browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

EUA cria ‘Conselho de Governança de Desinformação’ ou um ‘Ministério da Verdade’ tirado da obra “1984” de George Orwell

Posted by on 05/05/2022

Nessa quarta-feira, surgiram notícias nos EUA de que o Departamento de Segurança Interna (DHS) – um departamento que não existia há 20 anos, mas hoje gasta US$ 52 bilhões anualmente – havia criado um novo “Conselho de Governança de Desinformação”, um típico e distópico “Ministério da Verdade” tirado da obra “1984” de George Orwell. Talvez naturalmente, a revelação de que o governo havia criado um novo conselho para combater a “desinformação” provocou uma série de comparações com o livro “1984” , especialmente porque veio logo após a compra do Twitter por Musk.

Tendências do “Ministério da Verdade” no Twitter depois que o governo dos EUA revela a criação do novo “Conselho de Governança da Desinformação”

Fonte: Fee.Org

A notícia chega poucos dias depois que o Twitter aceitou a oferta do fundador da Tesla, Elon Musk, de comprar o Twitter por US$ 44 bilhões, uma medida que os críticos do acordo alegaram que poderia desencadear desinformação. (Musk tem sido vocal em seu apoio à liberdade de expressão.)

O DHS se recusou a ser entrevistado pela Associated Press, mas divulgou um comunicado após a notícia do desenvolvimento.

“A disseminação de desinformação pode afetar a segurança das fronteiras, a segurança dos americanos durante desastres e a confiança do público em nossas instituições democráticas”, disse o DHS.

Talvez naturalmente, a revelação de que o governo havia criado um novo conselho para combater a “desinformação” provocou uma série de comparações com o livro “1984″ , especialmente porque veio logo após a compra do Twitter por Musk.

“Elon Musk compra o Twitter para salvar a liberdade de expressão e dias depois o presidente Biden anuncia um Ministério da Verdade”, brincou um observador. “É como se estivéssemos vivendo uma mistura de romance de Ayn Rand/George Orwell.”

Para quem não conhece o livro “1984” (publicado em 1949) a obra-prima de George Orwell, o Ministério da Verdade é o departamento de propaganda e censura da Oceania, o cenário fictício da distopia de Orwell.

Conhecido como Minitrue em Novilíngua, o nome Ministério da Verdade é um equívoco. Como todos os departamentos do governo apresentado no livro “1984”, o nome reflete o oposto do que o governo realmente faz. O protagonista do livro, Winston Smith, descobre isso na segunda metade da história em “1984″ .

Mesmo os nomes dos quatro Ministérios pelos quais somos governados exibem uma espécie de imprudência em sua inversão deliberada dos fatos. O Ministério da Paz se preocupa com a guerra, o Ministério da Verdade com a mentira, o Ministério do Amor com a tortura e o Ministério da Abundância com a fome. Essas contradições não são acidentais, nem resultam da hipocrisia comum; são exercícios deliberados de duplipensar. Pois é somente conciliando as contradições que o poder pode ser retido indefinidamente.

Smith, que trabalha no Ministério da Verdade, percebe que o Ministério da Verdade não está nem um pouco interessado na verdade. Seu uso de propaganda é evidente, assim como o uso de slogans banais destinados a confundir, manipular, controlar e humilhar o povo da Oceania.

No exterior do prédio do Ministério da Verdade estão três slogans do partido: “GUERRA É PAZ”, “LIBERDADE É ESCRAVIDÃO” e “IGNORÂNCIA É FORÇA”. Dentro da estrutura, documentos problemáticos são incinerados, jogados em um buraco de memória onde são convenientemente esquecidos.

Pode-se ficar tentado a rir das comparações entre um “Conselho de Governança da Desinformação” do governo do marionete senil Joe Biden e o departamento de propaganda [Ministério da Verdade] na obra clássica de Orwell. Afinal, estamos falando de um romance.

Isso seria errado, no entanto.

Para começar, Nineteen Eighty-Four é de fato uma obra de ficção. Mas foi inspirado pelos regimes e ideologias autoritários que Orwell testemunhou em primeira mão. Um ex-socialista que observou os combates na Guerra Civil Espanhola – um conflito entre fascistas e comunistas – Orwell tornou-se um libertário em ascensão que se desiludiu com o coletivismo.

Na verdade, Orwell deixa claro que sua obra “1984” foi inspirado pelo comunismo.

“1984′ foi baseado principalmente no comunismo, porque essa é a forma dominante de totalitarismo”, disse ele a Sidney Sheldon, que comprou os direitos de palco do livro; “mas eu estava tentando principalmente imaginar como seria o comunismo se estivesse firmemente enraizado nos países de língua inglesa e não fosse mais uma mera extensão do Ministério das Relações Exteriores da Rússia”.

O regime de Stalin não foi o único regime totalitário a utilizar propaganda e censura, é claro. Joseph Goebbels, o principal propagandista do Partido Nazista, é talvez o mais infame manipulador de propaganda da história humana. E, claro, os nazistas ficaram famosos por sua queima de livros e de pessoas indesejáveis.

O Partido Comunista Chinês usa propaganda e censura com um efeito tão grande hoje que os estudiosos dizem que é difícil saber o que realmente aconteceu no país no último século.

“Numa época em que a censura [e o controle com mão de ferro] faz parte da experiência cotidiana do povo chinês, mesmo poucos historiadores conhecem de fato toda a história do partido”disse recentemente o historiador Sun Peidong ao The Guardian“É difícil conseguir materiais de história do partido como pesquisador de história hoje em dia. É ainda mais difícil saber o que os últimos 100 anos realmente significaram.”

É por isso que os americanos devem se preocupar com o fato de o governo dos EUA – quase dois séculos e meio depois de ter sido fundado em 1776 – estar subitamente no negócio de erradicar a “desinformação”.

Os humanos sempre discordarão sobre o que é a verdade. O primeiro princípio de Descartes – “cogito, ergo sum” postulava que a única coisa que podemos saber com total certeza é “penso, logo existo”.

Não é preciso ser um filósofo para ver que um monte de coisas que encontramos online são ruins, então não deveria nos surpreender que a “desinformação” – em várias formas e em vários graus – seja desenfreada online.

Mas a história mostra que ninguém maneja desinformação e propaganda com maior eficácia – ou com o maior custo – do que o governo e sempre em seu benefício próprio. Orwell entendeu isso. Os americanos fariam bem em prestar atenção ao seu aviso.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

One Response to EUA cria ‘Conselho de Governança de Desinformação’ ou um ‘Ministério da Verdade’ tirado da obra “1984” de George Orwell

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.