nomeação de seu gabinete, mas fortalece sua capacidade de contornar o parlamento eleito.

O que ficou claro no início desse processo foi que Putin estava tentando preparar sua sucessão , minimizando o potencial de surgir outro “fantoche do estrangeiro” para exercer o imenso poder da presidência russa, como estava sob Boris Yeltsin. Putin pretendia se aposentar em 2024, aos 71 anos, com o objetivo de manter uma forte presença na política russa, liderando o Conselho de Segurança, que com essas reformas tem um papel mais direto na definição das políticas militares e diplomáticas do que antes.

Em dezembro , fiz um podcast com Alexander Mercouris, do The Duran, onde discutimos essas possíveis alterações em detalhes (que antecedem as alterações no limite de mandatos do presidente) que considero importante revisar neste momento, já que as mudanças agora são leis .

Não importa de qual perspectiva política você venha, haverá críticas válidas a essas mudanças, que têm potencial para abusos, mas o objetivo geral é tornar a Rússia muito mais resistente a interferências externas e refletir o crescente orgulho dos russos por sua casa e sua família ao sobreviver ao inferno imposto a eles pelo ocidente após o fim da URSS.

E essas mudanças devem ser vistas através dessa lente. Na minha opinião, a Rússia está em estado de guerra com o Ocidente desde o final de 2013, com a tentativa da UE de acelerar o ingresso da Ucrânia em seu seio e com as inúmeras sanções impostas pelos EUA. Isso se transformou no levante de Maidan e na subsequente reunificação com a Crimeia e a Guerra para Prevenir a Secessão de Donbass.

Putin chegou ao poder no auge do colapso econômico e social pós-soviético da Rússia. Ele sabe quem estava por trás dos fatos e onde, metaforicamente, os corpos estão enterrados. Ele ainda está fazendo movimentos que são, na melhor das hipóteses, mudanças incrementais que são possíveis quando mudanças óbvias são necessárias.

É isso que muitas dessas mudanças constitucionais representam, mudanças incrementais necessárias para garantir o futuro da Rússia no curto prazo, no contexto de um Ocidente infinitamente hostil nas agitações da morte do Império do ocidente.  Por esse motivo, eles são bem-vindos, se forem desconfiados, pois todo poder é inerentemente desconfiado. E o povo russo entende a natureza do conflito na medida em que foi motivado a fazer uma declaração definitiva sobre o conflito.

A resposta da imprensa [PRE$$TITUTE] ocidental tem sido adequadamente patética, liderando com manchetes que apenas enfatizam o potencial de Putin permanecer no poder até 2036 (altura em que ele terá 83 anos) e os pequenos bolsões de resistência a essas mudanças.

As pessoas que choram mais hoje são os neoliberais / neocons / lacaios das elites e seus agentes de inteligência que Putin constantemente manobrou nos últimos trinta anos que planejavam esperar por ele. Essas mudanças na constituição podem, no final, como sugere Gilbert Doctorow , fortalecer a presidência da Rússia de maneiras imprevistas, mas a única coisa que ela faz é garantir que, se a Rússia se afundar na autocracia, o fará nos seus termos e não nos termos aqueles que o destruíram abertamente nos anos 90.

Esta é uma era de extrema instabilidade política global, que reflete a base econômica envenenada em que essas instituições são construídas. Em todo o Ocidente, estamos vendo uma resistência maciça à ordem existente de todos os lados do espectro político. Sua raiva, ódio e frustração têm a mesma gênese, enquanto seus objetivos são muito diferentes.

Os poderes que estão por trás de tudo isso estão por trás dos que visam derrubar a ordem política nos EUA, enquanto se opõem ao mesmo impulso na Europa. A ironia não deve ser perdida para ninguém que uma “revolução de cores” esteja em andamento nos EUA, onde o sistema institucional é investido em um governo nacional com estados individuais ainda operando de acordo com esse governo nacional.

Ao mesmo tempo, uma ampla coleção de tratados une nações soberanas à União Européia, que tem quase zero autoridade legal para fazer cumprir seus decretos, mas que resistiu violentamente a todas as expressões de soberania nacional como bárbaras.

Portanto, a imagem deve ficar muito clara: qual é a dinâmica e quem está puxando os cordéis e para que fim. E é por isso que há o tipo de “uivos e ranger de dentes” vindos do Ocidente durante essas reformas internas da Rússia; eles não podem permitir uma expressão bem-sucedida da soberania nacional, para que os servos não tenham idéias engraçadas e fiquem independentes.

Mas não acho que nenhuma dessas dinâmicas acabe vencendo. Os EUA, na sua forma atual, podem não sobreviver à uma guerra civil, mas a Europa também não passará gentilmente pela longa noite do pretendido estado policial supranacional buscado pela elite que se reúne em Davos anualmente .

A chave do sucesso de Putin tem sido sua natureza conservadora, que entende que a mudança ocorre com o tempo. Você não pode forçar mudanças duradouras. Você precisa dar tempo para as pessoas se acostumarem com uma ideia e também admitir que algumas mudanças foram erradas e corrigi-las.

É por isso que essas mudanças foram aprovadas com uma maioria de quase 80% do eleitorado da Rússia. Eles estavam de acordo com a opinião pública sobre como deveria ser o futuro da Rússia e quem deveria tomar essas decisões. Como tal, os russos declararam ao mundo outro dia que a doença verdadeiramente perigosa que infecta o Ocidente – o liberalismo desenfreado que libera o libertino – não será uma política pública no futuro da Rússia.


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores.  Mateus 24:6-8

“E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis“.  –  Apocalipse 13:11-18


Leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

2 Responses to Estabilidade política da Rússia garantida enquanto o Ocidente afunda

  1. Silvio J B Maia

    Não faz muito o mundo pôde ver ao vivo e a cores e presencialmente Putin sendo entrevistado livremente pelo povo, e a reação do povo russo, bem diferente do nosso.

  2. Daniel Aires

    Depois que Putin expulsou rotshild e ongs estrangeiras, as coisas voltaram a andar. Que pena o Brasil não ter governantes nacionalistas. Temos um boçal, que ama lamber o saco do Trump.

Deixe uma resposta para Silvio J B Maia Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.