browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

EUA x IRÃ: Terceira Guerra Mundial, iniciando no Oriente Médio, agora é uma tendência

Posted by on 04/01/2020

“Os Falcões da Guerra nos EUA comemoram efusivamente o assassinato do General iraniano Qassem Soleimani não porque acreditam que isso enfraqueceu o Irã … Mas porque acreditam que [com o ataque dos EUA] passamos por um ponto irreversível de escalada no conflito do Oriente Médio”O provável assassinato ilegal de Soleimani pelos Estados Unidos – e os aplausos efusivos que provocou – levaram muitos a expressar temores de um [novo e último] conflito global, catapultando brevemente o tópico de uma “Terceira Guerra Mundial” para o topo da lista de tendências do Twitter. 

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Terceira Guerra Mundial agora é uma tendência, iniciando no Oriente Médio, os “Falcões” [warlords-senhores da guerra] se alegram com a decisão de Trump de assassinar o líder militar iraniano

Fonte:  https://www.commondreams.org/news/2020/01/03/world-war-iii-trends-hawks-rejoice-trump-decision-assassinate-iranian-military

Sentenças entre [ ] são de autoria do tradutor.

O secretário de Estado Mike Pompeo 

Enquanto os defensores da paz manifestavam alarme com a perspectiva real de um conflito total com o Irã após o assassinato de quinta-feira à noite do principal líder militar daquele país sob ordens do presidente dos EUA, Donald Trump , os falcões da guerra que tiveram sob sua mira o Irã pelos últimos anos comemoraram com entusiasmo a decisão de Trump de atacar – e até sugeriram que o presidente deveria ir mais longe, um ataque visando as estruturas das refinarias de petróleo do país persa.

“A política iraniana de Trump tenta incitar a guerra com o Irã desde que ele renegou o acordo nuclear em maio de 2018”. — Sina Toossi, Conselho Nacional Iraniano-Americano

“Para o governo iraniano: se vocês quiserem permanecer no negócio de petróleo, deixe a América e nossos aliados em paz e deixe de ser o maior patrocinador estatal de terrorismo do mundo”twittou a senadora Lindsey Graham (R -Carolina do Sul), uma apoiante de longa data. da mudança de regime no Irã.

Os Senadores republicanos Marco Rubio (Flórida), Tom Cotton (Arkansas), Jim Risch (R.-Idaho) e Ben Sasse (Nebrasca) se juntaram ao coro de aplausos [dos warlords, senhores da guerra], saudando Trump por tomar uma “ação decisiva”.

Trita Parsi, vice-presidente executiva do Quincy Institute for Responsible Statecraft, twittou em resposta à torrente de elogios de que “os falcões da guerra estão comemorando o assassinato de [Qassem] Soleimani não porque acreditam que isso enfraqueceu o Irã. Ou o IRGC [Guarda Revolucionária do Irã] Iraque. Mas porque eles acreditam que passamos por um ponto sem retorno na escalada do conflito na região”.

“A partir daqui, a guerra é inevitável, eles acreditam”, acrescentou Parsi. “E comemoram.”

provável assassinato ilegal de Soleimani pelos Estados Unidos – e os aplausos efusivos que provocou – levaram muitos a expressar temores de um [novo e último] conflito global, catapultando brevemente o tópico de uma “Terceira Guerra Mundial” para o topo da lista de tendências do Twitter. Trump, por sua vez, simplesmente twittou uma imagem de uma bandeira americana após o ataque:

A decisão de Trump de eliminar o general Soleimani, bem como de pelo menos seis outros , com um ataque de drones em Bagdá veio depois que o Pentágono ameaçou o Irã com uma ação preventiva em resposta a supostas indicações de que estava planejando ataques às forças americanas na região do Oriente Médio.

Embora o Pentágono não tenha dado um pingo de evidência de que Soleimani ou grupos de milícias planejavam os ataques, os meios de comunicação corporativos da MSM ecoaram obedientemente a linha do governo Trump, levando alguns comentaristas a verem paralelos com o acúmulo da invasão do governo Bush em 2003.

“Não vejo como parar o que está por vir, a guerra do Mediterrâneo ao [rio] Indus [Paquistão, único pais muçulmano com ARSENAL NUCLEAR] e a dura repressão nos EUA que pode viciar as eleições de 2020”disse Barnett Rubin, do Centro de Cooperação Internacional. “Este é o teste para os democratas: nossos ‘líderes’ [marionetes corruptos] aprenderam alguma coisa desde 2003? Receio essa resposta.”

Observadores advertiram que o assassinato de Soleimani pelos EUA, além da violação do acordo nuclear do governo Trump no ano passado e de outras ações agressivas, efetivamente impediriam a possibilidade de negociações pacíficas com o Irã.

“O que quer que aconteça a seguir, entenda e nunca pare de apontar que Donald Trump assumiu o cargo sem crise com o Irã”, disse Stephen Miles, diretor executivo da Win Without War. “Ele então encheu seu gabinete com vários defensores da guerra, se afastou de um acordo diplomático multilateral e se envolveu propositadamente em ‘pressão máxima’. Ele é o dono disso”.

O “líder supremo” do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, prometeu rapidamente “retaliação severa” em resposta ao assassinato de Soleimani, e o ministro das Relações Exteriores do Irã Javad Zarif acusou os EUA de cometer “um ato de terrorismo de Estado”. Em meio a temores de ataques de vingança, o Departamento de Estado na sexta-feira  pediu aos cidadãos dos EUA que deixem o Iraque imediatamente.

“A política de Trump no Oriente Médio procura incitar a guerra com o Irã desde que ele renegou o acordo nuclear em maio de 2018”disse Sina Toossi, analista sênior de pesquisa do Conselho Nacional Iraniano Americano. “Se uma guerra estourar, a culpa recai diretamente sobre essa política desastrosa e seus proponentes”.

“Trump acha que conseguiu seu momento “Bin Laden” em um ano eleitoral”acrescentou Toossi . “Na realidade, ele cometeu o pior erro estratégico de um líder americano desde a invasão do Iraque. As consequências serão sentidas nos próximos anos”.

One Response to EUA x IRÃ: Terceira Guerra Mundial, iniciando no Oriente Médio, agora é uma tendência

  1. Sónia

    Está mal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.