browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Ex-funcionária da Pfizer acusa que em estudo da FDA a vacina da Pfizer aumenta infecção pelo Covid em mais de 300%

Posted by on 04/10/2021

A fraude das vacinas covid-19 está em plena exibição para os mais conscientes, e as evidências estão à vista de quem pesquisar. A aprovação total do FDA para a vacina COMIRNATY da Pfizer continha provas clínicas de que a inoculação aumenta a infecção por COVID em mais de 300 por cento ! Uma ex-funcionária da Pfizer chamada Karen Kingston está denunciando seu ex-empregador. Ela é especialista em marketing farmacêutico e analista de biotecnologia. Quando ela examinou a aprovação total do FDA para o COMIRNATY, ela encontrou uma fraude flagrante nos estudos clínicos da Pfizer.

O FDA aprovou a vacina covid-19 da Pfizer, embora ela aumente a disseminação da infecção pelo vírus em 300%, transformando as pessoas vacinadas em vetores da pandemia

Kingston apresentou um Documento Informativo da reunião do comitê consultivo do FDA que ocorreu em 17 de setembro de 2021. O título do documento é, “Pedido de licenciamento de uma dose de reforço para COMIRNATY (injeção mRNA COVID-19).” O documento inclui estudos clínicos conduzidos pela Pfizer. Esses estudos rastreiam a durabilidade da imunidade oferecida pela vacina COMIRNATY e a comparam com a imunidade observada em pessoas não vacinadas.

“Se você receber o vax da Pfizer, é mais provável que pegue COVID”, disse Kingston, “então, quanto aos que não foram injetados, sua taxa de infecção foi de 1,3% e a dos vacinados a taxa foi de 4,34%. Ela subiu mais de 300%. Como o FDA poderia ter encoberto essas evidências e aprovado a fraude flagrante?”

Desde que a vacina foi oficialmente aprovada, o governo federal começou a exercer pressão sobre as empresas nos Estados Unidos, ameaçando-as com extorsão e multas se não impusessem as vacinas aos seus funcionários. As vacinas covid-19 foram injetadas quase 225 milhões de vezes nos braços dos norte americanos, causando ferimentos graves e morte ao longo do caminho. 

As observações do mundo real também apoiam os dados clínicos que mostram que as vacinas aumentam a suscetibilidade ao covid-19. Na verdade, as vacinas aumentam a carga viral nas narinas dos vacinados. Um artigo de 26 de agosto do Dr. Peter McCullough mostra que as vacinas covid permitem que os vacinados carreguem 251 vezes a carga viral de covid-19 em suas narinas, transformando-os nos super propagadores assintomáticos que eles temiam.

Estudos da própria Pfizer mostram que não ser vacinado oferece maior proteção

O advogado dos direitos da liberdade médica, Thomas Renz, veio a público com a fraude da Pfizer. O estudo da Pfizer envolveu mais de 36.000 pessoas. Aqueles que foram injetados no início do estudo eram mais propensos a contrair infecções covid mais tarde, mostrando uma tendência clara de diminuição da imunidade. Aqueles colocados em grupos de “alta prioridade”, que foram vacinados mais cedo, têm uma chance 36 por cento maior de infecção, em comparação com o grupo que foi vacinado mais tarde.

O grupo que foi vacinado posteriormente não foi vacinado por 5,1 meses a mais do que o grupo que foi vacinado no início. Este grupo de placebo não apresentou altas taxas de infecção enquanto não foram vacinados, embora tenham ficado mais tempo sem qualquer “proteção”. Por causa disso, Kingston afirmou que o grupo vacinado “tem uma chance ainda maior de ser infectado com COVID-19 do que a diferença de 36 por cento indicada por esta parte do estudo”.

No sábado, Karen Kingston, a ex-funcionária da Pfizer, especialista em marketing farmacêutico e analista de biotecnologia, 
apareceu ao lado do  advogado dos direitos da liberdade médica,  
Thomas Renz, em uma reunião pública. 
O advogado baseado em Ohio esteve  envolvido em vários processos importantes movidos contra agências federais relacionados a fraudes e violações dos direitos à liberdade médica nos últimos 19 meses. 

O estudo até admitiu em sua conclusão: “Uma análise adicional parece indicar que a incidência de COVID-19 geralmente aumentou em cada grupo de participantes do estudo com o aumento do tempo pós 2ª dose.” Kingston esclareceu que as taxas de infecção “aumentam com o tempo” quando as pessoas recebem duas doses de mRNA da Pfizer.

Mais chocantes foram os dados do grupo placebo. Nos primeiros quatro meses, o grupo do placebo “não teve proteção vacinal” e registrou uma taxa de infecção de 12,6 casos por 1.000 pessoas-ano. A taxa de infecção para os não vacinados foi de escassos 1,3 por cento.

Após o período de placebo, o grupo foi “totalmente vacinado”. Em apenas alguns meses, esse grupo se tornou mais infeccionado e apresentou 43,4 casos por 1.000 pessoas-ano. Sua taxa de infecção aumentou mais de 300 por cento para uma taxa de infecção de 4,34%. A Sra. Kingston chamou isso de “super alarmante”.

“Eles tinham muito menos infecção quando não tinham nenhuma proteção. Então, isso é um problema ”, disse ela.

Confira Vaccines.News para saber as últimas novidades sobre a fraude da vacina covid-19.

As fontes incluem: LifesiteNews.comFDA.govPapers.SSRN.com


“Precisamos do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é caixa-pandora-big-pharma-300x219.jpg

“Parece duvidoso se, de fato, a política de “Botas no rosto” pode continuar indefinidamente.  Minha própria convicção é que a oligarquia governante encontrará maneiras menos árduas e perdulárias de governar e de satisfazer sua ânsia de poder, e essas formas serão semelhantes às que descrevi em Admirável Mundo Novo [uma verdadeira profecia publicada em 1932]. Na próxima geração, acredito que os governantes do mundo descobrirão que o condicionamento INFANTIL e a narco-hipnose são mais eficientes, como instrumentos de governo, do que e prisões e campos de concentração, e que o desejo de poder pode ser completamente satisfeito sugerindo às pessoas que amem sua servidão ao invés de açoita-los e chutando-os até à obediência. ” – Carta de Aldous Huxley  EM 1949 para George Orwell autor do livro “1984” 


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

One Response to Ex-funcionária da Pfizer acusa que em estudo da FDA a vacina da Pfizer aumenta infecção pelo Covid em mais de 300%

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.